terça-feira, dezembro 30, 2008

Trofense-Benfica

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho
Liga Sagres, 13.ª jornada
Estádio do Trofense, na Trofa.
Hora: 20.30
Árbitro: Jorge Sousa (Porto)

Trofense
Paulo Lopes (4); Paulinho (3), Valdomiro (4), Miguel Ângelo (3) e Tiago Pinto (3); Milton do Ó (3), Delfim (3) e Mércio (3); Hugo Leal (4), Reguila (4) e Hélder Barbosa (4).

Suplentes: Marco, Areias (2), Pinheiro (3), Zamorano, Sidney, Rui Borges e David Caiado (-).

Treinador: Tulipa

BENFICA
Moreira (1); Maxi Pereira (3), Luisão (2), Sidnei (3) e Jorge Ribeiro (3); Binya (0) e Carlos Martins (2); Ruben Amorim (2), Aimar (2) e Di María (1); Suazo (2).

Suplentes: Moretto, David Luiz, Miguel Vítor, Yebda (-), Balboa (1), Makukula e Cardozo (1).

Treinador: Quique Flores

Sistemas Tácticos

Trofense



Benfica


Modelos de Jogo

Trofense

Bloco baixo; Expectativa; Transições Rápidas.

Benfica

Posse e Circulação de Bola; Domínio e Controlo da Partida; Bloco médio/alto; Assumir Iniciativa de Jogo.

Principais Incidências da Partida (fonte: http://www.record.pt/)

1' - Boa ocasião para Suazo que, de cabeça, respondeu a solicitação de Jorge Ribeiro. Intervenção de qualidade de Paulo Lopes a impedir o golo ao hondurenho.

19' - Aimar, completamente, isolado, desperdiça excelente ocasião, rematando contra Paulo Lopes que, no entanto, teve também o seu mérito.

31' - Livre de Hélder Barbosa com Suazo a falar o corte e Moreira a ter de se aplicar a fundo para evitar o golo. O remate não foi forte, mas traiçoeiro.

45' - GOLO DO TROFENSE... REGUILA. Rápido contra-ataque, com o jogador local a sair de posição discutível (a defesa encarnada pediu deslocação), a correr muitos metros e a rematar para a baliza, com Moreira a ser mal batido.

58' - Cabeceamento de Aimar, após cruzamento da esquerda de Jorge Ribeiro, para defesa de Paulo Lopes.

64' - CARTÃO VERMELHO para BINYA, por acumulação de amarelos. O camaronês joga com a mão e acaba por ver com justiça ordem de expulsão.

74' - Bom cruzamento de Balboa, na direita, à procura de Suazo. Paulo Lopes chegou primeiro.

74' - Suazo consegue fazer passa a bola por cima de Paulo Lopes, mas Miguel Ângelo, atento, faz a dobra e anula a iniciativa encarnada.

79' - Hélder Barbosa, isolado, tenta um remate em jeito, mas falha excelente oportunidada para assinar o 2-0 e "acabar" com o jogo.

82'GOLO DO TROFENSE... HÉLDER BARBOSA. Pinheiro, acabado de entrar, assina a jogada na direita, passa atrasado para o companheiro e este, "encheu o pé" para o 2-0

87' - David Caiado teve nos pés a hipótese de ampliar a diferença, mas o remate saiu ao lado.

Destaques

Melhores em Campo

Trofense

O conjunto dos jogadores utilizados, com especial destaque para Valdomiro, Hugo Leal e Hélder Barbosa

Benfica

Numa equipa que nunca funcionou como tal, nenhum dos jogadores utilizados merece particular referência pela positiva.

Piores em Campo

Trofense

Numa equipa que fez da solidariedade e do espírito de grupo a sua maior arma, nenhum jogador merece realce negativo.

Benfica

Numa equipa que nunca funcionou como tal, o conjunto dos jogadores utilizados merece particular referência pela negativa.

Arbitragem

Pode-se questionar a legalidade do lance que redundou no primeiro golo do Trofense, mas, globalmente considerado, há-que atribuir nota positiva ao desempenho do trio de arbitragem.

Comentário

Vergonha!

Esta será, provavelmente, a mais curta das análises que já redigi neste blog.
Não só pela escassa disponibilidade de internet, mas também e sobretudo pela "azia" que me invade no momento em que escrevo estas linhas.
Sem organização, sem espírito de conquista, sem agressividade, sem intensidade, sem individualidades capazes de desequilibrar não é possível almejar o êxito.
Assim, foi, sem surpresa, que o Benfica conheceu a sua primeira derrota na Liga Sagres, esta noite, na Trofa.
Paupérrimo desempenho!
Triunfo de equidade indiscutível do Trofense!

terça-feira, dezembro 23, 2008

Espaço Prof. Karamba

V. Setúbal - Sporting
Rio Ave - V. Guimarães
Marítimo - P. Ferreira
Académica - Leixões
Nacional - FC Porto
E. Amadora - Naval
Trofense - Benfica
Sp. Braga - Belenenses

p.s. Votos de Boas Festas!
Regresso dia 5 de Janeiro.

segunda-feira, dezembro 22, 2008

Benfica-Nacional

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

Liga Sagres, 12.ª jornada
Estádio do Sport Lisboa e Benfica, Lisboa
Hora: 19:45
Árbitro: Pedro Henriques (Lisboa)

BENFICA
Moreira (3); Maxi Pereira (3), Luisão (3), Sidnei (-) e Jorge Ribeiro (3); Yebda (2), Katsouranis (3), Ruben Amorim (2) e Di María (2); Cardozo (2) e Suazo (2)

Suplentes: Moretto, Miguel Vítor (3), David Luiz, Binya, Urreta (-), Aimar e Nuno Gomes (2)

Treinador: Quique Flores

Nacional
Rafael Bracalli (4); Patacas (3), Felipe Lopes (4), Halliche (4) e Alonso (3); Cléber (3), Edson Sitta (3), Ruben Micael (4) e Luís Alberto (3); Mateus (3) e Nené (2)

Suplentes: Douglas, Igor Pita (-), João Aurélio, Nuno Pinto (-), Juninho (2), Bruno Amaro e Miguel Fidalgo

Treinador: Manuel Machado

Sistemas Tácticos

Benfica


Nacional


Modelo de Jogo

Benfica

Posse e Circulação de Bola; Domínio e Controlo da Partida; Bloco médio/alto; Assumir Iniciativa de Jogo.

Nacional

Expectativa; Bloco baixo; Transições Rápidas.

Principais Incidências da Partida (fonte: www.record.pt)

23' - Livre para Ruben Amorim na direita, com Yebda, sem saltar, a cabecear na área para defesa de Bracalli. A bola bateu no relvado antes de o guarda-redes brasileiro ter tocado pela linha de fundo.

46' - Incrível! O Nacional perto do golo. Edson isola-se na direita e remata cruzado, com a bola a tocar em Moreira e no poste e a ficar em cima da linha. Maxi afasta contra um molho de jogadores e é Yebda que afasta pela linha de fundo antes que Mateus chegasse.

50' - Contra-ataque muito perigoso do Nacional, lançado pelo guarda-redes. Edson cruza da direita e Ruben Micael remata ao lado. É o segundo aviso madeirense.

53' - Moreira evita o primeiro. Opôs-se bem ao remate de Nené, após um grande passe de Ruben Micael.

61' - Grande perdida do Benfica. Katsouranis levanta, Suazo faz a assistência de cabeça e Ruben Amorim, na pequena área, remata por cima.

63' - Canto na esquerda para Jorge Ribeiro, com Luisão a cabecear para uma grande defesa de Bracalli.

65' - Desentendimento entre Alonso e Patacas, com Di María a rematar por cima, com a bola ainda a bater num defesa. Pontapé de canto.

66' - Jorge Ribeiro quase que marca canto directo. Alonso afasta contra Katsouranis e a bola sai pela linha de fundo. Pontapé de baliza.

79' - Alonso vê o CARTÃO VERMELHO, por acumulação de amarelos, depois de ter feito falta sobre Maxi Pereira.

83' - Grande passe de Katsouranis, a desmarcar na área Maxi Pereira. O uruguaio domina no peito e remata ao lado, com a parte de fora da bota.

88' - Urretavizcaya cruza da direita e Suazo a cabecear ligeiramente ao lado do poste direito de Rafael Bracalli.

90'+2 - Golo anulado ao Benfica. Canto para Jorge Ribeiro na direita. Yebda cabeceia contra a defensiva e a bola acaba por sobrar para Cardozo facturar mas Pedro Henriques considera que Miguel Vítor, estendido no relvado e de costas para o lance, tocou no esférico com a mão intencionalmente antes do remate do paraguaio, após o alívio de Cléber junto à linha de fundo.

90'+4 - Nené não chega à desmarcação de Patacas na área. Moreira segura.

Destaques

Melhores em Campo

Benfica

Katsouranis - Procurou promover o equilíbrio defensivo e emprestar fluidez e clarividência aos movimentos ofensivos.
Foram seus os poucos passes de ruptura executados pelo Benfica.

Maxi Pereira - Revelou uma condição física invejável, que lhe permitiu fazer todo o corredor com idêntica eficácia.
Defendeu e atacou sempre a alta rotação, com equilíbrio e a bom nível.
Pena ter desperdiçado, ingloriamente, uma flagrante oportunidade de golo.

Nacional

Felipes Lopes e Halliche - Irrepreensíveis!

Ruben Micael - O madeirense formado nos rivais do União assumiu-se como o principal impulsionador das rápidas transições do Nacional.
Lesto a pensar e a executar, revelou técnica e criatividade para outros voos.

Piores em Campo

Benfica

Cardozo - Vive uma evidente crise de confiança.
Desprovido de auto-estima e de concentração, revelou-se amorfo e dócil.
Lento e sem chama, esteve quase sempre ausente do jogo.

Nacional

Nené - Do segundo melhor marcador da Liga espera-se competência na finalização.
Pois bem, o brasileiro demonstrou precisamente o contrário, especialmente quando aos 53 minutos surgiu isolado perante Moreira.

Arbitragem

Exemplar até aos 92 minutos, Pedro Henriques "borrou a pintura" ao invalidar um golo a Cardozo.
Miguel Vítor caiu na área, foi atingido por uma bola na mão e Cardozo atirou a contar. Miguel Vítor nem sequer viu a bola!
Evidente involuntariedade!
Aliás, a seguir tal critério, Pedro Henriques teria que ter assinalado penalty no momento imediatamente anterior, por mão de Luís Alberto na área nacionalista.
Um erro grosseiro, com clara influência no resultado!

Comentário

Orfandade e Ansiedade!

O Benfica não foi além de um nulo, não capitalizando assim os empates de Sporting, Leixões e Porto.
Seja como for, entra em 2009 com dois pontos de vantagem sobre os vice-líderes, Leixões e Porto, e três sobre o Sporting.
As ausências de Reyes e Aimar conjugadas com uma excessiva e inexplicável ansiedade entorpeceram a dinâmica global do Benfica e determinaram a total esterilidade ofensiva dos encarnados.
Sem ninguém capaz de jogar entre a linha intermediária e a linha defensiva do Nacional, criou-se um espaço enorme entre o duplo-pivot do meio-campo e a dupla atacante daí resultando uma gritante incapacidade para ligar ofensivamente a equipa.
Reyes a tempo inteiro e Aimar a espaços têm-se assumido como os "queima linhas" do Benfica e na sua falta reside a explicação da inocuidade do processo atacante (apenas Katsouranis, esporadicamente, conseguiu passes de ruptura).
Por outro lado, a impaciência, a inquietação e o desejo veemente de vencer conduziram a equipa à precipitação e, como tal, ao erro.
Erros vários na transição ofensiva que foram condicionando e muito a qualidade da transição defensiva.
Não raro dos equívocos no capítulo do passe nasceram situações de inferioridade numérica que o Nacional não se revelou capaz de aproveitar eficazmente.
Com um bloco baixo, precavendo-se do poder explosivo de Suazo, o Nacional apresentou uma irrepreensível organização defensiva, que complicou e muito a vida ao Benfica.
Baseando-se na simplicidade dos seus movimentos, com jogadas a dois/três toques, o Nacional surgiu com frequência no meio-campo encarnado, sem, contudo, conseguir criar perigo para Moreira.
O Benfica apenas construiu uma verdadeira oportunidade de golo neste período, quando, aos 23 minutos, num livre na direita cobrado por Rúben Amorim, Yebda cabeceou de cima para baixo, proporcionando excelente intervenção a Bracalli.
Não espantou, portanto, a igualdade a zero verificada ao intervalo.
Esperava-se que Quique procurasse suprir as lacunas detectadas na equipa, mas o espanhol preferiu esperar e, por muito pouco, não pagou caro o imobilismo.
Logo no dealbar da segunda metade, o Nacional cavalgou o tal deserto e Edson apareceu solto na área a rematar com Maxi, em carrinho, a desviar para o poste.
Instantes depois, foi Ruben Micael que destacado na área atirou por cima da barra da baliza de Moreira.
E, aos 53 minutos, Moreira salvou o Benfica, fazendo um óptima "mancha" a Nené, que se isolara. Três enormes sustos e o Benfica envolto numa babel.
O Benfica demorava a encontrar o equilíbrio e a inacção de Quique não ajudava.
Ainda assim, no meio da desordem, quase chegou ao golo: Katsouranis serviu Suazo, este amorteceu para a entrada de Ruben Amorim que, isolado, rematou por cima. Acto contínuo, na sequência de um canto, uma cabeçada de Luisão obrigou Bracali a grande defesa.
Seguiu-se um remate com relativo perigo de Di Maria e o Benfica, com mais coração do que razão, renascia e empurrava o Nacional para as imediações da sua grande área.
Finalmente, o Benfica entrava em jogo!
Foi, então, aos 67 minutos, que Quique resolveu mexer na equipa e contribuir para a solução dos seus problemas.
Prescindiu de Di Maria e reforçou o ataque com Nuno Gomes, mudando o sistema para um clássico 4x3x3.
A tal clareira mostrava-se, agora, preenchida, com Nuno Gomes a jogar nas costas de Suazo e Cardozo e com Ruben Amorim a aproximar-se de Katsouranis e Yebda.
Era tempo do Nacional cerrar fileiras e Machado, pragmático, assim fez, "encolhendo" a sua equipa.
Retirou unidades ofensivas, incrementou a densidade defensiva e baixou ainda mais o bloco.
Apesar das melhorias evidenciadas, a superior organização defensiva dos madeirenses cerceava as intenções atacantes encarnadas.
Aos 78 minutos, Alonso derrubou Maxi e, como já tinha um cartão amarelo, foi expulso.
Em inferioridade numérica, Machado chamou o "autocarro" e o Nacional acentuou ainda mais a sua vocação defensiva.
Maxi e Suazo ainda dispuseram de boas chances de golo, mas faltava esclarecimento.
Pedro Henriques concedeu cinco minutos de descontos e no segundo surgiu o tal golo mal invalidado ao Benfica.
Confusão na área do Nacional, um defesa madeirense "alivia" e a bola embate na mão de Miguel Vítor que entretanto caira na área.
Sobra para Cardozo que atira para o fundo da baliza de Bracalli.
Evidente involuntariedade!
Um erro grosseiro, com influência no resultado.
Pouco depois, terminava a partida.

Espaço Prof. Karamba

1º Lugar: Jimmy Jump e Jorge Mínimo - 305 pontos

2º Lugar:
Salvatrucha JR. e Kaiserlicheagle - 285 pontos

3º Lugar: Zex e
Cavungi - 275 pontos

4º Lugar: Vermelho - 270 pontos

5º Lugar: Vermelho Sempre - 260 pontos


6º Lugar: Lion Heart - 255 pontos

7º Lugar: Delane Vieira - 245 pontos

8º Lugar: JC - 235 pontos

9º Lugar: Fura-Redes, Sócio e Samsalameh - 230 pontos

10º Lugar:Antes Morto que Vermelho - 225 pontos

11º Lugar: Cuto - 220 pontos

12º Lugar: Vermelho Nunca - 205 pontos

13º Lugar: Pachulico - 105 pontos

14º Lugar: Pankreas - 55 pontos

domingo, dezembro 21, 2008

Liga Sagres - Jogadores em Destaque (excepção feita a jogadores dos 3G)

É já no próximo mês de Janeiro que o mercado de transferências reabre.
Reajustamentos vários serão feitos nos diferentes plantéis das equipas que disputam a Liga Sagres.
Procurando auxiliar os decisores, publico, em seguida, alguns nomes que se destacaram no que vai jogado da Liga Sagres e que poderão constituir bons investimentos (não serão incluídos jogadores dos 3G).

Guarda-redes

Eduardo (Braga)
Nome Eduardo dos Reis Carvalho
Nacionalidade Portugal
Nascimento 1982-09-19 (26 anos)
Naturalidade Mirandela - Portugal
Posição Guarda Redes
Altura 187 cm
Peso 84 kg

Beto (Leixões)
Nome António Alberto Bastos Pimparel
Nacionalidade Portugal
Nascimento 1982-05-01 (26 anos)
Naturalidade Lisboa - Portugal
Posição Guarda Redes
Altura 181 cm
Peso 80 kg

Defesas

Miguel Lopes (Rio Ave)
Nome Hugo Miguel Almeida Costa Lopes
Nacionalidade Portugal
Nascimento 1986-12-19 (22 anos)
Naturalidade Lisboa - Portugal
Posição Defesa
Altura 182 cm
Peso 72 kg

João Guilherme (Marítimo)
Nome João Guilherme Leme Amorim
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1986-04-21 (22 anos)
Naturalidade Bilac - Brasil
Posição Defesa
Altura 184 cm
Peso 74 kg

Nuno André Coelho (Estrela da Amadora)
Nome Nuno André da Silva Coelho
Nacionalidade Portugal
Nascimento 1986-01-07 (22 anos)
Naturalidade Penafiel - Portugal
Posição Defesa
Altura 192 cm
Peso 83 kg

Maicon (Nacional da Madeira)
Nome Maicon Pereira Roque
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1988-09-14 (20 anos)
Naturalidade Barretos - São Paulo - Brasil
Posição Defesa
Altura 190 cm
Peso 74 kg

Evaldo (Braga)
Nome Evaldo Santos Fabiano
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1982-03-18 (26 anos)
Naturalidade Rio Piraciciba - Brasil
Posição Defesa
Altura 183 cm
Peso 80 kg

Vasco Fernandes (Leixões)
Nome Vasco Herculano Salgado Cunha Mango Fernandes
Nacionalidade Portugal
Nascimento 1986-11-12 (22 anos)
Naturalidade Olhão - Portugal
Posição Defesa
Altura 180 cm
Peso 72 kg

Diego Ângelo (Naval)
Nome Diego Ângelo de Oliveira
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1986-02-12 (22 anos)
Naturalidade Anápolis - Brasil
Posição Defesa
Altura 192 cm
Peso 89 kg

Cissokho (V. Setúbal)
Nome Aly Cissokho
Nacionalidade França
Nascimento 1987-09-15 (21 anos)
Naturalidade - França
Posição Defesa
Altura 181 cm
Peso 75 kg

Médios

Braga (Leixões)
Nome Bruno Manuel Rodrigues Silva
Nacionalidade Portugal
Nascimento 1982-08-05 (26 anos)
Naturalidade Matosinhos - Portugal
Posição Médio
Altura 182 cm
Peso 75 kg

Bruno China (Leixões)
Nome Bruno Manuel Rodrigues Silva
Nacionalidade Portugal
Nascimento 1982-08-05 (26 anos)
Naturalidade Matosinhos - Portugal
Posição Médio
Altura 182 cm
Peso 75 kg

Roberto Sousa (Leixões)
Nome Roberto de Sousa Rezende
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1985-01-18 (23 anos)
Naturalidade Goiânia -GO - Brasil
Posição Médio
Altura 177 cm
Peso 75 kg

Luís Aguiar (Braga)
Nome Luis Bernardo Aguiar Burgos
Nacionalidade Uruguai
Nascimento 1985-11-17 (23 anos)
Naturalidade Mercedes - Uruguai
Posição Médio
Altura 183 cm
Peso 81 kg

Alex Hauw (Naval)
Nome Alexandre Hauw
Nacionalidade França
Nascimento 1982-01-22 (26 anos)
Naturalidade Bourgoin-Jallieu - França
Posição Médio
Altura 175 cm
Peso 68 kg

Luís Alberto (Nacional da Madeira)
Nome Luís Alberto Silva dos Santos
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1983-11-17 (25 anos)
Naturalidade Salvador - Brasil
Posição Médio
Altura 181 cm
Peso 67 kg

Avançados

Wesley (Leixões)
Nome Wesley Lopes da Silva
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1980-10-11 (28 anos)
Naturalidade Espírito Santo - Brasil
Posição Médio
Altura 179 cm
Peso 72 kg

William (Paços Ferreira)
Nome William Artur C. dos Santos
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1982-07-27 (26 anos)
Naturalidade Rio de Janeiro - Brasil
Posição Avançado
Altura 185 cm
Peso 80 kg

Nenê (Nacional da Madeira)
Nome Anderson Miguel da Silva
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1983-07-28 (25 anos)
Naturalidade São Paulo - Brasil
Posição Avançado
Altura 183 cm
Peso 78 kg

Douglas (V. Guimarães)
Nome Douglas de Oliveira
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1986-01-30 (22 anos)
Naturalidade Ponta Grossa - PR - Brasil
Posição Avançado
Altura 186 cm
Peso 83 kg

Djalma (Marítimo)
Nome Djalma Braune Manuel Abel Campos
Nacionalidade Angola
Nascimento 1987-04-25 (21 anos)
Naturalidade - Angola
Posição Médio
Altura 174 cm
Peso 76 kg

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Liga dos Astros - UEFA CUP Fantasy Football - Classificação Geral após a 5ª Jornada

1 MataRatos 181 pontos

2 Lampião é que não 179 pontos

3 Pacostars UC 170 pontos

4 As Maradonas 161 pontos

5 Eagles 152 pontos

6 NoNameGays 136 pontos

7 Kubas 127 pontos

8 El Arromba 123 pontos

9 Por Toutatis 08 112 pontos

10 MasCáGánda...!!! FC 97 pontos

Análise ao S.L.Benfica (MCMeA) – Metalist Kharkiv. 0 (8) - 1 By Cavungi

Foi com um enorme choque, que a Europa do Futebol assistiu à inesperada e prematura eliminação do SL Benfica da presente edição da Taça UEFA, que sem a continuidade do SL Benfica, perde algum do seu brilho e porque não dizê-lo, muitos e muitos Euros.
Afinal de contas saiu da prova o Maior Clube do Mundo!
À partida para este jogo e já com a qualificação practicamente assegurada, para isso bastando bater a desconhecida equipa do Metalist-Kharkiv por um magro 8-0, pode-se dizer que o SL Benfica teve o pássaro na mão, mas deixou-o voar!
E a estratégia pensada e utilizada por Enrique Sanchez Flores até deu resultado.
O Benfica, perante o seu público, entusiasta e incondicional, num estádio a rebentar pelas costuras, começou dominador e logo aos 2 minutos, Cardozo falhou em cima da linha de golo, aquilo que seria, na altura, o 1º de muitos golos.
Depois foi a vez de Gilles Bynia aos 4 minutos ser derrubado em plena área de rigor, depois de um slalom de mais de 85 metros, mas o árbitro inexplicavelmente “mandou seguir”. Aos 10 minutos Nuno Gomes falhou o 3º golo, com uma cabeçada quase, quase certeira que embateu nos dois postes e depois foi à barra acabando por se perder pela linha lateral.
15 minutos, e mais uma penalidade não assinalada pelo árbitro ucraniano Dimitri Palmovski, um nome a reter em matéria de “roubos de igreja”. Até meteu nojo.
O SL Benfica continuou a carregar e o sufoco ucraniano agudizava-se.
Advinhava-se por isso, o 5º golo a qualquer momento, e ele quase, quase surge aos 39 minutos por intermédio de David Luiz num acrobático pontapé de moinho! Bola na trave e nos dois postes mais uma vez!!!!! Os Deuses da fortuna nada queriam com a guerreira equipa encarnada.
E assim se chegou ao intervalo com 5 quase, quase-golos sem resposta. Embora o placard continuasse em branco.(penso que devia estar avariado).
Aliás, os numero da 1ª parte são elucidativos:
Cantos: Benfica 12 - Metalist 1
Remates: Benfica 18 – Metalist 1
Posse de Bola: Benfica 90 % - Metalist 9% (Apanha-bolas 1%).
Na segunda parte, mais do mesmo:
Banho de bola do SL Benfica, com uma defesa intransponível, um meio campo dominador, mas ao mesmo tempo criativo, rápidas trocas de bola, e um ataque devastador.
Um carrossel de futebol ofensivo, como há muito não se via nos palcos europeus.
Pena foi que, com inúmeras oportunidades do golo flagrantes, o SL Benfica não tenha traduzido em golos a superioridade demonstrada. E ela podia ter sido demonstrada aos 55m por Urreta, bola na trave, aos 66m, por Katsô com um golo (mal) invalidado, já que a bola transpôs um metro a linha de golo, por Balboa aos 77m com um penaltie anulado e por Luisão o Imperador aos 88 minutos, naquela que foi já considerada, a defesa do ano 2008.
Mas a história do futebol está pejada destas situações, e aos 84 minutos no único remate efectuado na 2ª parte, o tal Metalist-Kharkiv marcou o seu golo de honra, este sim obtido de forma irregular e que veio trazer um incomensurável sabor a injustiça ao resultado.
Em suma, a falta de sorte aliada a uma arbitragem inacreditável, ( veja-se que o árbitro até permitiu que o Metalist jogasse com um Guarda-Redes), foram factores intransponíveis para o SL Benfica que, deste modo, não pode associar mais um troféu europeu ao seu invejável palmarés.

EQUIPAS OFICIAIS

BENFICA:
Moreira; Maxi Pereira, Miguel Vítor, Sidnei e David Luiz; Binya, Yebda, Fellipe Bastos e Urreta;, Nuno Gomes e Cardozo
Suplentes: Moretto, Luisão, Katsouranis, Balboa, Aimar, Di María e Suazo

Treinador: Quique Flores

METALIST:
Goryainov; Maidana, Obradovic, Papa Gueye e Gancarczyk; Edmar, Bordiyan, Slyusar e Trisovic; Jajá; Fomin
Suplentes: Bazhan, Babich, Konyushenko, Barilko, Rykun, Devic e Pontudalenko
Treinador: Myron Markevich

quarta-feira, dezembro 17, 2008

Espaço Prof. Karamba

Sp. Braga - Rio Ave
Naval - V. Guimarães
Belenenses - Trofense
Leixões - E. Amadora
Benfica - Nacional
Sporting - Académica
FC Porto - Marítimo
P. Ferreira - V. Setúbal

Artigo de Opinião de Luís Avelãs

Virtualmente eliminado da Taça UEFA depois da copiosa derrota em Atenas (e da conjugação dos resultados da ronda seguinte), o Benfica também já se despediu da Taça de Portugal. No mesmo local (Estádio do Mar) onde deixara 2 pontos em embate da Liga, a formação encarnada voltou a "naufragar". Só que, desta feita, o deslize não foi apenas um resultado negativo: custou um dos objectivos da temporada.

Sendo certo que ainda existe a Taça da Liga - prova que enquanto não valer um posto europeu dificilmente será encarada com o respeito que os organizadores desejam -, a verdade é que, antes do Natal, o Benfica já só tem a Liga para salvar a época. Vencer o Campeonato será suficiente para apagar os insucessos anteriores. Contudo, tudo o que não seja arrebatar a principal competição interna irá transformar a temporada encarnada num rotundo fracasso.

Perante um forte investimento, com a contratação de jogadores de inquestionável valia e oriundos de campeonatos mais cotados, desta vez nem o apuramento para a Liga dos Campeões chegará para limpar a face ou satisfazer os adeptos.

Quique Flores, pese algumas decisões discutíveis (nomeadamente nos primeiros jogos), tem contado com a compreensão dos associados e simpatizantes para, com sobressaltos à mistura, ir desenvolvendo o seu trabalho. Porém, face ao novo cenário, também ele sabe que, a partir de agora, o grau de exigência vai aumentar. Duvido que, no futuro, voltem a ouvir-se palmas na Luz quando os resultados não forem vitórias. O período de "encantamento" terminou em Matosinhos, embora muitos possam argumentar que a equipa foi afastada por falta de sorte nos penáltis, já que nos 120 minutos não sofreu golos. Tal observação é correcta, mas convém recodar que, na estreia benfiquista na Taça de Portugal desta época (diante do Penafiel), só as grandes penalidades salvaram o Benfica face a um opositor... do terceiro escalão do futebol luso!

É verdade que o Benfica ainda não perdeu um jogo nas competições internas esta época. Mas, ao contrário do que seria suposto, tal registo não vale uma liderança folgada na Liga, nem a continuidade na Taça. Tudo porque a irregularidade exibicional - facilmente constada nos golos sofridos nos últimos minutos ou na forma pouco intensa como a equipa encara alguns compromissos - teima em ser uma das imagens de marca da equipa.

Não deixa de ser curioso, de facto, a estranha tendência das águias para os altos e baixos. Na Europa, a equipa que conseguiu dobrar o Nápoles (a realizar excelente época em Itália) foi vulgarizada pelo Galatasary e humilhada pelo Olympiacos, enquanto em Portugal a oscilação tanto permite ganhar ao Sporting ou golear o Marítimo fora, como ser incapaz de fazer golos a Penafiel ou Leixões em jogos de duas horas...

PS - À primeira (em Basileia), a coisa ainda passou algo despercebida, mas agora (no triunfo caseiro perante o Marítimo) foram poucos os que não repararam na estranha apatia de Yannick Djaló aquando da marcação dos seus golos. Já sei que para alguns responsáveis (e adeptos) leoninos, o não festejar remates certeiros deve ter uma qualquer justificação lógica mas, para mim, há ali qualquer coisa. Imaginem que os sócios não se levantavam ou batiam palmas aquando de um golo. Não iriam jogadores e dirigentes desconfiar de algo?

terça-feira, dezembro 16, 2008

Golo da Jornada

Na 7ª Jornada da Liga Sagres 2008-2009 o golo eleito foi o de Suazo

Na 8ª Jornada da Liga Sagres 2008-2009 o golo eleito foi o de Djalma

Serão colocados à votação apenas 3 golos.
Não obstante, a vossa escolha pode incidir sobre qualquer um dos outros golos obtidos na jornada.

9ª Jornada

Ruben Amorim no AAC-SLB


Liedson no Naval-Sporting


Rogério Matias no Rio Ave-Leixões


10ª Jornada

Suazo no Benfica-Setúbal


Raul Meireles no Porto-AAC


Postiga no Sporting-V.Guimarães


11ª Jornada

Suazo no Marítimo-Benfica


Liedson no Estrela-Sporting


Lucho no Setúbal-Porto

Memorial Zandinga

Benfica-Metalist

Não há lugar à utilização de Joker.

segunda-feira, dezembro 15, 2008

Corrida dos Campeões

1º Lugar: Jimmy Jump - 795 pontos

2º Lugar: Cavungi - 790 pontos

3º Lugar: Zex - 780 pontos

4º Lugar: Vermelho - 775 pontos

5º Lugar: JC - 765 pontos

6º Lugar: Salvatrucha jr. - 740 pontos

7º Lugar: Jorge Mínimo e Kaiserlicheagle - 730 pontos

8º Lugar: Delane Vieira - 720 pontos

9º Lugar: Lion Heart - 695 pontos

10º Lugar: Vermelho Sempre - 685 pontos

11º Lugar: Antes Morto que Vermelho - 680 pontos

12º Lugar: Vermelho Nunca - 670 pontos

13º Lugar: Fura-Redes - 665 pontos

14º Lugar: Sócio - 635 pontos

15º Lugar: Cuto - 620 pontos

16º Lugar: Pachulico - 610 pontos

17º Lugar: Samsalameh - 585 pontos

18º Lugar: Holtreman - 435 pontos

19º Lugar: Pankreas - 160 pontos

Vedetas&Marretas

Vedetas

Clube


Leixões pela eliminação do Benfica da Taça de Portugal e consequente qualificação para os quartos de final da competição

Jogador

Beto pela exibição frente ao Benfica, mormente pela defesa do penalty de Reyes, que significou a passagem do Leixões aos quartos de final da Taça de Portugal

Treinador
José Mota pela eliminação do Benfica da Taça de Portugal e consequente qualificação para os quartos de final da competição

Árbitro

João Capela pelo bom desempenho no Cinfães-Porto

Modalidades de Alta Competição

Equipa feminina portuguesa de Corta-Mato pela vitória no Europeu da especialidade

Emigrante

Cristiano Ronaldo pela conquista da distinção para o melhor jogador do Ano, na votação efectuada pela revista inglesa World Soccer

Marretas

Clube

Benfica pela eliminação da Taça de Portugal

Jogador

Reyes por ter falhado o penalty decisivo no Leixões-Benfica

Treinador

Quique Flores pela eliminação da Taça de Portugal

Árbitro

Olegário Benquerença pelo péssimo desempenho no Leixões-Benfica

Modalidades de Alta Competição
Sporting pela derrota em São Bernardo em jogo da Taça da Liga de Andebol

Emigrante

Nelson pelo seu desempenho na derrota do Bétis em Madrid frente ao Atlético

domingo, dezembro 14, 2008

C´um Caneco (outro passatempo) - Classificação Geral

1º Lugar: Cavungi - 165 pontos

2º Lugar: Pachulico - 150 pontos

3º Lugar: Jimmy Jump - 145 pontos

4º Lugar: Sócio - 140 pontos

5º Lugar: Fura-Redes - 135 pontos

6º Lugar: Vermelho, Zex e Jorge Mínimo - 130 pontos

7º Lugar: Vermelho Nunca, Delane Vieira e Kaiserlicheagle - 125 pontos

8º Lugar: Vermelho Sempre e JC - 120 pontos

9º Lugar: Lion Heart - 115 pontos

10º Lugar: Cuto e Salvatrucha jr. - 110 pontos

11º Lugar: Antes Morto que Vermelho - 105 pontos

12º Lugar: Holtreman e Samsalameh - 80 pontos

Leixões-Benfica 0-0 (5-4 nas gp´s)

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

Estádio do Mar, em Matosinhos
Hora: 20:45
Árbitro: Olegário Benquerença (Lisboa)

LEIXÕES
Beto (4); Vasco Fernandes (3), Joel (3), Élvis (3) e Laranjeiro (3); Roberto Sousa (3), Bruno China (3) e Hugo Morais (3); Braga (2), Wesley (2) e Diogo Valente (2)

Suplentes: Berger, Sandro (-), Chumbinho (2), Serginho Baiano, Zé Manuel (2), Castanheira e Marques

Treinador: José Mota

BENFICA

Moretto (3); Maxi Pereira (3), Luisão (4), Sidnei (3) e David Luiz (3); Binya (3), Katsouranis (3), Ruben Amorim (2) e Reyes (3); Aimar (2) e Suazo (2)

Suplentes: Moreira, Miguel Vítor, Yebda, Balboa (2), Urreta, Nuno Gomes (2) e Cardozo (-)

Treinador: Quique Flores

Sistemas Tácticos

Leixões


Benfica


Principais Incidências da Partida (fonte: www.record.pt)


25' - Canto na esquerda para Reyes. Sidnei acaba por ficar com a bola e na pequena área atira à figura de Beto, que evita o primeiro golo do encontro.

46' - Braga corre pela esquerda e cruza para a área à procura de Diogo Valente. David Luiz corta e Braga insiste, com Luisão agora a impedir que Wesley rematasse. Reentrada fulgurante da equipa da casa.

90' - Suazo solicita com um passe atrasado Reyes, que remata com muito perigo, ligeiramente ao lado do poste direito de Beto.

90'+3 - Muita confusão na área do Leixões... Nuno Gomes quase que chega ao passe de Sidnei mas Joel corta e depois é Suazo que acerta com a bola na cara de Vasco Fernandes. Incrível!

5-4, Reyes falha

Destaques

Melhores em Campo

Leixões

Beto - Nem teve muito trabalho durante a partida, mas foi decisivo em dois momentos: primeiro, a defender remate de Sidnei na pequena área leixonense e por fim ao "parar" a grande penalidade executada por Reyes.

Benfica

Luisão - Seguro e concentrado, revelou-se intransponível.
Beneficiou de duas oportunidades, na grande área do Leixões, mas desperdiçou ambas.

Piores em Campo

Leixões

Wesley e Braga - Bem controlados pela acção defensiva do Benfica, não lograram aportar a habitual profundidade ofensiva.

Benfica

Aimar - Cabe-lhe a responsabilidade pela falta de profundidade ofensiva revelada pelo Benfica.
Sem ritmo competitivo, nunca conseguiu ligar os movimentos ofensivos da equipa.

Suazo - O pior jogo do hondurenho ao serviço do Benfica.
É verdade que foi quase sempre mal servido, mas não é menos certo que nas poucas ocasiões em que podia ter feito a diferença, falhou.

Arbitragem

Desempenho fraco de um árbitro sem categoria.
Erro maior quando no último dos minutos de compensação da segunda parte, não assinalou a competente grande penalidade por falta de Joel no interior da área do Leixões.

Comentário

Chuva a rodos, frio em igual medida, muita luta, idêntica competitividade, grande intensidade e não menor agressividade, conjugaram-se para uma partida energicamente disputada.
Quique e Mota não surpreenderam e mantiveram-se fiéis às suas estruturas habituais.
No Leixões, o tradicional 4x4x2 em losango com Braga e Diogo Valente como homens mais avançados, executando diagonais do centro para as alas, por forma a criarem os espaços necessários ao surgimento de Wesley na zona central.
No Benfica, o costumeiro 4x4x2 tradicional com Aimar no apoio próximo a Suazo.
Todavia, de um lado como do outro, mais do que os desequilíbrios a obsessão era o equilíbrio.
Assim não estranhou que fruto desta preocupação constante, escassos fossem os espaços disponíveis e intensa fosse a peleja pela posse da bola, mormente na zona intermediária.
Daí que ao longo de toda a primeira parte, as equipas apenas tenham conseguido construir uma única real oportunidade de golo e, mesmo esta, na sequência de um lance de bola parada.
Beto respondeu eficazmente a um remate de Sidnei no interior da área leixonense.
Se a paridade foi a nota dominante do primeiro tempo, na segunda metade o Benfica assumiu o domínio e o controlo da partida.
Katsouranis e Binya avocaram o império sobre a zona central da intermediária e o Leixões soçobrou.
O Benfica crescia, mas este crescimento não conhecia correspondência na criação de ocasiões de golo.
Faltava Aimar para complementar o trabalho de Katsouranis e Binya e, assim, aportar profundidade ofensiva ao momento atacante encarnado.
Como Pablo Aimar não cumpriu a função de ligação entre sectores, apesar do seu predomínio, o Benfica era de uma inocuidade ofensiva atroz.
Foi um "jogo sem balizas"!
Moretto e Beto apenas foram sujeitos a uma intervenção cada ao longo de toda a partida!
Perante tamanho equilíbrio, só podia mesmo haver prolongamento.
No prolongamento, mais do que a vontade de ganhar prevaleceu o medo de perder.
Vieram os penaltys e aí Beto defendeu o remate de Reyes, qualificando o Leixões para os 4ºs de final da Taça de Portugal.
Finalizo com um segmento da brilhante crónica de RAP: "Até a nossa eliminação da Taça de Portugal, sendo embora desagradável, tem marca de campeão. Não só contribui para aumentar a nossa concentração no campeonato como faz ver à TVI que não se brinca com o Benfica. Se é isto que pagam por cada transmissão mais vale ficar em casa. Desta vez boicotámos a flash-interview. Na próxima eliminatória boicotamos o jogo inteiro. Vamos, aliás, boicotá-los todos até à final. Nesta edição da Taça não aparecemos mais, a ver se eles aprendem. E assim, sem termos perdido um único jogo, saímos da Taça com a dignidade dos invictos e ainda ensinamos uma bonita lição a quem tem a desfaçatez de ser forreta tão perto do Natal. Ou muito me engano ou José Eduardo Moniz, na noite da consoada, vai receber uma visitinha do Fantasma do Natal Passado."

quinta-feira, dezembro 11, 2008

quarta-feira, dezembro 10, 2008

Liga dos Astros - UEFA Champions League Fantasy Football - Classificação Geral após a 6ª Jornada

Liga dos Astros (Ranking: 934 / 13,833)

1 KUBAS 302 pontos

2 Pacostars CL 297 pontos

3 Papa Lagartos 283 pontos

4 Lucho FCP 281 pontos

5 Alguém Viu o Benfica 265 pontos

6 KUBAS&MANEL 256 pontos

7 F. Dido 255 pontos

8 Eagles 253 pontos

9 Kota Kota Dumalay 240 pontos

10 KUBAS4EVER 237 pontos

11 My Team 228 pontos

12 Aktobe 204 pontos

13 BlackTeam 197 pontos

14 WorldTugas 196 pontos

15 Sport Clube Barreiro 182 pontos

16 FCPORTO 163 pontos

17 FORROBODO FC 108 pontos

C´um Caneco (outro passatempo)

Cinfães vs FC Porto TP
Naval vs Portimonense TP
Est. Amadora vs Ol. Moscavide TP
Leixões vs Benfica TP
Trofense vs Nacional TP
P. Ferreira vs Vizela TP
V. Setúbal vs V. Guimarães TP
Sporting vs Marítimo TL
Olhanense vs Belenenses TL

Memorial Zandinga

1º Lugar: JC - 430 pontos

2º Lugar: Vermelho - 400 pontos

3º Lugar: Delane Vieira e Zex - 385 pontos

4º Lugar: Pachulico - 370 pontos

5º Lugar: Antes Morto que Vermelho, Jimmy Jump e Cavungi - 365 pontos

6º Lugar: Salvatrucha JR., Vermelho Nunca e Holtreman - 355 pontos

7º Lugar: Kaiserlicheagle - 345 pontos

8º Lugar: Lion Heart - 340 pontos

9º Lugar: Vermelho Sempre e Fura-Redes - 325 pontos

10º Lugar: Jorge Mínimo - 320 pontos

11º Lugar: Cuto - 310 pontos

12º Lugar: Sócio e Samsalameh- 300 pontos

13º Lugar: Pankreas - 105 pontos

Champions League - 6ª Jornada - Parte II

Fase de Grupos

Grupo E

Man. United - AaB Aalborg

Empate histórico dos dinamarqueses numa partida em que a 2ª linha inglesa desiludiu.

Estatísticas dos clubes
Man. United AaB
2 Golos marcados 2
6 Remates à baliza 5
11 Remates para fora 5
1 Remates interceptados 0
0 Cartões amarelos 1
0 Cartões vermelhos 0
9 Faltas cometidas 7
5 Cantos 1
2 Foras-de-jogo 0
43' 22'' P. bola (tempo) 28' 11''
60% P. bola (%) 40%

Celtic - Villarreal

Triunfo escocês para atenuar a má prestação na presente edição da Champions

Estatísticas dos clubes
Celtic Villarreal
2 Golos marcados 0
6 Remates à baliza 3
4 Remates para fora 6
1 Remates interceptados 2
2 Cartões amarelos 4
0 Cartões vermelhos 1
14 Faltas cometidas 12
4 Cantos 4
6 Foras-de-jogo 3
37' 44'' P. bola (tempo) 27' 12''
58% P. bola (%) 42%

Grupo F

Steaua - Fiorentina

Vitória natural, mas suada dos italianos

Estatísticas dos clubes
Steaua Fiorentina
0 Golos marcados 1
1 Remates à baliza 5
1 Remates para fora 6
0 Remates interceptados 1
7 Cartões amarelos 2
1 Cartões vermelhos 0
20 Faltas cometidas 19
1 Cantos 6
3 Foras-de-jogo 3
28' 19'' P. bola (tempo) 26' 9''
51% P. bola (%) 49%

Lyon - Bayern Munich

Três golos na 1ª parte fizeram a diferença a favor dos germânicos.

Estatísticas dos clubes
Lyon Bayern
2 Golos marcados 3
13 Remates à baliza 3
4 Remates para fora 2
4 Remates interceptados 2
2 Cartões amarelos 4
0 Cartões vermelhos 0
20 Faltas cometidas 24
9 Cantos 4
2 Foras-de-jogo 1
27' 46'' P. bola (tempo) 29' 27''
48% P. bola (%) 52%

Grupo G


FC Porto - Arsenal

O Arsenal teve a bola, o Porto teve os golos e garantiu o 1º lugar!

Estatísticas dos clubes
Porto Arsenal
2 Golos marcados 0
5 Remates à baliza 3
7 Remates para fora 1
1 Remates interceptados 0
1 Cartões amarelos 1
0 Cartões vermelhos 0
14 Faltas cometidas 19
2 Cantos 4
3 Foras-de-jogo 0
26' 1'' P. bola (tempo) 31' 50''
44% P. bola (%) 56%

Dynamo Kyiv - Fenerbahçe

Eficácia ucraniana assegurou a presença na Taça UEFA.

Estatísticas dos clubes
Dynamo Kyiv Fenerbahçe
1 Golos marcados 0
5 Remates à baliza 2
3 Remates para fora 3
2 Remates interceptados 6
3 Cartões amarelos 1
0 Cartões vermelhos 1
21 Faltas cometidas 16
3 Cantos 1
5 Foras-de-jogo 2
23' 15'' P. bola (tempo) 28' 2''
45% P. bola (%) 55%

Grupo H

Juventus - BATE

Nulo gélido como o frio de Turim!

Estatísticas dos clubes
Juventus BATE
0 Golos marcados 0
5 Remates à baliza 2
7 Remates para fora 6
7 Remates interceptados 2
1 Cartões amarelos 4
0 Cartões vermelhos 0
15 Faltas cometidas 24
12 Cantos 4
4 Foras-de-jogo 7
27' 18'' P. bola (tempo) 26' 13''
51% P. bola (%) 49%

Real Madrid - FC Zenit

Veni, vidi, vici ou a estreia perfeita de Juande Ramos.

Estatísticas dos clubes
Real Madrid Zenit
3 Golos marcados 0
12 Remates à baliza 5
7 Remates para fora 2
3 Remates interceptados 1
0 Cartões amarelos 2
0 Cartões vermelhos 0
16 Faltas cometidas 11
7 Cantos 6
3 Foras-de-jogo 7
33' 27'' P. bola (tempo) 29' 14''
53% P. bola (%) 47%

Liga dos Astros - Classificação Geral

1º Lugar: Eagles - 894 pontos

2º Lugar: CouchCoach - 848 pontos

3º Lugar: SLB JIMMY JUMP - 840 pontos

4º Lugar: Red Eagles - 826 pontos

5º Lugar: Caça Lagartos / Suçuarana - 792 pontos

6º Lugar: CHICOO SUPER TEAM - 726 pontos

7º Lugar: Kubas2 - 678 pontos

8º Lugar: Comando Verde - 658 pontos

9º Lugar: Couch dreads - 654 pontos

10º Lugar: Kaiserlicheagle FC - 645 pontos

11º Lugar: cla do relogio no braço direito - 600 pontos

12º Lugar: CHICOOO SUPER TEAM - 597 pontos

13º Lugar: fura redhe - 590 pontos

14ºLugar: kubas - 585 pontos

15ºLugar: Cruzados - Mestre JC - 530 pontos

16ºLugar: Barões da Pelota - 453 pontos

terça-feira, dezembro 09, 2008

Champions League - 6ª Jornada - Parte I

Fase de Grupos

Grupo A

Roma - Bordeaux

O cinismo italiano prevaleceu uma vez mais!
O Bordéus conheceu o domínio territorial do encontro, mas a eficácia romana em duas rápidas transições ditou a vantagem que garantiu o 1º lugar do grupo.

Estatísticas dos clubes
Roma Bordeaux
2 Golos marcados 0
4 Remates à baliza 3
3 Remates para fora 11
1 Remates interceptados 3
1 Cartões amarelos 3
0 Cartões vermelhos 0
17 Faltas cometidas 20
3 Cantos 4
6 Foras-de-jogo 4
21' 42'' P. bola (tempo) 32' 59''
39% P. bola (%) 61%

Chelsea - CFR Cluj

Drogba resolveu uma partida que mais do que o Cluj foi o Chelsea que complicou.

Estatísticas dos clubes
Chelsea CFR Cluj
2 Golos marcados 1
8 Remates à baliza 2
7 Remates para fora 6
2 Remates interceptados 1
2 Cartões amarelos 2
0 Cartões vermelhos 0
14 Faltas cometidas 14
5 Cantos 2
2 Foras-de-jogo 1
37' 3'' P. bola (tempo) 26' 4''
58% P. bola (%) 42%

Grupo B

Panathinaikos - Anorthosis

Um gigantesco "perú" do guarda-redes hungaro dos cipriotas permitiu ao Panathinaikos vencer e guindar-se ao posto cimeiro do grupo.

Estatísticas dos clubes
Panathinaikos Anorthosis
1 Golos marcados 0
6 Remates à baliza 1
8 Remates para fora 5
3 Remates interceptados 0
2 Cartões amarelos 3
0 Cartões vermelhos 0
26 Faltas cometidas 23
10 Cantos 0
0 Foras-de-jogo 4
32' 50'' P. bola (tempo) 23' 42''
58% P. bola (%) 42%

Werder Bremen - Internazionale

Mourinho apostou na rotatividade e perdeu não só o jogo, como também a liderança do grupo.
Triunfo de equidade indiscutível dos germânicos!

Estatísticas dos clubes
Bremen Internazionale
2 Golos marcados 1
10 Remates à baliza 3
5 Remates para fora 4
4 Remates interceptados 0
2 Cartões amarelos 2
0 Cartões vermelhos 0
19 Faltas cometidas 17
10 Cantos 3
4 Foras-de-jogo 7
31' 26'' P. bola (tempo) 23' 29''
57% P. bola (%) 43%

Grupo C

FC Basel - Sporting

Serviços mínimos para uma vitória naturalmente tranquila perante um adversário demasiado frágil para este nível de competição.

Estatísticas dos clubes
Basel Sporting
0 Golos marcados 1
6 Remates à baliza 4
12 Remates para fora 5
2 Remates interceptados 1
1 Cartões amarelos 1
0 Cartões vermelhos 0
14 Faltas cometidas 25
10 Cantos 0
0 Foras-de-jogo 4
30' 11'' P. bola (tempo) 28' 42''
51% P. bola (%) 49%

Barcelona - Shakhtar Donetsk

Com o 1º lugar assegurado, Guardiola fez descansar os habituais titulares em vista do confronto com o Real Madrid do próximo fim de semana.
Os "jovens lobos" catalães exibiram-se em bom plano, mas a maior experiência ucraniana prevaleceu.

Estatísticas dos clubes
Barcelona Shakhtar
2 Golos marcados 3
11 Remates à baliza 3
4 Remates para fora 3
2 Remates interceptados 2
1 Cartões amarelos 6
0 Cartões vermelhos 0
9 Faltas cometidas 19
8 Cantos 2
1 Foras-de-jogo 7
41' 15'' P. bola (tempo) 24' 50''
62% P. bola (%) 38%

Grupo D

PSV
- Liverpool

O PSV ainda se adiantou no marcador, mas a superior qualidade dos ingleses impôs-se com naturalidade.

Estatísticas dos clubes
PSV Liverpool
1 Golos marcados 3
5 Remates à baliza 5
2 Remates para fora 8
3 Remates interceptados 2
2 Cartões amarelos 3
0 Cartões vermelhos 0
19 Faltas cometidas 14
3 Cantos 1
3 Foras-de-jogo 2
32' 37'' P. bola (tempo) 27' 19''
54% P. bola (%) 46%

Marseille -
Atlético Madrid

Equilíbrio total numa partida com escassas ocasiões claras de golo.

Estatísticas dos clubes
Marseille Atlético
0 Golos marcados 0
5 Remates à baliza 0
10 Remates para fora 1
7 Remates interceptados 0
1 Cartões amarelos 4
0 Cartões vermelhos 0
13 Faltas cometidas 13
12 Cantos 0
2 Foras-de-jogo 3
30' 8'' P. bola (tempo) 30' 18''
49% P. bola (%) 51%



segunda-feira, dezembro 08, 2008

Memorial Zandinga

Roma - Bordeaux
Chelsea - CFR Cluj
Werder Bremen - Internazionale
Panathinaikos - Anorthosis
Barcelona - Shakhtar Donetsk
FC Basel - Sporting
Marseille - Atlético Madrid
PSV - Liverpool
Celtic - Villarreal
Man. United - AaB Aalborg
Lyon - Bayern Munich
Steaua - Fiorentina
Dynamo Kyiv - Fenerbahçe
FC Porto - Arsenal
Real Madrid - FC Zenit
Juventus - BATE

domingo, dezembro 07, 2008

Marítimo-Benfica 0-6

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

Marítimo
Marcos (-); Paulo Jorge (2), João Guilherme (2), Fernando Cardozo (2), Van der Linden (3); Bruno (2), Olberdam (2), Marcinho (3), Miguelito (2); Manu (-) e Djalma (2).

Treinador: Lori Sandri.

Suplentes: Bruno Grassi (3), Briguel, Luís Olim, João Luiz (-), Vítor Júnior, Baba (-) e Bruno Fogaça.

BENFICA
Moreira (3); Maxi Pereira (3), Luisão (4), Sidnei (3), David Luiz (4); Ruben Amorim (4), Katsouranis (4), Binya (3), Reyes (4); Aimar (2) e Suazo (5).

Treinador: Quique Flores.

Suplentes: Moretto, Miguel Vítor, Yebda (3), Balboa (3), Urreta, Nuno Gomes (4) e Cardozo.

Sistemas Tácticos

Marítimo

Benfica

Principais Incidências da Partida (fonte: http://www.record.pt/)

7' - Excelente oportunidade para o Benfica marcar, mas Van der Linden evita o golo de Suazo, que se isolou e ultrapassou o guarda-redes Marcos.

10' - Grande remate de Ruben Amorim, de fora da área, com Marcos ainda a desviar a bola sobre a barra.

17' - Grande penalidade para o Benfica, num lance em que Suazo é derrubado por MARCOS. O guarda-redes maritimista vê igualmente o CARTÃO VERMELHO directo.

20' - GOLO DO BENFICA, por REYES
O esquerdino espanhol marca a grande penalidade, disparando para o fundo da baliza agora defendida por Bruno Grassi, com a bola ainda a bater no poste esquerdo

31' - Excelente combinação entre Aimar e Reyes, no flanco esquerdo, com o argentino a concluir o lance com um disparo às malhas laterais da baliza de Grassi.

41' - Bruno Grassi antecipa-se a Suazo e afasta a bola, na sequência de um centro de Ruben Amorim da esquerda.

42' - GOLO DO BENFICA, por SUAZO
Pontapé de canto no flanco esquerdo do ataque benfiquista, Katsouranis faz um ligeiro desvio ao primeiro poste e Suazo surge a finalizar, de cabeça, sem qualquer oposição.

46' - Passe de Ruben Amorim para Suazo, que dispara cruzado, da direita, levando a bola a sair ligeiramente ao lado.

66' - GOLO DO BENFICA, por LUISÃO
Livre apontado por Reyes no flanco esquerdo, com Luisão a surgir sem oposição no coração da área e a desviar a bola para o fundo da baliza, com o pé direito.

69' - Passe de Reyes a servir Suazo na área, com o hondurenho a ultrapassar Fernando Cardoso mas a rematar contra Bruno Grassi.

71' - Aimar serve Balboa sobre a direita, com o cruzamento do espanhol a ser correspondido por Suazo, que cabeceia... para fora.

81' - Suazo quase fazia o 4.º golo da noite, mas o remate do avançado hondurenho esbarra na trave da baliza de Bruno Grassi.

85' - Jogada individual de Marcinho, que combina depois com Paulo Jorge, antes de rematar forte para defesa atenta de Moreira.

85' - GOLO DO BENFICA, por SUAZO
Contra-ataque dos encarnados, com o avançado hondurenho a flectir da direita para o meio e a disparar de pé esquerdo para o fundo da baliza de Grassi.

87' - GOLO DO BENFICA, por NUNO GOMES
Mais uma jogada rápida do ataque benfiquista, desta vez com Balboa a fazer a assistência para o remate certeiro de Nuno Gomes

90'+3 - GOLO DO BENFICA, por NUNO GOMES
Jogada de David Luiz pela esquerda, com o brasileiro a centrar depois para o remate de Nuno Gomes, que bisa na partida.

Destaques

Melhores em Campo

Marítimo

Marcinho - Sempre inconformado, procurou "esticar" a equipa até à área encarnada.
Foi o único a conseguir criar problemas à equipa do Benfica.

Benfica

Suazo - Lançando mão da sua força explosiva, foi um quebra-cabeças constante para a defesa maritimista.
Com espaço nas costas dos defesas é praticamente imparável, aliando velocidade, técnica e facilidade de remate.
Marcou dois golos, esteve no momento decisivo do jogo (causou a expulsão de Marcos) e protagonizou mais uns quantos lances em que podia ter dilatado a vantagem encarnada.
Alardeou uma disponibilidade física inexcedível.

David Luiz - Desta feita, não acusou a adaptação à esquerda.
Defensivamente irrepreensível, aproveitou a ausência de uma referência para marcação para conferir profundidade ofensiva ao seu flanco.
Excelente pormenor técnico a anteceder a assistência para Nuno Gomes concretizar o sexto golo.
Ruben Amorim - Incansável no seu labor defensivo, aportou ao flanco direito o indispensável equilíbrio.
Recuperou imensas bolas, deu profundidade ao flanco e ofereceu certeza às transições ofensivas.

Reyes - Talento e sacrifício.
Assumiu a generalidade dos movimentos ofensivos do Benfica e empenhou-se nas tarefas defensivas, auxiliando David Luiz.

Piores em Campo

Marítimo

Paulo Jorge - Excessivamente conflituoso, não soube fechar dentro, nem aportar profundidade ofensiva ao seu flanco.

Benfica

Aimar - Sem ritmo competitivo, esteve quase sempre ausente do jogo.

Arbitragem

Se tecnicamente esteve irrepreensível, já disciplinarmente esteve muito mal.
Revelando um incompreensível critério, exibiu cartões amarelos sem qualquer justificação a Reyes, David Luiz, Ruben Amorim e Moreira.
Perdoou a expulsão a Olberdam, por ter pisado intencionalmente quer David Luiz, quer Yebda.

Comentário

Imprevisivelmente fácil

Depois de uma semana conturbada, arrisco dizer que nem o mais optimista dos adeptos benfiquista seria capaz de prognosticar um triunfo tão fácil quanto expressivo.
A conjuntura impunha cautelas - dois desaires consecutivos, golos sofridos em praticamente todos os confrontos, obrigação de vencer após os êxitos de Sporting e Porto e um adversário que, para além de não perder há 8 jogos, apresentava a melhor defesa do campeonato.
Sucede que, desta vez, o Benfica não vergou perante as adversidades. Antes, pelo contrário!
Revelou determinação, ambição e desejo de vencer, ou seja, satisfez o código postal das vitórias.
Mudou a atitude da equipa face ao jogo e o conformismo, a falta de iniciativa e as tibiezas deram lugar à confiança, ao desejo veemente de fortuna e de glória, ao espírito de grupo e de conquista.
Uma resposta inequívoca às odes de desconfiança!
A vontade de afastar os indícios da propalada crise foi visível logo desde o minuto inicial, em evidente contraste com a nefasta apatia que, por vezes, tem marcado os arranques do Benfica.
Um início intenso e retumbante, que fez lembrar os célebres 15 minutos à Benfica (neste caso, foram 20).
Explorando a lentidão dos centrais maritimistas, muito subidos e, assim, excessivamente expostos às suas próprias fragilidades, o Benfica apostou na rapidez da transição ofensiva por forma a lançar Suazo nos 30 metros existentes nas costas da defesa do Marítimo.
E, em 20 minutos, decidiu, praticamente, a sorte da partida.
Neste período, arquitectou três investidas, primeiro por Reyes, depois por Katsouranis e finalmente por Suazo, que redundaram em duas grandes oportunidades e um golo, depois de Marcos ter derrubado Suazo na grande área e ter sido expulso.
Em superioridade no marcador e no número de jogadores, o Benfica decresceu a intensidade, permitiu mesmo algum equilíbrio, mas regressou pujante no terminus do primeiro tempo, chegando ao 2-0.
Com os madeirenses emocionalmente destroçados, a segunda metade foi de controlo e gestão e valeu pelos golos: Luisão na sequência de um livre, Suazo em jogada individual e Nuno Gomes a passes de Balboa e David Luiz.
Um triunfo indiscutível, mas que não pode inebriar!
É que o Benfica não é tão fraco quanto se viu em Atenas, nem tão forte como aparentou no Funchal.

Espaço Prof. Karamba

1º Lugar: Jimmy Jump - 285 pontos

2º Lugar: Jorge Mínimo - 280 pontos

3º Lugar: Salvatrucha JR. - 275 pontos

4º Lugar: Zex - 265 pontos

5º Lugar: Kaiserlicheagle e Cavungi - 260 pontos

6º Lugar: Vermelho - 245 pontos

7º Lugar: Lion Heart e Vermelho Sempre - 240 pontos

8º Lugar: JC - 215 pontos

9º Lugar:Antes Morto que Vermelho e Delane Vieira - 210 pontos

10º Lugar: Fura-Redes e Samsalameh - 205 pontos

11º Lugar: Cuto - 200 pontos

12º Lugar: Sócio - 195 pontos

13º Lugar: Vermelho Nunca - 190 pontos

14º Lugar: Pachulico - 90 pontos

15º Lugar: Pankreas - 55 pontos

quinta-feira, dezembro 04, 2008

Liga dos Astros - UEFA CUP Fantasy Football - Classificação Geral após a 4ª Jornada

1 Lampião é que não 167 pontos

2 MataRatos 157 pontos

3 As Maradonas 144 pontos

4 Eagles 136 pontos

5 Pacostars UC 136 pontos

6 NoNameGays 127 pontos

7 El Arromba 121 pontos

8 Kubas 115 pontos

9 Por Toutatis 08 103 pontos

10 MasCáGánda...!!! FC 85 pontos

Livro de Reclamações - Actualidade em Geral

1 - Um dos chavões do futebolês é que são os jogadores a fazerem as convocatórias e a equipa inicial.
Não há treinador que não perfilhe este axioma.
Paulo Bento não é excepção e já em diferentes ocasiões a ele aludiu.
Assim, posso concluir pela excelência dos desempenhos de Vukcevic nos três treinos que o Sporting realizou esta semana.

2 - A propósito do propalado interesse russo e inglês em Liedson, Soares Franco asseverou que o Sporting não está vendedor.
Acredito!
Contudo, existe uma circunstância regulamentar que pode entorpecer a firmeza leonina - Liedson encontra-se em condições de invocar o artigo 17.º do Regulamento sobre o Estatuto e Transferência de Jogadores da FIFA, a vulgarmente designada "Lei Webster".

3 - Soares Franco lamentou a reduzida militância dos sportinguistas se e quando comparados com adeptos de outros clubes.
Vai daí, solicitou à empresa do sócio leonino Rui Oliveira e Costa um estudo de opinião que elucidasse das razões de tamanha ausência de participação e fidelização.
As conclusões não podiam ser mais eloquentes:
O afastamento dos adeptos é responsabilidade de Paulo Bento, Joaquim Oliveira e do Capitalismo.
Apenas uma absolvição - Soares Franco!
No mínimo, curioso.

4 - A qualidade do futebol praticado pela equipa e os resultados obtidos, o horário dos jogos e a crise que se instalou nos mercados financeiros foram as três razões maioritariamente apontadas para a crise de militância sportinguista.

5 - Paulo Bento afirmou, ontem, em conferência de imprensa, sobre Ronaldo que " (...)foi para um campeonato que favorece a sua forma de jogar. Para mim, os campeonatos italiano e espanhol são mais difíceis que o inglês porque as equipas são mais organizadas em termos defensivos e ele teria mais dificuldades."
Subscrevo, na íntegra, a opinião do técnico do Sporting.

6 - Jesualdo garantiu que Lucho não evidencia um momento de forma menos bom.
Para tanto referiu a distância percorrida pelo argentino nos últimos dois jogos: "Correu cerca de 12,5 ou 13 quilómetros".
Confesso que fiquei sem perceber!
Para avaliar a forma desportiva dos seus jogadores, Jesualdo serve-se de critérios próprios do atletismo?!

7 - "Há muitos anos que os três grandes não tinham treinadores tão fracos. (...) Só concluo que não podem estar onde estão" - Quem é o autor destas afirmações?
Rui Santos? Podia ter sido, mas não foi!
Manuel Cajuda? Podia ter sido, mas não foi!
Manuel Serrão? Podia ter sido, mas não foi!
O Pai desta declaração peremptória foi, nem mais, nem menos, do que o inefável Luís Campos!
Pode faltar-lhe competência, mas desfaçatez não!

8 - O Braga qualificou-se para os 16-avos de final da Taça UEFA.
Com indiscutível equidade o fez!
Não só pela prestação de ontem frente ao Heerenveen, mas também pelos desempenhos ante Portsmouth, Milan e Wolfsburgo.

9 - Ontem, na Holanda, o Braga conheceu a fortuna que lhe fugiu em Milão e em Braga frente ao Wolfsburgo.
A execução de Luís Aguiar foi sublime, mas foram as costas do guarda-redes holandês a introduzir a bola na baliza.

10 - Eduardo demonstrou, uma vez mais, que é o guarda-redes português em melhor momento de forma.

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Espaço Prof. Karamba

V. Setúbal - FC Porto
Rio Ave - Naval
Marítimo - Benfica
Académica - P. Ferreira
Nacional - Belenenses
E. Amadora - Sporting
Trofense - Sp. Braga
V. Guimarães - Leixões

Livro de Reclamações - Quim e Relatório e Contas dos 3 Grandes

1 - Se um jogador de campo tem um mau desempenho, arrisca-se a sair da equipa.
Se acumula um conjunto de prestações menos conseguidas, perde a titularidade.
Por que razão deve ser concedido aos guarda-redes um estatuto de excepção?

2 - Vem isto, claro está, a propósito de Quim.
Sofrer 13 golos em três jogos, alguns dos quais justa e unanimemente qualificados como "frangos", é um registo que inquieta a confiança de qualquer guarda-redes.
Na conferência de Imprensa que antecedeu a recepção ao V. Setúbal, Quique afirmou "o guarda-redes é o saco que apara os golpes resultantes dos erros de uma equipa".
Se é verdade que o Benfica enquanto equipa tem somado equívocos, não é menos certo que Quim tem adicionado erros às fragilidades da equipa.
Esta época, disputou 15 partidas e contabiliza 21 golos sofridos, o que corresponde a uma média muito pouco abonatória de 1,42 golos por desafio.
Apenas em quatro jogos logrou conservar incólume a sua baliza.
Está fora de forma e sem confiança!
O deficit de auto-estima assumiu proporções inesperadas no desafio ante o V. Setúbal - Sofreu dois golos, ambos da sua inteira responsabilidade!
Antes, presenteou Paços de Ferreira e Olympiakos com idênticas dádivas e ao serviço da selecção nacional agraciou Dinamarca e Brasil.
Num cenário muito menos tenebroso, em Dezembro de 2004, Trapattoni despromoveu Moreira e guindou Quim à titularidade (por essa altura, Moreira apresentava uma média de golos sofridos de 1,3 por jogo e saiu inocentado dos quatro golos sofridos no Restelo).
Sinceramente, não alcanço a razão pela qual se questiona se Quim deve ceder o seu lugar na baliza a Moreira?

3 - Talvez a causa da hesitação resida em Moreira.
Para além da sua história desportiva, a competência revelada diante de Penafiel e Aves deveria ser suficiente para tranquilizar os espíritos mais dubitativos.

4 - Manter Quim como titular afigura-se-me uma decisão inclusivamente perniciosa para o próprio.
Atormentado pelas críticas, verá a sua ansiedade aumentar na idêntica proporção da diminuição da sua margem de erro, criando um clima psicológico potenciador do falhanço.

5 - Num registo mais humorístico, sou tentado a considerar que Quim padece da síndrome de Estocolmo.
A Síndrome de Estocolmo é um estado psicológico particular desenvolvido por pessoas que são vítimas de sequestro.
A síndrome manifesta-se a partir de tentativas da vítima de se identificar com o seu captor ou de conquistar a sua simpatia.
É, precisamente, isto que sucede com Quim.
Esbulhado que foi da titularidade na selecção nacional por Ricardo, assume, agora, comportamentos miméticos daquele!

6 - Benfica, Porto e Sporting apresentaram, no primeiro trimestre da época 2008/09, um decréscimo sensível nos resultados operacionais se e quando comparados com período homólogo da temporada transacta.
Benfica e Porto fecharam mesmo com resultados operacionais negativos - 1,1 milhões e 5 milhões, respectivamente (mesmo sem Champions, os resultados operacionais negativos do Benfica são quase cinco vezes inferiores aos do Porto).
O Sporting foi o único a revelar resultados operacionais positivos - 3,8 milhões de Euros.
Se a diminuição verificada no Benfica encontra explicação na não participação na Champions, na manutenção dos principais jogadores e no reforço da equipa com novas contratações, já a queda do Porto radica no aumento dos custos com pessoal e no agravamento dos encargos financeiros.

7 - Pese embora o resultado líquido de dois milhões de euros negativos (menos 121% relativamente à época transacta), o Benfica registou, mesmo sem Champions, proveitos operacionais de 13,1 milhões de Euros. Apenas, o Sporting o superou, amealhando, com Champions, 14 milhões de Euros.
Ao invés, o Porto inscreveu, somente, 8,6 milhões de Euros.

8 - Qualquer um dos três grandes viu a sua folha salarial crescer, assumindo o Porto, neste particular, a liderança com 9,1 milhões de Euros, seguido do Benfica com 8,6 milhões e do Sporting com 5,3.

9 - Não obstante os resultados operacionais negativos, o Porto conseguiu apresentar resultados líquidos positivos no valor de 6,8 milhões de Euros (mesmo assim inferior aos 10,8 milhões declarados no ano passado).
Uma vez mais, as receitas extraordinárias resultantes da transacção de passes de jogadores permitiram ao Porto equilibrar as suas contas.
As mais-valias de 13,1 milhões de Euros geradas com a transferência de Quaresma determinaram o lucro final de 6,2 milhões de Euros, demonstrando o quão dependente o Porto está da venda de jogadores.

10 - O Sporting apresentou lucro, mas residual: 16 mil euros, menos 99,6% do que em idêntico período na época anterior.
Esta diminuição acentuada nos proventos repousa no crescimento dos custos com o plantel e na significativa redução das receitas obtidas com transferências.
Um exercício bastante positivo para a SAD leonina.
No entanto, persiste um problema que impõe resolução célere, qual seja o capital próprio que permanece negativo.
A emissão do empréstimo obrigacionista de 60 milhões de euros obrigatoriamente convertível em capital visa solucionar esta questão, mas, como já aqui afirmei abundantemente, poderá significar a perda pelo Sporting do controlo maioritário da SAD.

Liga dos Astros - Classificação Geral

1º Lugar: Eagles - 769 pontos

2º Lugar: SLB JIMMY JUMP - 722 pontos

3º Lugar: CouchCoach - 713 pontos

4º Lugar: Red Eagles - 713 pontos

5º Lugar: Caça Lagartos / Suçuarana - 691 pontos

6º Lugar: CHICOO SUPER TEAM - 653 pontos

7º Lugar: Kubas2 - 584 pontos

8º Lugar: Comando Verde - 581 pontos

9º Lugar: Couch dreads - 567 pontos

10º Lugar: Kaiserlicheagle FC - 562 pontos

11º Lugar: cla do relogio no braço direito - 543 pontos

12º Lugar: fura redhe - 528 pontos

13º Lugar: CHICOOO SUPER TEAM - 518 pontos

14ºLugar: kubas - 515 pontos

15ºLugar: Cruzados - Mestre JC - 468 pontos

16ºLugar: Barões da Pelota - 408 pontos

terça-feira, dezembro 02, 2008

Memorial Zandinga

Heerenveen - Braga

Não há lugar à utilização de Joker.

Vedetas&Marretas

Vedetas

Clube

Leixões por ter finalizado o primeiro terço da Liga Sagres na liderança

Jogador

William por mais um golo na Liga Sagres, o sétimo, que lhe garante a liderança da lista dos melhores marcadores

Treinador
José Mota por ter finalizado o primeiro terço da Liga Sagres na liderança

Árbitro

Nuno Miguel Roque pelo bom desempenho no Paços de Ferreira-Estrela da Amadora


Modalidades de Alta Competição

Benfica pela vitória, na condição de visitado, sobre o Sporting em Futsal em jogo da Taça de Portugal

Emigrante

Cristiano Ronaldo pela conquista da Bola de Ouro

Marretas

Clube

Benfica pela goleada sofrida na Grécia e pelo empate caseiro frente ao Setúbal

Jogador

Quim pelos golos sofridos ante Setúbal e Olympiakos

Treinador

Quique Flores pela goleada sofrida na Grécia e pelo empate caseiro frente ao Setúbal

Árbitro

Bruno Paixão pelo inenarrável desempenho no Varzim-Santa Clara

Modalidades de Alta Competição
Sporting pela dupla derrota em Futsal contra o Benfica, em jogo da Taça de Portugal, e contra o Módicus, em partida da Liga.

Emigrante
Cristiano Ronaldo pela expulsão frente ao Man.City


segunda-feira, dezembro 01, 2008

Espaço Prof. Karamba

1º Lugar: Salvatrucha JR. - 245 pontos

2º Lugar: Jorge Mínimo - 240 pontos

3º Lugar: Jimmy Jump, Kaiserlicheagle e Zex - 230 pontos

4º Lugar: Cavungi - 225 pontos

5º Lugar: Lion Heart - 215 pontos

6º Lugar: Vermelho Sempre - 210 pontos

7º Lugar: Vermelho - 205 pontos

8º Lugar:Antes Morto que Vermelho - 190 pontos

9º Lugar: JC - 180 pontos

10º Lugar: Delane Vieira, Sócio e Fura-Redes - 175 pontos

11º Lugar: Cuto e Vermelho Nunca - 170 pontos

12º Lugar: Samsalameh - 155 pontos

13º Lugar: Pachulico - 90 pontos

14º Lugar: Pankreas - 55 pontos

Benfica - V. Setúbal 2-2

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

Estádio do Sport Lisboa e Benfica, Lisboa
Hora: 20:30
Árbitro: Vasco Santos (Porto)

BENFICA

Quim (0); Maxi Pereira (2), Sidnei (3), Miguel Vítor (3) e Jorge Ribeiro (2); Ruben Amorim (3), Carlos Martins (2), Katsouranis (3) e Reyes (3); Suazo (3) e Cardozo (3).

Suplentes - Moreira, David Luiz (-), Yebda (-), Balboa, Urreta (-), Makukula e Mantorras.

V. Setúbal


Pedro Alves (3); Janício (2), Robson (3), Anderson (3) e Cissokho (3); Sandro (1), Mateus (3), Ricardo Chaves (2) e Leandro Lima (3); Laionel (3) e Bruno Gama (3).

Suplentes - Bruno Vale, Hugo, Elias (3), Bruno Ribeiro, Auri, Leandro Branco (2) e Carrijo (-).

Sistemas Tácticos

Benfica


V. Setúbal

Benfica

Posse e Circulação de Bola; Domínio e Controlo da Partida; Bloco médio/alto; Assumir Iniciativa de Jogo.

V. Setúbal


Expectativa; Bloco baixo; Transições Rápidas.

Principais Incidências da Partida (fonte: www.record.pt)

4' - Canto de Reyes na direita. Sidnei falha o cabeceamento. A bola bate na cabeça de Cardozo e sai rente ao poste. Às três tabelas...

8' - Miguel Vìtor pára Laionel em falta. O livre é apontado por Leandro Lima, com o mesmo Laionel a cabecear com muito perigo, ao lado do poste esquerdo de Quim. O Vitória dá o primeiro sinal.

11' - Jorge Ribeiro cruza da esquerda, com Cardozo a amortecer de cabeça para Suazo, que não consegue o remate em condições. Altruísta, o paraguaio.

16' - Livre directo para Carlos Martins, que Pedro Alves afasta a custo pela linha final. Do pontapé de canto sai uma jogada confusa na área sadina, sem nexo.

23' - Carlos Martins remata à figura de Pedro Alves, depois de ganhar o ressalto à entrada da área.

24' - Falha incrível de Suazo, a cabecear ao lado na pequena área. O cruzamento foi de Maxi Pereira.

30' - Maxi levanta para a cabeça de Cardozo, que assiste Katsouranis. O grego remata forte (a 103 km/h) para uma grande defesa de Pedro Alves. Boa oportunidade para os encarnados.

30' - Livre de Carlos Martins na esquerda. Pedro Alves sai com os punhos e afasta.

35' - GOLO DO V. SETÚBAL. Contra-ataque sadino, com Bruno Gama a fazer um cruzamento-remate na direita. Quim defende para a frente e LAIONEL, sem marcação, inaugura o marcador na Luz.

40' - O Benfica está perto do empate. Cardozo, de costa para baliza, faz uma primorosa assistência para Ruben Amorim que, vindo de trás, acerta na barra do Vitória.

48' - GOLO DO BENFICA. Cardozo assiste de cabeça Suazo, que remata contra as costas de um defesa. KATSOURANIS ganha o ressalto e faz o empate.

52' - No lado direito, Ruben Amorim levanta para Suazo, que assiste de cabeça Reyes. O espanhol, bem colocado, remata ao lado.

54' - Belo pormenor de David Suazo. De fora da área e sem balanço, o hondurenho remata à barra de Vitória. Era um golaço!

58' - Cardozo fica com a bola depois de Amorim ter falhado um remate e, isolado, remata para uma grande defesa de Pedro Alves, a evitar o segundo das águias.

59' - GOLO DO BENFICA... Jorge Ribeiro centra da esquerda, com Cardozo a assistir SUAZO com um passe atrasado. O hondurenho, de fora da área, enche o pé e coloca os encarnados em vantagem pela primeira vez. Pedro Alves ainda tocou na bola...

79' - Sandro pontapeia Reyes quando o espanhol fugia pelo lado esquerdo. Jorge Ribeiro continua a jogada e cruza para Suazo marcar, mas o árbitro já tinha apitado para assinalar a falta depois de ter dado a lei da vantagem. Confuso... O capitão do Vitória, que ainda há três minutos viu o amarelo, não vê cartão desta vez.

90'+1 - GOLO DO V. SETÚBAL... Canto na direita para o Vitória. Após uma série de toques, Katsouranis afasta de cabeça, com ANDERSON a rematar em jeito de bicicleta (!) à entrada da área, a fazer um "chapéu" a Quim, que estava muito adiantado. Incrível...

Destaques

Melhores em Campo

Benfica

Suazo - Pelo golo!

Reyes - Pelas razões de sempre!

V. Setúbal


Pedro Alves - Pela segurança!

Anderson - Pelo golo!

Piores em Campo

Benfica

Quim - Mal batido no 1º golo, deu um enorme "frango" no 2º.
Na sexta-feira, escrevi: "O Quim está a precisar de descanso!
Está fora de forma e sem confiança."

V. Setúbal


Sandro - Usou e abusou do jogo faltoso!
Acabou expulso no período de descontos, mas devia tê-lo sido bem mais cedo.

Arbitragem

Bem até aos 60 minutos, acumulou um número razoável de erros a partir de então.
O mais grave dos quais ocorreu aos 79 minutos, ao invalidar um golo legal ao Benfica e ao não expulsar Sandro.
Sandro derrubou Reyes em lance para amarelo, que seria o segundo, Vasco Santos entende aplicar a lei da vantagem, Jorge Ribeiro progride pelo flanco esquerdo, cruza e Suazo encosta fazendo golo.
Sucede que, entretanto, de forma incompreensível, Vasco Santos havia interrompido a partida, anulando a vantagem que antes concedera.
Acresce que não exibiu qualquer cartão a Sandro.
Dois erros importantes!

Comentário

E tudo Quim levou...

O Benfica entrou bem no jogo, mas atingiu o intervalo em desvantagem.
Face à incapacidade de Martins e Katsouranis conferirem fluidez e clarividência ao momento ofensivo, o Benfica lançou mão do jogo directo para os seus pontas de lança para se acercar com perigo das redes de Pedro Alves.
Criou algumas excelentes oportunidades de golo, mas esbanjando-as, permitiu que o Setúbal, na única transição rápida que desenhou na primeira parte, se adiantasse no marcador.
O domínio e a superioridade reveladas pelo Benfica não conheciam correspondência, mínima, no resultado.
Sem esmorecer, regressou pujante do descanso, alardeando uma indómita vontade de triunfar e uma inquebrantável confiança.
Com a linha defensiva bem subida, formando um bloco coeso com a linha intermediária, possibilitando a execução de uma pressão alta no meio-campo vitoriano, o Benfica imprimiu velocidade, dinâmica e intensidade ao seu processo ofensivo.
Arrancou quinze minutos de elevada qualidade, que coroou com um pontapé à barra, uma grande defesa do guarda-redes vitoriano e dois golos, operando a reviravolta no resultado.
Daí até final, geriu o ritmo e as incidências da partida.
Controlou o encontro, manteve o Vitória longe da sua área, mas, no período de compensação, tudo malbaratou, com um "frango" monumental de Quim.