quinta-feira, junho 19, 2008

Análise ao Portugal - Alemanha

Portugal despediu-se, esta quinta-feira, do EURO 2008, ao perder por 3-2 nos quartos-de-final, frente à Alemanha.
Como um dia afirmou Gary Lineker “o futebol são 11 jogadores de cada lado e no final ganham os alemães”.
Hoje, foi uma vez mais assim!
E, muito por culpa de Portugal.
Em antevisão à partida, havia escrito que temia a robustez e o poderio físico do meio-campo alemão, que podiam sufocar e fazer submergir o nosso "liliputiano" sector intermédio, a costumeira concentração, agressividade e eficácia dos germânicos, que podiam desempenhar papel decisivo no desfecho da partida e o jogo aéreo alemão, mormente nas bolas paradas, se e quando confrontado com os problemas que a selecção nacional tem patenteado nesse particular (com especial destaque para Ricardo).
Pois bem, os meus receios confirmaram-se e assumiram-se como a principal razão de ser do triunfo alemão.
Acresce que uma das expectativas que enunciei e que entendia como fulcral num eventual êxito luso não se concretizou e a Alemanha beneficiou e muito com a alteração táctica introduzida por Joachim Löw.
Nos três jogos da fase de grupos, a Alemanha apresentou-se estruturada sob um 4x4x2 clássico, muito clássico mesmo, com Ballack ao lado de Torsten Frings e, como tal, suficientemente longe da baliza para não desequilibrar ofensivamente.
Hoje, Joachim Löw preferiu o 4x2x3x1 e a equipa evidenciou outra consistência nas transições ofensivas e defensivas.
Aliás, esta foi outra das chaves da partida – enquanto o técnico germânico estudou, ao pormenor, a selecção nacional e soube aproveitar as suas lacunas ou, se preferirem, os seus elos mais fracos, Scolari demonstrou um conservadorismo facilmente manietado pelos alemães.
Para Scolari defrontar a Alemanha ou a Turquia é indiferente – o sistema é sempre para conservar inalterado!
Joachim Löw identificou o corredor esquerdo da defensiva lusa e o jogo aéreo, mormente nas bolas paradas, como as principais debilidades portuguesas e delineou um sistema táctico e um modelo de jogo capazes de as explorar.
O 4x2x3x1 permitiu-lhe agregar supremacia no meio-campo, a colocação de Schweinsteiger na direita rendeu um golo e a criação de uma fonte quase inesgotável de problemas para Paulo Ferreira e os cruzamentos na execução de bolas paradas laterais, a solicitar o magnífico jogo de cabeça dos seus jogadores, dois golos.
Ao invés, o primarismo táctico de Scolari contribuiu, de sobremaneira, para o insucesso português.
Na conferência de imprensa de antevisão do jogo, Scolari aludiu à superior estatura dos alemães.
Acertou no diagnóstico, mas nada fez para debelar o padecimento.
Com diferenças de estatura assinaláveis, não é concebível que a equipa em inferioridade defenda homem a homem!
Impunha-se uma defesa zonal!
Os dois golos germânicos encontraram a sua génese, precisamente, nesse “pormaior”!
Ronaldo e Paulo Ferreira viram-se ultrapassados pelos adversários de cuja marcação estavam encarregues e estes não conheceram dificuldades em finalizar (não obstante a falta que precede o golo de Ballack).
Com a República Checa havia sucedido o mesmo!
Errar é humano, não aprender com os erros é estupidez!
Por outro lado, Scolari não soube aproveitar o deficit de velocidade e mobilidade de Per Mertesacker e Christoph Metzelder.
Raramente, a selecção nacional conseguiu explorar o jogo entre linhas no momento ofensivo, por forma a que o tridente Ronaldo, Deco e Simão pudesse surgir no espaço entre o trinco alemão e os seus centrais, com a bola controlada, em velocidade e de frente para Per Mertesacker e Christoph Metzelder, aproveitando a sua “falta de rins” e a sua lentidão.
Numa das escassas vezes em que tal sucedeu, aconteceu o primeiro golo de Portugal.
Portugal dispôs de 8 dias entre o 2º jogo da fase de grupos e o encontro dos quartos de final. A Alemanha de apenas 3.
Era expectável que Portugal procurasse potenciar a sua maior frescura física, apostando na rapidez das transições ofensivas e na velocidade dos seus alas.
Nada disso aconteceu, antes pelo contrário.
O processo ofensivo português, com contadas excepções, revelou-se sempre mais pausado e afunilado que o germânico.
As dificuldades físicas alemãs emergiram na fase final da partida, acentuando o quão avisado teria sido imprimir outra intensidade à partida.
No dealbar da segunda metade, os laterais alemães foram admoestados com cartões amarelos.
Portugal fez alguma coisa para potenciar essa fraqueza?
Não, muito pelo contrário.
Scolari decidiu retirar Ronaldo da ala e colocá-lo, num primeiro momento, ao lado de Nuno Gomes, num segundo momento, sozinho, emparedado entre os centrais e, num terceiro momento, ao lado de Postiga.
Consabida que é a rigidez do lateral direito alemão (patente no lance em que viu o amarelo) afigura-se-me claro que Ronaldo teria que se manter na linha de modo a “instigar” a sua expulsão.
Por esta e por todas as outras razões que desaconselham a colocação de Ronaldo como ponta de lança!
Perdeu-se, definitivamente, a capacidade desequilibradora de Ronaldo e nada se ganhou em troca. Apenas se acentuou a tendência de centralização do momento ofensivo da selecção nacional.
Centralização que a par da falta de intensidade facilitou imenso a tarefa defensiva alemã.
Mas, mais.
Portugal revelou, como antes, a ausência de uma ideia colectiva, minimamente, solidificada.
Neste Europeu não se descortinou sequer um esboço de fio de jogo e este pecadilho, em partidas como a de hoje, assume uma importância basilar.
Portugal apenas individualmente logrou criar desequilíbrios, ao passo que os germânicos o fizeram, bastas vezes, colectivamente (vide a excelente jogada que resultou no primeiro golo).
Por fim, que esta crónica já vai longa, como qualificar as substituições promovidas por Scolari?
Incompreensíveis!
Substituir Nuno Gomes, um ponta de lança móvel, capaz de atrair os centrais alemães para zonas mais adiantadas, aumentando a sua vulnerabilidade, e potenciando o tal jogo entre linhas do tridente Ronaldo, Deco e Simão, fazendo entrar Nani, para além de ter retirado, definitivamente, Ronaldo do jogo, acentuou a tendência de centralização do processo ofensivo luso.
A confusão imperou a partir de então!
Nani e Simão, não raras vezes, ocuparam os mesmos espaços, Ronaldo, desconhecedor que é das rotinas próprias de ponta de lança, entregou-se à marcação dos centrais alemães e o processo ofensivo português perdeu a pouca clarividência e fluidez que Deco, a espaços, lhe emprestou.
Mas, pior ficou quando Scolari substituiu Petit por Postiga.
Perdeu capacidade de recuperação de bola no meio-campo adversário, implicou o recuo de Deco, com a consequente perda de influência, e conduziu Portugal para uma espécie de “alemanhização” do seu jogo – jogo directo e remates de meia-distância (sem jogadores capazes de o interpretar).
Scolari agiu como o mais básico dos adeptos – estamos a perder, então temos que aumentar o número de jogadores junto à área alemã para recuperarmos!
Scolari ao invés de ter sido parte da solução, assumiu-se como parte do problema.
Infelizmente, regressamos precocemente a casa, com uma performance não condizente com a qualidade individual dos nossos jogadores.

36 comentários:

Vermelho disse...

Amigos:
Ontem, fruto de obrigações laborais, não tive condições de vos responder.
Faço-o agora.
Consta nos mentideros que Sporting e Porto se preparam para trocar de GR suplentes - Stojkovic por Nuno.

vermelhosempre disse...

O Amigo Vermelho já disse quase tudo, mas n posso deixar de agradecer ao Ricardo o facto de termos sido eliminados. 2 cruzamentos para a área em lances de bola parada, 2 golos. No 2º golo alemão já me fez confusão o frangueiro do Ricardo já estar quase estatelado no chão e a bola ainda nem havia chegado à cabeça do Klose, mas no 3º golo é absolutamente gritante a falta de qualidade deste projecto de guarda-redes em sair dos postes: como é que é possível, que aquela arara do caral** fique a meio da saída (independentemente do Ballack ter empurrado o Pé de Chumbo Ferreira), quando naquele momento ele deveria ter saído com tudo, pois a equipa precisava de não sofrer para se manter motivada, e ele, cheio de medo, voltou a ficar a meio da saída.
Sinceramente, é verdade que deve ter sido o nosso pior jogo, com excepção para o Deco e o Bosingwa que até tiveram a um bom nível, mas quem quer ir mais longe não pode dar-se ao "luxo" de ter na baliza aquele projecto de guarda-redes.

Destacar também pela negativa a burrice e a incapacidade do Socolari para virar resultados, pois já estando a perder por 2-0, e na minha opinião, ele tem que arriscar, tirar o Moutinho e lançar o Meireles, só o fez gastar uma substituição. Alguém me explica porque é que ele n meteu logo o Nani ou o Quaresma, dando assim liberdade para o Ronaldo deambular por todo o lado, criando desiquilibrios na defensiva alemã?
Alguém me explica, porque razão, se a ideia era bombear bolas para a área, é que ele n meteu o Hugo Almeida? Alguém me explica porque razão o Pé de Chumbo Ferreira ficou até ao apito final do árbitro?

Para acabar n queria deixar de agradecer ao Ricardo pela eliminação prematura do Euro, e agradecer ao Socolari por ir embora para o Chelsea.

FORÇA HOLANDA

Zex disse...

Uma fraca Alemanha chegou para as encomendas.
Os "pais" da derrota são, quanto a mim, Labreca e Ferreira.
Quanto a Ricardo, é gritante a sua falta de qualidade que a lagartagem andou a branquear enquanto ele jogava no Sporting. Nos cruzamentos é dos piores de sempre na selecção nacional. E, uma vez mais, confirmou-se a sua falta de qualidade no terceiro golo português. Inacreditável !
No que a Ferreira respeita, digo que a adaptação foi muito mal conseguida, o que se viu nos quatro jogos que efectuou. Não passa do meio campo. Não tem rins. Não sabe centrar, à esquerda ou à direita. Não faz uma simulação. Passa a vida a endossar a bola ao central ao extermo do seu lado ou ao médio centro. Não faz nada que o faça sobressair. Ontem foi bem visível o caudal de jogo de Bosingwa e a sua ausência no flanco oposto. Schwarzenneger fez dele o que quis...
Ronaldo só apareceu a espaços.
Nani entrou tarde.
Deco foi, na minha opinião, o melhor, em todos os jogos. Grande jogador !
Enfim, um acumular de erros que contribuíram para uma derrota mais do que previsível.
Scolari geriu muito mal o anúncio do seu futuro e, com isso, afectou a equipa. Nem sei o que vai fazer para o Chelsea. Provavelmente passa o natal em Porto Alegre, porque os bifes não estão para isto.
Não discuto os resultados, que entende serem bons, mas tenho que admitir que os "jogos" psicológicos não são suficientes. Mensagens à santinha ou declarações bacocas de capitães, antes dos jogos, é pouco. Não há dúvida de que se trata de um técnico à antiga, primário, que não faz os trabalhos de casa. Não analisa ninguém. Não faz treino específico. Teve a sorte de apanhar jogadores talentosos e criou um grupo forte. Mas é preciso mais.

Uma nota para o artigo do blogger que, quanto a mim, denota uma contradição evidente com o que por aqui propalou durante a época, aquando das derrotas do FCPorto.
Culpou sempre Burrualdo porque privilegiava a heterodeterminação, fazendo mudanças em função do adversário. Paradoxalmente, agora, critica Scolari, porque não faz qq alteração em função do adversário.
Não deixa de ser curioso...

Zex disse...

De seguida, tipo professor Martelo, vou dar notas à performance dos jogadores neste Europeu, de zero a cinco, e convidava os caros confrades a fazerem algo de semelhante:
Labreca - 0
Bosingwa - 3
Carvalho - 2,5
Pepe - 3,5
Ferreira - 1
Petit - 3
Moutinho - 3,5
Deco - 4,5
Simão - 2,5
Ronaldo - 2,5 (atendendo às expectativas)
Nuno Gomes - 3
Miguel - 1
Bruno Alves - 3
Meira - 2,5
Jorge Ribeiro - 1,5
Veloso - 2
Meireles - 2,5
Nani - 3,5
Quaresma - 2,5
Postiga - 2,5
Almeida - 2,5
Quanto a Patrício e Nuno não dou nota.

Zex disse...

Faltou o treinador, a quem dou um brilhante 1

vermelhosempre disse...

Socolari - 1
Nuno - 1*
Patricio - 1*
Ricardo Barthez - -1
Bosingwa - 3
Carvalho - 3
Pepe - 3
Ferreira - 0
Petit - 3
Moutinho - 3
Deco - 4,5
Simão - 3
Ronaldo - 3
Nuno Gomes - 3
Miguel - 0
Bruno Alves - 2
Meira - 2
Jorge Ribeiro - 1
Veloso - 2
Meireles - 3
Nani - 3
Quaresma - 2,5
Postiga - 2,5
Almeida - 1

* Nota 1 porque apesarem de n terem jogado tiveram que aturar o Ricardo Barthez e a sua vós super hiper mega irritante durante os treinos.

vermelhosempre disse...

PS: onde se lê "apesarem" deverá ler-se como é obvio "apesar"

Antes morto que vermelho disse...

"deutschland, deutschland
uber alles..."

Antes morto que vermelho disse...

pontos positivos da derrota:
1- foi o último jogo de soco (vai de reto satanás!) e do ricardo pela selacção nacional.
2- esta derrota potencia a demissão de madail, que anda há 7 anos á espera de um lugar da uefa, mas, até agora, só há vagas para limpar as casas de banho ou se "escravo do platini"
3- finalmente acabou ver a televisão a interromper programas, para darem o luis baila a informar "portugal", que soco foi á casa de banho e esteve lá 15 minutos.
4- as bandeirinhas das varandas e nos carros (aqui tenho visto só quase gajas, com este foleirada) vão ser retiradas

pontos negativos:
1- a eliminação de portugal
2- j. socrates deve ter ficado chateado com a eliminação, porque o povo agora volta a preocupar-se com, o aumento dos combustiveis, a subida das taxas de juro dos emprestimos e a constante diminuição do poder de compra, entre outros assuntos.

quanto ao jogo destaco pela positiva deco, ballack e schweistigger (por continuar a ser o carrasco do labreca). pela negativa ferreira, ricardo e cristiano (neste caso por não ter aparecido ao nivel que nos habituou). negativo na alemanha só mesmo os suplentes, que não passam de marretas.

Vermelho disse...

Amigo Zex:
Olhe que não, olhe que não!

Não disse que Scolari devia ter jogado em função do adversário.
Não disse que Scolari devia ter descaracterizado a equipa em função do adversário.
Isto sim é heterodeterminação e foi isto que Jesualdo fez nas derrotas do Porto.

Disse: "enquanto o técnico germânico estudou, ao pormenor, a selecção nacional e soube aproveitar as suas lacunas ou, se preferirem, os seus elos mais fracos, Scolari demonstrou um conservadorismo facilmente manietado pelos alemães.
Para Scolari defrontar a Alemanha ou a Turquia é indiferente – o sistema é sempre para conservar inalterado!"

Ou seja, estudo, identificação dos pontos fracos e sua exploração!
Concomitantemente, estudo, identificação dos pontos fortes e sua neutralização!

Este deve ser o trabalho de qualquer treinador.
Scolari, manifestamente, não fez o seu.
Abraço.

p.s. solicitações profissionais várias, irão, previsivelmente, impedir-me de marcar presença na nossa tertúlia diária.
Tentarei participar na medida do possível.

Antes morto que vermelho disse...

Socolari - 1
Nuno - -
Patricio - -
Labreca - - infinito
Bosingwa - 4
Carvalho - 2,5
Pepe - 2,5
Ferreira - 0
Petit - 2
Moutinho - 2
Deco - 5
Simão - 3
Ronaldo - 2 (por não corresponder ás expectativas)
Nuno Gomes - 2
Miguel - - infinito (mas com o titulo da "maior peida do euro")
Bruno Alves - 2.5
Meira - 1
Jorge Ribeiro - 0
Veloso - 2
Meireles - 3
Nani - 3
Quaresma - 1.5
Postiga - 2
Almeida - 1

Antes morto que vermelho disse...

"¿Jugó Cristiano Ronaldo? Se supone que es el crack del momento pero, una vez más, el del Manchester United volvió a borrarse en un partido importante" in marca

Antes morto que vermelho disse...

curralense interessado em pablo aimar??? é para eles "engolirem", certamente.

MESTRE JC disse...

Com falhas como as de João Moutinho no lance do remate de joelho, Pepe e Bosingwa no cruzamento de Podolski, Ferreira nesse mesmo lance, ao não parar o cabeça oxigenada, e Ricardo no 3º golo é impossível ganhar a quem quer a este nível.
Por muito mal que Scolari tenha preparado o jogo, com falhas individuais daquele quilate não há milagres!

PS: A saída de Ricardo no 3º golo é uma anedota de todo o tamanho.
Nem sequer saltou e foi com as mãos juntas em direcção à barriga do Ballack! Que foi aquilo?

PanKreas disse...

O amadorismo da selecção portuguesa voltou ao de cima...
O estágio de Viseu mais parecia uma romaria, quando os jogadores necessitavam era de descanso. O hotel estava cheio de jornalistas espanhóis, ingleses, etc. Todos queriam saber para onde iria jogar e treinar este e aquele.
Já na Suiça a balda continuou com a feira ambulante. O mister vai para aqui, o deco vai a Barcelona, o veloso vai...o ronaldo vai...o ricardo carvalho vai...o moutinho vai...o quaresma vai...etc.
Ao chegar o momento da verdade todos tiveram medo e falta de ambição. O scolari que tinha uma lista com a altura dos jogadores resolveu defender um livre com 5 para 4, resultado...
Quanto à arbitragem já se sabia que, tal como em Portugal os grandes são beneficiados na UEFA é exactamente igual. Se no final do jogo com a Suiça tivesse-mos reclamado a roubalheira austriaca, se calhar neste jogo já seríamos!!!
AGORA ESTÁ NA HORA DE TRABALHAR!

Vermelho disse...

Amigo JC:
Eu penso mesmo que Scolari não teve qualquer responsabilidade na derrota.
Abraço.

MESTRE JC disse...

Claro que tem, Amigo Vermelho!
Quando uma equipa perde, o seu treinador tem sempre responsabilidades.
Desde logo, a ausência de Caneira, que muito jeito tinha dado neste jogo, e isso é da responsabilidade de Scolari, que não o convocou.
A questão é que para além disso, vieram ao de cima inúmeros erros individuais.
Como é que é possível Podolski ter conseguido chegar à linha de fundo e cruzar no lance do 1º golo, quando tinha dois defesas portugueses em cima dele, Pepe e Bosingwa?
E que estava Pepe ali a fazer, qando era preciso que estivesse na área para ter interceptado esse cruzamento?
Como foi possível Moutinho ter falhado aquele golo na cara do GR alemão, pouco antes do 1º golo destes?
Que saída foi aquela a de Ricardo ao lance do 3º golo alemão?

Antes morto que vermelho disse...

darcheville: pela 2 vez concordo com o rojo, a culpa foi dos jogadores (todos menos do deco e do simulão)

Antes morto que vermelho disse...

xungo: o proximo seleccionador de futebol de portugal é zico.
quem é zico como treinador?

VermelhoNunca disse...

Parabéns Caco. Parabéns também ao administrador. Pode durante uns tempos desancar em Scolari, embora deva estar dividido, uma vez que Portugal não foi campeão europeu e assim a verba para pagar a indemnização pedida pelo senhor Gabriel, terá de vir doutro lado.
Referiu o amigo JC a alguns falhanços de nossos jogadores. Não esqueça o de Pepe, na 2ª parte, com 1-2 no resultado, após canto e toque de cabeça de Deco. Está a 1 metro da baliza e cabeceia para a bancada. Falhámos porque os alemães nos surpreenderam e foram uns justos vencedores. Concretizaram as poucos oportunidades de golo criadas, foram pragmáticos.
Culpam o Ricardo. Certo, tem culpa nos lances que referem. Porquê fazer falta no lance que dá origem ao 3º golo? Foi Pepe que a fez.
Deve dar-se o mérito à Alemanha e , a arranjar culpados, apontar-se ao colectivo ou falta dele, da nossa selecção.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: eu disse que o soco não tinha a culpa...a culpa foi dos jogadores (todos menos o deco e o simulão). o r. carvalho e o pepe, a seguir ao labreca e ao ferreira, foram os piores...
nem sequer questionei o resultado, que foi justo. os boches "tinham a lição bem estudada" os tugas estavam mis preocupados com os contratos, divórcios, contactos e em decidir o futuro, e os meiso deliram com isso.

VermelhoNunca disse...

Caco, quando lhe dei os parabéns, referia-me ao facto de você ter preferido a vitória dos alemães. Apenas isso. Ganhou quem você queria, portanto, parabéns.

VermelhoNunca disse...

Quanto aos culpados, para mim é a selecção no seu todo. Concordo que Deco foi, de longe, o nosso melhor jogador, em todos os jogos que efectuou.
Defensivamente, o que quis dizer, foi que a selecção defendeu mal, Ricardo incluído. Culpar apenas o Ferreira e o Ricardo, quanto a mim é injusto. Por isso referi as falhas de Pepe. Falhou ao não fazer falta junto à linha lateral no 1º golo, falhou ao não marcar 1 golo a 1 metro da baliza, falhou ao fazer falta no lance que dá origem ao 3º golo alemão. Com isto quero dizer que é fácil arranjar bodes espiatórios.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: isso é verdade "alles deutschland"!
penso que a principal culpada da derrota é a selecção toda, depois em segundo lugar lá vem o labreca, o ferreira etc...
mas nunca há uma coisa boa, nem o moutinho nem o veloso vão embora, consequência das fraquinhas exibições que fizeram.

agora venha o oliveira, mais os alhos, mais os terços e toda a panóplia de fetiches...

Zex disse...

Não me esqueço que, durante vários anos, os sportiguistas, com a ajuda de Scolari e da imprensa, andaram a branquear um dos maiores mitos da história recente do futebol português.
E tudo isso por causa de um ódio primário ao Vítor Baía. Só os do FCPorto diziam. Mesmo a lampionada acabava por aguentar.
Dizer mal do Ricardo era sacrilégio, porque nos tinha dado duas eliminatórias contra a Inglaterra.
Quando foi para o Bétis, tudo mudou.
Agora já dizem que o gajo é mau.
Chegam até a cometer a máxima blasfémia de dizer que teve responsabilidade na perda do título europeu contra a Grécia, o que antes era um dos maiores tabus do futebol...

Sr. Nunca,
Não concordo com o teor do comentário de V. Exa.
Acho normal, agora, criticar o comportamento da selecção ontem. Perderam, pelo que é natural que haja crítica.
Também me parece normal apreciar negativamente o desempenho de alguns jogadores e do treinador. A derrota traz isso acima.
Mesmo reconhecendo que os resultados com o Scolari são bons (principalmente o de 2006), como eu já o fiz inúmeras vezes, isso não impede que não goste da personalidade e dos métodos utilizados. Não queira uma Lei da Rolha.
Quanto aos lances do Pepe que refere, penso que não terá razão no que se refere ao seu hipotético corte no primeiro golo. Quem poderia, e deveria, ter cortado a bola era o Bosingwa e não Pepe que está mais atrás, penso eu.

Nota final para dar razão a V. Exa. qdo menciona que pouco se disse o do mérito alemão.
Schwarznegger, Podolsky e Ballack fizeram um jogo extraodinário, colocando a cabeça em água à defesa e meio campo de Portugal. Toda a equipa germânica deu-nos um banho de táctica, o que mostra que, ao contrário de outros, Low estudou Portugal, avaliou os seus pontos fracos (que Matthaeus já tinha alertado), mudou a táctica, mudou os jogadores e a sua posição e foi um vencedor justo da contenda. Ou seja, como diz o blogger, heterodeterminou-se, o que nem sempre é um erro, como advoga o editor deste espaço.

PanKreas disse...

Não há palpites para o próximo seleccionador?

Antes morto que vermelho disse...

"E tudo isso por causa de um ódio primário ao Vítor Baía", com o qual o "oslo's gay" se vinha diariamente, segundo zex.

Antes morto que vermelho disse...

para mim seria o antónio oliveira, mas penso que, por lobby de soco, deverá vir um tal de zico.

Zex disse...

Não pode ser o Zico.
É que se vier, após palavrinha do Scolari, qdo lhe "passar a pasta", lá vem a palavrinha a favor do Labreca: "tem dji convócá o Lábreca, zicó ! Si não o faiz, cê mi põe em causa, zicó !".
Tenho a certeza que vai meter uma cunha pelo Labreca !
Se for outro gajo, pode ser que seja o fim do Ricardo...

Antes morto que vermelho disse...

a que zico perguntará:"mais porquê, sargentão?"
e que soco responderá:"porque çê tem qui mandar naquela merrda toda, e não isqueça dji fazer sempre o contrario que o madiu mandarr"

vermelhosempre disse...

Penso que vai ser o Carlos Queirós, embora eu quisesse o Mourinho, nem que fosse a part-time.
Mas desde que não seja nem o Paulo Sousa nem o Oliveira, que só numa cabeça de caca é que fazem sentido, por mim tudo bem.

JorgeMínimo disse...

Cavalheiros:

Estou triste! Muito triste mesmo! Perdemos com os boches e o resultado é justo. Não me interessa se o 3º golo é falta ou não, a nossa selecção já cá está em Lisboa. Agora é fácil criticar o Ferreira e o Ricardo, mas esses não são os principais culpados. Para mim o Scolari e o Ronaldo são os culpados pela saída prematura. O Scolari pela má escolha dos 23, que falta fez o Caneira durante este EURO e para este jogo o Maniche. Por outro lado as substituições são tardias e a saída do Nuno Gomes naquela altura é uma idiotice. Em relação ao Madeiro, devo dizer que para quem se considera o melhor jogador do mundo, a sua exibição foi sofrível! Volta Figo ou Eusébio que este madeiro é fraquinho! Por este europeu espero sinceramente que esse filho da p*** madeirense não seja considerado o melhor jogador do mundo.

Antes morto que vermelho disse...

o queiros come madeiros ao pequeno almoço...

oslo's gay: que culpa tem o cristiano de ontem não ter jogado nada? e os outros 10?
caneira defesa esquerdo, é a melhor anedota do ano, esse gajo é central, ontem com as rabias do scheiwn o caneira ia logo para a rua... volta nuno valente que estás perdoado!

pachulico disse...

Cheira-me a Fernando Santos...

Mestrecavungi disse...

Estou com Pachulico!
Cheira-me a Santos!!!!!

Vitória Justissima da Alemanha.
O mais provável aconteceu.Surpresa seria termos ganho!
Apesar da nossa fé!
Mesmo quando não jogam muito bem os Alemães chegam ás finais!
Alemanha:
Tri-campeã Munidial.
Tri-campeã Europeia.
É um histórico!
Portugal.
Bí-Pré-Campeão Mundial.
Tri-Pré-Campeão Europeu!
É sempre a mesma História!
Penta Campeão do Mundo da Fanfanrronice!
Ricardo Labreca:Enforquem-no na Avibom.
Obrigado Scolari!

As Minhas Notas:
Labreca - Matricula Anulada!
Bosingwa - 3
Carvalho - 2
Pepe - 3
Ferreira - 0
Petit - 2
Moutinho - 3
Deco - 4
Simão - 2
Ronaldo - 2 (atendendo às expectativas e 0 se for para o Real)
Nuno Gomes - 3
Miguel - 0
Bruno Alves - 2
Meira - 2
Jorge Ribeiro - 0
Veloso - 1
Meireles - 3
Nani - 3
Quaresma - 2
Postiga - 2
Almeida - 1

Por terem sido suplentes do maior frangueiro que alguma vez ví jogar numa fase final da UEFA ou da FIFA:

Patrício - 0,5
Nuno - 0,5

Nota:
Nereida - 6

Abraço e até 2010 se o Seleccionador NÃO for Português!
Senão até 2012.

vermelhosempre disse...

Lá foi a Holanda.. Ficar em 1º não compensa neste europeu, e hoje vai a Espanha...