terça-feira, dezembro 22, 2009

Ser Benfiquista, no ESPN Classic



Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

Regresso a 3 de Janeiro.

Espaço Prof. Karamba - Classificação Geral

1º Lugar: Jimmy Jump - 345 pontos

2º Lugar: Vermelho Sempre - 325 pontos

3º Lugar: J. Lobo - 285 pontos

4º Lugar: Vermelho e Kaiserlicheagle - 280 pontos

5º Lugar: Gui - 265 pontos

6º Lugar: JC - 260 pontos

7º Lugar: Samsalameh - 255 pontos

8º Lugar: Chico - 245 pontos

9º Lugar: Sócio e Fura-Redes - 225 pontos

10º Lugar: Vermelho Nunca - 190 pontos

11º Lugar: Cuto - 145 pontos

12º Lugar: Agarredinhos e Filipe - 70 pontos

13º Lugar: Lion Heart - 50 pontos

14º Lugar: Pachulico - 35 pontos

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Artigos de Opinião de José Manuel Delgado e Santos Neves

Os 'mind games' do 'clássico'

Por josé manuel delgado


NUMA época em que o Benfica tem vivido praticamente em regime de euforia generalizada — boas exibições e goleadas suplantaram os percalços e nunca retiraram ânimo à afición — quis o destino que o clássico de ontem apanhasse os encarnados fragilizados por uma má prestação em Olhão e ainda por castigos e lesões, circunstâncias que levaram a uma radical inversão do ónus do favoritismo. Quando, se a normalidade reinasse (triunfo no Algarve, disponibilidade durante a semana de Ramires e David Luiz e possibilidade de utilização de Aimar, Di María e Fábio Coentrão), o factor casa catapultaria a equipa de Jorge Jesus para uma vantagem teórica prévia, acabou por verificar-se que a exigência passou a estar focada no labor dos portistas, que nos últimos dois meses mostraram um constante crescendo de forma. Foi esta situação que o Benfica manejou, ao longo da semana, melhor do que o FC Porto, passando para o exterior a ideia de que só através de muita abnegação podia chegar a um resultado positivo, frente a um opositor na plenitude dos recursos.
A apenas um ponto dos encarnados, foi curioso verificar como uma equipa com o traquejo do FC Porto acusou a responsabilidade de ser favorita, entrando de pernas pesadas e até algum conformismo, sendo este sentido especialmente na recta final quando os pupilos de Jorge Jesus jogaram com o relógio, impondo um ritmo tão lento quanto possível e os tetracampeões nacionais não tiveram, então, alma até Almeida.
Ao longo da semana Jesus disse que não contava com Ramires e Aimar; do Dragão vieram respostas sintomaticamente curiosas, que aludiam a um bluff . Afinal, Ramires jogou preso por arames (que rebentaram) e Aimar nem isso. Noutras épocas, nunca o FC Porto se mostraria preocupado com quem jogava ou deixava de jogar pelo adversário. E foi aí que o Benfica começou a ganhar o jogo.

Benfica passou o maior teste

Por santos neves


NA raça! E não só... Desta vez, o Benfica passou o teste. Depois das derrotas em Atenas e Braga, e do empate consentido ao Olhanense, último classificado – mais o KO na Taça de Portugal sofrido na Luz –, o Benfica, numa hora H, passou, convincentemente, teste de superior grau de dificuldade. Aliás, o máximo grau neste momento. Porque perante o FC Porto tetracampeão. Mas também, muitíssimo!, por o Benfica se apresentar fragilizado: à global quebra de rendimento desde o início de Novembro somava as ausências de Di María e Pablo Aimar, de Fábio Coentrão e de Ruben Amorim, mais as dúvidas sobre o estado de Ramires só uma semana após aparatosa lesão. Quiçá acima de tudo – e em condições assim bem adversas –, foi grande teste ao que muito tem falhado no Benfica desde há largos anos e vinha dando sinais de ressurgir: então a capacidade mental, o carácter competitivo nos momentos M? Exactamente aí onde o FC Porto nos habituou a ser... fortíssimo (não ontem). O Benfica teve raça e... qualidade, sendo a melhor equipa em toda a 1.ª parte – e soube manter coesa concentração na meia hora em que o FC Porto quis reagir a sério. Ah!, Jesus apostou, enfim!, no menino Urreta...

SLBenfica - Porto 1-0 Talento e Suor!



A serenidade de Quim, a raça de Maxi, a liderança de Luisão, a classe de David Luiz (deu uma enorme bofetada de luva branca em todos os seus detractores quando sob a pressão de um amarelo absurdo resolveu sem recurso à falta todos os problemas que se lhe depararam), o rigor do "patinho feio" Peixoto, a pendularidade de Javi Garcia, a alma, o querer e a ominipresença de Ramires, a centelha de Martins, a "vontade" e a velocidade de Urreta, a classe e a codícia de Saviola, a generosidade de Cardozo e a facilidade de integração de Luís Filipe, Felipe Menezes e Weldon conjugaram-se para uma exibição brilhante na primeira parte e de controlo na segunda.
Um triunfo de indiscutível equidade!

sexta-feira, dezembro 18, 2009

Artigo de Opinião de Nuno Madureira

Em condições normais, o Benfica-AEK seria daqueles jogos destinados a cair rapidamente no esquecimento. Pelo que (não) estava em causa, pelo ritmo logicamente pausado que as equipas assumiram, e pela indisfarçável expectativa em relação ao clássico de domingo, este seria um bom argumento para quem defende que a fórmula da Liga Europa está muito longe de resolver os problemas herdados daquela aberração em que estava transformada a extinta Taça UEFA.

Só que tudo isso passa para segundo plano com o golo de Di María. Não foi muito importante para a história da temporada? Claro que não. Não foi conseguido diante de uma equipa de topo? Também não. Mas pela audácia, pelo inesperado e pelo instante de criação que documenta, o remate de letra do argentino é um óptimo exemplo do que é suposto levar-nos aos estádios. Quem, por paixão clubista ou embirração pessoal, não é capaz de apreciar um golo daqueles pelo puro prazer do gesto, simplesmente não gosta de futebol.

quinta-feira, dezembro 17, 2009

Equipas apuradas para os 16 avos-de-final da Liga Europa

Vencedores do grupo: Anderlecht (Bélgica), Valencia (Espanha), Hapoel Telavive (Israel), SPORTING (PORTUGAL), AS Roma (Itália), Galatasaray (Turquia), Red Bull Salzburgo (Áustria), Fenerbahçe (Turquia), BENFICA (PORTUGAL), Shakhtar Donetsk (Ucrânia), PSV Eindhoven (Holanda) e Werder Bremen (Alemanha).

Segundos classificados: Ajax (Holanda), Lille (França), Hamburgo (Alemanha), Hertha Berlim (Alemanha), Fulham (Inglaterra), Panathinaikos (Grécia), Villarreal (Espanha), Twente Enschede (Holanda), Everton (Inglaterra), FC Brugge (Bélgica), FC Copenhaga (Dinamarca) e Athletic Bilbao (Espanha).

Despromovidos da Liga dos Campeões (3.º lugar): Juventus (Itália), Unirea Urziceni (Roménia), Wolfsburgo (Alemanha), Marselha (França), Liverpool (Inglaterra), Atlético de Madrid (Espanha), Rubin Kazan (Rússia) e Standard Liège (Bélgica).

Composição dos Potes para o Sorteio:

Pote 1 - Anderlecht (Bélgica), Valencia (Espanha), Hapoel Telavive (Israel), SPORTING (PORTUGAL), AS Roma (Itália), Galatasaray (Turquia), Red Bull Salzburgo (Áustria), Fenerbahçe (Turquia), BENFICA (PORTUGAL), Shakhtar Donetsk (Ucrânia), PSV Eindhoven (Holanda), Werder Bremen (Alemanha), Juventus (Itália), Unirea Urziceni (Roménia), Wolfsburgo (Alemanha) e Marselha (França).

Pote 2 - Ajax (Holanda), Lille (França), Hamburgo (Alemanha), Hertha Berlim (Alemanha), Fulham (Inglaterra), Panathinaikos (Grécia), Villarreal (Espanha), Twente Enschede (Holanda), Everton (Inglaterra), FC Brugge (Bélgica), FC Copenhaga (Dinamarca), Athletic Bilbao (Espanha), Liverpool (Inglaterra), Atlético de Madrid (Espanha), Rubin Kazan (Rússia) e Standard Liège (Bélgica).

SLBenfica - AEK 2-1 Missão Cumprida, com momentos de inegável brilhantismo de Di Maria, mas também de evidente desconcentração!

Memorial Zandinga - Classificação Geral

1º Lugar: Vermelho - 380 pontos

2º Lugar: Fura-Redes, JC - 375 pontos

3º Lugar: Samsalameh e Vermelho Sempre - 365 pontos

4º Lugar: Jimmy Jump - 355 pontos

5º Lugar: J. Lobo - 350 pontos

6º Lugar: Sócio - 340 pontos

7º Lugar: Gui - 325 pontos

8º Lugar: Kaiserlicheagle - 315 pontos

9º Lugar: Vermelho Nunca - 295 pontos

10º Lugar: Chico - 250 pontos

11º Lugar: Cuto - 155 pontos

12º Lugar: Lion Heart - 145 pontos

13º Lugar: Pachulico - 70 pontos

A propósito de Lucílio Baptista...

A 23 de Março de 2009, escrevi:

"3 - Compreendo e acompanho a indignação leonina pelo penalty assinalado por Lucílio Baptista.
Apenas, a vejo como tardia e lacunosa.
A minha repulsa estende-se a toda a carreira de Lucílio!

4 - Lucílio equívocou-se ao assinalar o penalty.
Antes, havia errado ao validar o golo do Sporting e ao perdoar a expulsão a Pedro Silva e a Polga.
Demasiada incompetência!

5 - Os sportinguistas exigem, agora, e a propósito de uma grande penalidade indevidamente assinalada, que Lucílio Baptista não apite mais.
Reclamo-o há muito tempo e por razões bem mais substanciais!
Desde logo, porque em todas as outras situações em que Lucílio lesou o Benfica não dispusemos da possibilidade de remição que assistiu ao Sporting no Sábado passado!
O penalty não acabou com a partida.
A decisão aconteceu no desempate por grandes penalidades e aí não consegui vislumbrar de que forma Lucílio inspirou Quim e determinou Rochemback, Polga e Derlei a falharem!

6 - Quando supra aludo a razões substanciais para a imediata, ainda que tardia, "irradiação" de Lucílio penso, sobretudo, no infindável rol de enganos que o elegem como o maior serventuário do sistema das duas últimas décadas!

7 - E, neste particular, o vociferar leonino perde força e sentido.
Em nome da santa aliança, primaram pelo silêncio e pela omissão quando se revelaram práticas corruptivas da verdade desportiva, da transparência e da lealdade da competição a propósito dos denominados "Apito Dourado" e "Apito Final"."

10 - Mas, parece que resulta!
Lucílio confirmou no "Perdoa-me" que não mencionou no relatório de jogo o gesto de Paulo Bento, nem a peitada de Pedro Silva.
Impõem-se uma conclusão: Lucílio sofre de uma estranha doença ocular que lhe entorpece a visão ao ponto de ver coisas que não aconteceram e cegar perante a realidade.

11 - Palavras para quê?
É um artista português!

12 - Hermínio e Pereira sujeitaram Lucílio a um exercício de humilhação pública ao ordenarem-lhe que se sujeitasse ao "Perdoa-me".
Lucílio é incompetente a apitar, mas talvez ainda o seja mais a falar.
Numa breve entrevista conseguiu acumular tantas ou mais incongruências do que erros a apitar um jogo de futebol.
De todas, destaco a afirmação da certeza, o surgimento da dúvida e o regresso da certeza!

13 - Pior que o equívoco é a falsificação!
Lucílio reconheceu uma e outra no "Perdoa-me"!
Admitiu que ajuízou incorrectamente o lance do penalty, mas também que não mencionou no relatório a agressividade de Pedro Silva por não se ter apercebido da sua gravidade e o gesto de Paulo Bento por não o ter visto."

A 26 de Fevereiro de 2009:

"Coincidência ou talvez não, o Benfica não ganhou nenhum dos últimos 7 jogos arbitrados por Lucílio Baptista:
06/04/2008 Boavista 0-0 Benfica bwin LIGA 07/08
25/08/2007 Benfica 0-0 V. Guimarães bwin LIGA 07/08
09/04/2007 Beira-Mar 2-2 Benfica bwin LIGA 06/07
28/10/2006 FC Porto 3-2 Benfica bwin LIGA 06/07
22/09/2006 P. Ferreira 1-1 Benfica bwin LIGA 06/07
07/05/2006 P. Ferreira 3-1 Benfica Liga betandwin.com 05/06
18/02/2006 Guimarães 2-0 Benfica Liga betandwin.com 05/06.
Mas, mais: nos 37 jogos do Benfica arbitrados por Lucílio, os encarnados somaram 16 vitórias, 10 empates e 11 derrotas. Um registo negativo deveras singular!
Adjuve-se que Lucílio ostenta o record de árbitro que mais penaltys contra o Benfica assinalou - 6 - e a última vitória encarnada em partidas por si dirigidas aconteceu em Dezembro de 2005, num Benfica-Boavista."

Parece que o árbitro de Domingo é este artista...

Espaço Prof. Karamba

Benfica - FC Porto
Nacional - Académica
Leixões - Olhanense
V. Guimarães - Rio Ave
P. Ferreira - Sp. Braga
Naval - Sporting
V. Setúbal - Marítimo
U. Leiria - Belenenses

quarta-feira, dezembro 16, 2009

Video de Opinião de Pedro Ribeiro

Artigo de Opinião de Luís Avelãs

A inacreditável expulsão de Di María em Olhão, deixando-o automaticamente de fora do próximo duelo com o FC Porto e retirando ao Benfica uma superioridade numérica que podia e devia ter sido decisiva para a conquista de 3 importantes pontos, fez com que, mais uma vez, reforçasse a ideia de que, no futebol ou outra modalidade qualquer, o talento, por si só, não chega para transformar ninguém em estrela.

Nunca duvidei da qualidade futebolística do argentino. E sempre tive em conta que, tratando-se de um jovem, exitem etapas que precisam ser percorridas com tranquilidade, algo que, acrescente-se, não abunda na Luz, onde dirigentes e adeptos - face à escassez de títulos nos últimos anos - exigem resultados ontem e não amanhã. Mas, se em relação a questões técnicas não há nada a dizer, assumo que nunca "vi" Di María como uma potencial figura de proa do futebol mundial.

Por desconfiar imenso da forma individualista, imatura e - em determinadas situações - pouco inteligente como o extremo encarnado actua, assumi aqui, no arranque da temporada, a admiração por ver um Di María diferente. Mais participativo, dinâmico e eficiente, o argentino foi uma das pedras essencais para as várias boas exibições que a equipa protagonizou. De tal forma que, nessa altura, dei comigo a pensar que, de facto, o rapaz tinha condições para subir "explodir". Não sei se valia 20, 30 ou 40 milhões de euros, mas era óbvio que aquele Di María só podia interessar a vários emblemas de nomedada no futebol europeu e à selecção argentina.

Mas, com a mesma velocidade com que ameaçou tornar-se um caso sério esta época, o argentino voltou ao registo anterior, aquele em que, na maioria das vezes, parece perdido, sem saber o que fazer em campo e, pior que isso, sem revelar capacidade para ajudar a equipa. A quebra foi notória. Tão óbvia que, dificilmente, terá escapado ao entendimento do próprio. Aliás, só por manifesta perturbação emocional é que se pode entender a expulsão de sábado. Não vi o adversário ter qualquer intervenção que pudesse desestabilizar o benfiquista. E mesmo que isso tivesse acontecido, o sul-americano só tinha de manter o sangue frio e pensar no essencial: o jogo desse momento e o seguinte.

Não sei se foram as constantes notícias do interesse de inúmeras equipas que provocaram este último ofuscamento de Di María ou se o problema foram os elogios que choveram de todos os lados. Sei é que um jogador assim será sempre apenas um bom futebolista e nunca uma estrela. E sei também que, perante estes constantes altos e baixos, o Benfica devia pensar seriamente em negociar o seu passe. É que se existe risco de o ver valorizar de um dia para o outro, o contrário também é verdade. A semana passada, seguramente, valia mais dinheiro!

PS - Jorge Jesus voltou a não estar bem a gerir o plantel à sua disposição. Optar por Di María (em vez de Felipe Menezes) como substituto de Aimar raramente será uma boa opção. E continuar a relegar Nuno Gomes para um papel terciário é bastante discutível. Bom, pelo menos já parece ter ganho espaço em relação a Keirisson...

PS 1 - O FC Porto continua a sua nítida subida de forma. Vai chegar à Luz no melhor momento da temporada e, em caso de vitória, embora ainda com uma volta de Liga para realizar, terá tudo para "embalar".

PS 2 - Pouco há a dizer sobre o Sporting. Independentemente do nome dos treinadores ou do modelo de jogo, é cada vez mais óbvio que falta é qualidade e profundidade ao plantel. Não entendo é como os responsáveis demoraram tanto tempo a perceber isso...

PS 3 - A lesão de Pepe é uma péssima notícia para a Selecção. Portugal corre sérios de não ter um elemento fulcral no Mundial da África do Sul.

A Propósito do SLBenfica-Porto - Duelos do Passado - Óscar Cardozo vrs. Bellushi

terça-feira, dezembro 15, 2009

A propósito do SLBenfica-Porto - Um Retrato muito curioso de José Veiga por Carlos Severino

Vem aí mais um Benfica-Porto, numa época em que os encarnados sonham com o título que lhes foge desde 2005. Há 4 épocas que é o Dragão a dominar. A última conquista do Benfica foi no ano em que José Veiga era o director para o futebol. A sua influência foi decisiva para o êxito benfiquista. De resto, como foi nas conquistas dos campeonatos ganhos pelo Sporting (2) e pelo Boavista.

Curiosamente, no jogo da época 2004/05 o Benfica até perdeu por 1-0, com Benny Mcharty a gelar a Luz.Veiga, nessa época, só não conseguiu trocar as voltas a Pinto da Costa naquele jogo.

Conheci José Veiga quando em 1995 andava ele por Alvalade a tentar "desviar" Figo dos Leões, num tempo em que o Sporting ameaçava o Porto na liderança do campeonato, muito por influência do antigo nº 7 leonino. Sousa Cintra, então Presidente, nem queria ouvir falar "nesse Vêga"! O caso tornou-se de tal maneira intrincado, que os adeptos leoninos chegaram a querer bater em Figo. Eu fui um dos que se colocou à frente para evitar o pior, conforme retrata a foto de 1ª página da edição de Record daquele tempo. Figo assinou contrato com Inter e Parma, mas acabou por ir parar ao Barcelona, depois de uma "caldeirada" que meteu a UEFA pelo meio. O Sporting não só perdeu o campeonato para o Porto, como recebeu uma quantia ridícula pela transferência de Figo.

Em 99/2000, a trabalhar em pleno com o Sporting, José Veiga trouxe uma série de jogadores como Shemaichel, uns quantos sul-americanos e, também, o italiano Matterazi para treinar a equipa. O investimento foi grande mas os resultados não eram nada satisfatórios. O Presidente José Roquete fez então uma revolução. Despediu o treinador, mudou SAD onde estavam Paulo Abreu e Dias Ferreira, e chamou Luís Duque. Por via de tudo o que aconteceu, Veiga era "persona non grata" em Alvalade.

Após muitas insistências, Veiga conseguiu chegar à fala com Duque. E foi tão convincente com as propostas que fez, não para trazer jogadores mas para "ajudar" na tão almejada conquista do título, que o então Presidente da SAD leonina lhe abriu a porta.

Pelos resultados, a estratégia, toda aplicada na sombra, resultou em cheio. Veiga, qual bom aluno, usou as mesmas armas para combater o seu "professor", que quando deu por ela já era tarde demais. Foi até ao fim para não correr riscos e nem faltou um "incentivo" ao Gil-Vicente para vencer o FC Porto na última jornada, que foi cumprido parcialmente.

O "receptor da mensagem" acabou por satisfazer a pretensão, mas nem foi preciso porque o Sporting ganhou ao Salgueiros. Talvez por isso acabou por ser o único dos Gilistas, que só tiveram o seu "prémio" no ano seguinte após terem recebido e perdido com o Sporting por 2-0, a não ver rigorosamente nada, apesar de ter a fama de até ter bisado no recebimento da compensação. Mas essa é uma "estória" para contar noutra altura com o nome da personagem.

Na época seguinte José Veiga negociou uma "camioneta" de jogadores para o Sporting como J. Pinto; Paulo Bento; Dimas; Bruno Caires entre muitos outros, e depois, por causa dos resultados menos bons dos Leões, virou-se para o Boavista "ajudando", sempre nos bastidores, o Major e seu filho na conquista histórica do campeonato.

No ano seguinte voltou a sua colaboração, de novo, para o Sporting estando na transferência de Jardel para Alvalade e ajudando, de novo na sombra, na conquista de mais um título nacional.

Na temporada de 2002/03 José Veiga vira-se para o Benfica. Começa por retirar força ao Sporting acenando a Jardel com expectativas de uma mudança que deu no que deu. Continuou a trabalhar na Luz e já na época 2004/2005, como Director do Futebol encarnado, consegue levar o Benfica à conquista do título que já lhe fugia há 11 anos, jogando tudo por tudo com os diversos agentes para conseguir o desiderato.

As "estórias" que se contam podem ser realidade ou ficção, mas José Veiga tem o mérito de ter conseguido ser o verdadeiro e único adversário à altura de Pinto da Costa, após ter aprendido como se faz com o Presidente dos Dragões.

Veiga "roubou" 4 títulos ao Porto com 3 clubes diferentes! Mas por onde anda agora? No entanto quem continua na mó de cima, mesmo contra ventos e marés, é Pinto da Costa e, como quase sempre, sem adversário o que acentua, ainda mais, o mérito que tem nos êxitos do FCP.

O Benfica-Porto do próximo domingo vai definir muito do futuro do campeonato.

Se o Benfica pode viver sem Veiga, pode. Mas não é a mesma coisa.

Memorial Zandinga

Herta Berlin vrs. Sporting

Nacional vrs. Austria Viena

SLBenfica vrs. AEK

Perante as Adversidades há que reagir como um grande e não chorar como um pequeno!

segunda-feira, dezembro 14, 2009

Onzes para AEK e Porto

SLBenfica vrs. AEK

Júlio César

L.Filipe M.Vítor Sidnei Shaffer

F.Coentrão C.Martins F.Menezes Di Maria

Weldon Nuno Gomes

SLBenfica vrs. Porto

Quim

Maxi Luisão Sidnei David Luiz

Javi Garcia

F.Menezes Aimar César Peixoto

Saviola Cardozo

Estórias de um Talento e de um Mau Profissional...

Finalmente o Paços de Ferreira livrou-se do irascível Cristiano, que conseguiu enganar Fernando Santos e assinou pelo PAOK de Salónica. O brasileiro vai ganhar uma pipa de massa, como tanto desejava, mas não é só no clube que o esquerdino não deixa saudades.
O jogador, que esteve na iminência de ser agredido por adeptos pacenses, teve o desplante de meter gasolina numa bomba da Capital do Móvel e arrancar sem pagar. Mais: comprou um carro a prestações e pagou as primeiras... Resultado: anda meio mundo na Capital do Móvel atrás do brasileiro para saldar dívidas.
O jogador, nada preocupado, procura passar a imagem de um homem rico, com mulheres vistosas, algumas delas já ligadas a casas de alterne.
Feliz da vida deve estar a Direcção do Paços de Ferreira por se livrar de um mau profissional, que um dia foi descoberto num longínquo relvado de Manaus.
Na Grécia, meu caro Cristiano, os adeptos não são tão benevolentes.
Fica o aviso.

In Forcanascanetas.blogspot.com

Golos e Mais Golos - Os melhores da 2ª Semana de Dezembro

Espaço Prof. Karamba - Classificação Geral

1º Lugar: Jimmy Jump - 295 pontos

2º Lugar: Vermelho Sempre - 280 pontos

3º Lugar: J. Lobo - 270 pontos

4º Lugar: Vermelho - 255 pontos

5º Lugar: Kaiserlicheagle - 250 pontos

6º Lugar: Chico - 245 pontos

7º Lugar: JC e Gui - 235 pontos

8º Lugar: Samsalameh - 220 pontos

9º Lugar: Sócio - 200 pontos

10º Lugar: Fura-Redes - 195 pontos

11º Lugar: Vermelho Nunca - 160 pontos

12º Lugar: Cuto - 145 pontos

13º Lugar: Agarredinhos e Filipe - 70 pontos

14º Lugar: Lion Heart - 50 pontos

15º Lugar: Pachulico - 35 pontos

sábado, dezembro 12, 2009

Artigo de Opinião de Ricardo Araújo Pereira

Da precariedade de um 4-0

AS goleadas são como o Natal: goleada também é quando um homem quiser. O futebol acaba de ganhar um novo interesse.
Já podíamos discutir se certo jogador era melhor do que outro, ou se determinada equipa jogava um futebol mais bonito que as demais. Mas, quanto aos números, não costumava haver dúvidas.
Aquele aborrecimento de serem exactos prejudicava uma boa conversa. Quatro golos, não sei se se lembram, eram quatro golos. E um 4-0, antigamente, era uma goleada. Mas agora, se o treinador da Académica não quiser, não é. Esta é, creio, a grande diferença entre Mourinho e este novo Mourinho (se não me falham as contas, Vilas-Boas é o 17º novo Mourinho): Mourinho dificilmente leva goleadas; o novo Mourinho leva, mas não admite que foi goleado. É quase igual.
Na verdade, era previsível.
Quando o Benfica goleava, era evidente que não continuaria a golear.
Como continuou a golear, as goleadas deixaram de ser goleadas. O que interessa acima de tudo é que o Benfica não goleie, mesmo quando goleia. Com este resultado escasso, o Benfica acabou por ganhar por um tangencial 4-0.
Se o Cardozo não tivesse marcado o último golo, suponho que teríamos empatado por 3-0. Ainda tivemos sorte.
Foi pena, porque estava tudo a compor-se. Houve um ou dois jogos em que o Benfica não esmagou.
Era o momento pelo qual há tanto se esperava. A máquina de golos tinha emperrado. O ataque demolidor já não demolia. O rolo compressor estava avariado. E os benfiquistas tinham falado antes do tempo. Eu, confesso, fui um deles.
Disse: o Benfica dá muitas goleadas. E porquê? Só porque o Benfica dava muitas goleadas. Fanatismos, já se sabe. Quando um benfiquista constata que o Benfica goleia, fala antes do tempo. Quando os outros prevêem o fim das goleadas e elas continuam a ocorrer, são gente sensata. Aproveito esta oportunidade para admitir que falei antes do tempo. Antes do tempo em que os 4-0 deixaram de ser goleadas, claro.
NA semana em que o antigo treinador do Sporting foi castigado por críticas à arbitragem, o actual treinador do Sporting só teve motivos para a elogiar. A Liga sabe fazer pedagogia. Há mais irregularidades naquele segundo golo marcado ao Setúbal do que no resto da jornada toda. Por outro lado, se é verdade que a bola esteve fora do terreno, convém não esquecer o tipo de relvado em que os jogadores do Sporting estão acostumados a jogar. Temos de compreender que, para eles, jogar fora do campo seja mais atraente.
Não é batota, são saudades da relva.

quinta-feira, dezembro 10, 2009

Que vos sirva de Inspiração

Golos e Mais Golos - Os melhores da 1ª Semana de Dezembro

Artigo de Opinião de André Viana

A 13.ª jornada ainda nem começou e o clássico da ronda seguinte já domina todas as conversas. Por mais que treinadores e jogadores tentem chamar os adeptos à terra, é impossível contornar o assunto. Mérito de Benfica e FC Porto, que têm alimentado a perspetiva do duelo com mais qualidade dos últimos anos. É claro que Hermínio Loureiro não vai à Luz entregar a taça ao campeão no final do jogo, mas há muito que não tínhamos um confronto de forças tão potentes e que tanto têm contribuído para elevar a fasquia.

Os dragões subiram muitos pontos nas últimas semanas. Talvez lhes falte a exuberância deste Benfica, mas o equilíbrio, a experiência e a matreirice estão lá todos. É impressionante a forma como os portistas se reconstroem época após época e é precisamente esse ADN que mais ameaça uma águia pujante, mas que pede testes mais árduos para se solidificar. Para já, Jesus superou o fantasma da pré-temporada: este Benfica não é fogo de vista, mas Quique também andava pelo topo da tabela há precisamente um ano.

A diferença é que o nível subiu. E o esticão que os dragões estão a dar e o patamar que os encarnados têm conseguido manter vão acabar, creio, por asfixiar um Sp. Braga que já tem dado sinais de abrandamento. Tudo normal. O que se estranha é que o Sporting não entre nestas contas e pouco esteja a fazer para promover a colagem. O leão poupa no investimento sem retorno na saúde financeira. O leão tem um relvado do qual os próprios jogadores se queixam e adia uma decisão sobre o assunto. O leão tem de saber se quer apanhar a carruagem ou se fica para trás. À luz dos nomes que circulam, é a segunda via que prevalece. E isso é preocupante para o Sporting e para o futebol português.

Uma Enorme Surpresa, Uma Enorme Azia!

Um Enorme Golo, perdão Auto-Golo

Xixizinho para aliviar...

Espaço Prof. Karamba

FC Porto - V. Setúbal
Sporting - U. Leiria
Sp. Braga - Naval
Académica - Leixões
Marítimo - Rio Ave
P. Ferreira - Nacional
Belenenses - V. Guimarães
Olhanense - Benfica

quarta-feira, dezembro 09, 2009

Artigo de Opinião de Luís Avelãs

Tal como sucedeu na época passada, o FC Porto não teve uma entrada muito convincente na corrente temporada. E como é usual nestes casos, alguns sócios e adeptos - anónimos e não só - aproveitaram a ocasião para criticar. Questionaram a entrada de alguns elementos, a saída de outros, o modelo de jogo, as substituições operadas pelo treinador, etc, etc.

Agora, em escassos dias, os azuis e brancos resolveram mostrar que, afinal, não estão assim tão mal quanto determinados apaniguados queriam fazer crer. É verdade que no Campeonato Nacional os dragões seguem num inusitado terceiro posto mas, quem olhar para a tabela classificativa, rapidamente constata que a diferença para Sporting de Braga e Benfica é apenas residual, facilmente recuperável quando a prova ainda nem a meio chegou.

A forma esclarecedora como a equipa de Jesualdo Ferreira ganhou em Guimarães e Madrid, praticando bom futebol e revelando uma eficiência ofensiva notável, confirmou que o FC Porto subiu de forma precisamente na fase em que mais importava: quando se decidia o apuramento para os oitavos-de-final da "Champions" (a qualificação até acabou por ser selada com antecedência, beneficiando da paupérrima prestação do Atlético e da já esperada debilidade dos cipriotas do Apoel) e em vésperas da deslocação à Luz.

Sendo justo dizer que o Sporting de Braga tem mostrado qualidade suficiente para sonhar com o título, continuo a pensar que, no final, os minhotos não terão "embalagem" para alcançar algo que só duas vezes caiu para "estranhos": uma para o Belenenses e outra para o Boavista. Considero que Benfica e FC Porto são mesmo os reais candidatos a vencer o Campeonato. E por isso mesmo o clássico agendado para o próximo dia 20 na Luz será uma cartada importante para ambos os emblemas.

As águias, pese um ou outro percalço pelo caminho, têm estado fortes desde a pré-temporada. Ainda recentemente ganharam na Bielorrússia e pouco depois já estavam a "despachar" com 4 golos a Académica. Com Cardozo endiabrado na hora do remate e uma série de jogadores a confirmar o que Jesus tinha prometido - jogar, no mínimo, o dobro da época passada -, o Benfica versão 2009/10 parece não ser conjunto só de promessas.

No entanto, depois de perder em Braga e de não conseguir melhor que o nulo em Alvalade, o Benfica precisa de mostrar credenciais no duelo caseiro com o FC Porto. Se ganhar, a confiança da equipa (e dos adeptos) irá crescer de forma significativa, facto de poderá funcionar como um trunfo adicional. Contudo, se no seu reduto voltar a claudicar - como se verificou na Taça de Portugal perante o Vitória de Guimarães -, será o FC Porto a ficar na mó de cima.

É evidente que resta sempre o empate. Um desfecho mais simpático para os visitantes, mas que não terá grande impacto em nenhuma das equipas. Bom, bom, apenas para o Sporting de Braga que, cumprindo a sua parte, pode ser ajudado, indirectamente, pelos dois clubes a quem quer "passar a perna". Muito remotamente também poderá ser um resultado interessante para o Sporting. Os leões podem nunca reentrar na discussão do título, mas quanto mais próximos estiveram dos rivais maior ânimo ganham para as outras competições em que estão inseridos.

Por tudo isto, com as competições europeias "de férias" e com a Selecção já garantida na África do Sul, resta-nos esperar que o tempo voe até ao dia 20. Venha o clássico!

Agora só falta uma verdadeira aposta na formação...

Convocados para a selecção de sub-20 (7 jogadores do SLBenfica):

Beira-Mar: Leandro Pimenta;
Belenenses: André Almeida, André Pires e Fredy;
Benfica: Nelson Oliveira e Roderick Miranda;
Desp. Aves: João Silva;
Estrela da Amadora: Dani;
Fátima: David Simão e João Pereira;
Feirense: Ludovic;
Mafra: Abel Pereira e Ivanir Rodrigues;
Marítimo: Ruca;
Vizela: Pedro Velho;
Real SC: Amado, André Martins, Diogo Rosado, Pedro Mendes e Wilson;
Sp. Braga: Cristiano Figueiredo;
Sporting: Nuno Reis;
V. Setúbal: Rui Fonte;
V. Guimarães: Dinis.

Assim (também) se vê a força do SLB!

El pasado martes 1 de diciembre Google hizo públicos los términos más populares en su buscador durante el mes de noviembre en España y MARCA.com, gracias a los lectores, se situó en el quinto puesto general y el primero entre los medios de comunicación. Entonces, además de daros las gracias a todos por vuestro apoyo, se nos ocurrió que los términos más buscados en nuestro web también podrían ser interesantes ¿Qué buscaron los lectores de MARCA.com en noviembre? Hay más de una sorpresa.

Lejos de los contenidos puramente editoriales, son otros los que dominan la lista de 'los más buscados de MARCA.com'. La Liga Fantástica arrasa situando cuatro términos identificativos del juego entre los ocho primeros, muy por encima de los Marcatoons y laQuiniela, los dos espacios más solicitados tras nuestro mánager de fútbol.

Después de todos ellos, y sorprendentemente, aparece el equipo portugués del Benfica, que ha ganado notoriedad entre los internautas con los traspasos de Saviola y, sobre todo, de Javi García, que está causando sensación en el equipo de Lisboa. El equipo luso cuenta con más búsquedas en noviembre que los Ángeles Lakers y el Alcorcón, el resto de instituciones deportivas que aparecen en la lista. El conjunto del sur de Madrid se ha convertido en un referente en las búsquedas después de la victoria en la eliminatoria ante el Real Madrid en la Copa del Rey.

TOP 15 DE LOS TÉRMINOS MÁS BUSCADOS EN MARCA.com
1. Liga Fantástica: 21.289 búsquedas
2. MARCATOONS: 9.751 búsquedas
3. Quiniela: 7.852 búsquedas
4. LFM: 7.743 búsquedas
5. Liga Fantástica MARCA: 7.553 búsquedas
6. Benfica: 4.152 Búsquedas
7. Cristiano Ronaldo: 3.323 búsquedas
8. Liga MARCA: 3.035 búsquedas
9. Enke: 2.245 búsquedas
10. Pau Gasol: 1.926 búsquedas
11. Clasificación: 1.867 búsquedas
12. Los Ángeles Lakers: 1.787 búsquedas
13. Alcorcón: 1.719 búsquedas
14. Boxeo: 1.610 búsquedas
15. Ronaldo: 1.599 búsquedas

Memorial Zandinga - Classificação Geral

1º Lugar: Vermelho - 370 pontos

2º Lugar: Fura-Redes, JC e Samsalameh - 365 pontos

3º Lugar: Vermelho Sempre - 360 pontos

4º Lugar: Jimmy Jump e J. Lobo - 335 pontos

5º Lugar: Sócio e Gui - 325 pontos

6º Lugar: Kaiserlicheagle - 300 pontos

7º Lugar: Vermelho Nunca - 290 pontos

8º Lugar: Chico - 240 pontos

9º Lugar: Cuto - 155 pontos

10º Lugar: Lion Heart - 145 pontos

11º Lugar: Pachulico - 70 pontos

terça-feira, dezembro 08, 2009

Ao que dizem será jogador do SLBenfica na reabertura do mercado - Airton



Nome Airton Ribeiro Santos
Nacionalidade Brasil
Nascimento 1990-02-21 (19 anos)
Naturalidade Rio De Janeiro (RJ) - Brasil
Posição Médio
Altura 180 cm
Peso 77 kg

Artigo de Opinião de Fernando Guerra

VILLAS BOAS, que insondáveis propósitos transformaram em treinador maravilhoso, procura imitar o antigo chefe.
Se não na riqueza do trabalho, por total impossibilidade de avaliação em três-quatro jogos, único registo conhecido no seu currículo, pelo menos no folclore do discurso. Diz ele, sem ponta de despudor, que sofrer quatro golos à chuva, diante de um adversário em gestão de energias, que ora enfrentava a molha para mais um golito, ora se recolhia e arranjava coragem para outro, em consequência de tão desagradável noite, diz, recordo, que já viu equipas serem goleadas na Luz, mas a Académica, não. Pelo contrário, tratou-se, em seu entender, de uma derrota pedagógica, para através dela medir a qualidade da sua equipa.
Enfim, divagações de circunstância, não mais do que isso, de quem, sem nada ter provado ainda em matéria de treino e de resultados, um dia destes deparou-se-nos vestido de fada, com uma varinha mágica para acorrer a problemas ao domicílio. Sofrer quatro golos, ou perder por quatro, é vulgar num jogo de futebol? Pois é, basta olhar para os principais campeonatos europeus... Quatro golos marcaram o Dortmund, na Alemanha, o Santander, o Maiorca e o Real Madrid, em Espanha, e o Manchester United, em Inglaterra, e destes nem todos podem gabar-se de nenhum ter sofrido.
Mas Villas Boas é capaz de estar correcto, estivesse o piso em melhores condições e outro galo cantaria.
Foi ousado ao atacar o facto: não é só o relvado de Alvalade que está mau, o do Benfica, também. Presumo, por raciocínio primário, que bom esteja apenas o do FC Porto, onde conseguiu marcar por duas vezes...
A propósito, jura quem sabe, ou julga saber, que Villas Boas recusou o convite do Sporting por estar na lista do dragão, e em posição privilegiada para suceder a Jesualdo Ferreira, o treinador no mundo com mais pseudo-convencidos candidatos a ocuparem-lhe o lugar.
Tenho dúvidas acerca deste cenário, talvez até mais do que o próprio treinador maravilhoso da Académica, o qual, como medida cautelar, já começou a agradar ao eventual futuro patrão, criticando o mauzão do árbitro por ter beneficiado o Benfica ao não assinalar uma grande penalidade provocada por David Luiz. «Podia ser o 3-1», recorda. Pois podia, e depois?... As faltas são para ser marcadas, como é óbvio, mas será que admitiu a hipótese de virar o resultado? Claro que não, foi só para ter graça...
Deste Benfica-Académica extrai-se, no entanto, conclusão a suscitar inquietação e reflexão.
Tem a ver com a tendência cada vez mais forte de atribuir a David Luiz o papel de mau da fita na Liga. O brasileiro joga sempre nos limites, seja qual for o opositor, fruto da sua irreverência e da sua inexcedível vontade de ganhar. É um campeão que transborda talento.
Para ele, o máximo é o ponto de partida, não de chegada. Carrega os defeitos e os excessos de um jovem de 22 anos que trata o sucesso por tu. Precisa de ser aperfeiçoado, somente isso.
Vai no quarto cartão amarelo, e merecidos, por certo. O que se questiona são os critérios.
No ano passado, por exemplo, o central benfiquista, depois de prolongada ausência, em 19 jogos da Liga, viu os mesmos quatro amarelos, mas, comparativamente, Bruno Alves, em 30 jogos, com as características que se lhe conhecem, só por três vezes foi admoestado.
Coisas práticas, a quinze dias do Benfica-FC Porto sabe-se que David Luiz está em risco e Bruno Alves não.
O que significa que, na próxima jornada, em Olhão, aquele grupo que Jorge Costa acusou de alguma falta de qualidade, por acaso numa altura em que a maioria dos jogadores emprestados pelo dragão estava na Selecção, e que depois de ter feito a vida negra ao Sporting em Alvalade recebeu o FC Porto e... foi o que se viu, no campo e fora dele, com Pinto da Costa a falar do orgulho em estar «intrinsecamente ligado aos últimos êxitos do Olhanense», nada de bom se augura aos benfiquistas.
Aposto que tudo vai melhorar entre os algarvios, até a gripe.
Jesus que se acautele; a percentagem de David Luiz ver o quinto amarelo e ser excluído do jogo com o FC Porto é elevada.
Mesmo que sejam mil os avisos, do outro lado há sempre alguém com jeito em provocar... até à reacção fatal...

Os 10 melhores golos do ano, segundo a Fifa

Mais Uma...

O Benfica conquistou esta tarde, a Supertaça masculina, ao vencer a Ovarense, por 69-61, em jogo disputado no novo pavilhão de Olhos d'Água, em Albufeira.
Os encarnados, que ao intervalo já ganhavam por 46-38, voltam a ganhar um troféu que já não erguiam desde 1998/99.
O Benfica iguala também o adversário de hoje como clube com maior número de triunfos na competição: 8.
O norte-americano Will Frisby, com 21 pontos e 4 ressaltos e 8 em 9 em lançamentos de 2 pontos, foi o MVP da partida.

Mais Uma Anormalidade de Elmano Santos


Das duas uma:
Ou assinalava fora de jogo ou pontapé de baliza!

Espaço Prof. Karamba - Classificação Geral

1º Lugar: Vermelho Sempre e Jimmy Jump - 270 pontos

2º Lugar: J. Lobo - 240 pontos

3º Lugar: Kaiserlicheagle - 235 pontos

4º Lugar: Vermelho e JC - 225 pontos

5º Lugar: Chico - 220 pontos

6º Lugar: Gui - 215 ponts

7º Lugar: Samsalameh - 205 pontos

8º Lugar: Fura-Redes - 190 pontos

9º Lugar: Sócio - 175 pontos

10º Lugar: Vermelho Nunca - 155 pontos

11º Lugar: Cuto - 135 pontos

12º Lugar: Agarredinhos e Filipe - 70 pontos

13º Lugar: Lion Heart - 50 pontos

14º Lugar: Pachulico - 35 pontos

domingo, dezembro 06, 2009

Mais dois... São já 12!

Makukula voltou a bisar na vitória do Kayserispor por 3-0 frente ao Bursaspor.
São já 12 os golos por si apontados nos 12 jogos em que participou esta temporada.

SLBenfica - AAC 4-0

Podia falar do regresso do SLBenfica às goleadas e ao bom futebol, podia enfatizar o "hat-trick" de Cardozo, o enorme equívoco táctico de Villas Boas, que estruturou a sua equipa sob um bloco subido que ou foi fruto de uma qualquer incapacidade acidental ou diz da sua impreparação para assumir o comando técnico de uma equipa da primeira liga, mas não!
Só me apetece repetir ad nauseaum - Magistral!
Saviola assinou uma exibição, simplesmente, assombrosa!
A execução técnica no golo que apontou apenas está ao alcance dos predestinados!
Obrigado, Javier Pedro!




Memorial Zandinga

Juventus - FC Bayern München
Maccabi Haifa - FC Girondins de Bordeaux
Beşiktaş JK - PFC CSKA Moskva
VfL Wolfsburg - Manchester United FC
FC Zürich - AC Milan
Olympique de Marseille - Real Madrid CF
Chelsea FC - APOEL FC
Club Atlético de Madrid - FC Porto
Liverpool FC - ACF Fiorentina
Olympique Lyonnais - Debreceni VSC
FC Internazionale Milano - FC Rubin Kazan
FC Dynamo Kyiv - FC Barcelona
VfB Stuttgart - FC Unirea Urziceni
Sevilla FC - Rangers FC
Olympiacos FC - Arsenal FC
Standard de Liège - AZ Alkmaar

sábado, dezembro 05, 2009

Artigo de Opinião de Ricardo Araújo Pereira

NO sábado passado, o Sporting fez o sexto jogo consecutivo sem ganhar para o campeonato, empatou em casa com um concorrente directo, manteve os 13 pontos de desvantagem para o primeiro dos candidatos ao título e acabou a jornada em sexto, ex aequo com o sétimo, o Rio Ave.
Sob que ponto de vista é que o empate com o Benfica pode ser considerado um bom resultado? Só um: se a equipa da casa não for candidata ao título.
Para quem luta pela manutenção ou pela Europa, um pontinho em casa contra o Benfica é excelente.
O leitor, sempre maldoso, poderá observar: como podem os adeptos do Sporting, que ainda há pouco assinalavam, com superioridade gozona, que os benfiquistas andavam eufóricos por causa de meia dúzia de goleadas, ficar agora ainda mais eufóricos com um empate? Bom, cada um esbanja euforia no que pode.
E gostos não se discutem: quem gosta de goleadas, vibra com goleadas; quem gosta de empates, deleita-se com empates. Como sabemos todos, desde os encontros do ano passado com Barcelona e Bayern de Munique os sportinguistas ficaram com a capacidade de apreciar goleadas ligeiramente abalada.
Mas os empates mantiveram, para eles, o encanto que indiscutivelmente têm.
Ainda no início desta época os vimos celebrar um empate contra o Twente.
É importante não esquecer que a última grande vitória histórica do Sporting foi uma derrota em casa do AZ Alkmaar.
Recordemos, por fim, que estamos a falar de um clube que chama herói ao lateral direito do Olhanense.
À luz destes factos, creio que a alegria sportinguista é mais fácil de compreender.
Trata-se de uma alegria que é, aliás, tocante. Quem dera ao resto dos portugueses a inclinação que os sportinguistas têm para a felicidade.
Eles, tal como o país, também estão em crise.
Também não têm dinheiro. Têm um treinador que é mais um dos milhares de portugueses que enfrentam o flagelo do trabalho precário e dos contratos a termo certo, e sabe que, dentro de seis meses, estará no desemprego.
No meio de tudo isto, no entanto, riem-se. Só eles sabem de quê.
Estou, claro, a exagerar.
Há motivos de esperança.
Desde o dia 21 de Setembro que o Sporting evidencia dificuldades para ganhar a equipas compostas por futebolistas.
Mas, contra pescadores, normalmente não dão hipóteses.
No campeonato da Docapesca, o Sporting seria um dos mais sérios candidatos ao título.
E, no meio da tormenta, os jogadores mantêm o espírito de equipa: ainda esta semana Liedson disse que tinha dificuldades em jogar neste modelo e estava disposto a sair do onze para dar lugar a colegas que façam melhor do que ele.
Estava a referir-se a Saleiro, Caicedo e Postiga.
Além de ser uma magnífica piada, é dos mais belos actos de companheirismo que já vi. Mostra aos outros avançados que confia neles, e revela a todos os cépticos que Carvalhal é um treinador que consegue, num mês, o que Paulo Bento levou anos a fazer: incompatibilizar os jogadores com a sua táctica.

quinta-feira, dezembro 03, 2009

Artigo de Opinião de Leonor Pinhão

Sporting, 11 pontos
Javi García, 12 pontos


O empate cedido pelo Benfica em Alvalade atenuou a onda depressiva do Sporting mas incendiou Braga de optimismo e de espírito guerreiro.
O Sporting de Braga, líder isolado, fugiu do Benfica depois de ganhar à União de Leiria e, trabalhando para si e para terceiros, declarou uma vez mais guerra aos da Luz exigindo agora que o Conselho de Justiça da FPF faça aquilo que a Comissão de Disciplina da Liga não fez.
Ou seja: «sumaríssimos» a Saviola e a Javi García que punam exemplarmente o argentino e o espanhol do Benfica, de preferência com a irradiação, por terem praticado jogo violento, respectivamente, sobre Meyong e Paulo César no encontro em que os dois emblemas se encontraram e se desencontraram, ao intervalo, com tanto aparato.
Curiosamente, Saviola e Javi García foram as duas maiores vítimas benfiquistas no jogo de sábado passado, em Alvalade.
Saviola sofre, por trás, uma carga de Adrien capaz de cortar uma árvore pela raiz. E Javi García levou uma cabeçada do chileno Matías que o fez jogar de cabeça ligada e, mesmo assim, sangrar o jogo todo, o que nunca o impediu de disputar cada lance como se estivesse com a cabeça novinha em folha.
Num dos últimos lances da partida, havendo lugar à marcação de um pontapé de canto contra o Sporting, lá avançou Javi García todo entrapado até à área adversária e entre a afición benfiquista não houve quem não se lembrasse do golo do espanhol contra a Naval 1.º de Maio, já em tempo de descontos.
Do mesmo se deve ter lembrado Pedro Proença.
Mas um árbitro é, em primeiro lugar, um ser humano e em segundo lugar deve ser um humanista.
Por isso mesmo, Proença não deixou que Javi Garcia se fizesse ao cabeceamento que, por certo seria vitorioso, e mandou-o para a linha lateral receber assistência. E foi assim que o jogo acabou empatada, pudera.
O Benfica saiu de Alvalade como entrou, com mais 11 pontos do que o seu velho rival. Javi García foi o grande vencedor da noite. Saiu com mais 12 pontos do que como entrou.
Assim, não vale. Percebe-se que o Sporting de Braga o queira suspender imediatamente.
A troca de insultos pode ser uma arte.
O que é preciso é haver artistas. No futebol português não há artistas, lamentavelmente.
Um insulto é um insulto, banal, directo, sempre vulgar e sempre sem graça nenhuma.
Este ano, Manuel Machado, treinador do Nacional da Madeira, já chamou «cretino» a Jorge Jesus, treinador do Benfica, José Eduardo Bettencourt, presidente do Sporting, já chamou «anormais», «energúmenos» e outras coisas menos publicáveis, aos adeptos do Sporting com quem se incompatibilizou no pico da crise Paulo Bento, Pinto da Costa, presidente do FC Porto, chamou «paranóicos» aos jornalistas que noticiaram a sua intervenção no caso Villas Boas e Eduardo, guarda-redes do Sporting de Braga e da Selecção Nacional, chamou «abutres» aos seus críticos no momento de festa em que a Selecção Nacional se qualificou para o Mundial da África do Sul.
Convenhamos que são insultos básicos, pouco artísticos por falta de artistas, naturalmente. E o futebol também tem o seus artistas.
Eric Daniel Pierre Cantona, por exemplo, foi e é um deles.
Não que tivesse alguma coisa de artístico aquele voo de pé em riste para a bancada na já distante tarde inglesa em que, ouvindo um insulto de um espectador, se resolveu a, ali mesmo, por fim à questão.
Sem procurar atenuantes para o momento de kung-fu que o tornou tristemente célebre, é de crer que foi a baixa qualidade do insulto que fez Cantona comportar-se à altura da vulgaridade do que ouviu. E por isso até voou.
Sim, porque Cantona, o futebolista do século para os adeptos do Manchester United, foi um artista a jogar à bola e é um artista do insulto que desdenha banalidades primárias quando se trata de destratar alguém.
E, neste campo, continua em forma.
Cantona, que actualmente desempenha o cargo de seleccionador francês de futebol de praia, é um dos milhões de franceses que embirram profundamente com Raymond Domenech, o seleccionador francês de futebol a sério.
Mas enquanto uns chamam nomes feios a Domenech e outros duvidam em público da sua competência em termos corriqueiros — «É inexistente e nunca ganhou nada», disse recentemente o ex-internacional Bixente Lizarazu —, Eric Cantona escolheu um arremedo histórico e humorístico para expressar a falta de consideração pelo seleccionador seu compatriota que, muito a custo, lá conseguiu levar a França à África do Sul:
— Raymond Domenech é a maior nulidade do futebol francês desde Luís XVI! — proferiu King Eric, como ainda hoje é chamado em Manchester.
É que, não duvidem, de futebol e de reis percebe ele.
Hermínio Loureiro sucedeu a Valentim Loureiro na presidência da Liga de Clubes, o que não deve ter sido fácil.
Anunciou recentemente que abandonará a Liga de Clubes no final do seu mandato. Não tenciona recandidatar-se e tornou-o público.
Hermínio Loureiro foi um presidente bem menos presente e exuberante do que o seu antecessor, o que deve ter sido fácil.
E, tal como o seu antecessor, em tempo de mandato, deixou-se seduzir pelo poder autárquico, candidatou-se a uma câmara, venceu as eleições e desde Outubro que acumula a função de presidente da Liga com a função de presidente da câmara de Oliveira de Azeméis.
O mandato de Hermínio Loureiro a frente da Liga será julgado pelas pessoas do futebol e o seu mandato como presidente da câmara será julgado pelos cidadãos de Oliveira de Azeméis. Até aqui nada de novo.
A novidade — e boa — é a de vermos um autarca que se desliga das futebolices quando chega ao poder. Não só é boa a novidade como é uma raridade que tem mérito.
Em Olhão, o Vitória de Guimarães ganhou à equipa de Jorge Costa e provou que, enfim, não é nenhum Alcorcón.
Ainda dói um bocadinho aos benfiquistas a eliminação da Taça de Portugal mas o nosso rasteiro consolo é saber que o pessoal do Real Madrid também foi chutado fora da Copa e por um adversário sem nome nem pergaminhos.
Por isso mesmo gostámos tanto de ver o Vitória de Guimarães a impor-se no Algarve contra as nossas simpatias regionalistas e respectivas teses sobre a importância de haver mais clubes do Sul a disputar a primeira Liga.
O próximo adversário do Vitória de Guimarães é o FC Porto, uma equipa mais a Sul do que o Guimarães, o que nesta altura do campeonato não interessa nada.

Artigo de Opinião de Luís Avelãs

Com uma vitória na longínqua e gélida Bielorrússia, o Benfica assegurou, a tempo e horas, a qualificação para os 16 avos-de-final da Liga Europa. Tão ou mais importante, as águias aproveitaram o duelo europeu para recuperar o ânimo que, nos últimos tempos, tinha diminuído com o súbito aparecimento de uma até então improvável - face às goleadas no arranque da época - sequência de resultados (e prestações) menos felizes.

Depois de uma primeira parte que pouco ou nada diferiu das exibições anteriores, os pupilos de Jorge Jesus lá resolveram jogar mais a sério e mesmo sem o brilhantismo de outras jornadas fizeram o suficiente para merecer o triunfo. Dessa forma, e mesmo antes da recepção final ao AEK, a qualificação (e o primeiro lugar da série) está confirmada. E sendo cabeça-de-série no próximo sorteio, o Benfica pode, pelo menos teoricamente, emparelhar com um opositor mais acessível.

Mas, enquanto não sabem com quem discutirão a passagem aos "oitavos", os encarnados vão ter um "jogo-treino" a fechar as contas do Grupo I. A escassos dias do duro embate com o FC Porto, Jesus pode (e vai) aproveitar a partida com os gregos para "rodar" os habituais suplentes, deixando a descansar as pedras essenciais. Uma oportunidade soberana, talvez, para Shaffer (misteriosamente "desaparecido" quando a equipa vai inventando soluções para o posto de lateral esquerdo) ou Nuno Gomes convencerem o treinador a conferir-lhes um papel mais activo no conjunto.

A vitória diante do simpático Borisov permitiu também ver a equipa encarnada voltar a festejar golos. Sim, no plural. É que a "máquina ofensiva" que encantara a Europa nas primeiras semanas da temporada parecia estar "encravada", conforme se comprova pelo facto de, até Minsk, as águias somente terem somado um tento nos três últimos compromissos. Por causa disso, a vitória com a Naval foi arrancada a ferros, a Taça de Portugal passou de objectivo a competição perdida e o dérbi com o Sporting deixou outro Sporting, o de Braga, isolado no comando da Liga.

Memorial Zandinga - Classificação Geral

1º Lugar: JC e Vermelho - 330 pontos

2º Lugar: Sócio e Fura-Redes - 325 pontos

3º Lugar: Samsalameh - 320 pontos

4º Lugar: Jimmy Jump - 305 pontos

5º Lugar: Vermelho Sempre e Kaiserlicheagle - 300 pontos

6º Lugar: J. Lobo - 285 pontos

7º Lugar: Gui - 275 pontos

8º Lugar: Vermelho Nunca - 260 pontos

9º Lugar: Chico - 200 pontos

10º Lugar: Cuto - 155 pontos

11º Lugar: Lion Heart - 145 pontos

12º Lugar: Pachulico - 70 pontos

Espaço Prof. Karamba

Benfica - Académica
Leixões - Sp. Braga
V. Guimarães - FC Porto
Marítimo - Olhanense
Rio Ave - Belenenses
Naval - P. Ferreira
V. Setúbal - Sporting
U. Leiria - Nacional

quarta-feira, dezembro 02, 2009

Bate Borisov - SLBenfica 1-2 Qualificação Assegurada!





Tal como em Liverpool, 1ª parte de controlo, 2ª de resolução.

Perfeita leitura das exigências colocadas pela partida

Coesão defensiva como base para um progressivo espraiar no terreno

Com excepção de alguns pequenos sustos resultantes da execução de bolas paradas, esterilização dos movimentos atacantes do Bate Borisov

Preenchimento dos espaços, sentido posicional e agressividade como forma de conservar perene a organização defensiva

Intensidade, velocidade, dinâmica, mobilidade, fluidez e clarividência das transições ofensivas na segunda parte

Absoluto domínio do adversário no segundo tempo

Segurança imaculada do quarteto defensivo, rigor e certeza de Javi Garcia e Ramires, inconformismo e imaginação de Felipe Menezes e Fábio Coentrão e a classe de Saviola.

terça-feira, dezembro 01, 2009

Pior é Impossível

Simplesmente, Fantástico!

Memorial Zandinga

Bate Borisov - SLBenfica
Sporting - Heerenveen
Werder Bremen - Nacional

Artigo de Opinião de Sérgio Krithinas

Jorge Jesus chegou ao Benfica com as ideias claras em relação à forma como queria que a equipa jogasse. Dois avançados, um princípio de que nunca abdicou, e Aimar a alimentá-los, apoiado por uma espécie de losango de alas bastante esticadas. O esquema tem dado frutos - e muitos -, mas tem havido um claro abrandamento nos últimos tempos. E até já houve quem o anulasse, conseguindo-o tirando oxigénio ao cérebro Aimar. Foram os casos de Guimarães, Braga e Sporting.

Estes factos deviam fazer Jorge Jesus estudar um plano B para a sua equipa. Uma alternativa que não deixe o Benfica tão dependente do que sai dos pés e cabeça de Aimar, um jogador cuja utilização tem de ser doseada com cuidado devido aos problemas físicos de um passado bem recente.

O 4x3x3, ou mesmo o 4x2x3x1, com Ramires ao lado de Javi García e Saviola encostado ao flanco direito, podia ser uma boa solução. Mas nesta fase, com tanta coisa em jogo, não há tempo para pensar em testes.

Espaço Prof. Karamba - Classificação Geral

1º Lugar: Vermelho Sempre - 240 pontos

2º Lugar: Kaiserlicheagle - 235 pontos

3º Lugar: Jimmy Jump - 225 pontos

4º Lugar: J. Lobo - 215 pontos

5º Lugar: Vermelho - 200 pontos

6º Lugar: Samsalameh - 190 pontos

7º Lugar: Chico - 195 pontos

8º Lugar: JC e Gui - 180 pontos

9º Lugar: Sócio e Fura-Redes - 175 pontos

10º Lugar: Vermelho Nunca - 130 pontos

11º Lugar: Cuto - 105 pontos

12º Lugar: Agarredinhos e Filipe - 70 pontos

13º Lugar: Lion Heart - 50 pontos

14º Lugar: Pachulico - 35 pontos

domingo, novembro 29, 2009

Mais um Rombo na Credibilidade dos Agentes Desportivos em Portugal - As Imagens que Evidenciam a Mentira de Jorge Sousa!



Depois disto, apenas resta à CD da Liga punir severamente Jorge Sousa!
Bem sei que a irradiação não consta mais no elenco punitivo, mas exige-se qualquer coisa entre a despromoção de categoria e a perda da condição de internacional!
Espero para ver a reacção daqueles que imolaram e imolam Calabote!

Sporting-SLBenfica 0-0 Faltou o último passe...

Fomos melhores!
Fomos mais equipa!
Mas, falhámos quase sempre no último e decisivo passe.

sexta-feira, novembro 27, 2009

Conferências de Imprensa de Antevisão

Jorge Jesus

"Para o Sporting é um jogo decisivo, para o Benfica não. O Sporting está a 11 pontos e caso não ganhe fica completamente arredado do título. Estamos à frente do campeonato. No 1.º terço da prova ganhámos 11 ao Sporting e cinco ao FC Porto. Isso dá-nos cada vez mais confiança e deixa-nos mais convictos das nossas possibilidades. A equipa está muito bem."

Carvalhal

"Queremos a nossa equipa focalizada não na classificação, mas fundamentalmente naquilo que nos pode fazer reduzir o atraso que são as vitórias. Estamos muito focalizados nos jogos, principalmente no próximo. O Benfica é uma equipa difícil de contrariar, mas contamos com o apoio dos adeptos e esperamos fazer uma noite boa, uma noite à Sporting."

Convocados

Guarda-redes: Quim e Júlio César;

Defesas: Maxi Pereira, Sidnei, David Luiz, Miguel Vítor e César Peixoto;

Médios: Javi Garcia, Ramires, Ruben Amorim, Pablo Aimar, Fábio Coentrão, Di María e Felipe Menezes;

Avançados: Saviola, Cardozo, Nuno Gomes, Weldon e Keirrison.

quarta-feira, novembro 25, 2009

Video de Opinião de Pedro Ribeiro

Artigo de Opinião de Fernando Guerra

Aviso à navegação

Escreveu ontem Santos Neves, no seu Editorial, que há já quem tenha percebido como se trava a avalancha ofensiva do Benfica.
Afinal, o Vitória de Guimarães apenas confirmou o que ficara em suspenso há uma semana, no jogo com a Naval.
Para mim, a verdade é incontornável: os adversários, com treinadores minimamente hábeis para o desempenho da função e com dose suficiente de argúcia, tiveram tempo de sobra para esmiuçar, como é moda dizer-se, as concepções tácticas de Jesus na primeira dezena de jornadas, o que significa um acréscimo de dificuldades para quem se sente obrigado a ganhar e, ao invés, um maior conforto para quem, sem essa exigência a pesar-lhe, se limita a investir no desgaste do opositor e... sonhar com um golpe de sorte.
Foi isso o que Paulo Sérgio fez.
Estudou as movimentações das peças mais influentes da estrutura benfiquista e, aproveitando com subtileza a qualidade humana disponível, tratou de colocar os jogadores certos nos lugares devidos, todos com a lição estudada.
Revelou perspicácia ao curto-circuitar as principais linhas de comunicação adversária e firmeza, embora com elevada dose de felicidade à mistura, no esquema como conseguiu sobreviver ao massacre vermelho.
HÁ um ano, mais ou menos por esta altura, o Benfica sofreu humilhante derrota na Grécia, com Olympiakos (1-5), e em vez de se promover reflexão ampla e despretensiosa para descortinar as causas de inqualificável desempenho e medir as suas consequências no futuro imediato, optou-se pela decisão mais cómoda, que foi a de passar uma esponja sobre o assunto, colando-lhe imprudentemente, como a realidade veio a demonstrar, o rótulo de ocasional.
Então, a 27 de Novembro de 2008, com nove jornadas cumpridas, o Benfica estava no segundo lugar, com 21 pontos, menos um que o líder, Leixões, e mais quatro que o FC Porto. Repare o leitor nas semelhanças...
Perder com o V. Guimarães correspondeu ao afastamento da Taça de Portugal, troféu que o Benfica não ergue desde 2004.
Vai ter de esperar, portanto, mas por aquilo que foi sendo dito, antes e depois, não me parece que se tratasse de uma prioridade.
Senão ter-se-ia assumido claramente a candidatura, sem meias palavras, e evitava-se aquele discurso envergonhado, de concorrente do meio da tabela, em que o objectivo supremo se esgota na aquisição do bilhete para a festa no mítico palco do Jamor. O Benfica, pela sua grandeza, pelo seu prestígio internacional, pela sua história, não pode ficar contente por desembarcar no apeadeiro. Deve ir até ao fim da linha. Ao título!
Foi no jogo de Braga que tudo começou.
A primeira derrota na Liga e a prova do que seria possível, nas circunstâncias actuais, interferir no sistema de jogo normalmente utilizado por Jorge Jesus, um treinador merecedor da confiança da nação benfiquista mas, como todos os treinadores que se prezam, prisioneiro dos seus caprichos, ideia de que gosto e que roubei a Medeiros Ferreira, quando ele se esforçava por descodificar as invenções de Quique Flores. Caprichos esses que nem sempre resultam e costumam sair caro aos clubes, nos percursos desportivos ou nos investimentos financeiros.
Foi Domingos Paciência o primeiro a fazer riscos nos desenhos tácticos de Jorge Jesus. Augusto Inácio imitou-o. Paulo Sérgio fez o mesmo e voltou a experimentar a eficácia da medida. Resultado? Duas derrotas e uma eliminação no espaço de três semanas. Acontece, mas a prudência reclama muita humildade na descoberta do que não está bem e igual disponibilidade na invenção de outras soluções. E de outras mais se necessário for. É este o fascínio do diálogo competitivo entre dois treinadores: um quer vencer, o outro não quer perder.
Aqui fica, pois, este singelo aviso à navegação, apenas isso: que não se repita o erro de há um ano e que de cada tropeção saiba Jesus extrair ensinamentos que permitam à equipa erguer-se e prosseguir na sua caminhada, mais forte e mais determinada.

Espaço Prof. Karamba

FC Porto - Rio Ave
Sporting - Benfica
Nacional - Naval
Sp. Braga - U. Leiria
Académica - V. Setúbal
P. Ferreira - Leixões
Belenenses - Marítimo
Olhanense - V. Guimarães

Memorial Zandinga - Classificação Geral

1º Lugar: JC e Sócio - 325 pontos

2º Lugar: Vermelho e Samsalameh - 320 pontos

3º Lugar: Fura-Redes - 315 pontos

4º Lugar: Vermelho Sempre - 300 pontos

5º Lugar: Jimmy Jump - 295 pontos

6º Lugar: J. Lobo - 280 pontos

7º Lugar: Gui e Kaiserlicheagle - 275 pontos

8º Lugar: Vermelho Nunca - 255 pontos

9º Lugar: Chico - 190 pontos

10º Lugar: Lion Heart - 145 pontos

11º Lugar: Cuto - 135 pontos

12º Lugar: Pachulico - 70 pontos

From Spain with Love...

terça-feira, novembro 24, 2009

Provavelmente, a melhor defesa da presente edição da Champions

Não podia estar mais de acordo

"Há jogadores com capacidade para fazer parte do plantel principal", afirma Diamantino Miranda.

Nelson Oliveira, Roderick Miranda, Ruben Pinto e Lassana Camará são os juniores que, neste momento, mais perto estão de integrar num futuro próximo o plantel principal do SLBenfica.
Ruben Lima, Miguel Rosa, Yartey e David Simão são os ex-juniores que já na próxima temporada poderão integrar o plantel principal do SLBenfica.

segunda-feira, novembro 23, 2009

Afagos...

Janeiro - É Urgente, É Necessário!

Do jogo de ontem uma realidade emergiu incontornável:
Hoje por hoje, Cardozo não tem substituto!
É urgente, é necessário colmatar esta lacuna.
Mais do que adquirir parece-me ser de equacionar o aproveitamento dos recursos existentes - Makukula, seria a minha solução!

Problemas de Expressão ou de Identidade?!


in site oficial do SCP

Efeitos da Eliminação do SLBenfica

Memorial Zandinga

Rubin - Dynamo

Arsenal - Standard

AZ - Olympiacos

Barcelona - Internazionale

Debrecen - Liverpool

Fiorentina - Lyon

Rangers - Stuttgart

Unirea Urziceni - Sevilla

CSKA Moskva - Wolfsburg

APOEL - Atlético

Bayern - Maccabi Haifa

Bordeaux - Juventus

Man. United - Beşiktaş

Milan - Marseille

Porto - Chelsea

Real Madrid - Zürich

Mais Dois...



E são já 10!
Makulula é o melhor marcador da competição (10 golos em 11 jogos com 949 minutos jogados) e bisou nas duas últimas jornadas.
Neste domingo marcou os dois únicos golos do encontro frente ao Diyarbakirspor, aos minutos 48 e 73.

domingo, novembro 22, 2009

SLBenfica - V.Guimarães 0-1 Da letargia inicial passando pelo desperdício fatal até à Eliminação final

C´ um Caneco (outro passatempo) - Classificação Geral

1º Lugar: Chico - 115 pontos

2º Lugar: Jimmy Jump, Kaiserlicheagle e JC - 110 pontos

3º Lugar: Vermelho Sempre, Vermelho, Fura-Redes e Vermelho Nunca - 105 pontos

4º Lugar: Samsalameh - 100 pontos

5º Lugar: Sócio e Gui - 95 pontos

6º Lugar: J.Lobo - 90 pontos

7º Lugar: Lion Heart - 85 pontos

8º Lugar: Cuto - 75 pontos

9º Lugar: Pachulico - 70 pontos

sábado, novembro 21, 2009

Artigo de Opinião de Ricardo Araújo Pereira

A Selecção de quem Carlos Queiroz quiser

DE que falamos quando falamos da Selecção Nacional? Curiosamente, falamos de Scolari. Os apreciadores de Scolari gostam de recordá-lo e os seus críticos não conseguem esquecê-lo. Pessoalmente, tenho acerca de Scolari uma opinião muito particular que é não ter opinião nenhuma. Nunca soube nem me interessei por saber se era bom ou mau treinador. Não dou assim tanta atenção à Selecção Nacional. De Scolari, sei apenas o que os números fazem a gentileza de indicar: que é o treinador mais bem sucedido de sempre da selecção portuguesa. Além de ter sido campeão nacional e sul-americano de clubes e campeão mundial de selecções. De Carlos Queiroz, sei que, como treinador principal de seniores, nunca foi campeão de coisa nenhuma. E, na minha opinião, nota-se. No entanto, os apoiantes de Queiroz falam como se ele tivesse o currículo de Scolari e Scolari tivesse os resultados de Queiroz. O próprio Queiroz fala como se, tendo conquistado o direito a ir ao Campeonato do Mundo, tivesse conquistado o Campeonato do Mundo. Apesar de tudo, há diferenças. Em princípio, a final do Campeonato do Mundo não será contra a Bósnia. Isso não impede Queiroz de se comportar como dono da Selecção. Esta já não é a Selecção de todos nós, é a Selecção de quem Carlos Queiroz quiser. A ida ao Campeonato do Mundo é para celebrar apenas com aqueles que sempre acreditaram. Os hereges que tiveram a desfaçatez de não acreditar que uma Selecção incapaz de ganhar a dez albaneses conseguiria ir ao Mundial, estão excluídos dos festejos. É bem feita. Quem ousa criticar a Selecção por bagatelas como um empate em casa contra uma Albânia desfalcada tem o que merece.

Os apoiantes de Queiroz, os únicos devidamente autorizados a festejar o apuramento da Selecção, estão, infelizmente, incapacitados de celebrar. A Selecção joga mal, pelo menos tão mal como eles diziam que jogava a de Scolari. A Selecção tem sorte, pelo menos tanta sorte como eles diziam que a de Scolari tinha. A vitória da Dinamarca sobre a Suécia e as três bolas no ferro contra a Bósnia parecem obra da Senhora do Caravaggio. A única diferença em relação à Selecção de Scolari é que, antigamente, conseguíamos a qualificação directa, e agora temos de ir ao play-off. Mas isso não chega para fazer com que os apoiantes de Queiroz deixem de sentir que estão, de facto, a festejar uma vitória à Scolari. Um deles disse que esta Selecção é tão mais fraca do que a de Scolari, que o apuramento foi um milagre. Juro: um milagre. Que conjugação de astros foi necessária então para que a Dinamarca, que não tem o melhor do mundo, nem jogadores do Real Madrid, Chelsea e Manchester United, se tivesse qualificado à nossa frente? Como se chama um milagre que é maior do que os milagres?

sexta-feira, novembro 20, 2009

África do Sul

Agenda Benfiquista para o Fim de Semana

20/11 Sex 10:30 Futebol Treino Porta fechada Caixa F. Campus -
20/11 Sex 12:30 Futebol Entrevista Exclusiva com Fábio Coentrão Antevisão do jogo com V. Guimarães Estádio da Luz Benfica TV
20/11 Sex 16:00 Futsal Marlène - Ekaterinburg UEFA Cup (Ronda de Elite 2ªJ) Pavilhão nº 2 BenficaTV
20/11 Sex 20:30 Futsal Benfica - Potpican UEFA Cup (Ronda de Elite 2ªJ) Pavilhão nº 2 BenficaTV
21/11 Sab - Clube Inauguração da Casa do Benfica - Albergaria-a-Velha -
21/11 Sab 11:00 Futebol Formação Benfica - Sporting Camp. Nac. Iniciados Caixa F. Campus BenficaTV
21/11 Sab 15:00 Ténis de Mesa Academia 3 de Junho – Benfica B Campeonato Nacional Casal Cambra -
21/11 Sab 15:00 Ténis de Mesa Benfica - Machico Campeonato Nacional Estádio da Luz -
21/11 Sab 16:00 Basquetebol Benfica - CAB Madeira Liga LPB Pavilhão Império Bonança BenficaTV
21/11 Sab 18:30 Andebol Benfica - SKIF Krasnodar Taça EHF (3ª eliminatória - 2ª mão) Pavilhão Luz BenficaTV
21/11 Sab 20:00 Hóquei em Patins Benfica - Grimsby Taça CERS Pavilhão Império Bonança BenficaTV
21/11 Sab 21:30 Voleibol Benfica - Caldas - Pavilhão Nº2 -
22/11 Dom 09:00 Hóquei em Patins Benfica - Sporting Camp. Distrital Juvenis Pavilhão Império Bonança -
22/11 Dom 10:00 Futsal Benfica - Maristas Juvenis Pavilhão Luz BenficaTV
22/11 Dom 11:00 Futebol Formação Sporting - Benfica Camp. Nac. Juvenis (11ªJ) Academia Alcochete -
22/11 Dom 11:30 Futsal Benfica - Falagueira Juniores Pavilhão Luz BenficaTV
22/11 Dom 14:30 Futsal Potpican - Marlène UEFA Cup (Ronda de Elite 3ªJ) Pavilhão nº 2 BenficaTV
22/11 Dom 17:00 Futsal Benfica - Ekaterinburg UEFA Cup (Ronda de Elite 3ªJ) Pavilhão nº 2 BenficaTV
22/11 Dom 19:00 Futsal Nova Morada - Benfica Seniores Femininos Nova Morada -
22/11 Dom 19:45 Futebol Benfica - V. Guimarães Taça de Portugal (4ª elim.) Estádio da Luz TVI
22/11 Dom 20:00 Andebol V. Setúbal - Benfica Taça de Portugal (3ª Elim.) Setúbal -
24/11 Ter 12:00 Futebol Sorteio da 3.ª fase Taça da Liga Sede da Liga, Porto -
25/11 Qua 21:00 Futsal Vila Verde - Benfica 1ª Divisão (10ª jornada) Vila Verde, Sintra -
25/11 Qua 21:00 Hóquei em Patins Sporting - Benfica Camp. Distrital Juniores Casa do Gaiato -

quinta-feira, novembro 19, 2009

Artigo de Opinião de Leonor Pinhão

Pernoitar não é dormir

Sábado, 14 de Novembro
Excelente a escolha do Estádio da Luz para o Portugal-Bósnia. A nossa Federação pensa em tudo e pensa bem. A relva é apenas relva e o betão das estruturas é o mesmo betão corrente de outras estruturas. Ah, mas os postes e as traves do Estádio da Luz estão, ao que parece, mais do que abençoados!

1-0. Perfeito. Foi melhor o resultado do que a exibição. Não ter sofrido golos pode ter sido importante. Estiveram absolutamente impecáveis os postes e as traves quer na primeira quer na segunda parte. Na quarta-feira vai ser um duelo e peras. Ainda não podemos levar até à Bósnia o Cristiano Ronaldo na comitiva mas talvez não fosse má ideia levar o madeirame do estádio do Benfica. Abençoado!

Domingo, 15 de Novembro
Domingo sem futebol é um sossego para todos. Para todos? Não. Hoje, apesar de não ter jogo, o treinador do FC Porto esteve longe, com certeza, de desfrutar uma manhã sossegada. Isto se alguém lhe mostrou a primeira página do Correio da Manhã. É mais do que compreensível. Como terá reagido Jesualdo Ferreira à notícia de que as negociações entre André Villas Boas e o Sporting foram interrompidas após uma intervenção do FC Porto, supostamente interessado em assegurar os serviços do jovem técnico para a próxima temporada «ou já em Janeiro se as más exibições dos dragões continuarem»?

Um domingo sem futebol, afinal, também pode ser um desassossego.

Pelo meio da tarde a notícia sobre a intervenção do FC Porto, no caso Villas Boas, mereceu uma intervenção do presidente do FC Porto que aproveitou a presença de jornalistas na II Gala Anual dos Dragões de Leiria para pôr tudo em pratos limpos. Presume-se que a ideia de Pinto da Costa era muito acertada no sentido de devolver a Jesualdo Ferreira o sossego merecido com a paragem do campeonato e de garantir aos jogadores a plena confiança nas suas capacidades de recuperação do pequeno número de pontos já perdidos.

Mas, para dizer o que disse, não valeria mais ao presidente do FC Porto não ter dito nada? Por força de circunstâncias passadas e amplamente glosadas, em verso e em prosa, nos mais díspares elogios a Pinto da Costa e à sua grande escola de dirigismo desportivo, acabou por se tornar contraproducente a ironia do costume com que o presidente tentou travar os efeitos da notícia.

«Então o FC Porto desvia um indivíduo que está em Coimbra e vai para Lisboa?» — foi o que disse o presidente do FC Porto aos jornalistas.

Ora aqui está o problema. E o problema aqui não é a ironia. O problema é, precisamente, o do «costume». Foi, quase de certeza, por respeito ao sossego devido a Jesualdo Ferreira que nenhum jornalista se atreveu a interpelar Pinto da Costa. Assim:

- Então, sendo esse o caso presente, há alguns anos atrás quando José Mourinho estava em Leiria e ia para Lisboa, quem é que o desviou para o Porto?

Lembram-se? Em finais de 2001, o Benfica procurava desastradamente recuperar José Mourinho para a Luz e Octávio Machado era o periclitante treinador do FC Porto. Passou o Natal, passou o Ano Novo e todos os dias os jornais noticiavam como estava tremida a posição de Octávio Machado nas Antas. O próprio Octávio recorda o episódio no seu livro Vocês Sabem do que Estou a Falar, cujas páginas 252 e 253 passamos a transcrever, com a devida vénia:

«Fui então ter com o presidente a Espinho e ficou decidido que eu continuava a treinar o FC Porto. A caminho do parque de estacionamento, disse-me: 'Caso você se fosse embora não era o Mourinho que o vinha substituir (…).» O relato de Octávio Machado prossegue com a descrição de uma jura feita, incidindo tal jura presidencial sobre a saúde de terceiros, pelo que passemos adiante:

«(…) É importante referir que esta conversa decorreu em Janeiro. Porque tanto no livro do José Mourinho como no do próprio Pinto da Costa, ambos confessam que o contrato foi celebrado no dia do aniversário do presidente do FC Porto, que é a 28 ou a 29 de Dezembro. Basta consultar os livros. Ora como é que teve cara para me dizer, em Janeiro, que o Mourinho jamais me iria substituir? Ainda por cima jurando pela saúde (…)?» Adiante…

…Para o lamento final de Octávio: «Tive de suportar tudo isto. Foi um período de terrorismo psicológico que eu vivi nesse início de ano. Eu nunca fiz isto a ninguém.»

Octávio Machado, nem ironia, nem costume. Pudera…

Segunda-feira, 16 de Novembro
Falhada a operação Villas Boas, José Eduardo Bettencourt não perdeu tempo e Carlos Carvalhal é o novo treinador do Sporting. O treinador português não se alongou em discursos. Fez bem. Limitou-se a dar uma entrevista ao site oficial do Sporting. «Vou viver o Sporting 24 horas por dia», disse. E deixou um apelo aos sócios e adeptos do clube de Alvalade: «Não deixem adormecer o Sporting!» Ou seja, que façam como ele, Carlos Carvalhal, um treinador que vai estar desperto e actuante 24 horas por dia para se fazer merecer da justa oportunidade que lhe foi concedida: treinar um grande. Nada de dormir, nem um minuto de sono!

Terça-feira, 17 de Novembro
Então? Em que é que ficamos? Não dorme ou dorme? Lá estão os jornais a desestabilizar o Sporting?

«Carlos Carvalhal e adjuntos pernoitaram na Academia», lê-se hoje em A Bola. Chamei a atenção de um amigo sportinguista para este facto e obtive a seguinte resposta:

— Pernoitar não é dormir!

Sem dúvida, uma belíssima resposta.

Quarta-feira, 18 de Novembro
trigo Limpo, Farinha Amparo. 1-0, fora, como mandam as regras nestas coisas. Os disparates nacionalistas bósnios quase nos transformaram em pessoas normais. Celebremos esse facto e o golinho de Raul Meireles. Já está!

Quinta-feira, 19 de Novembro
Hoje, portanto. A Selecção regressa a casa esta madrugada sem dormir. Também Carlos Carvalhal não dorme. Há 120 horas.

quarta-feira, novembro 18, 2009

Video de Opinião de Pedro Ribeiro

Parabéns, Portugal!

C´ um Caneco (outro passatempo)

Oliveirense vs FC Porto
Valenciano vs Belenenses
Rio Ave vs Santa Clara
Tirsense vs P. Ferreira
Académica vs Beira-Mar
Aliados Lordelo vs Leixões
Freamunde vs U. Leiria
Naval vs Gil Vicente
Nacional vs Fátima
Pesc. Caparica vs Sporting
Sp. Braga vs V. Setúbal
Benfica vs V. Guimarães

Sentimentos que nunca desaparecem

segunda-feira, novembro 16, 2009