quarta-feira, agosto 29, 2007

Análise ao Copenhaga-Benfica


LIGA DOS CAMPEÕES - 3.ª PRÉ-ELIMINATÓRIA (2.ª MÃO)

FC COPENHAGA-BENFICA

Estádio: Parken, em Copenhaga
Hora: 19:45
Árbitro: Eric Braamhaar (Holanda)

FC COPENHAGA - Christiansen; Kvist, Gravgaard, Hangeland, Jensen; Silberbauer, Norregaard, Würtz, Hutchinson; Nordstrand e Allbäck.

Treinador: Stale Solbakken.

Suplentes: Coe, Wendt, Bertolt, Sionko e Ailton.

BENFICA - Quim; Nélson, Katsouranis, Miguel Vítor, Léo; Luís Filipe, Petit, Rui Costa, Di María; Nuno Gomes e Cardozo.

Treinador: José Antonio Camacho.

Suplentes: Butt, Miguelito, Fábio Coentrão, Nuno Assis, Romeu Ribeiro, Freddy Adu e Bergessio.


Hoje, em conversa com um amigo, estimado condómino deste espaço, discutíamos a situação do Benfica, mormente a recente substituição do treinador.
Advoguei as vantagens da solução Camacho.
O jogo desta noite confirmou a minha convicção.
E porquê?
Simples, basta comparar a partida desta noite com aquela disputada há cerca de um ano no mesmo palco.
O resultado foi distinto e foi-o como decorrência natural da acção de cada um dos treinadores.
Desde logo, ao nível do discurso.
Camacho revelou ambição e desejo de vencer.
Santos conformismo, pequenez e temor.
Depois e como consequência do discurso a praxis, isto é, a atitude da equipa face ao jogo.
Esta noite, demonstrou confiança, desejo veemente de fortuna e de glória, espírito de grupo e de conquista.
No ano passado, apatia e falta de iniciativa.
A par do discurso, a própria personalidade de cada um dos treinadores.
Camacho decide, participa, intervêm, dirige e empolga-se.
Santos é quase um ser inanimado, sempre carrancudo ou em bom português sempre com “aquela cara de quem todos lhe devem e não lhe paga”.
Claro está que a equipa reflecte e absorve estas diferentes abordagens ao jogo.
Encorpando o discurso e acompanhando a atitude, o modelo de jogo.
Camacho preferiu a auto-determinação, reforçando a auto-estima da equipa.
Santos a hetero-determinação, jogando em função do adversário, condicionando emocionalmente a equipa.
Como efeito do axioma discurso-atitude, o modo como a equipa encarou o encontro determinou e muito a forma como logrou obter um resultado prazenteiro.
Hoje, soube sofrer e transcender-se em nome da ambição de vencer.
Ontem, não ousou sequer querer ganhar e, por isso, limitou-se à fronteira das suas capacidades.
Por fim, algo frequentemente mal avaliado – o factor “Gastão”.
Camacho é um “pé-quente”.
Santos é um “pé-gelado” (Com Santos ao leme, estou seguro que, pelo menos, uma das oportunidade de que o Copenhaga beneficiou no primeiro quarto de hora de jogo teria resultado em golo).
Regressando à partida desta noite, dizer que o Benfica sem realizar uma exibição de grande monta, soube expressar o melhor das suas qualidades actuais e mesmo até excedê-las em alguns momentos da partida para triunfar.
Começou titubeante, varrido que foi pela avalanche ofensiva dinamarquesa.
O ímpeto inicial dos dinamarqueses empurrou o Benfica para a sua área.
Aí, houve que sofrer e a equipa fê-lo.
Cerrou fileiras em nome do ideal de vitória.
Conheceu o fado da fortuna?
Claro que sim, mas também evidenciou muita competência na defesa do seu extremo reduto.
Miguel Vítor foi um gigante, sempre bem acolitado por Katsouranis e por um surpreendentemente sólido Nelson.
Passada a tormenta, na sua primeira iniciativa atacante, o golo apaziguador, numa soberba penta execução – Rui Costa colocou em Cardozo, este em Nuno Gomes, que amorteceu para o remate imparável de Katsouranis.
Estava encontrado o trilho da qualificação.
O Benfica estabilizou, serenou, respirou fundo e, como tal, passou a controlar o jogo.
O Copenhaga atordoado por tão inesperado acontecimento, não mais recuperou a consciência.
Até final, alardeando um perfeito controlo emocional das expectativas, o Benfica dominou o curso da partida, não mais permitindo veleidades consistentes aos nórdicos.
A relevância deste encontro extravasava a simples vertente desportiva, estendendo-se do prestígio internacional aos tão decisivos soldos, leia-se, pelo menos 10 milhões de euros.
Pelo terceiro ano consecutivo, o Benfica marca presença na fase de grupos da Liga dos Campeões, consolidando fama internacional e acentuando a política de equilíbrio financeiro encetada pela administração da SAD.

3 comentários:

vermelho disse...

amigos:
como forma de potenciar, igualmente, a discussão do sorteio da Champions, aqui fica uma notícia do Mais Futebol:
"F.C. Porto e Benfica têm vaga garantida no segundo pote e o Sporting ficará no terceiro escalão do sorteio da Liga dos Campeões, que se realiza esta quinta-feira, no Mónaco, e terá acompanhamento AO MINUTO no Maisfutebol.

Esta distribuição, determinada pelo coeficiente das equipas (determinado pelo seu rendimento internacional nos últimos anos), implica que F.C. Porto e Benfica tenham desde já a certeza que não vão defrontar nenhuma das equipas do seu agrupamento (isto é, Valência, Lyon, PSV Eindhoven, Roma, Werder Bremen e, muito provavelmente, o Sevilha). Os representantes portugueses têm também como certo que não ficarão no mesmo grupo do Sporting, já que nesta fase não pode haver confrontos entre equipas do mesmo país. Por outro lado, é certo que vão ter no seu agrupamento um dos cabeças-de-série, sendo que as quatro equipas inglesas estão nesta situação. O lote de cabeças-de-série completa-se com duas equipas espanholas e duas italianas, os rivais Milan (campeão em título) e Inter.

O Sporting terá de certeza dois «tubarões» no seu grupo, evitando confrontos com os representantes da Alemanha e também com o CSKA Moscovo, adversário de má memória, com quem perderam a final da Taça UEFA em 2005. Lazio, Marselha, Celtic e Steaua são as equipas que também não vão, nesta fase, cruzar caminho com os leões.

Veja como estão pré-definidos os potes para o sorteio:

Pote 1
Milan (Ita)
Barcelona (Esp)
Liverpool (Ing)
Inter (Ita)
Arsenal (Ing)
Real Madrid (Esp)
Chelsea (Ing)
Man. United (Ing)

Pote 2*
Valência (Esp)
Lyon (Fra)
F.C. PORTO (Por)
Sevilha (Esp)/AEK (Gre)
PSV Eindhoven (Hol)
Roma (Ita)
BENFICA (Por)
Werder Bremen (Ale)

Pote 3
Celtic (Esc)
Schalke 04 (Ale)
Estugarda (Ale)
Steaua (Roménia)
CSKA Moscovo (Rus)
SPORTING (Por)
Lazio (Ita)
Marselha (Fra)

Pote 4
Glasgow Rangers (Esc)
Shakhtar Donetsk (Ucr)
Besiktas (Tur)
Olympiakos (Gre)
Dínamo Kiev (Ucr)
Fenerbahçe (Tur)
Slavia Praga (Che)
Rosenborg (Nor)

Zex disse...

Quem é Camacho como treinador ?
Qual o seu curriculum ?
Quantos títulos espanhois tem ?
Quantos títulos de Portugal tem ?
Um só, uma Taça de Portugal, nada mais, mas o blogger diz que ele é "pé-quente". Se é pé quente ganha, e ele ganhou o quê ?
Eu concordo que o outro era um "born looser", não tinha carisma, mas o seu trabalho foi vergonhosamente boicotado pelo presidente ! Este é só pedir que tem tudo ! É só "reforços" a chegar ...
"Cheira é a cebola podre" !
Não estará o blogger a confundir o Camacho com outra pessoa qualquer ?
O resultado justo da primeira parte do jogo de ontem era 4-1 para os copos de água...
E já agora, quem é Miguel Vítor ?
Será que é este o novo Ricardo Carvalho ? Ou continua a ser só o mega-caceteiro ?
Tenham calma e juízo...

Antes morto que vermelho disse...

o empolamento que a lampionagem faz a uma simples viória contra uma equipa mediócre (para terem o Gronkjaer como melhor jogador...), é de bradar aos céus.
Até metia nojo o comentador da TVI ontem quando se fanatizava (e se vinha) todo pelo benfica... miserável!!

A apologia que o "censor-ressabiado" faz ao Camacho, é digna do novo jogador, o "cebolinha", ou seja é de ir ás lágrimas.
Como é que se pode dizer o que o camacho dá moral é ambicioso é pé -quente quando, conforme é referido pelo zex, nunca foi ninguém como treinador de futabol?? A não ser que ganhar uma taça de portugal ao fcp de mourinho se possa exponenciar, e ser igual a campeonatos em espanha em itália ou mesmo no Quatar.
Saberá o censor-ressabiado que o Camacho só tinha derrotas na única participação que teve na Liga, e ao serviço da Lazio?? e que nesse ano averbou 2 derrotas?
Camacho é pé-quente???, mais uma pérola do censor, por a sua equipa marcar um golito já é ambicioso, já dá moral etc... LINDO!!

e o santos agora é o culpado de tudo. O Dumbo durante uns tempos já tem alguém a quem deitar todas as culpas... e o pior é que os 6 milhões ouvem, calam e continuam a achar o Dumbo um "excelente dirigente", porque é o único que enfrenta o Pinto da Costa (essa espinha que há 25 anos está cravada na garganta dos 6 milhões)!

Finalmente quanto aos "novos valores lançados por camacho" é tudo para encher jornais, porque os "donos" dos lugares são o Cabeça-Bicuda e o André "lixo" Luiz, estes putos novos dentro de 2 anos vão ser emprestados ao Estoril para no ano seguinte assinarem pelo Nicosia do Chipre.