domingo, dezembro 07, 2008

Marítimo-Benfica 0-6

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

Marítimo
Marcos (-); Paulo Jorge (2), João Guilherme (2), Fernando Cardozo (2), Van der Linden (3); Bruno (2), Olberdam (2), Marcinho (3), Miguelito (2); Manu (-) e Djalma (2).

Treinador: Lori Sandri.

Suplentes: Bruno Grassi (3), Briguel, Luís Olim, João Luiz (-), Vítor Júnior, Baba (-) e Bruno Fogaça.

BENFICA
Moreira (3); Maxi Pereira (3), Luisão (4), Sidnei (3), David Luiz (4); Ruben Amorim (4), Katsouranis (4), Binya (3), Reyes (4); Aimar (2) e Suazo (5).

Treinador: Quique Flores.

Suplentes: Moretto, Miguel Vítor, Yebda (3), Balboa (3), Urreta, Nuno Gomes (4) e Cardozo.

Sistemas Tácticos

Marítimo

Benfica

Principais Incidências da Partida (fonte: http://www.record.pt/)

7' - Excelente oportunidade para o Benfica marcar, mas Van der Linden evita o golo de Suazo, que se isolou e ultrapassou o guarda-redes Marcos.

10' - Grande remate de Ruben Amorim, de fora da área, com Marcos ainda a desviar a bola sobre a barra.

17' - Grande penalidade para o Benfica, num lance em que Suazo é derrubado por MARCOS. O guarda-redes maritimista vê igualmente o CARTÃO VERMELHO directo.

20' - GOLO DO BENFICA, por REYES
O esquerdino espanhol marca a grande penalidade, disparando para o fundo da baliza agora defendida por Bruno Grassi, com a bola ainda a bater no poste esquerdo

31' - Excelente combinação entre Aimar e Reyes, no flanco esquerdo, com o argentino a concluir o lance com um disparo às malhas laterais da baliza de Grassi.

41' - Bruno Grassi antecipa-se a Suazo e afasta a bola, na sequência de um centro de Ruben Amorim da esquerda.

42' - GOLO DO BENFICA, por SUAZO
Pontapé de canto no flanco esquerdo do ataque benfiquista, Katsouranis faz um ligeiro desvio ao primeiro poste e Suazo surge a finalizar, de cabeça, sem qualquer oposição.

46' - Passe de Ruben Amorim para Suazo, que dispara cruzado, da direita, levando a bola a sair ligeiramente ao lado.

66' - GOLO DO BENFICA, por LUISÃO
Livre apontado por Reyes no flanco esquerdo, com Luisão a surgir sem oposição no coração da área e a desviar a bola para o fundo da baliza, com o pé direito.

69' - Passe de Reyes a servir Suazo na área, com o hondurenho a ultrapassar Fernando Cardoso mas a rematar contra Bruno Grassi.

71' - Aimar serve Balboa sobre a direita, com o cruzamento do espanhol a ser correspondido por Suazo, que cabeceia... para fora.

81' - Suazo quase fazia o 4.º golo da noite, mas o remate do avançado hondurenho esbarra na trave da baliza de Bruno Grassi.

85' - Jogada individual de Marcinho, que combina depois com Paulo Jorge, antes de rematar forte para defesa atenta de Moreira.

85' - GOLO DO BENFICA, por SUAZO
Contra-ataque dos encarnados, com o avançado hondurenho a flectir da direita para o meio e a disparar de pé esquerdo para o fundo da baliza de Grassi.

87' - GOLO DO BENFICA, por NUNO GOMES
Mais uma jogada rápida do ataque benfiquista, desta vez com Balboa a fazer a assistência para o remate certeiro de Nuno Gomes

90'+3 - GOLO DO BENFICA, por NUNO GOMES
Jogada de David Luiz pela esquerda, com o brasileiro a centrar depois para o remate de Nuno Gomes, que bisa na partida.

Destaques

Melhores em Campo

Marítimo

Marcinho - Sempre inconformado, procurou "esticar" a equipa até à área encarnada.
Foi o único a conseguir criar problemas à equipa do Benfica.

Benfica

Suazo - Lançando mão da sua força explosiva, foi um quebra-cabeças constante para a defesa maritimista.
Com espaço nas costas dos defesas é praticamente imparável, aliando velocidade, técnica e facilidade de remate.
Marcou dois golos, esteve no momento decisivo do jogo (causou a expulsão de Marcos) e protagonizou mais uns quantos lances em que podia ter dilatado a vantagem encarnada.
Alardeou uma disponibilidade física inexcedível.

David Luiz - Desta feita, não acusou a adaptação à esquerda.
Defensivamente irrepreensível, aproveitou a ausência de uma referência para marcação para conferir profundidade ofensiva ao seu flanco.
Excelente pormenor técnico a anteceder a assistência para Nuno Gomes concretizar o sexto golo.
Ruben Amorim - Incansável no seu labor defensivo, aportou ao flanco direito o indispensável equilíbrio.
Recuperou imensas bolas, deu profundidade ao flanco e ofereceu certeza às transições ofensivas.

Reyes - Talento e sacrifício.
Assumiu a generalidade dos movimentos ofensivos do Benfica e empenhou-se nas tarefas defensivas, auxiliando David Luiz.

Piores em Campo

Marítimo

Paulo Jorge - Excessivamente conflituoso, não soube fechar dentro, nem aportar profundidade ofensiva ao seu flanco.

Benfica

Aimar - Sem ritmo competitivo, esteve quase sempre ausente do jogo.

Arbitragem

Se tecnicamente esteve irrepreensível, já disciplinarmente esteve muito mal.
Revelando um incompreensível critério, exibiu cartões amarelos sem qualquer justificação a Reyes, David Luiz, Ruben Amorim e Moreira.
Perdoou a expulsão a Olberdam, por ter pisado intencionalmente quer David Luiz, quer Yebda.

Comentário

Imprevisivelmente fácil

Depois de uma semana conturbada, arrisco dizer que nem o mais optimista dos adeptos benfiquista seria capaz de prognosticar um triunfo tão fácil quanto expressivo.
A conjuntura impunha cautelas - dois desaires consecutivos, golos sofridos em praticamente todos os confrontos, obrigação de vencer após os êxitos de Sporting e Porto e um adversário que, para além de não perder há 8 jogos, apresentava a melhor defesa do campeonato.
Sucede que, desta vez, o Benfica não vergou perante as adversidades. Antes, pelo contrário!
Revelou determinação, ambição e desejo de vencer, ou seja, satisfez o código postal das vitórias.
Mudou a atitude da equipa face ao jogo e o conformismo, a falta de iniciativa e as tibiezas deram lugar à confiança, ao desejo veemente de fortuna e de glória, ao espírito de grupo e de conquista.
Uma resposta inequívoca às odes de desconfiança!
A vontade de afastar os indícios da propalada crise foi visível logo desde o minuto inicial, em evidente contraste com a nefasta apatia que, por vezes, tem marcado os arranques do Benfica.
Um início intenso e retumbante, que fez lembrar os célebres 15 minutos à Benfica (neste caso, foram 20).
Explorando a lentidão dos centrais maritimistas, muito subidos e, assim, excessivamente expostos às suas próprias fragilidades, o Benfica apostou na rapidez da transição ofensiva por forma a lançar Suazo nos 30 metros existentes nas costas da defesa do Marítimo.
E, em 20 minutos, decidiu, praticamente, a sorte da partida.
Neste período, arquitectou três investidas, primeiro por Reyes, depois por Katsouranis e finalmente por Suazo, que redundaram em duas grandes oportunidades e um golo, depois de Marcos ter derrubado Suazo na grande área e ter sido expulso.
Em superioridade no marcador e no número de jogadores, o Benfica decresceu a intensidade, permitiu mesmo algum equilíbrio, mas regressou pujante no terminus do primeiro tempo, chegando ao 2-0.
Com os madeirenses emocionalmente destroçados, a segunda metade foi de controlo e gestão e valeu pelos golos: Luisão na sequência de um livre, Suazo em jogada individual e Nuno Gomes a passes de Balboa e David Luiz.
Um triunfo indiscutível, mas que não pode inebriar!
É que o Benfica não é tão fraco quanto se viu em Atenas, nem tão forte como aparentou no Funchal.

22 comentários:

José disse...

A última frase desta análise resume exactamente o que eu penso.

Mas como a esperança é a última a morrer, temos de pensar q pdoemos ser ainda melhores.

Força Benfica!

Mestrecavungi disse...

Amigos,
escrevo-vos estas linhas como adepto do clube lider do campeonato.
Adepto do SL Benfica.
Forte Abraço

JorgeMínimo disse...

Cavalheiros:

Mais uma vez aquela besta do Cajuda demonstra o podre que é, aqueles festejos efusivos por um golo ao Leixões, foram de um adepto benfiquista e não de um treinador de um clube. Será que aquela besta faz as tácticas a pensar no que é melhor para o seu clube...de coração?
Espero que volte para a segunda... e rápido!!!

VermelhoNunca disse...

Cavungi à beira do orgasmo. Uma autêntica palhaçada o post que aqui coloca. Na semana passada trucidou o seu clube, agora atinge o orgasmo como adepto do clube lider do campeonato.
A imprensa ao rubro. Os adeptos eufóricos. São mesmo uns tristes.

VermelhoNunca disse...

Acrescentar que esse adepto que agora atingiu o orgasmo, palpitou a derrota do Maior Clube do Mundo, na Madeira!!!

Delane Vieira disse...

Senhor Quim Director do Jornal do Sporting, esta semana, ficou, novamente, provado que não perder não é importante.
Foi no Andebol, foi no Futsal e foi nos juniores em futebol.

VermelhoNunca disse...

O que fica provado,é a mais valia que a presença do Trampas constitui para o enriquecimento deste blog.
Há-de chegar o dia em que teremos apenas a orgásmica dupla, Trampas e Rabona, a mimarem-se um ao outro.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, o jogo do Metalist não entra nos palpites desta semana?

antes morto que vermelho disse...

há que estar preparado para os arrotos, vómitos e escarros que esta semana os curraleiros vão mandar...
é como mandar uma queca que não se dá há 5 anos e pensarem que já são o rocco siffredi...
a juntar a esta palhaçada ainda há os orgasmos múltiplos da pasquinada, veja-se hoje, as capas, como que se os jogos de ontem e os confrontos da champions, não tenham qualquer importancia.

antes morto que vermelho disse...

bermelho em relação ao david lixo luis, é o maior, ontem uma besta, hoje de selecção... lindo!! é a mesma coisa que se arrotar que o cabeça-bicuda é um bom jogador.

Vermelho disse...

Amigo Nunca:
O jogo é só para a semana.

VermelhoNunca disse...

Obrigado amigo Vernelho, não fazia ideia e queria aplicar o meu joker nesse jogo.
Abraço

antes morto que vermelho disse...

e o mais espectacular é que eles ainda acreditam que vão golear o metal por 8-0, com um hat-trick do cabeça bicuda e um golo de livre do franknstein, entre outras aberrações...

antes morto que vermelho disse...

minimo: esse cajuda é um lampião que até mete nojo, é um marreta cabrão que merece ser sodomizado por todos os tripeiros disponiveis na altura...

VermelhoNunca disse...

POde ter a certeza, Macaco, que há muito lampião a acreditar nisso. Não só o Cavungi e o seu companheiro de orgasmo, o Trampas.
Afinal, eles têm o melhor ataque do Mundo.

antes morto que vermelho disse...

nunca: é mesmo, o pantera passa de negra a cor de rosa e vice-versa numa semana...
e a nova curraleira: o makakula vai para i guimaraes, como "paga" de eles ontem terem ganho ao leixões...
é um gajo bem para encavar o cajuda...

antes morto que vermelho disse...

também já estou a ver a heloisa miranda a tirar fotografias nua, embrulhada numa bandeira do curralense, para o correio da manhã e o teaser na capa seria:"Eu acredito! Força benfica"

Lion Heart disse...

Cavungi disse:
"Amigos,
escrevo-vos estas linhas como adepto do clube lider do campeonato.
Adepto do SL Benfica.
Forte Abraço"

Como parece que só daqui a 3 anos e tal é que tal feito se volta a repetir, é aproveitar:

Abraços, abraços, xi-corações, etc., mas agora descculpe-me meu caro: é que a Europa chama.

VermelhoNunca disse...

Fazer uma compilação dos posts do Cavungi relacionados com o Benfica, daria,sem dúvida, uma autêntica comédia, atingindo facilmente o rídiculo, tantas as contradições que apresentam.
E agora, além do peito inchado, deve estar também com algo dorido, pois o convívio com o Trampas e o estado orgásmico de ambos, assim o sugere.

antes morto que vermelho disse...

nunca: a compilação poder-se ia chamar "Crónicas de Tueba"

VermelhoNunca disse...

AMigo Vermelho, viu o jogo do Sporting?
Se sim, qual a sua opinião sobre o golo anulado a Liedson- na altura o 1-3- por fora-de-jogo marcado pelo árbitro auxiliar?
Isto na sequência na conversa que mantivemos a semana passada, sobre esta lei do futebol.

Zex disse...

Nesse golo do Sporting anulado, POstiga passa a bola quando a mesma está fora de campo.
Árbitro mal, marcou fora de jogo, devia ter marcado canto.