quinta-feira, outubro 23, 2008

Hertha Berlin - Benfica 1-1

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

Estádio Olímpico de Berlim
Hora: 19:30
Árbitro: Paul Allaerts (Bélgica)

HERTHA BERLIN
Drobny (3), Chahed (4), Friedrich (2), Simunic (2) e Stein (2); Lustenberger (2), Pal (2), Cícero (3) e Nicu (3); Voronin (3) e Raffael (3)

Suplentes: Gang, Kaká (2), Shervin Fardi, Kacar (2), Domovchiyski, Sascha Bigalke e Pantelic (4)

Treinador: Lucien Favre

BENFICA
Quim (3), Maxi Pereira (3), Luisão (4), Sidnei (4) e Jorge Ribeiro (3); Binya (2), Katsouranis (2), Di María (4) e Reyes (3); Nuno Gomes (4) e Cardozo (1)

Suplentes: Moreira, Léo, Miguel Vítor, Balboa, Carlos Martins (2), Urreta (-) e Suazo (3)

Treinador: Quique Flores

Sistemas Tácticos

Benfica



Hertha Berlin

Principais Incidências da Partida (fonte: www.record.pt)

4' - Nuno Gomes quase abre o marcador em Berlim. O avançado encarnado, em posição frontal, remata à baliza alemã, a bola desvia num defesa do Hertha e quase entra no canto esquerdo de um paralisado Drobny. O Benfica ganha o primeiro canto da noite.

38' - Quim salva o Benfica após remate de Voronin. O jogador do Hertha recebeu a bola entre os centrais encarnados, que falharam no lance, e ficou na cara do guarda-redes encarnado. Foi a melhor oportunidade da equipa alemã até agora.

51' - Golo do Benfica, por Di María.
Num rápido contra-ataque encarnado, Suazo coloca a bola em Nuno Gomes, que dá sequência ao lance com uma excelente assistência para Di María, que remata com êxito na saída do guarda-redes Drobny. A bola ainda desviou ligeiramente num jogador do Hertha Berlim.

69' - O Benfica desperdiça uma boa ocasião para elevar o marcador na capital alemã. A bola andou de um lado a outro junto à pequena área do Hertha, mas nem Reyes nem Di María, sobretudo este, que falhou o controlo da bola, conseguiram rematar à baliza de Drobny.

71' - O recém-entrado Pantelic remata com perigo à baliza encarnada, mas Quim, muito seguro, faz a defesa e evita o pior para a formação encarnada.

74' - Golo do Hertha Berlim, por Pantelic. A defesa encarnada deu muitos espaços junto à sua área, sobretudo Maxi Pereira, e Pantelic rematou com estilo no ângulo esquerdo de Quim, que nada podia fazer.

77' - Voronin, em nova falha colectiva da defesa encarnada, desperdiça de modo incrível o segundo golo do Hertha Berlim.

Destaques

Melhores em Campo

Benfica

Luisão e Sidney - Simplesmente impecáveis!
Luisão terá mesmo realizado uma das suas melhores exibições ao serviço do Benfica.

Di Maria - Parece ter uma especial predilecção para marcar em jogos disputados na Alemanha. Foi, assim, o ano passado frente ao Nuremberga e sucedeu, de novo, na partida desta noite (os dois únicos golos que fez pelo Benfica).
Rápido, agressivo e senhor de um poder de drible acima da média, falta-lhe objectividade e consistência para se guindar a um plano de excelência.
Como diz e bem Quique, é ainda um promissor projecto de jogador.

Nuno Gomes - Uma extrordinária disponibilidade!
Lutou até à exaustão e ainda encontrou tempo para desenhar a magnífica abertura para Di Maria, que resultaria no tento encarnado.

Hertha Berlin

Pantelic - Entrou apenas na segunda parte, mas vincou a sua qualidade.
Aportou a classe, que o torna um jogador diferenciado.
Ainda que tenha beneficiado de um ligeiro desvio em Maxi Pereira, obteve um esplêndido golo.

Piores em Campo

Benfica

Cardozo - Como se diz em bom futebolês de balneário, a jogar assim não "calça" mais.
Amorfo e dócil, não segurou uma bola, nem ofereceu linhas de passe aos seus colegas.
Passou, completamente, ao lado do jogo.

Hertha Berlin

Friedrich e Simunic - Lentos e duros de rins sentiram muitas dificuldades perante a mobilidade de Nuno Gomes, Di Maria e Suazo.

Arbitragem

Irrepreensível!

Comentário

Ter o pássaro na mão e deixá-lo fugir

O Benfica entrou muito bem no jogo.
Ancorados numa perfeita organização defensiva, os encarnados assumiram cedo o domínio e o controlo da partida.
Não só amordaçaram o adversário, como se espraiaram até à área contrária.
Logo aos quatro minutos Nuno Gomes criou muito perigo, com um remate de fora da área que passou a rasar o poste.
Dinamismo, velocidade e repentismo no processo ofensivo e concentração, ordem, disciplina e método no momento defensivo eram as imagens de marca do Benfica.
Sucede que, com o passar dos minutos, o Benfica foi perdendo intensidade e vitalidade.
Recuou as suas linhas e revelou cada vez mais dificuldades na transição atacante.
A ausência de um verdadeiro médio de transição fazia-se notar.
No onze inicial, Quique Flores apresentou uma surpresa e foi vítima de uma contrariedade importante.
Di Maria foi a novidade na ala direita, em detrimento de Carlos Martins e o estorvo inesperado foi a lesão de Yebda, que promoveu Binya à titularidade.
Sem Yebda, o que se ganhou em músculo e agressividade perdeu-se em sentido posicional, capacidade de ocupação de espaços e, sobretudo, de posse e circulação de bola.
Ninguém conseguiu assumir o jogo e disso se ressentiram e muito as transições.
A ofensiva, naturalmente, mas a defensiva igualmente, pois que a equipa foi "encurtando" e, paulatinamente, perdendo capacidade de retenção e trânsito da bola.
Acresce que a presença de Cardozo e Nuno Gomes na frente, dois jogadores muito posicionais e relativamente lentos, permitiu ao Hertha subir o seu bloco defensivo, juntar linhas e empurrar o Benfica para as imediações da sua grande área.
O Hertha foi-se assenhoreando do império sobre a partida, mas o acerto da dupla de centrais encarnada e a labuta recuperadora do duplo-pivot defensivo da intermediária cerceou perigosidade às iniciativas atacantes dos germânicos.
Ainda assim pertenceu ao Hertha a melhor oportunidade do primeiro tempo, quando Voronin surgiu isolado dentro da área, mas permitiu uma notável defesa a Quim.
Ao intervalo, o nulo no marcador reflectia o equilíbrio verificado no primeiro tempo.
Procurando transmitir outra profundidade ofensiva às suas equipas, ambos os treinadores mexeram durante o descanso.
Favre substituiu Dardai por Kacar e Quique lançou Suazo no lugar de Cardozo.
Benefícios suplementares para o Benfica com a troca.
Suazo surgiu solto, rápido e agressivo, conferindo outra profundidade ao momento ofensivo encarnado.
A entrada de Suazo "esticou" a equipa e, simultaneamente, obrigou o Hertha a descer a sua linha defensiva.
O Benfica ganhou coesão e o Hertha desuniu-se.
O espaço entre as linhas germânicas alargou-se e, aos seis minutos da segunda parte, explorando aquele intervalo, o Benfica chegou ao golo.
Grande passe de Nuno Gomes a lançar Di Maria, que entrou na área sobre a direita e tocou para o fundo da baliza.
Um raro momento de objectividade do argentino.
Em vantagem, Quique Flores procurou defender no meio-campo adversário e aportar capacidade de posse e circulação de bola à equipa, substituindo Katsouranis por Carlos Martins.
Acontece que, como afirmou o espanhol no final da partida, os jogadores do Benfica não souberam interpretar as incidências do encontro.
Ao invés do pretendido, os pecadilhos da primeira parte regressaram e o Benfica foi sendo impelido para trás.
E, se na primeira metade, havia sido capaz de neutralizar com relativa facilidade as démarches atacantes do Hertha, com a entrada de Pantelic tudo se complicou.
Aos 74 minutos, o sérvio restabeleceu a paridade no resultado, com um remate em arco, que sofreu ainda um ligeiro, mas quiçá decisivo, desvio em Maxi Pereira.
Nos minutos seguintes, o Benfica padeceu, mas com excepção de uma evidente oportunidade desperdiçada por Voronin, tudo o mais se revelou inócuo.

36 comentários:

antes morto que vermelho disse...

taculargo: ontem um deus, hoje odiado
angelito: ontem odiado, hoje um deus
isto no espaço de poucos dias, assim andam as coisas no reino da curraleira!
não vi o jogo (obviamente), mas como é que se pode arrotar que o cabeça-bicuda jogou bem? só mesmo alguém que está doente.
e o jogo do braga, que ganhou á equipa que derrotou os escravos do benfica?

e a iminente naturalização do liedson? quem está de acordo e quem está em desacordo? será uma boa alternativa a nulo gomes e a hugo almeida?

VermelhoNunca disse...

AInda não foi desta que o Maior Clube do Mundo ganhou na Alemanha. Mas soube a vitória, como escarra um pasquim desportivo.
Liedson para a selecção, Não( deixem lá estar o Hugo e o Nuno, que fazem sempre boa figura).
Liedson para o Sporting, Sim!

Zex disse...

Quanto ao jogo, penso que o Benfica o podia ter perdido com facilidade, bastava que o tal Pantelic tivesse entrado de início. Foi amigo treinador do Hertha. Sidnei esteve bem e Bicuda razoável, é certo. Golos bem, Di Maria marcou um golo sem querer, bem ao jeito de Romagnoli. o que valeu ao Benfica é que o Hertha jogou a medo.
E que dizer da exibição desse mago da bola que dá pelo nome de Bynia ? Horrível. Pau a torto e a direito, construção zero e posicionamento deficiente. Suazo foi bem mais incisivo do que Cardozo.
Bom resultado que, contra uma equipa mais ambiciosa, poderia ter sido outro.
Quanto ao Braga. Na parte que eu vi, ferrolho e eficácia. Portsmouth chuveiro para Crouch. Pelo que vi, vitória justa !

VermelhoNunca disse...

Condómino Zex, está com algum sabor estranho?
É que soube a vitória...

VermelhoNunca disse...

Acho que o comentário do nosso administrador está com contradições. Se , por um lado, diz que o Benfica entrou com "Dinamismo, velocidade e repentismo no processo ofensivo e concentração, ordem, disciplina e método no momento defensivo eram as imagens de marca do Benfica.", logo depois justifica um abaixamento do Benfica porque
"Sem Yebda, o que se ganhou em músculo e agressividade perdeu-se em sentido posicional, capacidade de ocupação de espaços e, sobretudo, de posse e circulação de bola.
Ninguém conseguiu assumir o jogo e disso se ressentiram e muito as transições.
A ofensiva, naturalmente, mas a defensiva igualmente, pois que a equipa foi "encurtando" e, paulatinamente, perdendo capacidade de retenção e trânsito da bola."
Ou seja, dá-me ideia que o tal Glorioso foi obra do acaso, porque sem um transportador de jogo, o Benfica não assume o controle do jogo.
Mas foi bom, sempre soube a vitória.

Vermelho disse...

Amigo Nunca:
Os jogos não são realidades estáticas e esses segmentos que citas são de momentos distintos do jogo.
Se num primeiro momento o Benfica conseguiu superar as ausências, mormente através de um momento ofensivo alavancado nos flancos, já com o passar dos minutos foi-se ressentindo cada vez mais e "Sem Yebda, o que se ganhou em músculo e agressividade perdeu-se em sentido posicional, capacidade de ocupação de espaços e, sobretudo, de posse e circulação de bola.
Ninguém conseguiu assumir o jogo e disso se ressentiram e muito as transições.
A ofensiva, naturalmente, mas a defensiva igualmente, pois que a equipa foi "encurtando" e, paulatinamente, perdendo capacidade de retenção e trânsito da bola."
Abraço.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, esse momento de glória do Maior Clube do Mundo, que nunca ganhou na Alemanha, durou quanto tempo, na sua opinião?

Vermelho disse...

Amigos:
Liedson na selecção, não.
Apenas aceito que um jogador não nascido em Portugal represente a selecção nacional caso tenha feito a sua formação desportiva no nosso País.
Uma selecção nacional não é um clube que se rege por critérios de utilitarismo.
Ou a representação nacional tem algum sentido ou não tem razão de existir.

Vermelho disse...

Amigo Nunca:
Não foi um momento de glória, foi apenas um momento de bom futebol, que terá durado cerca de 15 minutos.
Daí até ao intervalo, a partida conheceu domínio territorial germânico, mas com controlo do Benfica.
No início da 2ª parte, o Benfica repetiu o momento de bom futebol da 1ª e até aos 20/25 minutos dominou e controlou.
A partir daí, o Hertha assumiu o domínio e o controlo.
Espero ter sido esclarecedor quanto à minha visão do jogo.

VermelhoNunca disse...

Completamente esclarecedor, amigo Vermelho.
Eu não tenho opinião porque não vi jogo.
Mas fico contente por vós, porque soube a vitória.

Mestrecavungi disse...

Amigo Vermelho,
Felizmente que posso sempre ler as tuas brilhantes e isentas crónicas dos jogos do Benfica.
Fiquei ilucidado.
Podiamos ter ganho, mas cacabou por ser um bom resultado.
Ontem infelizmente não pude ver o jogo, dado ter tido compromisso social.Ainda nem sequer ví imagens dos golos.
É o que dá ir a casa de gente forreta que naõ tem a Sportv!

Mestrecavungi disse...

Amigo Nunca,
TrÊs verdades:
Nunca ganhámos na Alemanha.
O SCP fora só ganha na Ucrania.
O Dí Maria só marca a equipas Alemãs.

Já agora subscrevo, e anseio por Liedson na Selecção!

VermelhoNunca disse...

Amigo Cavungi, não pode misturar as coisas. O seu clube é só o Maior Clube do Mundo.
Bem sei que um dos que o persegue, o Manchester United, nunca ganhou na Guatemala, por exemplo, porque nunca lá jogou.

Vermelho disse...

Amigo Cavungi:
Quando aconteceu com Deco percebi a lógica.
Quando sucedeu com Pepe tive alguma dificuldade e bastante relutância, mas lá acabei por me resignar.
Chegou a hora de dizer basta ou dentro em breve estamos como a selecção italiana de futsal, que de italiana tem apenas o símbolo da federação.
Caso Liedson ou outro qualquer estrangeiro entretanto naturalizado joguem na selecção nacional, de imediato, me tornarei apátrida futebolístico.

samsalameh disse...

Ontem decididamente se mostrou que o meio campo do Benfica é este ano o sector mais fraco.
O Quiqué queria o Binya a construir jogo!? Este é um jogador que é bom para destruir jogo, mas nunca para o construir...
Mais uma vez Quiqué ou não sabe ou não teve a sorte do seu lado: qual a razão da saída de Katsou e do Reyes!? Binya e Di Maria (depois do golo e de estupidamente ter tirado a camisola...nunca mais se viu) deveriam ter sido os dois elementos a ir tomar banho mais cedo!!
Para desanuviar, recomendo a Quiqué Flores que vá à FIL este fim-de-semana, sempre é melhor...aliás muito melhor!!!

JC, o novo programa dos Gato Fedorento é-lhe dedicado!?

Vómito Vermelho disse...

mestre azeiteiro então ontem não perdeste porque tiveste muita sorte

Vómito Vermelho disse...

meste azeiteiro tu querias o Liedson na selecção? O que tu queres nós sabemos bem

Vómito Vermelho disse...

Vermelho realmente confirma-se tudo aquilo que eu penso sobre a tua pessoa, és uma verdadeira besta

Mestrecavungi disse...

Amigo Vermelho,
Sem consultar a Wikipedia sabes me dizer em que cidade Alemã, nasceu o Lucas Podolski ou o Miroslav Klose?
O Italiano Camoronessi, é de mIlão ou de Tutim?
Marcos Sena campeão europeu Espanhol é de Múrcia como Camacho?
Concordo que as selecções não devem ter "estrangeiros" por dá cá aquela palha, mas se eventualmente tivermos 3 jogadores de uma ex-colónia teremos hoje menos "estrangeiros" que no tempo do Salazar!
Ou só se é um "ex-colono" dependendo do tempo de Independencia de uma "ex-colónia".
Eusébio, Coluna, Shéu, Néné, Alberto, Hilário nasceram numa ex-colonia, tal como Deco, Pepe ou agora Liedson.
Estas Naturalizações são mais "naturais", que as de Kuryani,Podolski,Sena,Camoronesi, ou a do croata Eduardo da Silva.
São outros os tempos.
A globalização é tb um fenomeno desportivo.

antes morto que vermelho disse...

com o ledson na seleção o queiroz ainda podia sonhar, como em tempos o bom gigante sonhou, com nulo esse sonho só se pode transformar em pesadelo!

nunca: o curralense ganhou onde nenhuma equipa europeia ganhou... no dubai! nem o mu aí ganhou! e isso sim, é mais uma página brilhante, na história do "maior" clube do mundo!

mas o talhante jogou? não estava castigado para toda a vida?

Vómito Vermelho disse...

Mestre tu já foste ao médico?
Porque parece que andas necessitado, talvez seja da vida atarefada que tu levas, muito social talvez, na roloute!!!!!!!!!!!!

Mestrecavungi disse...

Amigo Vermelho,
Voltemos então e depressa á ditadura e vamos censurar este anormal do Vómito!
Apaga-o p.f.
Mata-o que o gajo cheira mal.

Vómito Vermelho disse...

e tu vermelho? andas armado aos cucos....................

VermelhoNunca disse...

Amigo Cavungi, isso nem parece seu, propor a censura...

Mestrecavungi disse...

Amigo Nunca,
Tu estás de cadeirinha nesta....
Ao menos que te divirtas!
Abraço e
Bom fds, que eu não estou para aturar o vómito ou o seu alter-ego!

Vermelho disse...

Amigo Cavungi:
Ao tempo, infelizmente, os PALOP´s eram território nacional.
São situações incomparáveis.
Quanto às naturalizações ocorridas em outros países são um problema dos cidadãos dessas nações.
Disse supra que "Apenas aceito que um jogador não nascido em Portugal represente a selecção nacional caso tenha feito a sua formação desportiva no nosso País.
Uma selecção nacional não é um clube que se rege por critérios de utilitarismo.
Ou a representação nacional tem algum sentido ou não tem razão de existir."
Se as naturalizações de Deco e Pepe se podem enquadrar no critério supra enunciado (com um bocadinho grande de boa vontade), a de Liedson nunca.
Se se pretende aportar às selecções a lógica dos clubes, tudo bem.
É necessário preencher uma lacuna no plantel, então contrata-se um jogador, leia-se naturaliza-se um jogador.
Comigo não contam!

VermelhoNunca disse...

Eu nada tenho a ver com os vómitos, amigo Cavungi.
Acho é que o amigo não deve propor censura. Ou ignora, ou rebate, ou insulta. Mas tem de se aguentar à bronca.
Sabe de quem se trata? Talvez isso o ajudasse a ultrapassar essa dificuldade...

Vermelho disse...

Amigo Cavungi:
Por ora, basta ignorá-lo.

VermelhoNunca disse...

Acho o argumento das ex-colónias, pela parte de Cavungi, referindo-se ao Brasil perfeitamente fora do contexto. Pode argumentar o que quiser, mas não desse modo.

samsalameh disse...

O Vómito estará em exibição na FIL este fim-de-semana a levar umas boas chibatadas nesse corpo.
Desaparece palhaço e vai mas é trabalhar!!!

Liedson na selecção nunca...mas depois de entrar e começar a mostrar que é melhor que a Maria Amélia e o Pedreiro Almeida...a malta aí começa a ver a coisa de outra maneira...tal como aconteceu com o Deco!!

Brasil deixou de ser uma colónia portuguesa há cerca de 200 anos...

Zex disse...

Querem ver que o Sr. Vermelho se vai juntar ao pesetero Figo e ao Fivelas Costa num movimento anti-Liedson, à semalhança do que fizeram ao Deco ?

Jimmy Jump disse...

Apenas assisti aos primeiros 25 minutos da partida.
Nesse período o Benfica até esteve bem.
E mais não sei.
Nem vi os golos ainda.

Relativamente à eventual chamada do "Chupadinho", dizer que é um perfeito disparate.
Na selecção nacional jogam os portugueses e eventualmente como diz o amigo Vermelho, os jogadores estrangeiros naturalizados que fizeram a sua formação em Portugal e que se encontrem totalmente adaptados à cultura e língua portuguesa.
A verificar-se o contrário teremos então mais dia, menos dia uma selecção à imagem do Belenenses, ou do Nacional da Madeira, ou do Paços, ou então do Marítimo ou do Shaktar...

Vermelho disse...

Amigo Zex:
Onde é que eu assino?

Delane Vieira disse...

Meus Senhores, mais um que misteriosamente aparece lesionado - "Wesley não recuperou para o Dragão

O brasileiro do Leixões não recuperou de mialgia e ficou de fora da lista de convocados para a deslocação ao Dragão, amanhã, em jogo da 6.ª jornada da Liga. Roberto, Ruben e Serginho Baiano estreiam-se nos eleitos de José Mota."
O sistema não dorme.
Mais um chocolatinho.
Aposto que em Janeiro é reforço do Porto.

antes morto que vermelho disse...

liedson português já! mandem o figo e o fivelas da costa para a etiópia!
se não há um avançado de centro de jeito, qual é o mal?
a polonia não tem um nigeriano? a espanha não tem um brasileiro?

este delane mete nojo aos caes! é ressabiado e escarra a torto e a direito! alguém que mate este pulha!

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, esqueci-me de mexer na minha equipa da Liga dos Astros. Ao tentar agora, cheguei tarde, já não é possível.
Estes concursos do pasquim A Bola, sugeridos por Cavungi ...enfim...