quarta-feira, janeiro 16, 2008

Artigo de Opinião do Condómino Vermelho Nunca

Isto é jornalismo?

Quando era miúdo devorava os jornais desportivos, para acompanhar qualquer modalidade, desde o futebol, até ao automobilismo, nacional ou internacional. Recordo-me de varrer o “Record” de ponta a ponta, de acompanhar com interesse a “Gazeta dos Desportos”.
Quanto ao jornal “ A Bola”, nunca fui adepto, porque sempre o considerei tendencioso em demasia. Quando os desportivos passaram a diários, comecei a aligeirar esse meu “vício”, até porque sempre achei que neste pequeno País, com 3 jornais desportivos diários, muita invenção iria surgir.
Actualmente não compro nenhum desportivo, nem após os jogos do Sporting, o que, confesso, ainda fiz até há 2 anos a esta parte.
O único jornal que compro e assino, ligado ao desporto, é o “Sporting”. Aí sei com o que conto.
Um jornal de clube, com 86 anos de história, que além do futebol profissional, me coloca a par do futebol de formação, das modalidades ditas amadoras, dos núcleos espalhados pelo Mundo, enfim um rol de informação que leio com agrado.
O jornal “ A Bola” foi fundado em 1945, muito depois do jornal do meu clube. Hoje em dia é considerado por quase todos, o órgão oficial do Benfica, defendendo os interesses encarnados como ninguém, transmitindo a mensagem veiculada de dentro do clube para o comum dos adeptos, alimentando as almas dos vários milhões de adeptos do clube de Lisboa. Até aqui tudo bem. Quem o compra sabe com o que conta. Por exemplo, o nosso condómino Macaco, compra-o uma vez por semana, com o único interesse de ler a crónica de Miguel Sousa Tavares.
Chegou-me às mãos um artigo de “ A Bola” recente, após o jogo do Boavista/ Sporting, realizado já este ano. Mais concretamente a crónica do jogo, da autoria de um tal de Mário Nóbrega. Passo a transcrever parte dela:
“A um leão assim até um cão lhe perde o medo”- este é o título.
“Foi um jogo entre o leão e a pantera, mas para o leão que se viu ontem no Bessa, não era preciso uma pantera para lhe fazer frente, tão pouco uma panterazinha, para traduzirmos, mais concretamente, o actual valor desta equipa de Jaime Pacheco, até um cão, não um cão rafeiro que precisa de, sabe-se lá quantas vezes, mostrar os dentes para fazer pela vida, qualquer cão de luxo, daqueles que não sabem fazer ão, ão, mas sim in, in , bastava para o fazer meter a cauda entre as pernas e rumar a outro lado, neste caso… Lisboa”.
Este é o início da crónica, ou história do jogo no Bessa!

Nunca na minha vida vi algo parecido no jornal “Sporting”.
Aí, repito, sei com o que conto. Mas nunca se falou de nenhum outro clube neste tom rafeiro, com este Português de qualidade mais que duvidosa, com este mau gosto metafórico.
Que o órgão oficial do Benfica defenda o seu clube, que crie expectativas nos seus leitores benfiquistas, falsas ou não, que inventa histórias sobre os seus rivais, tendo sempre o Benfica como ponto de referência, aceita-se. Agora o que este senhor Nóbrega escreveu, na minha opinião, ultrapassa tudo.
Que valores são transmitidos por este jornal, que se diz de referência, com artigos/ crónicas destas?
Meu caro amigo Vermelho, após este desabafo, só me resta dar-lhe os parabéns, pela qualidade que transmite ao nosso espaço de debate com a sua prosa enriquecida.
Estou em crer que, mesmo no calor de muitos debates que aqui mantivemos, nunca nenhum dos condóminos chegou a um nível tão baixo como este Nóbrega, que, ainda por cima, é pago para escrever, ao invés de qualquer um de nós. Podemos ter utilizado linguagem menos própria às vezes, um insulto ou outro, mas logo a calma, educação e ponderação regressa.
Viva o Blog!

25 comentários:

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Não podia estar mais de acordo contigo.
É raro, mas também sucede!
Aliás, devo confessar-te que me emocionou, especialmente pela fraternidade nele vertida!
Obrigado!
Aquele abraço.

JorgeMínimo disse...

Caro Vermelho Nunca:
Não esquecer o título de 1ª página " Nem contra o último", depois do empate com o U. Leiria.

cavungi disse...

Amigo Nunca,
Totalmente de acordo.
Bela prosa!
Pena é que eu ainda não tenha conseguido deixar de comprar o pasquin.Pior.Ontem comprei os dois!
Dá-me o segredo!

P.S.De notar porém que os versos de Nobrega são autenticos Poemas...

JC disse...

Excelente artigo (mais um) do Condómino/Amigo Nunca.
Parabéns.
Como os demais, concordo inteiramente com o seu conteúdo.

O Snr. Nóbrega merecia uma reacção forte da direcção do SCP, considerando-o, por exemplo, "persona non grata" em Alvalade.

Além de ofender o SCP com o baixo nível da sua prosa, este pseudo-jornalista compara o actual Boavista de Jaime Pacheco a um cão rafeiro.

Por último, constato que o Amigo Nunca deixou de ler jornais desportivos há 2 anos, ou seja, pouco depois de ter nascido este blogue.

Zex disse...

De facto, tenho que dar os parabéns ao Sr. Nunca por esta bela prosa.
Embora o seu desabafo tenha sido temperado por algum clubismo, não deixo de acentuar que assiste toda a razão ao autor do "post".
O jornal citado é, quase sempre, vergonhoso. Tendencioso até dizer chega ! E, como o Benfica tem ganho muito pouca coisa, acaba por cair, inúmeras vezes, numa prosa rasteira e na tentativa de destruição maciça dos outros grandes.
Noto, ainda, que contrariamente ao que julga o blogger, também são frequentes semelhantes dislates do jornal "Record".
É por causa do volume de vendas, dizem eles. "Se vendermos a alma ao Benfica, vendemos muito mais !".
Eu tenho a certeza que assim é, atendendo à massa adepta dos vermelhos. Mas, não contem comigo para compreender que vendam a alma por isso.
O Porto só é capa da Bola quando perde !
Nem a selecção faz a 1ª página. Basta lembrar o caso do selvagem "mãos de ferro" no dia do Azerbeijão/Portugal.
Por isso, reafirmo que o menos mau, menos tendencioso é o jornal "Jogo". Claro que tem alguma preferência pelo FCPorto, mas como faz parte de um grupo poderoso (se calhar até serve para lavar dinheiro), tem uma preocupação menor com o lucro, com as vendas. Assim, não precisa de vender a alma ao Benfica.
Nesta conformidade, a tradicional "tricotomia" Benfica-Bola, Record-Sporting e Jogo-Porto pertence ao século passado...
Grande parte do que aqui digo é-me relatado por pessoas que estão dentro do jornalismo desportivo...

Antes morto que vermelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antes morto que vermelho disse...

xungo: no seu melhor! compra esses escarros. mas vejamos se xungo encaixa ou não, no target de a bola/benfica?
a resposta não deixa qualquer dúvida!

Antes morto que vermelho disse...

manitas "de plata": conseguiu mexer os coutos, e brindar-nos com um artigo de opinião, quiçá, melhor dos que aparecem constantemente naquele escarro, chamado a bola.
pena que não seja pago por o ter feito, enquanto aquele cavalo, chamado nóbrega, cospe e pagam-lhe para cuspir!
outra nota sobre o artigo, prende-se por o mesmo não ser tendencioso, ao contrário do asno nóbrega que revela desde logo o seu lampionismo fanático (como os "comentadores/urradores" desportivos das televisões) e o seu anti-lagartismo.

não me venham com argumentos que esse pasquim ter que ter a linha editorial lampiã, porque só assim faz dinheiro! o pasquim quando definiu o seu "target", definiu-o de uma maneira muito fácil, adaptou o target, que o benfica definiu para captar sócios do, que, entre outras características possuem:
-Classe baixa e média baixa.
-Estudos muito baixos (falta de cultura)
Assim sendo, e linguagem urrada por nóbrega, assenta que nem uma luva para quem vai ler esse pasquim, é corriqueira, baixa, de fácil entendimento e acima de tudo, nóbrega, escreve como fala, só assim eles entendem.
já aqui foi afirmado por zex que nesse pasquim não se vende informação mas fé na lampionada, e quando assim é, basta vomitar algumas atoardas, que eles engolem...

Uma vez mais, manitas de plata, parabéns pelo artigo, a propósito, já votou?

cavungi disse...

Macaco:Ontem comprei o Record poque eles prometiam que Camacho ia embora.
Afinal vai só no fim do ano...

VermelhoNunca disse...

Amigo Cuvuvu, faço a leitura dos desportivos pela internet. Comprá-los é que deixei de fazer. No entanto, já disse aqui várias vezes, no local onde almoço, às vezes tenho o Record e a A Bola à disposição, e de quando em vez leio-os.

VermelhoNunca disse...

Amigo Cuvuvu, esse é o segredo de qualquer jornal: a capa. Ontem você caiu na tentação e comprou o Record. Depois nada de substancial sobre o assunto de capa, Camacho, deve ter lido. ALiás pode verificar que Keegan vai ser treinador do Newcastle, como ontem mesmo informei o blog.

Antes morto que vermelho disse...

manitas de plata: penso que o próprio camacho, fez a "revisão" do artigo, antes de ele ter saído.

JC disse...

Amigo Vungi:
Não esteja seguro de que Camacho sai no final da época desportiva!
O Pasquim de hoje anuncia que "o Benfica e Camacho «preparam a próxima época» e fala de uma reunião entre treinador e presidente".

Lá terá o caro amigo que comprar o Pasquim outra vez para ler a notícia.

cavungi disse...

Amigo JC,
Hoje ainda não comprei.Penso não comprar!
Vou tentar!

cavungi disse...

Amigo Nunca,
É verdade!
Apenas umas banalidades sonbre o contrato.
Isto no Record.
Porque na bola nem, uma linha que o Vieira não deixa!
É como fumar:sabemos que nos faz mal, mas não laragamos o vicio!

cavungi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cavungi disse...

Amigo Nunca,
Kevin Keegan foi quem levou o Newcastle a lutar pelo titulo, mas perdeu para o Blackburn?

12:09 PM

Antes morto que vermelho disse...

xungo: a equipa que o newcastle que tinham nessa altura, não se compara á que tem agora. o alan schearer já era do newcastle ou ainda era do blackburn?

vermelho disse...

Amigos:
Voluntários para o Bitaite desta semana, há?

salvatrucha disse...

Caro Vermelhonunca,
Belissimo artigo o seu.
Eu compro a espaços (2ª feira) a ABola.
E também lí esse titulo!
Achei na altura que era de um tremendo mau gosto.Comparar o Boavista a um cão rafeiro pareceu-me excessivo.E referir-se ao SCP do modo como o fez, é no mínimo mesquinho.
O SCP é um Histórico do Futebol.Mário Nobrega é um pateta!
Mas não podemos generalizar.
Há bons jornalistas desportivos.Eu agora não me lembro de nenhum.Mas deve haver.
As notícias, quer sejam despotivas, económicas ou politicas, são todas elas controladas.Compradas e vendidas.
Hoje em dia não há imprensa livre!
E a corja dos jornalistas, que em regra geral são mal formados, sem caracter e com um preço certo, vem sempre com essa conversa da liberdade de imprensa e da liberadde de expressão.
Puta que os pariu a todos!
Não passam de uns bisbilhoteiros de meia tijela, que se vendem, como uma prostituta de rua.(Podiam ser como uma menina que recebe em casa, discreta e peludissima).Mas não.Nem para isso tem categoria. Vendem-se por um jantar á borla.Vendem-se por um buffet!
Publicam e escrevem notícias sem qualquer fundamento e destroiem a vida das pesssoas como quem faz um oral ao natural.
Depois desmentem mas já não serve de nada!
Jornalistas?
Comprem-nos que passam a ter boa imprensa!
E o pior é que hoje em dia nem sequer sabem escrever.
Como esses anormaleco do Nobrega!

Aqui no blog, pelo menos ainda existe a imprensa livre!
Parabéns caro Vermelhonunca!

vermelho disse...

Amigo Salvatrucha:
Um regresso em grande!
Não podia estar mais de acordo contigo, acrescentando que os constrangimentos à liberdade de imprensa começam na concentração da titularidade dos meios de comunicação.
Aquele abraço.

Antes morto que vermelho disse...

o porco ibérico foi á suiça para tentar que a pena do talhante binya, seja reduzida!! dasss, é preciso ter lata!
fazia boa figura se levasse, por uma trela, o xungo, que diz que o talhante foi castigado por ser preto, jovem e desconhecido!

Antes morto que vermelho disse...

bermelho: um traque sobre o quê?

JC disse...

UEFA mantém castigo a Binya.

"A UEFA não deu provimento ao recurso apresentado pelo Benfica sobre o castigo de seis jogos aplicado a Binya, na sequência da expulsão do médio camaronês devido a uma entrada violenta sobre um jogador do Celtic, em jogo da Liga dos Campeões."

Antes morto que vermelho disse...

jean claude: era só o que faltava! a entrada do talhante, deve ter ficado para o compendio das agressões mais barbaras, até á data, realizadas por um selvagem.