quarta-feira, março 26, 2008

Análise ao Portugal-Grécia

LTU Arena, em Dusseldorf (Alemanha)

Árbitro: Wolfgang Walz (Alemanha)

PORTUGAL – Ricardo; Paulo Ferreira, Pepe, Ricardo Carvalho e Caneira; Fernando Meira, Carlos Martins e Miguel Veloso; Ricardo Quaresma e Simão; Nuno Gomes. Jogaram ainda: João Moutinho, Bruno Alves, Miguel, Hugo Almeida, Jorge Ribeiro e Raul Meireles.

GRÉCIA – Nikopolidis; Patzatzoglou, Antzas, Kyrgiakos e Torosidis; Basinas, Karagounis, Katsouranis e Amanatidis; Charisteas e Gekas. Jogaram ainda: Giannakopoulos, Seitaridis, Samaras, Goumas e Salpingidis.

Ao intervalo: 0-1

Golos: 0-1, Karagounis (32 m); 0-2, Karagounis (59 m); 1-2, Nuno Gomes (75 m).

Resultado final: 1-2

Cartão amarelo a Charisteas, Patzatzouglou, Pepe, Basinas, João Moutinho e Ginnakopoulos.






O seleccionador que devolveu a luz ao tenebroso futebol português conseguiu, hoje, frente à Grécia mais um resultado de excelência singular.
Não é para todos averbar três derrotas em outros tantos jogos contra a Grécia!
Claro está que Scolari repetirá, uma vez mais, o estafado discurso relativo aos jogos particulares - desvalorização e acentuação da sua natureza de mero teste de soluções e inovações.
Pois bem!
Sigamos o raciocínio do alquimista:
Como principal novidade a ser testada, Portugal apresentou um meio-campo totalmente remodelado, no qual Meira assumiu a posição 6, Miguel Veloso a 8 e Carlos Martins a 10.
Resultado do teste:
Negativo!
Meira não domina as rotinas da posição, pois que nela não actua, com regularidade, desde os tempos do Benfica;
Veloso nunca alinhou como médio de transição e, vivendo um momento de forma absolutamente precário, a sua condição física cercea-lhe a dinâmica que se exige na interpretação das funções próprias da posição 8;
De Martins disse Scolari querer aquilatar da sua capacidade para se assumir como possível substituto de Deco.
Martins jogou 90 minutos, mas a esmagadora maioria do tempo numa posição híbrida sobre a direita, mais como ala do que sequer como interior.
A sua utilização na posição 10 foi escassa, muito escassa mesmo, insuficiente para servir os propósitos anunciados pelo seleccionador.
Das duas uma: Ou Scolari ludibriou jornalistas, analistas, adeptos e o próprio jogador ou é intelectualmente desonesto!
Fruto das circunstâncias do próprio encontro, Scolari decidiu colocar à prova uma outra experiência, desta feita táctica.
Em desvantagem, Scolari deixou no balneário o tradicional 4x2x3x1 e estruturou a equipa num ambicioso 4x4x2.
Já todos conhecíamos o primarismo de Scolari na abordagem ao jogo e a sua inabilidade táctica, mas, hoje, o brasileiro excedeu-se!
Perante uma Grécia que faz do povoamento da zona central do seu meio-campo a matriz essencial em que se ancoram os seus processos ofensivos e defensivos, optar por uma solução táctica que condena a equipa à inferioridade numérica nessa área do terreno é de uma suprema estultice!
E quando se coloca um Miguel Veloso fisicamente exaurido como um dos elementos do duo central do meio-campo e Carlos Martins numa posição híbrida mais como ala do que como interior, raia a loucura!
É uma solução sem teste possível ou por outra é uma solução com avaliação conhecida ab initio!
É uma inovação destinada ao insucesso e que, como tal, não merece sequer ser ensaiada!
Ou seja, mesmo do ponto de vista do seleccionador, esta partida foi um absoluto logro!
Triunfo claro e inequívoco da selecção grega.
No seu melhor estilo cínico, aos gregos bastou, como em tantas outras ocasiões, conjugar expectativa, contenção, organização, exploração do erro adversário e eficácia para levar de vencida uma selecção portuguesa carente de qualquer sentido colectivo.
Se defensivamente Portugal ainda conseguiu apresentar alguma competência, ofensivamente não revelou qualquer profundidade.
Os últimos 30 metros da selecção nacional apenas existiram após as entradas de Raúl Meireles e Jorge Ribeiro, os quais aportaram à equipa um equilíbrio e uma profundidade até então desconhecidas.
Ao contrário do que pensa Scolari, que certamente me apelidaria de terrorista ou algo de violentamente semelhante, encontrei sinais muito preocupantes nesta derrota frente à Grécia, o maior dos quais a ausência de uma ideia colectiva de jogo.
Ou os dotes de prestidigitador de Ronaldo conseguem resolver muitos dos problemas evidenciados pela selecção nacional ou temo seriamente pela qualidade da sua prestação competitiva no próximo Europeu!

12 comentários:

PanKreas disse...

João Moutinho (8), Raul Meireles (6) são sem dúvida os melhores médios para a selecção...

Antes morto que vermelho disse...

bom comentário.

"as lágrimas atéw me vieram aos olhos quando o labreca mamou aqueles golos"

faço votos para que no euro portugal nem passe na fase de grupos e que o soco vá para o benfica logo após o euro!

Antes morto que vermelho disse...

ontem ouvi o rui patareca a falar na tv, uma autêntica pérola: o marreta a falar, parece que acabou de meter na boca 3 pacotes inteiros de chiclets...

VermelhoNunca disse...

Não vi o jogo, não faço comentários.
Ouvi criticos referirem que Moutinho jogou bem, mas pelos vistos o administrador não tem a mesma opinião.
Fico contente por si, Macaco. Gosto de o ver satisfeito.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: não perdeu nada, além do labreca a mamar 2, o veloso a passear a badófia, o patareca a mastigar 36 chicklets e o soco a vomitar...

JorgeMínimo disse...

Caros Condóminos:
Ainda estamos a tempo! Corre-se com o Scolari para o Benfica, aproveita-se o Mourinho estar desempregado e leva ele a selecção ao EURO. Por outro lado acaba-se com a distribuição de refrigerantes, porque me parece que o cigano também já está com a bunda pesada.

cavungi disse...

O que é que interessa um jogo particular?
Tanto que eu nem o ví!Por isso não sei se jogámos bem ou mal.Devemos ter jogado mal já que perdemos o jogo apesar de ontem tambem nao ter jogado "O Jogador"!
Mas sempre que as expectativas estão muito optimistas dá mau resultado, tipo:"tragam a taça para Portugal"!
Assim com este pessimismo generalizado Scolari vai fazer um brilharete no Euro.Mais um
E se depois vier para o SLB era "ouro sobre azul".
Soco é o meu eleito para treinar o quase ex-glorioso!

cavungi disse...

Já agora amigo Vermelho podias lançar aqui (que isto anda muito murcho..) uma compilação para elegermos os 23 marretas para o 2008!
Senão, eu e Macaco arriscamos e fazemos a "nossa" convocatória!

Antes morto que vermelho disse...

o pateta, vomitou uma patetice: o mourinho só treina a selecção aos 65 anos!
mais uma petetice do pateta a falar do harry potter, e ainda por cima compara-lo ao "peida-gorda"... enfim pateta no seu melhor!

Antes morto que vermelho disse...

xungo: aceito o desafio! tens é que me dar a chance de no lote dos 23 poder convocar um marreta do blog, nem que seja para ser a "alegria do balneário". estou a referir-me ao pateta da tap!, esse marreta podia ser o escravo do soco (em substituição do nunca), uma espécie de luis baila...

cavungi disse...

Macaco:
Achas que podiamos convocar o Schmeichel?
Ou como o gajo não é tuga podiamos convocar o Baía?

cavungi disse...

O Moutinho podia ser convocado para carregar com as bolas de treino!
Achas bem?