segunda-feira, março 24, 2008

Livro de Reclamações

1 - Disse Scolari na apresentação dos convocados para o particular desta quarta-feira com a Grécia que os eleitos eram os jogadores portugueses em melhor forma no momento.
Não ignoro que a avaliação da condição desportiva de jogadores de futebol é sempre um exercício pejado de uma forte carga subjectiva, mas não posso deixar de me indignar com a ausência de Quim e as chamadas de Miguel Veloso e Nuno Gomes.
Se há jogadores consensuais na avaliação da sua prestação competitiva na presente temporada, mormente nos últimos meses, são eles, precisamente, Quim, Miguel Veloso e Nuno Gomes.
Quim tem-se cotado como o melhor guarda-redes da Bwin Liga, Veloso tem-se exibido a um nível pouco mais do que sofrível, bem distante do esplendor da época transacta, ao passo que Nuno Gomes tem navegado de lesão em lesão, sem conquistar sequer a titularidade no Benfica.
Sem entrar em comparações com outros jogadores, dizer simplesmente que os critérios que presidiram à chamada de Veloso e Nuno Gomes e à não convocação de Quim não podem ter radicado no seu momento de forma, sob pena de ser forçado a concluir pela severa incompetência de Scolari.

2 - Scolari dispõe de 49 dias para elaborar a lista dos 23 eleitos para o Euro2008.
No período de tempo que mediou entre o Mundial de 2006 e a convocatória para o particular com a Grécia, Scolari chamou 45 jogadores.
Claro está que muitos deles estão fora de qualquer cogitação, Tiago será o exemplo mais sonante, restando, ainda assim, um grupo de cerca de 27 nomes que discutirão entre si a inclusão no veredicto final.
Os guarda-redes Ricardo, Quim e Rui Patrício, os defesas Bosingwa, Caneira, Fernando Meira, Pepe, Ricardo Carvalho e Bruno Alves, os médios Petit, Maniche e Deco, os extremos Cristiano Ronaldo, Ricardo Quaresma, Simão e Nani e os pontas-de-lança Nuno Gomes e Hugo Almeida parecem certos.
Assim sendo, caso não se verifiquem surpresas de última hora, a escolha cingir-se-á a dois laterais entre Miguel, Paulo Ferreira e Jorge Ribeiro, dois médios entre Raul Meireles, João Moutinho, Miguel Veloso e Carlos Martins e optar, para o ataque, entre Hélder Postiga e Makukula.

3 - Já aqui escrevi que Paulo Bento é, hoje, uma vítima do seu próprio sucesso!
Acrescento, esta semana, que Paulo Bento deveria, também, ser vítima das suas próprias palavras!
Percebo que proclamar que a final da Taça da Liga "tem a mesma importância da Liga dos Campeões" visou mexer com a dimensão emocional e motivacional dos seus jogadores e mesmo dos adeptos.
Mas se o propósito é perceptível e compreensível num quadro de frustração das expectativas criadas no início da época, o certo é que a desmesurada relevância atribuída à partida tornou Paulo Bento refém das suas próprias palavras.
Paulo Bento perdeu a «final da Liga dos Campeões» frente ao Setúbal!
E, deste modo, ou o grau zero da exigência vagueia por Alvalade ou a Paulo Bento apenas lhe resta uma alternativa - ser consequente com o seu discurso e demitir-se.

4 - A dramatização acabou por produziu um duplo efeito verdadeiramente nefasto - acentuou a depressão e sublinhou a negrito a decepcionante performance competitiva do Sporting na presente temporada.

5 - Face às inflamadas declarações de Paulo Bento mal se compreendeu que tenha preferido a hetero-determinação, condicionando-se em função do adversário.
O arrazoado não conheceu idêntica praxis!
Incompreensíveis a parcimoniosa ambição e a aversão ao risco reveladas pelo Sporting.

6 - Na Final da Taça da Liga, o Sporting não conseguiu ultrapassar o estigma do desperdício de grandes penalidades.
Só vislumbro três hipóteses de explicação para tão inusitado fenómeno:
Falta de confiança, desconcentração ou ausência de treino específico!

7 - A Final da Taça da Liga revelou uma excelência na organização de um evento desportivo até então desconhecida em Portugal.
Parabéns Hermínio Loureiro!
O seu consulado tem-se limitado a reproduzir o status quo vigente no futebol português, aqui e ali polvilhado por pequenas diferenças cosméticas, mas neste particular há que reconhecer o seu evidente mérito.

8 - Aplaudi a criação da Taça da Liga, essencialmente, por entender que poderia acrescentar espaço de competição e contribuir para diminuir os hiatos competitivos.
Continuo a crer que se trata de uma competição com pernas para andar, assim seja reformulado o seu modelo competitivo.
Há que inverter o actual figurino, prevendo uma fase inicial de grupos e uma fase final no sistema de eliminatórias.

14 comentários:

JorgeMínimo disse...

Caro Sr. Administrador:
Junto a minha à sua voz neste "Livro de Reclamações". Concordo inteiramente com o que aqui é dito, nas variadas vertentes. Bom artigo, sem dúvida.

Antes morto que vermelho disse...

"A Final da Taça da Liga revelou uma excelência na organização de um evento desportivo até então desconhecida em Portugal.
Parabéns Hermínio Loureiro!
O seu consulado tem-se limitado a reproduzir o status quo vigente no futebol português, aqui e ali polvilhado por pequenas diferenças cosméticas, mas neste particular há que reconhecer o seu evidente mérito."
nunca pode comprovar este arroto? penso que organizar bem, diz respeito a tudo...

Antes morto que vermelho disse...

pateta: vomita lá uma idiotice...

JorgeMínimo disse...

Caro A.M.V:
Os problemas que surgiram dizem respeito à falta de utilização do Estádio do Algarve e à intempérie do fim-de-semana. De resto a enchente que poucos pensariam possível e o clima de festa que se gerou, foram a poção mágica para a continuação da Taça da Liga para os próximos anos.

VermelhoNunca disse...

Caco, já ontem referi o que se passou dentro e fora do Estádio do Algarve.

VermelhoNunca disse...

Amigo Mínimo, se o Estádio do Algarve tem pouca utilização, deveria então ter sido ponderada outra solução. Faltar água para o saneamento é uma falha organizativa grave, que escapa a todos os que não estiveram no estádio, claro está.
A nível de acessos também já me exprimi ontem: vergonhosos.
A nível promocional, está de parabéns a organização. Quanto à enchente, prevista, quanto a mim. A começar pelo baixo valor dos bilhetes, o que leva logo gente ao estádio, acrescentanto o facto de estarmos em período de Páscoa e a consequente invasão do Algarve.

Antes morto que vermelho disse...

"poção mágica" dassss! o teu chefe acabou de dizer que não havia água... que não há parques de estacionamento, sabes para que é que aquele estádio serviu há tempo? para se fazer uma prova de rally!!
o cavalo que teve a "brilhante" ideia de fazer um estádio no algarne no meio do mato, ao pé de loulé (onde actua o "poderoso") louletano, devia ser morto, afogado, no dinheiro que deitou á rua, aliás, os "iluminados" que tiveram a, insensata ideia, de organizar o euro deviam ser todos mortos, no estádio de aveiro, por exemplo, por etiopes esfomeados!

JorgeMínimo disse...

Caro A.M.V:
O estádio pode ter alguns problemas, mas a competição mostrou que pode ficar no calendário anual do nosso futebol. Para tal, basta marcar a final para outro dos novos estádios, que tenha bons acessos, que tenham infra-estruturas correctas para grandes eventos. De certeza que em Leiria, Coimbra ou Aveiro não haveria metade dos problemas.

VermelhoNunca disse...

Amigo Mínimo, quanto ao sucesso da competição, nada a apontar. Aliás, desde o inicio, que me refiro à Taça da Liga, como uma importante competição, ao contrário de outros, que cedo afastados, ignoraram a mesma.

Antes morto que vermelho disse...

taça da liga essa importante competição, ganha na sua primeira edição pelo setubal, que na final derrotou a lagartagem nos penaltys... dasss que cena sem interesse!!! ainda por cima a taça é de qualidade duvidoso, visto que o setubal a colocou no dia seguinte a arranjar.
quem ganha essa prestigiada taça, a que é que tem direito? a ir á taça intertoto? a uma visita ao oceanário? e o finalista vencido o que ganha? uma gasosa?

VermelhoNunca disse...

Ganha 6 meses do ordenado mensal do Liedson, mas como dinheiro abunda para o seu lado Macaco, isso não lhe interessa para nada.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: se a lagartagem não consegue pagar ao liedson, venda-se!!
o problema é que, com a lamentavel forma da lagartagem, e consequentemente do liedson, já não deve haver mercado para o mesmo, a não ser "velhos" o Aris de Salónica o Trabzomsprt ou o "sempre na brecha" Dinamo de Moscovo... se não podem pagar ao marreta, porque é que revalidaram? se necessitam do papel que ganharam (em perder a prestigiante taça da liga, para o setubal) provavelmente, para pagar emprestimos, para quê ter lá o liedson?
Não se deve dar um passo maior que a perna!

no fcp não abunda dinheiro (veja-se as contas do clube) abundam antes empresários! e esses abutres já nem á lagartada vão!

VermelhoNunca disse...

Mas quem é que disse que o Sporting não podia pagar ao Liedson? Apenas lhe dei um exemplo do valor monetário da conquista da Taça da Liga. Agora imagine o quão importante foi para o Setúbal a conquista da mesma, sabendo-se das dificuldades financeiras que o clube atravessa.

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Totalmente de acordo.Eu agora também já gosto da taça da liga!
penso que o prémio final deveria ser um lugar europeu para dar mais interesse á prova.