quarta-feira, fevereiro 20, 2008

Livro de Reclamações II

1 - A semana passada publiquei nesta mesma sede um texto sobre o "caso Webster".
Ontem, o site "MaisFutebol" deu à estampa duas outras notícias sobre o mesmo tema, que reforçam a sua actualidade.
Uma dessas exposições permite perceber que aquela que identificava como a questão a resolver e que desincentivava a invocação do artigo 17.º do Regulamento Internacional de Transferências da FIFA se acha resolvida.
Assim e porque entendo que se avizinha uma nova realidade no mercado de transferências, republico o meu texto da semana passada, o qual acompanho das duas notícias a que supra aludo.

2 - Doze anos após a prolacção do Acórdão Bosman, a decisão do Tribunal Arbitral do Desporto sobre o famigerado "caso Webster" pode representar idêntica revolução nas relações laborais no mundo do futebol!
Em 2006, o defesa escocês Andy Webster (actualmente ao serviço do Glasgow Rangers) rescindiu unilateralmente, sem justa causa, o contrato que o ligava ao Hearts, por forma a comprometer-se com o Wigan.
Para tanto, como se encontrava no terceiro dos quartos anos do contrato firmado com o Hearts, invocou o artigo 17.º do Regulamento Internacional de Transferências da FIFA, alegando achar-se para lá do Período Protegido (que é de três anos para os jogadores com menos de 28 e de dois anos para os restantes).
Não se conformando com a decisão de Andy Webster, apelou o Hearts para a Câmara de Resolução de Litígios da FIFA, que arbitrou uma indemnização de 840 mil euros ao clube escocês.
Não resignado, Andy Webster recorreu para o Tribunal Arbitral do Desporto, que, na semana passada, acolheu parcialmente os seus argumentos e determinou a satisfação de 190 mil euros, correspondente aos salários remanescentes, como compensação devida ao Hearts por quebra, sem justa causa, do vínculo laboral.
Mais isentou Andy Webster de qualquer sanção desportiva.

Para lá de introduzir elementos de perturbação da paz e da segurança jurídica e de acentuar a lógica mercantilista e a macrocefalia dos grande potentados económicos, esta decisão pode constituir uma severa machadada na formação!
A rentabilidade económica da formação mostra-se seriamente ameaçada!
Ao se consignar a possibilidade de, após o Período de Protecção, os grandes clubes adquirirem os melhores valores dos clubes mais modestos, sem recurso a uma negociação directa, decresce substancialmente a faculdade do capital investido na formação se reproduzir.
É uma sentença bizantina, que prejudica de sobremaneira os clubes formadores e os menos endinheirados.

A generalização jurisprudencial do sentido da decisão do Tribunal Arbitral do Desporto sobre o "caso Webster" pode desaguar na criação de uma Liga Privada Europeia composta pelos principais clubes europeus.
Finda a estabilidade contratual, progride a soberania dos poderosos e deprime a capacidade de a ela resistir dos proletários.
A competitividade dos clubes de pequena e média dimensão decrescerá na directa proporção do acréscimo da liberdade de circulação dos futebolistas e da diminuição da gratificação das transferências.
Fora do período de protecção, o quantum indemnizatório não será sequer comparável com os valores ora praticados e dentro do período de protecção, com a diminuição do horizonte de vigência temporal dos contratos - 3 anos no máximo - os montantes também se quedarão distantes dos actuais.
Do cercear da competitividade dos pequenos e médios clubes à sua exclusão das grandes competições será um pequeno passo.
Da exclusão das grandes competições à subtracção de receitas será uma inevitabilidade.
Da subtracção de receitas ao obscurantismo competitivo será uma fatalidade.

Os prejuízos estendem-se aos jogadores.
Na aparência não, na essência sim!
Se num primeiro momento os jogadores irão beneficiar com esta medida, vendo os seus salários aumentados, o certo é que a longo prazo não só o recurso a práticas de concertação entre clubes como o decréscimo das receitas extraordinárias provenientes da alienação dos passes dos jogadores conduzirão a um inexorável decréscimo dos vencimentos.

Para já, o recurso ao art.º 17º do Regulamento Internacional de Transferências da FIFA tem sido praticamente nulo, mas num futuro próximo tende a vulgarizar-se.
O impacto económico sobre os pequenos e médios clubes de uma invocação em massa desta prerrogativa regulamentar pode assumir contornos apocalípticos.

3 - Claro está que esta decisão não inviabiliza que se estipulem cláusulas de rescisão.
Todavia, também, neste aspecto, introduz modificações relevantes.
Até agora, prevalecia a vontade das partes - a definição do montante rescisório cabia exclusivamente a clube e jogador.
A partir da decisão do Tribunal Arbitral do Desporto sobre o "caso Webster" predomina o princípio da proporcionalidade.
A possibilidade de estipulação de cláusulas penais fica subordinada à sua proporcionalidade com as restantes existentes no contrato, mormente com as relativas à remuneração auferida pelo jogador.
Da conjugação daqueles princípios decorre que, em caso de rescisão unilateral sem justa causa, o quantitativo estabelecido como cláusula de rescisão assumir-se-á como o ponto de partida para determinar o cálculo indemnizatório.
Mas apenas e tão só como ponto de partida, na medida em que haverá sempre que aferir aquele montante à luz da sua proporcionalidade com as restantes cláusulas contratuais o que pode implicar a sua revisão.
É o fim das denominadas "cláusulas de rescisão milionárias" e com o seu decesso o advento de práticas de concertação ou de cambão, assim se pretenda ser mais ou menos politicamente correcto.

4 - Jogadores e clubes têm sido bastante comedidos na invocação do artigo 17.º do Regulamento sobre o Estatuto e Transferência de Jogadores da FIFA, pese embora conste do articulado regulamentar desde 2005 (para além de Webster, apenas o guarda-redes italiano De Sanctis, do Sevilha, recorreu ao artigo 17.º para se libertar da Udinese).
E porquê?
Pela singela razão de que a redacção daquele preceito legal é extremamente nebulosa no que diz respeito ao cálculo indemnizatório.
Da incerteza brota o parcimonioso uso.
Preceitua o art.º 17.º do Regulamento sobre o Estatuto e Transferência de Jogadores da FIFA certos requisitos cumulativos para que os jogadores possam rescindir unilateralmente os seus contratos, sem justa causa e sem incorrer em sanções desportivas, quais sejam:

- A rescisão terá de ser anunciada nos 15 dias seguintes ao último jogo da época.

- O jogador deverá ter cumprido três épocas completas do contrato (ou apenas duas no caso de jogadores com mais de 28 anos).

e, o busílis da questão: - O jogador terá de indemnizar o clube, sendo que a fórmula de cálculo do montante indemnizatório é tudo menos clara, pejada que está de conceitos indeterminados.
O cálculo da compensação, segundo o regulamento da FIFA, há-de equacionar as legislações nacionais sobre a matéria e critérios como a duração total do contrato, o salário, o valor da contratação originária e a cláusula de rescisão, se existir.
O sentido volúvel de alguns critérios conjugado com o silêncio do peso relativo de cada um dos elementos na determinação do montante indemnizatório retiram a necessária margem de segurança para quem invoca o art.º 17º.
O jogador que pretende rescindir unilateralmente o seu contrato não conhece, nem pode prever com suficiente certeza o montante a despender.
Assim sejam preenchidas as assinaladas lacunas e, estou certo, que a invocação do art.º 17º se generalizará.

5 - "Estava por determinar o valor a que o clube empregador teria direito como indemnização pela saída, o que foi feito pelo TAS. A decisão foi clara e serve tanto para o clube como para o futebolista: a indemnização é igual ao valor dos vencimentos a pagar ao atleta até final do contrato. Não há qualquer sanção desportiva e o jogador pode assinar por um clube estrangeiro (o regulamento de transferências da FIFA é apenas aplicável a negócios internacionais).

O período protegido - de três anos para futebolistas com menos de 28 anos, de dois para os mais velhos - assenta apenas sobre o período em que se é profissional, ou seja, desde o momento em que o atleta assine um contrato como profissional. Para se invocar o artigo 17 do Regulamento não contam os anos de formação. E para que a rescisão de um jogador seja validada pelo artigo o pedido terá de ser feito até 15 dias depois do último jogo oficial do clube que o futebolista representa." - in Mais Futebol

6 - "Um exemplo. De acordo com o Caso Webster, que se baseia do artigo 17 do Regulamento de Transferências da FIFA e da decisão do Tribunal Arbitral do Desporto de Janeiro deste ano, Miguel Veloso, um dos jogadores portugueses mais pretendidos lá fora segundo a imprensa, poderia rescindir com o Sporting a partir do final da próxima época (2008/09). Para o fazer, o internacional português teria de indemnizar o clube de Alvalade com os ordenados a que teria direito até à expiração do contrato (2013).
O médio do Sporting renovou em Janeiro de 2007 o seu vínculo laboral com os leões até ao fim da temporada 2012/13. De acordo com os jornais da altura, o seu vencimento passou a ser de perto de 30 mil euros mensais. Multiplicando esse valor por 14 (12 meses, mais os subsídios) chegamos aos 420 mil euros, que teriam de ser depois novamente multiplicados por quatro, as épocas que faltariam até ao final do contrato em Junho de 2009. O total de vencimentos é de 1, 680 milhões de euros. Uma verba que anda muito longe dos 30 milhões da cláusula de rescisão existente no documento que liga Veloso ao Sporting.
Os leões poderiam exigir, à parte, a compensação pela formação, invocando o artigo 20 do mesmo Regulamento de Transferências. E há ainda o mecanismo de solidariedade, que atribui cinco por cento de cada transferência aos clubes por onde o futebolista passou até fazer 23 anos. Mas não deixa de ser um número demasiado magro certamente para as pretensões do clube de Alvalade.
João Nogueira da Rocha é advogado do Sindicato de Jogadores e árbitro no Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), que definiu o valor da indemnização a pagar por um jogador a um clube quando rescinde contrato e invoca o artigo 17 do Regulamento de Transferências da FIFA. Precisamente o que fez o escocês Andy Webster para deixar o Hearts.
«A minha opinião já decorria neste sentido, mas uma leitura literal do artigo 17 do regulamento de transferências da FIFA não prevê o valor da indemnização. E foi isso que fez o acórdão de Janeiro do TAS. O jogador tem a pagar o que ganharia até final do contrato, ou o que o clube pagaria se o quisesse despedir. É o mesmo valor», diz o jurista ao Maisfutebol.
Nogueira da Rocha nega que exista qualquer lacuna na lei desportiva neste ponto das transferências: «O regulamento prevê que um jogador, fora do período de estabilidade do seu contrato, depois de dois anos de ligação ao clube no caso de ter mais de 28 anos ou de três se for mais novo, possa rescindir. Isso está previsto no artigo 17. O que não está previsto é o valor da indemnização, que foi agora determinado pelo TAS.»
João Nogueira da Rocha acrescenta que a decisão do TAS revoga a anterior, determinada pela Câmara de Resolução de Litígios (Dispute Resolution Chamber, DRC) da FIFA, em Março de 2007. «O clube tinha recorrido para o DRC e tinha sido estipulado um valor exagerado. Este acórdão anula essa decisão e atribui o valor dos vencimentos a receber até final do contrato como indemnização máxima.»" - in Mais Futebol

54 comentários:

Antes morto que vermelho disse...

se o mantorras é manco, o que é o derlei?
se o joelho do torras está podre, o que dizer dos joelhos do derlei?

o pateta da tap é que deve ficar incomodado com este assunto, burro como é, não sabe o que escarrar, assim sendo, vai pedir instruções ao patrão dele. ou então fala de comida (de todos os tipos) que é o único assunto com que poderá articular um pequeno conjunto de palavras (não quer dizer que tenha a capacidade de formar frases).

JorgeMínimo disse...

Caro Pila Murcha:
Como não sabes o que dizer e como o FC Porto perdeu, vens para aqui arrotar, depois de sair da casa da Moser. Não! Não te vou pagar a Sport Tv!!! Já disse, não tenho essa obrigação. Deixa de comprar dildos que já tens dinheiro.

Antes morto que vermelho disse...

pateta: comer?? tu é que estás sempre a falar de comida, pareces um saloio que nunca foi a um japones ou a um banquete da champions, mas neste último caso já acabou. a taça uefa dá direito a banquetes?

deves ter uma tara com a moser... vai ao pornarella.com que ela já não come cócó como tu.

JorgeMínimo disse...

Caro Pila Murcha:
Aperta o cilício enquanto tens um fio-de-terra.

Antes morto que vermelho disse...

pateta: toma lá um peido, pinta-o de verde e branco e tenta colocar o cilicio em cima!

Antes morto que vermelho disse...

se o mantorras é manco, o que é o derlei?
se o joelho do torras está podre, o que dizer dos joelhos do derlei?

JorgeMínimo disse...

Caro CAGata:
Os joelhos do Derlei estão podres como a tua pila murcha!!!

FURA-REDES disse...

Bom dia a todos.

É com enorme alegria e orgulho que soube que o jogo Shalke - FCP foi visto por mais 200 mil telespectadores que o SLB Nuremberga.
Diz-se que o FCPORTO não vende , que o FCPORTO não dá audiências, que o FCPORTO não aparece nas primeiras páginas, mas afinal um jogo do FCPORTO NA LIGA DOS CAMPEÕES, têm mais audiências do que O DO CLUBE DO REGIME , o tal dos milhões atrás de milhões e do Guiness e que até tem Ministros e outros que tal a assistir aos seus jogos.
O FCPORTO não tem Ministros nas suas Tribunas nem leva DVDs aos Ministros mas tem registado as maiores assistências no seu recinto, não carecendo de publicidade para que venham assistir aos seus jogos.

Aliás, só agora percebi uma coisa.
O Gaspar Ramos tinha razão quanto ao cheiro dos balneários do SLB, dizendo que cheiravam mal.
Se repararem quem faz publicidade aos jogos do SLB, quem invita as pessoas a deslocar-se ao estádio da Luz, são os gatos FEDORENTOS e os da weasel (doninha FEDORENTA).
COM TANTO FEDORENTO, É NATURAL QUE AQUILO CHEIRE MAL.

Antes morto que vermelho disse...

fura: esse "conceito" que a lampionada é que vende, que dá audiências, etc já está ultrapassado, as novas gerações já não são todas do clube do regime. se reparar, as velharias é que ainda são lampionas, e por enquanto, as velharias é que estão á frente dos meios de comunicação social, neste sentido, posicionam-se para as pessoas da sua faixa etária. o dia da morte destes merdosos está cada vez mais perto, e nessa altura, os meios já não vão padecer da "doença" que têm hoje em dia...
como disse: "diz-se..."; o bermelho é o exemplo de um marreta que queria manter o status-quo, e vê cada vez mais perto o dia em que esse status-quo vai acabar (ou ababou já?), é um marreta que vive de recordações e, principalmente dos que os seu familiares mais velhos, lhe contaram. uma vez no presente e não podendo fazer parte dessa realidade, fica toldado e dá mostras de um ressabianço assinalável.
outro exemplo é a lagartada: quando eu entrava no alvalade á borla, via o estádio e estava sempre cheio. podiam perder com o varzim, mas continuavam a ir lá. hoje em dia passam a vida a ssobiar a equipa e a cantar musicas contra os jogadores, e o estádio cada vez está mais vazio.

Antes morto que vermelho disse...

o cheiro da luz é igual ao cheiro que o pateta emana da fossa.

JorgeMínimo disse...

Caro CAGata:
Ridículo é estar sempre à espera de uma borla para ir à bola. Por ventura, o estimado não tem um ordenado que lhe permita ir uma vez que seja a um estádio ver o seu clube. No fundo não passas de um palhaço a querer mamar na teta, como os outros chulos todos que tu passas a vida a dizer mal. Tu deves fazer parte daquela geração que ainda guarda o dinheiro no colchão, com medo dos bancos. Tu sabes é muito, vais mamar uns jantares à conta a casa dos amigos com a desculpa que não tens Sport TV.

vermelho disse...

Amigo Fura-Redes:
Não imaginas o prazer que tive ao ler o teu comentário, mas, acima de tudo, ao saber que sentiste "enorme alegria e orgulho em saber que o jogo Shalke - FCP foi visto por mais 200 mil telespectadores que o SLB Nuremberga."
Partilho do teu sentimento!
Não sabes a alegria e orgulho que senti ao constatar que, apesar das conquistas alcançadas nos últimos anos, continuas a rejubilar por comparação!
És a voz do sentir portista!
És a voz da menoridade!
És a voz dos complexos de inferioridade!

Lion Heart disse...

Ó meus convencidos, isso só quer dizer que o Schalke vende mais que o Nuremberga

JC disse...

As declarações de Paulo Bento antecendedo o jogo de Basileia deixam-me algo apreensivo.
Desde logo, porque quando Bento começa a falar no 1º objectivo e no 2º objectivo, fico logo com a sensação de que os jogadores, a partir desse momento, se conformam logo com o tal 2º objectivo - o que é mau, porque neste caso significa jogar para o empate ou para uma derrota por um golo de diferença.
Depois, porque Bento disse que não treinou os penalties.
Compreendo o sentido do que disse: penso que pretendia transmitir a ideia que nem lhe passa pela cabeça que o SCP chegue ao ponto de ter de discutir a elmimnatória dessa forma.
Mas numa ocasião em que os jogadores do SCP falham sucessivas grandes penalidades, dizer que nem treinou este tipo de lance parece, no mínimo, humor negro.
Boa sorte para os clubes portugueses na Europa é o que eu desejo.

Antes morto que vermelho disse...

pateta: vou jantar a tua casa ver um jogo da bola na sportv e depois vomito-te a casda toda á conta dos golos do fcp.
para logo á noite desejo derrota da lagartada, derrota copiosa da lampionada e derrota clara do braga, com sonsequente despedimento do machado!

JC disse...

AMV:
Quem tem telhados de vidro não deve atirar pedras ao vizinho.
No caso, quem tem Bruno Moraes na equipa e quem teve Tomo Sokota no plantel durante duas épocas, período durante o qual apenas efectuou 3 jogos, não deve falar do Mantorras nem do Derlei.

VermelhoNunca disse...

Estranho a alusão que o nosso administrador faz às comparações que o portista Fura faz entre o FCPorto e o Sporting. Quando é criticado por fazer algo do género, em relação aos roubos que têm favorecido o Benfica, revolta-se e justifica-se de modo confuso, na minha opinião, misutando alhos com bogalhos.
Mas hoje não pensou do mesmo modo.

FURA-REDES disse...

Amigo Vermelho:

Evidente que sou a voz da menoridade e dos complexos de inferioridade.
Mas orgulhoso e satisfeito.
Orgulho-me de não ter um símbolo do boavista na porta do meu estádio; de não precisar de Ministros na Tribuna; de não ter dirigentes a irromper pelos Jornais adentro; pela SicNotícias a dentro; de não pertencer a um clube que está no Guiness; de não pertencer ao clube com mais sócios no Mundo - contando, como é sabido publicamente, com canídeos que revestem tal qualidade -, mas que necessita de operações - coração e outras que tal; de um clube que não contratou jogadores com ajudas da RTP e que não vive de empurrões nem de memórias a preto e branco.
Por isso e perante todas estas grandezas; perante gloriosos, catedrais e outras que tais tenho de me orgulhar dos pequenos feitos que o meu clube de bairro atingiu, mas sempre, claro está, por comparação.
Além do mais, não conheço ninguém do Shalke04 e do Nuremberga com quem pudesse esgrimir estes argumentos, daí ter recorrido a este espaço.
E, é tão bom que a mesma notícia nos tenha bem disposto aos dois.
E, desde já, aviso que logo não vou assistir ao jogo do benfica.
Já estou preocupado com a estatística.
Abraço.

Antes morto que vermelho disse...

jean claude: o torras e o derlei, também foi negociata de empresários? se sim concordo consigo, se não, se foram vendidos como "grandes jogadores", então não concordo que tenha telhados de vidro.

nunca: a loucura descontrolada tomou conta do bermelho. já não tem controle sobre ele, está doente.
agora só falta a lampionagem sair da uefa, para provavelmente ser internado.

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Sabes que eu não possuo discernimento pelo que não estranhes que me "justifique de modo confuso, misturando alhos com bogalhos".
É sabido que os desequilibrados não mantêm uma linha de raciocínio coerente ou perceptível.
Assim, não estranhes o meu discurso desconexo.
Abraço.

VermelhoNunca disse...

Por lapso, referi as comparações de Fura, entre o Porto e o SPorting, mas foram entre o Porto e o Benfica. Assim é que está correcto e se assim não fosse o nosso administrador não tinha aparecido para defender o seu Benfica. Penso que o nosso administrador se candidata a entrar para o Guiness , como o único adepto do Benfica que acha que Binya não cometeu falta visível e que Luís Filipe não cometeu penalti.

vermelho disse...

Amigo Fura:
Para ser breve, fazer apenas uma correcção:
O clube do qual és adepto está no Guiness!
"Já foi homologado o novo «Guiness World Record» estabelecido no Estádio do Dragão no passado dia 2 de Novembro, minutos antes do arranque do encontro entre F.C. Porto e Belenenses. A contagem final de aviões de papel que sobrevoaram o palco portista indica uns impressionantes 12.672 aviões lançados em simultâneo, que voaram pelo menos três metros e aterraram no relvado.

O evento de sucesso, que coloca o feito entre os registos inéditos do planeta, ocorreu às 20h25 de sexta-feira, 2 de Novembro, com 24.192 pessoas nas bancadas do Estádio do Dragão (o jogo registou uma assistência de 38.423 espectadores). No total, foram contabilizados 12.672 aviões de papel, que cumpriram os requisitos para que o recorde fosse estabelecido.

Fundamental para o êxito da iniciativa foi o empenho dos adeptos azuis e brancos, que aderiram em massa a esta acção, contribuindo decisivamente para colocar o Palco de Emoções na história dos feitos inéditos no Mundo.

Recorde-se que o anterior máximo de um evento do mesmo género ocorreu em Valência, Espanha, com um total de 2.113 aviões de papel lançados, registo amplamente ."

Aquele abraço.

VermelhoNunca disse...

Compreendo a táctica da vitimização que adoptou , amigo Vermelho, porque não é fácil defender o indefensável, neste caso o seu clube.
Mas anime-se, pois pior é dificil, embora eu ache que ainda esteja para chegar esse momento.
Mas hoje pode ter uma vitória, nas audiências, pois Sporting e Benfica jogam ao mesmo tempo, em canal aberto os dois. Festeje essa vitória das audiências, pode contribuir para alivar a tensão que transporta nos últimos dias.

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Entrar para o Guiness é o meu sonho!
Se não te importas, podias enviar a minha candidatura, p.f.
Desde já agradecido.

FURA-REDES disse...

Amigo Vermelho:

Agradeço a boa nova, que desconhecia, mas como sabes não tenho ninguém ligado à aviação.
De qualquer modo, penso q o SLB já bateu o recorde do número de voos registados em estádios de milhafres a fazerem-se passar por águias, com nome de espécie de carruagem puxada por cavalos, em busca de restos de carne não inspeccionada pela ASAE.

Retomando o teu artigo de opinião, informar que Paulo Bento teve hipóteses de acompanhar o Ricardo, transitando para o Sevilha, mas não aceitou por medo.
Medo, do Barbeiro de Sevilha.
Abraço.

VermelhoNunca disse...

Não é o seu sonho , amigo Vermelho,mas é o alimento com que muitos da sua raça , benfiquista, se alimentam. Os Maiores do Mndo!!!

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Eu sou uma vítima de mim próprio, como abundantemente por aqui se diz!
Ao contrário de outros, não festejos vitórias que não sejam desportivas.
A minha cultura desportiva, ainda que, por certo, mal sedimentada não por quem ma transmitiu, mas por notórias dificuldades de aprendizagem, não me leva a exultar com o tipo de vitórias a que aludes.
Sou um pobre de espírito, mas não desço tão baixo!

VermelhoNunca disse...

Não me referia a si, como aliás se pode concluir pelo que escrevi. Sabe bem que muitos da sua raça são alimentados a pão-de-ló, e que isso os satisfaz minimamente,mas excluo-o desse rebanho.

vermelho disse...

Amigo Fura-Redes:
Lamento que trilhes esse caminho!
Não te prestigia!
Abraço.

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Obrigado pela deferência.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, falando em relação ao seu artigo, tenho acompanhado pelos jornais essa questão. LI declarações de dirigentes do Sporting e do Benfica, que dizem não temer a lei, em virtude das tais cláusulas de rescisão, e que "passam" ao lado desta lei. No entanto, não domino a matéria ao momento, para emitir opinião válida.

FURA-REDES disse...

Amigo Vermelho:

Vamos com calma.
Estamos a "pegar" um com o outro, mas numa perspectiva de salutar brincadeira, a que dou bastante valor, como sabes. Não tenho os teus conhecimentos, por isso não estou à vontade para falr tão densamente como tu.
Não leves a mal as minhas brincadeiras.
Se não apreciares o estilo, voltarei a hibernar.
Amigos como dantes, isso é o que me interessa, mais do que o resto.
Abraço, brother, man.

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Sinceramente, obrigado pela referência que fazes ao artigo de opinião.
Eu acho que se deviam preocupar e muito pelas razões que apresento no texto.
Receio que acordem tarde para o problema.
E digo isto em relação ao Sporting e Benfica e sem qualquer ponta de ironia ou sarcasmo.

VermelhoNunca disse...

Eu diria, amigo Vermelho, e por vários artigos que tenho lido, em imprensa não desportiva, pois essa não leio, que a lei é francamente prejudicial para os clubes. Penso que terá de haver bom-senso na matéria , de todas as partes.

vermelho disse...

Amigo Fura:
Este blog existe há mais de 2 anos.
Neste período e numa base diária os ataques à minha idoneidade e honorabilidade têm sido uma constante.
E em ritmo crescente.
Não obstante, não me eximo ao escrutinio diário daqueles que fazem o favor de me visitar.
Já fiquei aborrecido, mas nunca pelo exercício do direito de opinião.
Sempre pela falta de respeito e pelo insulto gratuito.
Enquanto Fura-Redes nunca publicaste qualquer comentário no qual fosses menos respeitoso para comigo ou me insultasses.
Fizeste-o sob a capa do anonimato.
Não me agradou nada!
Especialmente porque te refugiaste no anonimato para lavar a alma!
Não o esperava de um amigo!
Teve uma virtude: fiquei a conhecer-te melhor e a saber o que esperar de ti!
Como não ignoras, aprecio o teu estilo e gostaria muito que continuasses a escrever neste espaço.
Penso que posso analisar criticamente o que escreves em ordem a secundar a tua posição ou a rejeitá-la.
Foi isso que fiz!
E sempre numa lógica de amizade que procuro preservar e nunca trair.
Aquele abraço.

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Concordo em absoluto!
Aliás, o bom senso deve imperar sempre!

JC disse...

Amigo Nunca:
Permita-me corrigi-lo:
A lei é francamente prejudicial para os clubes pequenos, como, aliás, sublinha o Amigo Vermelho no seu artigo!
Os grandes colossos do futebol sairão beneficiados.
Nem de outra maneira poderia ser!
Então não são eles que estão por detrás destas Leis e Regulamentos?

A generalizar-se a aplicação deste art. 17º, o SCP será, creio, o clube mais prejudicado em Portugal, pois que gera menos receitas que Benfica e FCP e depende mais do que os seus rivais da venda dos seus jogadores saídos da formção.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, espero que não me inclua nesses que, diz, procedem ao insulto gratuito à sua pessoa, e muito menos no anonimato. Eu dialogo fervorosamente com o amigo, picando-o, mas sempre na base do respeito. Se alguma fez não consegui transmitir essa mensagem, desde já as minhas desculpas.

VermelhoNunca disse...

Tem razão amigo JC. Quando referi que a lei é prejudicial aos clubes, fui egoista, e pensei no meu clube apenas.

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Nem de perto, nem de longe!
Contigo cultivei uma relação de respeito mútuo!
O comentário tem destinatário certo e preciso e trata-se de um condómino que o meu bom amigo conhece muito bem - Costa.
Abraço.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: o bermelho está amuado! será que já o insultei alguma vez?
ainda assim, tenho mais consideração pelo bermelho que pelo pateta. no entanto, a cegueira relativa ao talhante é preocupante! pelo menos hoje não irá nascer um golo das mão (de ferro) do talhante? lance, aliás, precedido por falta? e o bandeirinha faria vista grossa do lance?

fura: magnifico! pena que tenha necessidade de alertar bermelho para o tom do seu discurso. o marreta está de tal maneira, que já não consegur descernir nada.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: também a desculpar-se? esqueceu o que me disse uma vez telefonicamente?

FURA-REDES disse...

Amigo Vermelho:

Palavras para quê?.
Tudo o que disseste são evidências.
Tens razão e pelo fraco comportamento que tive, nada há a dizer.
Qual a razão de ser do anonimato?
Talvez o dizeres as coisas no meu estiloe tentar evitar perder ou beliscar um amigo.
Quis aferroar, meter-me com o amigo, querendo continuar a ser amigo. Impossível, bem sei.
Mas, na altura, foi uma forma que encontrei de escrever aquilo que não tinha coragem de te dizer identificadamente porque não saberia qual seria a tua reacção, sendo que essa forma de escrever teve alguns comentários que motivaram a continuar.
Voltei a falhar.
Mas acredita que também o fiz para ir dinamizando este espaço.
Não me insurgia contra ti, amigo e colega, isso nunca quis ou fiz, mas sim com o personagem que acabas por assumir aqui, e que embora tenha AGORA associada uma foto, na altura também seria anónima para quem visitasse este espaço.
Simpatizo com a criaçãod e personagens que defendem este ou aquele aspecto do seu clube ou região. Seria um ESTEBES, neste caso.
Nunca quis ofender-te a TI, mas bem sei o tempo que dedicas a este espaço e a importância que ele tem para ti, por isso deixei de fazer aquelas idiotices.
Sabes seria mais fácil se este blog não fosse teu.
Sendo-o e querendo preservar a nossa amizade, visitá-lo-ei, direi, se me permitires, umas larachas e tudo correrá bem.
Mas nota uma coisa, a traição que ocorreu foi ao blogger nunca a TI, eu consigo fazer a distinção e por favor fá-la também.
No resto, meu amigo sempre fui e serei leal, assim como reconheço que também o tens sido.
Abraço.

vermelho disse...

Amigo Fura:
Ao contrário dos políticos portugueses, eu não consigo dividir-me em dois!
Eu sou eu, com os meus defeitos e as minhas virtudes!
Nunca cindi ninguém, nem sou apologista de quem se faça tal exercício!
Vejo-o sempre como uma desculpa fácil!
O meu "pseudo" anonimato nunca existiu para ti, pois que foste o primeiro a saber da criação deste espaço!
O que mais me custou foram as situações em que tu sabendo-me doente ou com problemas pessoais não te fizeste rogado em continuar a tua senda de insultos e desconsiderações.
A discordância é salutar.
O unanimismo é desgraça.
Podes fazer-me as críticas que quiseres cara a cara, que não será por isso que deixaria de ser teu amigo.
Antes, pelo contrário.
Hipocrisias é que não!
Mas, a tal personagem não se ficava pelo exercício da opinião ou crítica, extravazava e muito esse âmbito, entrando no insulto pessoal!
E com conivências expressas ou tácitas de outros!
Isso não se espera de um amigo, em nenhuma circunstância ou ocasião.
E, como diria ontem JC, agindo com frieza de ânimo tudo se torna muito mais grave.
abraço.

vermelho disse...

Amigo Fura:
Para terminar e porque me tenho que ausentar, afirmar que espero que continues a visitar este espaço, dizendo de tua justiça sem peias ou grilhetas.
Escrevendo livremente como se impõe sempre!
abraço.

FURA-REDES disse...

Pena que assim consideres, mas eu faço a distinção, a sério que a faço.
Já fiz mea culpa e agora continuarei a divulgar este espaço E a participar nos passatempos.
No resto continuarei a ser teu amigo, sem qualquer reserva ou anonimato.
Abraço.

cavungi disse...

Amigo Furão,
Tú és o Salvatrucha?
Tú és o Costa?
Quem eras tú afinal, quando atacavas ignobilmente o nosso estimado admin?

cavungi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Já imaginaste quantos seriamos a assistir ao Nuremberga se tivessemos ganho METADE dos titulos que o clube que jogou contra o Shalke (e levou), essa grande equipa europeia, ganhou nos ultimos 25 anos?

Antes morto que vermelho disse...

fura e bermelho: telefonem um ao outro, mandem um email um ao outro.
aqui ou se fanatiza, ou se insulta ou se arrota!!

Antes morto que vermelho disse...

xungo: já cá faltavas tu para escarrar livremente... isto já estava um bocado para o lamechas... mas eis que aparece o homem da camisola "I Swallow", ressabiado como sempre, cujo clube está envolvido na primeira competição dos úlmimos na europa e cujo clube segue no primeiro dos últimos dos lugares da liga, aleluia!

levámos do schalke e não sei se vamos passar, mas ao menos, como habitualmente, passámos a fase de grupos da champions!

em que canal dá a lampionagem e a que horas? a mesma questão para a lagartagem e para a equipa do machado?

Antes morto que vermelho disse...

MARQUEM NAS AGENDAS

SEXTA-FEIRA, JORNAL DA NOITE NA SIC

ENTREVISTA DE PINTO DA COSTA

VermelhoNunca disse...

Marcar na agenda para quê, Macaco? para mudarmos de canal?

Antes morto que vermelho disse...

nunca: é uma hipótese?
mas o papa na sic é sinónimo de audiências e poderá aroveitar para saber mais algumas coisas dum tal apito dourado. aposto que o vaidoso/lampião do ricardo costa vai fazer parte do grupo de entrevistadores... desde que o cabeçudo não o faça!