domingo, abril 19, 2009

V. Setúbal - Benfica 0-4

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

Liga Sagres 25.ª jornada

Estádio do Bonfim
Árbitro: Soares Dias (Porto)

V. SETÚBAL: Kieszek (3); Janício (2), Robson (2), Auri (2) e Michel (2); Hugo (2), Elias (2), Ricardo Chaves (2) e Leandro Lima (2); Bruno Gama (3) e Regula (3)

Suplentes: Milojevic, Brigues (3), Anderson, Laionel (-), Joeano, Carrijo e Moisés (2)

Treinador: Carlos Cardoso

BENFICA: Quim (3); Maxi Pereira (3), Sidnei (4), Miguel Vítor (3) e David Luiz (4); Ruben Amorim (4), Carlos Martins (4) e Aimar (4); Nuno Gomes (4), Cardozo (4) e Reyes (4)

Suplentes: Moreira, Katsouranis (3), Jorge Ribeiro, Yebda, Di Maria (3), Urreta (-) e Mantorras

Treinador: Quique Flores

Sistemas Tácticos

V. Setúbal


Benfica
Modelos de Jogo

V. Setúbal

Bloco baixo; Expectativa; Transições Rápidas.

Benfica

Posse e Circulação de Bola; Domínio e Controlo da Partida; Bloco médio/alto; Assumir Iniciativa de Jogo.

Principais Incidências da Partida (fonte: http://www.record.pt/)

2' - Carlos Martins remata forte de fora da área, a bola bate em Hugo e o Benfica ganha o primeiro canto do encontro.

7' - Carlos Martins tenta um novo remate de fora da área, com força e efeito, mas o disparo sai por cima da baliza sadina.

20' - Reyes, junto à linha lateral pelo flanco direito, escapa em velocidade a Michel e assiste Nuno Gomes na área sadina, mas o avançado remata enrolado e desperdiça uma boa oportunidade de golo.

26' - Golo do Benfica, por Nuno Gomes.
Reyes assiste um completamente sozinho Sidnei na direita, com o central a centrar para o cabeceamento certeiro de Nuno Gomes.

28' - Golo do Benfica, por Cardozo.
Após um livre apontado por Carlos Martins, a bola bate ligeiramente na barreira e vai parar em Cardozo, completamente sozinho junto à pequena área, com o avançado paraguaio a girar o corpo e a rematar forte para o fundo da baliza sadina.

42 ' - Após uma boa iniciativa de Aimar, Cardozo quase aponta o terceiro golo encarnado. O disparo à queima-roupa do atacante paraguaio foi defendido por Kieszek.

45'+2 - Golo do Benfica, por Cardozo.
Na sequência de um rápido contra-ataque, a bola passou por Aimar e Reyes e chegou a Cardozo, mais uma vez completamente sem marcação, com o avançado sul-americano a rematar com tranquilidade para apontar o terceiro golo benfiquista.

60' - Bruno Gama tem uma boa iniciativa pela esquerda (livrou-se de Maxi Pereira com um drible estiloso), e centrou para um remate de primeira de Brigues. O disparo, porém, saiu muito longe da baliza de Quim.

61' - Cardozo, de cabeça, no segundo poste, perde uma grande ocasião para aumentar a vantagem encarnada.

68' - O guarda-redes Quim, com uma excelente defesa, evita o golo sadino, após um bom remate de Brigues, já no interior da área benfiquista.

71' - Golo do Benfica, por Nuno Gomes.
Nuno Gomes combinou bem com Di María e, ao receber a devolução do argentino, rematou com tranquilidade para marcar o quarto golo encarnado no Bonfim e o seu sétimo no campeonato.

83' - De forma incrível, Cardozo falha o quinto golo, ao cabecear por cima da baliza sadina, após um ótimo centro de Di María da esquerda.

89' - Grande jogada de David Luiz, que termina com um remate extremamente perigoso.

90'+2 - Na sequência de um rápido contra-ataque, Di Maria assiste Cardozo, que remata em arco para uma estupenda e elástica defesa de Kieszek.

Destaques

Melhores em Campo

Benfica

Reyes - Disponibilidade física e mental, num desempenho de superior qualidade e equilíbrio.
Assumiu-se como o principal arquitecto dos movimentos ofensivos encarnados e alardeou classe.

Ruben Amorim - À direita trouxe, em muitas partidas desta época, equilíbrio à equipa.
Todavia, hoje, demonstrou que é ao centro que as suas qualidades mais se evidenciam.
A assistência para Di Maria no lance do qual resultaria o quarto golo encarnado, ilustra na perfeição a competência e o brilhantismo da sua exibição - agressividade, capacidade de recuperação de bola, visão periférica e leitura de jogo, complementadas com um passe de execução técnica irrepreensível!

V. Setúbal

Bruno Gama e Regula - Os menos maus e os mais inconformados!

Piores em Campo

Benfica

Num desempenho pautado pela competência, nenhum jogador merece menção negativa.

V. Setúbal

Michel - Uma citação que personifica o desacerto da defensiva sadina.
Este brasileiro, lateral-direito de raiz, terá sido o pior dos quatro elementos.
Reyes fez dele gato-sapato!

Arbitragem

Num jogo tranquilo, uma arbitragem, igualmente, serena.

Comentário

A Vitória mais Tranquila da Temporada!

O Benfica foi a Setúbal golear o Vitória por 0-4.
Nuno Gomes inaugurou o marcador ao minuto 25, Cardozo ampliou o resultado aos 27 e aos 45 minutos e o português fecharia as contas aos 70.
Um bom desempenho, na linha, aliás, do que estes mesmos onze jogadores haviam apresentado frente à Académica.
Sucede que, hoje, em Setúbal, a fluidez, a clarividência e a rapidez do processo ofensivo encarnado conheceu reflexos no marcador.
E pode mesmo dizer-se, sem ponta de exagero, que o Benfica se revelou incapaz de materializar em golos a superioridade que evidenciou.
A medida da preeminência encarnada excedeu e muito os quatro golos que subiram ao marcador. O Benfica podia ter saído do Bonfim com um resultado mais volumoso, mas voltou a desperdiçar diversas ocasiões claras de golo.
Face ao hábil desempenho frente à Académica, Quique Flores conservou inalterado o onze inicial. Tal como havia acontecido no Sábado passado, o Benfica entrou bem no jogo e, rapidamente, arquitectou várias chances de golo.
Com Reyes e Aimar na condução dos movimentos ofensivos, superiormente acolitados por Ruben Amorim e Carlos Martins, o Benfica empurrou o V. Setúbal para as imediações da sua área, forçando ao seu acantonamento e constrangendo os seus jogadores ao erro.
Como corolário lógico quer da supremacia, quer da qualidade do futebol desenvolvido pelos encarnados, o Benfica chegou ao golo aos 26 minutos.
Nuno Gomes antecipou-se aos defesas adversários e concluiu, de cabeça e de forma irrepreensível, um não menos excelente cruzamento de Sidnei na direita.
Dois minutos volvidos, Cardozo recolheu um pontapé de Carlos Martins na sequência de um livre e, sem oposição, ampliou a vantagem.
Dois golos que cercearam as parcas aspirações sadinas e induziram ao desmoronamento da sua débil estrutura defensiva.
Até ao intervalo, o Benfica incrementou o seu ascendente sobre a partida e subjugou por completo um Vitória emocionalmente destroçado e tacticamente desconjuntado.
As oportunidades surgiram em catadupa, mas o resultado conheceria apenas o acrescento de um golo.
Transição rápida idealizada por Reyes, solicitação para Cardozo e remate seco, forte e colocado do paraguaio para o terceiro golo.
Na segunda parte, o Benfica baixou a intensidade e pese embora tenha sempre dado a sensação de apenas pretender manter impoluta a sua vantagem, o certo é que logrou acentuar o seu império sobre a partida, construir mais umas quantas chances de golo e incrementar o marcador em mais uma unidade.
Em ritmo de jogo-treino, Nuno Gomes imitou Cardozo e ao bisar estendeu a vantagem encarnada para quatro golos.
Um triunfo de indiscutível equidade perante um adversário frouxo, cujas deficiências o Benfica soube explorar a preceito.

17 comentários:

Jimmy Jump disse...

Boa vitória do Benfica contra uma equipa que mais parecia estar com a cabeça noutro sitio. Se calhar até estava.
Se desconcentrados entraram, desnorteados ficaram depois dos dois golos de rajada de Nuno Gomes e do O. Cardozo respectivamente.
Depois foi ver o Benfica controlar o jogo aproveitando o desdobramento ofensivo do Setúbal para marcar mais dois e falhar outros tantos.
Controlou o jogo do princípio ao fim.
Dizes bem amigo Vermelho, foi sem dúvida alguma a vitória mais tranquila da época.

Relativamente ao jogo da lagartagem, ainda estou a tentar perceber 3 coisas:
1- como é que conseguiram ganhar o jogo.
2º- qual o motivo do espectáculo labrego de Paulo Bento, espectáculo esse com a chancela de FSF.
3- porque é que o Derlei não foi expulso?

Quanto ao Jogo do Futebol Corruptos do Porto, perguntar porque é que não foi assinalada aquela escandalosa mão de Raul Meireles, tão escandalosa quanto a falta de honra e competência do Benquerença. Seria o 1-0 para a Académica…
Então e a Pocahontas que no lance do terceiro golo recebe a bola plantada em fora-de-jogo descarado.
Enfim, aí vão eles uma vez mais embalados pela mão providente dos “homens do apito” felizes e contentes rumo ao tetra.

Vermelho disse...

Amigo Jimmy:
Estive presente na farsa levada a cena por Benquerença e sus muchachos!
Uma arbitragem mais do que habilidosa, insultuosa!
Foi um fartar vilanagem!
Nada que, infelizmente, não fosse previsível.
Antes da partida, nas bancadas do ECC, condómino JC questionou-me sobre as chances da Académica.
Respondi-lhe que a bem ou a mal, não teria qualquer hipótese.
Infelizmente, confirmou-se!
O Sporting podia ficar a apenas 1 ou 2 pontos...

p.s. PB, FSF e demais comandita vociferaram impropérios contra BP.
Sem qualquer razão, antes pelo contrário!
Não só o golo de Carriço é bem anulado e o amarelo a Moutinho correctamente exibido, como foi poupada a expulsão a Derlei!
Já no que concerne ao gamanço de Coimbra nem uma palavra!
Total silêncio!
Aquando do Benfica-Braga ergueram a voz clamando justiça!
É o pacto Roquette-PC no seu expoente máximo.
Aquele abraço.

Vermelho disse...

Amigo Jimmy:
Para que não me acusem de parcialidade, aqui fica um excerto da opinião publicada no blog "Pardalitos do Choupal":

Académica 0 Porto + Olegário 3

O jogo que hoje a Académica disputou no "Cidade de Coimbra", começou a ser "escrito há 2 semanas. O Porto não brinca nestas coisas e assim a Associação Académica rapidamente viu-se privada de Sougou ( no jogo com o Belenenses), de Hélder Cabral e Luiz Nunes ( no jogo da Luz).
Mas todo o cuidado é pouco, e Pinto da Costa sempre soube mexer-se bem nos meios da arbitragem e assim de Leiria veio mais uma vez o larápio do costume. Um arbitro do sistema, que apesar de toda a sua incompetência ao longo da última década chegou a internacional.
Quem não se lembra das arbitragens com o Braga ( em que faz vista grossa a um penalty claríssimo), ou da arbitragem em Penafiel?
Mas vamos ao jogo, ou como Olegário desequilibrou a balança, ao estilo matador.
A primeira parte foi muito equilibrada e a académica jogou taco a taco com o Porto e só não foi a vencer para o intervalo porque um vigarista que deveria ser isento "roubou" um penalty escandaloso, cometido por Raúl Meireles (...).

Jimmy Jump disse...

Amigo Vermelho, o penaltie assumiria contornos escandalosos em qualquer circunstância.
Naquela ainda mais porque o gajo estava de frente para o Meireles! Viu e nada assinalou. Porquê??
Gostaria de ouvir a explicação do ladrão.

Independentemente de existir ou não falta no lance do Carriço, dizer que o lance que dá origem ao golo anulado ao Sporting surge de uma falta de Adrien, esse sim um Sr. pé em riste sobre o João Alves, assinalada a favor do Sporting??!

Vermelho disse...

Amigo Jimmy:
Segundo o Lito disse e passo a citar: "O árbitro disse-me: "remata, estás isolado, porque eu dei a lei da vantagem." Eu rematei fraco, porque pensava estar em fora-de-jogo, mas é incrível porque numa grande penalidade não pode haver lei da vantagem."

Jimmy Jump disse...

Amigo Vermelho, aquilo que se passou ontem em Coimbra é o espelho do passado recente que culminou com a conquista dos bis, tris e tetras conquistados pelo Futebol Corrupto do Porto.
É vergonhoso.
Aquilo nem é gamar com arte e engenho.
É o gamanço sôfrego de seres anestesiados por décadas de processos repetitivos que viciaram um número infindável de resultados e passado décadas os mesmíssimos seres, no mínimo com os mesmíssimos vícios, continuam a merecer a devida complacência das impolutas entidades que tutelam o futebol nacional. Merda para isto!
Esta opacidade, este clima manhoso que paira sobre o futebol português é nauseabundo.
Que futuro?...

Vermelho disse...

Amigo Jimmy:
Negro, muito negro!
Esta semana, se tiver tempo, irei escrever um post dedicado ao tema "sistema".
Depois do que se tem passado esta época e da 3ª lesão de Nuno André Coelho a anteceder outros tantos jogos contra o Porto, parece-me da máxima actualidade.

Jimmy Jump disse...

Aguardarei o artigo com serenidade Amigo Vermelho.
Aquele abraço.

Vermelho disse...

Amigo Jimmy:
Saudar a vitória de Vettel no GP da China e a dobradinha da Red Bull.
Os difusores marcam, efectivamente, a diferença.

Jimmy Jump disse...

Amigo Vermelho, relativamente à fórmula 1 pelo que sei parece que as equipas ditas pequenas inventaram uma espécie de Maradona- os tais difusores- que lhes permite um rendimento espantoso e enorme supremacia sobre as equipas que não desenvolveram tal sistema.
A tabela classificativa sobretudo ao nivel do mundial de construtores reflecte isso mesmo.
Parece-me todavia estranho que as grandes equipas como a Ferrari por exemplo, tenham ficado para trás nesta inovação.
Dizer também que infelimente este ano, ainda não assisti a um GP que fosse, nem a um resumo decente dos mesmos.
Não faço ideia do estado da competição, se por exemplo melhorou ou não com as mudanças introduzidas?

Vermelho disse...

Amigo Jimmy:
Melhorou e muito!
O difusor foi um segredo bem guardado durante muito tempo por Ross Brawn, o suficiente para os grandes o terem negligenciado.
Acreditaram mais no Kers do que no difusor traseiro e a aposta não compensou.

Jimmy Jump disse...

A Renault por exemplo, que viu os seus pilotos terminarem em 7º e 16º no GP da China aparecerá no Bahrain com carros devidamente equipados com difusores.
A ver vamos no que vai dar.

Jimmy Jump disse...

Aliás, o Alonso terminou em 9º e não em 7º como disse.

Vermelho disse...

Amigo Jimmy:
Alonso já utilizou o difusor traseiro na China.
Piquet é que o fará pela 1ª vez no Bahrain.

vermelhosempre disse...

VERGONHOSOOOO. Estava eu no intervalo do jogo em que o Benfica vencia sossegadamente (coisa rara nos ultimos tempos) uma das equipas mais fracas que alguma vez vi na 1ª liga, quando alguém me diz que o Porto tinha ganho roubado, pois tinha ficado um penalti por marcar a favor da académica. Até aqui nada de novo (ou seja, o Porto estar a ganhar roubado), mas depois de ver as imagens dei comigo a pensar: ora se os lagartos, por causa do que se passou na final da taça da liga fizeram as tristes figuras qe é do conhecimento geral, a Académica podia pedir o enforcamento do sr Olarápio, pois se um foi induzido em erro por causa do movimento do braço, o outro viu e não marcou, viu e não quis ver, ou seja roubou deliberadamente. Ok, estamos a falar dum jogo contra o Porto, logo, ABSOLVIDO.

Voltando ao Benfica, vitória justa e escassa. Reyes é claramente um jogador acima da média, mas não lhe basta fazer aquelas maldades a um junior, tem que o conseguir fazer a jogadores de outro nível. Cardoso esteve mt bem, assim como o Nuno Gomes (o tal que n presta na selecção do Asneiróz).
Dizer ainda que a certa altura deu-me "pena" dos jogadores do setubal, pois apesar de tudo o que se passa, ainda continuam a trabalhar.

Do jogo dos lagartos, dizer que não percebo como é que o Guimarães perde o raio do jogo nos ultimos 5 minutos.

vermelhosempre disse...

Alguém sabe dizer-me quanto tempo é que as multas de estacionamento demoram a prescrever??? O

JC disse...

Estou sem acesso à net no meu local de trabalho.
Espero pelo técnico de informática para me conectar.

Não queria deixar de referir, contudo, que só agora, ao ver as notícias ao jantar, me apercebi do flagrantíssimo penaltie que Raul Meireles cometeu e que Olarápio não assinalou.
No estádio, não tinha tido a total percepção do lance.
Foi daqueles casos em que não há hipóteses de duas interpretações.
Mão na bola e nunca bola na mão.

Quanto ao espectáculo de Paulo Bento, Amigo Jimmy, vê bem como é invalidado o golo ao Carriço e já percebes a razão do mesmo.