quinta-feira, janeiro 25, 2007

Antevisão da Jornada e Balanço da 1ª Volta

A próxima jornada da Liga assume crucial importância, no sentido em que pode
ajudar a definir que campeonato ainda vamos ter.
Uma vitória do Porto significará um passo de gigante no sentido da renovação
do título.
Pontos perdidos por Benfica e Sporting serão sinónimo de adeus às aspirações
de conquista do ceptro de campeão.
Ao invés, um empate ou uma derrota do Porto em Leiria poderá abrir a
discussão da competição.
O Porto desloca-se pela 14ª vez a Leiria, sendo que nos 13 confrontos
anteriores averbou 8 vitórias, 4 empates e 1 derrota.
Na 1ª volta, bateu os leirienses por 2-1.
Entendi que a antevisão das partidas deste fim de semana seria a ocasião
ideal para ensaiar um balanço da 1ª volta.
O FCPorto lidera com inteiro merecimento e justiça.
Foi a equipa mais regular e mais consistente.
Não perdeu pontos em casa e fora apenas desperdiçou 5.
Demonstrou, ao longo desta primeira volta, uma superioridade evidente sobre
os demais competidores, facto exemplarmente ilustrado pela circunstância de
ser a equipa com mais golos marcados e menos sofridos.
As convulsões do início da época pouco ou nada afectaram o rendimento da
equipa.
A substituição de Adriaanse por Jesualdo, ainda que tumultuosa, não importou
qualquer decréscimo na qualidade global do futebol exibido pela equipa.
A transição de modelos de jogo ocorreu de forma pacifica e perfeitamente
conseguida.
Navegou sempre em águas tranquilas.
Individualmente, confirmou-se a ascensão de Anderson, a preponderância de
Pepe, Quaresma e Lucho e o ressurgimento de Postiga.
A média de 2.3 golos marcados por jogo e de apenas 0.5 golos sofridos é
reveladora da consistente e do equilíbrio da turma portista.
Esteve 9 jogos sem sofrer golos e 8 consecutivos a vencer.
Apresenta o melhor registo disciplinar de todos os competidores, com 33
amarelos e nenhuma expulsão.
Marcou 9 golos na sequência de lances de bola parada, emergindo Pepe e
Postiga, com 3 golos cada, como os principais protagonistas deste tipo de
jogadas.
Jesualdo utilizou 24 jogadores.
Para este jogo, Jesualdo apresenta duas novidades na convocatória, quais
sejam o lateral argentino Lucas Maraque, ex-River Plate, e Sokota, sendo que
Mareque poderá ter mesmo a oportunidade de ser titular.
Cech, lesionado, Adriano e Sektioui, por opção, e Bosingwa, castigado,
ficaram de fora.
Como bem enfatizou Jesualdo “A União de Leiria é das boas equipas que joga
na Liga. Tradicionalmente, no tempo foi mantendo muitos jogadores e, apesar
de alterações, os métodos dos treinadores têm sido enraizados no clube. É
das saídas mais difíceis que o FC Porto vai ter nos próximos meses”.
Muito embora, a equipa orientada por Domingos Paciência apresente um registo de vitórias superior fora de portas do que em casa (tem quatro empates, uma vitória e duas derrotas), o certo é que a matriz do seu futebol se adapta na
perfeição a adversários que assumem a iniciativa do jogo.
Aliás, a maior competência externa dos leirienses encontra razão de ser,
precisamente, nessa circunstância.
Jesualdo deverá manter-se fiel ao seu modelo de jogo e ao sistema táctico
que tem apresentado, assumindo-se, assim, a titularidade de Mareque, na
lateral esquerda, como a única novidade para este jogo.
Por seu turno, Domingos defrontando adversário de calibre superior, não
deixará de apostar numa forte consistência defensiva e na procura da
execução de rápidas transições ofensivas, na tentativa de explorar a
velocidade de Sougou e, provavelmente, de Paulo César.
Jogo de prognóstico favorável ao Porto, embora não se esperem facilidades, antes pelo contrário.
O Benfica desloca-se ao Restelo pela 69ª vez.
Nas anteriores 68 ocasiões, o Benfica alcançou 31 vitórias, 16 empates e 21
derrotas.
Na Luz, o Benfica derrotou o Belenenses por 4-0.
Com um inicio de época pouco mais do que decepcionante, a equipa de Fernando Santos procurou durante demasiado tempo a sua identidade.
As hesitações do treinador no modelo de jogo a adoptar em nada contribuíram
para a estabilização da equipa.
Fernando Santos oscilou entre o 4x3x3 e o 4x4x2 em losango aportando à
equipa uma instabilidade que lhe retirou consistência e discernimento.
O sai não sai de Simão, a tardia constituição do plantel, as lesões de Rui
Costa e Miccoli, as hesitações tácticas, foram factores que se conjugaram
para um paupérrimo inicio de campeonato.
Neste período, o Benfica viveu num constante carrossel de resultados, ora
vencendo por três golos de diferença, ora perdendo por igual margem.
A estabilização competitiva da equipa aconteceu em momento já adiantado da
época, o que acarretou o acumular de uma significativa desvantagem pontual
para o Porto.
Ainda assim, com um calendário muito difícil e com as assinaladas
debilidades, conseguiu terminar a 1ª volta somente a 1 ponto de distância do
Sporting.
Com um registo 100% vitorioso nos jogos disputados na condição de visitado,
o principal pecadilho do Benfica residiu nos insucessos fora de casa.
Com 3 vitórias, 2 empates e 3 derrotas, o registo forasteiro deixa muito a
desejar, assumindo-se como a principal razão do atraso pontual do Benfica.
Hoje por hoje, a consistência do seu modelo de jogo é outra e
substancialmente maior.
Fernando Santos apostou, definitivamente, no 4x4x2 em losango e a equipa
começa a dar sinais de ganhar rotinas e automatismos neste sistema. Assente
numa matriz de expectativa e de rápidas transições, espreitando o erro
adversário, o modelo de jogo de Fernando Santos tem vindo a consolidar-se.
O processo defensivo, especialmente as transições, mostram-se, agora, muito
mais sólidas, ao passo que o processo ofensivo revela uma eficácia digna de
realce.
Nota dessa eficácia ofensiva é a média 2,1 golos marcados por jogo para um
total de 32 tentos obtidos, bem como os escassos 2 jogos em que ficou em
branco.
A progressiva melhoria do processo defensivo reflectiu-se, igualmente, no
número de golos sofridos – 13 – numa média de 0,9 por jogo.
Por outro lado, a equipa logrou 8 jogos sem sofrer golos, o que denuncia a
melhoria assinalada no último terço da 1ª volta.
A nível disciplinar, o registo é preocupante, como o espelham os 35 cartões
amarelos e 6 vermelhos exibidos a jogadores do Benfica. Todavia, também,
neste particular, se registaram melhorias significativas no último terço da
1ª volta.
No que concerne às bolas paradas, destaque para os 14 golos obtidos na
sequência deste tipo de lances, número que projecta o Benfica para a
liderança neste item.
Fernando Santos utilizou 23 jogadores.
Individualmente, destaque para Simão, de regresso à sua melhor forma,
Katsouranis, a melhor contratação de 2006/07, pelo menos, até ao momento,
Quim, afirmando-se definitivamente, Rocha, na sua melhor temporada de
sempre, revelou um equilíbrio e uma constância de rendimento até então
desconhecidos.
Realce negativo para Rui Costa, muito tempo ausente devido a lesão, e para
Miccoli, pelas mesmíssimas razões.
Um calendário favorável na 2ª metade do campeonato augura, pelo menos, expectativas de aproximação ao líder.
Penso que esta partida com o Belém se mostra decisiva na averiguação daquilo que o Benfica ainda poderá fazer na presente temporada.
Ganhando consolida a melhoria das suas prestações forasteiras e abre a porta
à discussão do título.
Empatando ou perdendo diz adeus a quaisquer veleidades de sucesso que ainda subsistissem.
Face à ausência de Miccoli e à míngua de outras opções, Fernando Santos terá de escolher entre a manutenção do 4x4x2 em losango ou o 4x3x3.
Acaso opte pela primeira das soluções, Karagounis deverá ser titular,
avançando Simão para uma posição próxima de Nuno Gomes.
Ao invés, se preferir o 4x3x3 então Manú ou Paulo Jorge serão chamados ao
onze.
O Belenenses deverá apresentar a mesma estruturação táctica do jogo contra o Sporting, introduzindo Jorge Jesus, apenas, uma modificação no onze titular
– Dady no lugar de Roma.
Jogo de prognóstico reservado, com maior dose de favoritismo a pender para o
Benfica.
O Sporting desloca-se pela 50ª vez ao Bessa.
Nas anteriores 49 deslocações, obteve 10 vitória, 18 empates e 21 derrotas.
Em Alvalade, o Sporting derrotou o Boavista por 3-2.
Na 1ª volta, os leões, embora tenham beneficiando de um calendário favorável
(receberam os 5 primeiros classificados), não confirmaram as boas indicações
deixadas na 2ª volta da pretérita época.
A 7 pontos do Porto e enfrentando os seus principais opositores na condição
de visitante, não se espera uma 2ª volta fácil para os comandados de Paulo
Bento.
Ainda assim, a principal diferença para o Porto residiu nos pontos perdidos
em casa – 6 contra 0 dos azuis e brancos.
Paulo Bento insistiu no modelo que lhe rendera êxitos na época passada, mas
a consistência de então não se repetiu, pese embora o reduzido número de
golos sofridos – 9-. Aliás, o Sporting foi a equipa que esteve mais jogos,
10, sem sofrer golos.
Faltou a correspondente eficácia ofensiva.
A equipa pareceu sempre algo desequilibrada, bem atrás, mas mal na frente.
Revelador quanto a este aspecto foi a circunstância de ter estado 3 jogos
sem marcar qualquer golo.
A matriz do seu jogo permaneceu, igualmente, inalterada, assente num jogo de
expectativa, buscando explorar o erro adversário, o que se reflectiu nos
golos obtidos apenas 22 (média de 1,5 por jogo por contraste com as médias
de 2,3 e 2,1 de Porto e Benfica, respectivamente). Talvez, lhe tenha faltado
o Liedson de outrora.
Individualmente, destaque para Moutinho, referência maior deste Sporting,
confirmação de um valor seguro do nosso futebol, para Nani, pujante e
deslumbrante no arranque da temporada, para Polga, seis meses em grande
forma, embora tenha descido abruptamente de condição, e para a Caneira,
sempre consistente.
Realce negativo para o “apagão” de Liedson, para as contratações efectuadas,
mormente Bueno e Alecssandro, para o declínio de Martins e para o
“desaparecimento” de Nani no último terço da 1ª volta.
Disciplinarmente, uma das grandes conquistas de Bento o ano passado, a
equipa apresenta um registo menos conseguido – 37 amarelos e 3 vermelhos.
Em termos de bolas paradas, contabiliza 9 golos, surgindo Tonel com 2 como o
principal artilheiro neste capítulo.
Jogar no Bessa foi, ao longo dos tempos, um tormento para os leões.
Pese embora, o Boavista experimente problemas vários, que retiraram
consistência e efectividade ao seu futebol, a partida de Domingo à noite não
deixará de ser um duro teste à actual condição do Sporting.
Pacheco neste seu regresso ao Bessa ainda procura o melhor onze, mas os
princípios de jogo do passado já moram nesta equipa.
Agressividade, muita agressividade, pressão, muita pressão. Muita “porrada”
promete Pacheco aos adversários.
Não é crível que aposte nos novos reforços, devendo apresentar-se com
William, Lucas, Hélder Rosário, Cissé e Fernando Dinis, Tiago, Kaz,
Essame, Grzelak, Zé Manel e Linz.
Por seu turno, Paulo Bento deverá optar por um onze composto por Ricardo,
Caneira, Polga, Tonel e Miguel Veloso, Custódio, Moutinho, Tello e Nani, Liedson e Alecsandro.
Jogo de prognóstico favorável aos leões, embora previsivelmente equilibrado.

33 comentários:

Zex disse...

Análise muitíssimo bacoca !
Nem La Palisse diria melhor, sr. verrecto !
A análise estatística é razoável. A previsão dos jogos é miserável. Não diz nada de novo !
Não admira a sua posição no karamba !
Capacidade de previsão: Zero !
Estranho não ter saído a boquinha que o Domingos ia fazer um favor ao Porto ! Se calhar até vai ser o contrário...

vermelho disse...

amigo zex:
os meus dotes adivinhatórios são muito fracos...
quanto ao Domingos, no fim veremos se existem Manacas em Leiria.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Boa análise à 1ª parte do campeonato.

JC disse...

Amigo Nunca:
Desculpe lá mas ri-me a valer com o seu comentário.
Está mesmo desinspirado.
Acho que o mal é geral.
Ainda por cima, quando eu tinha escrito aqui algumas linhas sobre a próxima jornada e me preparava para as "postar", inexplicavelmente perdeu-se todo o meu comentário.
Enfim, esperemos por melhores dias, quiçá já por 2ª feira depois de uma indigestão de pastéis de nata, ditos de Belém.

VermelhoNunca disse...

Amigo JC, o nosso administrador escreveu um artigo com cerca de meio milhão de palavras. Não me ocorreu dizer mais nada.

vermelho disse...

amigos:
a divulgação desta notícia é vergonhosa
"Derlei está em Lisboa acompanhado por um dirigente do Dínamo Moscovo, a fim de negociar a transferência para o Benfica. Por esta altura, e dado que o avançado luso-brasileiro até já terá aceite baixar o ordenado, o único entrave ao negócio é a reticência de Karyaka mudar-se para o clube russo.
Os «encarnados» colocaram em cima da mesa das negociações o empréstimo de Karyaka e o Dínamo Moscovo mostrou abertura, mas o médio russo está reticente em aceitar a mudança, pelo que este será por esta altura o entrave a ultrapassar esta sexta-feira."
quem promoveu a sua publicação apenas pretende colocar o Karyaka numa posição suficientemente desconfortável perante a massa associativa para anuir a transferir-se para o Dinamo.
por mim, espero que se mantenha intransigente.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Movimento pró Karyaka comandado pelo nosso administrador.

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Lanço desde já, a partir daqui a campanha. "Fica KaryaKa".

JC disse...

Amigo Nunca:
Comprendo-o perfeitamente.

E cá temos de novo o Derlei.
Afinal, não se tratava de uma notícia especulativa.
Há mesmo interesse do Benfica.
Mais: as negociações estão avançadíssimas.
Só falta conseguirem embrulhar o Kariaka no negócio.
O que se tenta fazer através da comunicação social.
É o Benfica no seu melhor.

cavungi disse...

Amigo Jus,
de vez em quando levamos uns pasteis de belem para casa.Espero que no sábado isso não aconteça.
Mas penso que não está muito descansado com o jogo do SCP no Bessa.
Apenas por 10 vezes lá conseguiram ganhar.É nestas alturas que surge o Boavistão.
Força Pacheco!

VermelhoNunca disse...

Amigo Botelho Cavungi, não nos vai brindar com o seu choradinho relativo ao árbitro do Restelo?

vermelho disse...

amigos:
não se trata de qualquer movimento pró-Karyaka, mas simplesmente de denunciar uma ignóbil tentativa de o despachar para Moscovo via comunicação social.
abraço.

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Ao que li hoje na "imprensa desportiva" afinal Derlei vem para ala direito.
Vem fazer sombra a Manú, portanto.
Falta o avançado Purovic e o central argentino Pelegrini.
Podia ser pior.Podiam além do Derlei tentar trazer o Geraldão e o Kostadinov que são pouco mais velhos que o Derlei e tambem já jogaram no FCP.Condição essencial para o ladraõ de paquidermes.
E até são mais novos que o maestro.

cavungi disse...

Amigo nunca,
Eu não costumo me queixar do arbitro.Pelo menos á postriori.Faço-te até um desafio:
não mais falarei da arbitragem pré ou pós jogos se de ti não ouvir uma queixa que seja.Nem uma calimerice.

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Eu até acho que karyaka terá agora mais opurtunidades para jogar.este ano sempre que o tem feito, tem-no feito bem.Portanto, "Fica Karyaka".

VermelhoNunca disse...

Não costuma falar do árbitro? Quer que eu recupere posts seus, em que não faz outra coisa? Recorde-se do Sporting e da Académica contra o seu clube, e verifique as barbaridades que proferiu antes dos jogos.
Eu falo e continuarei a falar dos árbitros, quando entendo que erram. Mas o seu espirito cineasta, vulgo Botelho, leva-o a prognosticar a exibição dos mesmos. Efeito espaço Karamba, talvez!

vermelho disse...

amigo cavungi:
belas casquinadas soltei.
por mim, como já aqui disse, o Karyaka ficava e jogava mais.
pois, parece que o querem para ala direito????
ala???
o homem nunca foi ala na vida, era agora no fim da carreira e já sem a velocidade de outrora que se iria tornar ala.
foi um avançado muito móvel, que descaia para as alas, o que é completamente diferente de alguma vez ter jogado como ala.
quanto aos outros, não os conheço, muito embora as referências que li do Purovic deixem entender tratar-se de um bom jogador.
abraço.

cavungi disse...

Amigo Nunca,
O que eu disse é que não costumo me queixar do arbitro depois dos jogos.
Antes dos jogos, devo denunciar o que penso sobre determinados senhores.
Como por exemplo o Sr. Domingos Paciência.Será que a táctica a utilizar não vai ser: "Perder, mas perder de cabeça erguida?"

vermelho disse...

amigo cavungi:
como disse supra "quanto ao Domingos, no fim veremos se existem Manacas em Leiria."
abraço.

VermelhoNunca disse...

Você não se queixa depois dos jogos porque não tem razão para isso, porque o seu clube é invariavelmente beneficiado.Recorde-se só da visita ao Restelo, quando o militar apitou. Lembra-se da vergonha que foi? Para que não se esqueça, aqui tem as palavras do arrependido:

"Pedro Henriques

"Na minha opinião ficaram dois penáltis por marcar"

"Na jogada entre Luisão, Anderson e Meyong? Há contacto físico, mas que eu nunca assinalo, nem dentro nem fora da área. Doutra forma, haveria 70 e tal faltas por jogo"


Depois de tudo quanto se disse, sobretudo no sector da crítica, mesmo a mais especializada, sobre a arbitragem de Pedro Henriques no Belenenses-Benfica de sábado passado, era obviamente importante ouvi-lo.

- Que é que se passa? Então ficaram dois ou três penáltis por marcar contra o Benfica, no Restelo. É pelo menos fortemente acusado disso...
- Bom, críticas houve que foram apenas próprias de quem as fez...

- Mas ficaram penáltis por marcar, ou não?
- Na minha opinião, ficaram dois.

- Quais?
- Um, por falta de Petit sobre, creio, José Pedro, aos 5 minutos da 2ª parte. E outro, por mão do Manduca, aos 77 minutos. No campo, pareceu-me ombro, mas depois vi que a bola tinha batido entre o ombro e o bíceps, no braço, portanto.

- E o terceiro - carga de Luisão e de Anderson sobre Meyong, logo aos 16 minutos de jogo - não foi penálti?
- Há com efeito contacto físico, mas que eu nunca assinalo, nem dentro nem fora da área. Se assinalasse, haveria 70 e tal faltas por jogo. Pelo que, repito, nunca assinalo lances em que se verifique esse tipo de contacto.

JC disse...

Amigo Cavungio:
É óbvio que não estou descansado com o jogo que o SCP vai realizar no Bessa.
Aliás, a jogarem ao nível do que têm feito ultimamente, arriscam-se mesmo a perder.
Estou convencido mesmo que ou o SCP dá um salto qualitativo no seu jogo agora no início da 2ª volta, colocando-se ao nível do que jogou o ano passado na 2ª volta do campeonato, ou então será o principal candidato ao 3º lugar.

O Benfica parece-me mais forte do que o SCP neste momento.
Do que vi do Benfica no jogo com a Académica, ficou-me a sensação de que defende mal, como equipa é pouco consistente e pouco coesa, mas tem momentos do jogo em que os jogadores se empolgam, caiem em cima do adversário, encostam-no às cordas e resolvem o jogo.
A maior força do Benfica está nos atacantes ou nos jogadores com funções atacantes: quando recupera a posse da bola, o Benfica rapidamente coloca 4 jogadores em cima da área adversária e cria situações de golo.
O benfica não produz durante o jogo muito futebol, mas consegue criar situações de oportunidade de golo com muita facilidade.

O SCP nesse aspecto está bem pior neste momento, porque mastiga muito o jogo e os seu avançados andam sempre desapoiados, desgarrados e encostados à linha, logo, com poucas oportunidades de concretizarem.

VermelhoNunca disse...

Recorda-se disto amigo Botelho? Como há-de o amigo criticar os árbitros? Poupe-nos a essa imagem que quer fazer passar, de anti-calimero.

cavungi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
cavungi disse...

Amigo Jus,
Totalmente de acordo.E talvez sem RR a defesa tenha ficado pior.Acrescente-se a inconstância e tudo pode acontecer.Mas eu vi o Belem-FCP e o Belem-SCP (pelo menos as partes em que não dormi)e além de pessimos jogos pareceu-me que o Belenenses não joga nadinha,mas pode até ganhar amanhã.
Nestas proximas três jornadas SLB e SCP não podem perder mais pontos sob pena de lutarem até ao fim apenas pelo 2º lugar.
Penso que no SCP é Paulo Bento quem consegue ainda manter a equipa proximo do topo.dev reconhecer-lhe esse mérito.
A equipa está totalmente espremida.

cavungi disse...

Amigos,
A noticia confirma-se:É o horror, o choque, a desilusão:

MANCHETE
Acordo fechado com Derlei
FALTAM SÓ OS TESTES MÉDICOS


O acordo está fechado. Como Record adiantou, Derlei vai reforçar o Benfica, faltando apenas a realização dos testes médicos, que poderão ser feitos ainda esta tarde.

JC disse...

Parabéns, Cavungi.
Pode ser que se venha a revelar uma boa contratação.
Desconheço o actual estado físico do Derlei, mas pode ser que ainda venha a marcar uns golos.

Zex disse...

Seria importante que se soubesse o ordenado do Traidor Ninja !
O seu ordenado em Moscovo era milionário !
Será que chegará aos 200 mil euros/mês de Simulão e Nuno Ribeiro ?
Se não, quanto receberá ?
Mesmo assim, penso que a sua vinda para os porcos é uma boa notícia. Antes de se lesionar era um excelente jogador. Na época de 2004/2005, sem se perceber porquê, emburreceu. Esperemos que assim se mantenha !

vermelhosempre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vermelhosempre disse...

O recente livro de Carolina Salgado não poderia passar despercebido à editora nortenha Calotes&Comadres. Num acto de justiça editorial, a empresa de Cedofeita lançará, um dia destes, o livro-resposta: "Eu comi Carolina". Escrito segundo uma lógica de crónica, o livro relata as histórias amorosas e perversas entre a senhora e 54 membros da claque do FCP. Pormenores sórdidos de como uma claque pura e jovem é, repetidamente, violentada pela então companheira de Pinto da Costa. "O tom do livro roça a brejeirice e a bufice mas esses são os ingredientes que se identificam com o público-alvo: nortistas, arrumadores de carros, trolhas, empregados do Mercado do Bulhão e reformados", disse-nos Fortunato da Ribeira, dono da Calotes&Comadres. "Pretendemos ser o segundo texto mais lido em 2006 pelos reformados portuenses.

Pretendemos estar entre a revista Gina, que ficará quase de certeza em primeiro, e Eu, Carolina. Como vêm o objectivo até que é irónico pois pretendemos ficar em cima da Carolina, ah ah ah", gracejou o editor. Mas, enganem-se quem espera que o livro seja mais um grande exemplar da literatura portuguesa como aqueles que nos tem habituado a casa nortenha. "O livro é para competir. Em jeito de teaser deixem-me até adiantar-vos em primeira-mão, que a posição sexual preferida da Carolina é a posição de Hooligan, seguida de uma cigarrada para afastar as réstias da performance aerofágica que ela não perdoa após aquele acto olímpico", confidenciou-nos Fortunado da Riberia. E para quem não é dado a modernices, nem vê muito a TVI, a posição de hooligan envolve quase sempre, e para ser bem praticada, uma rede separadora, uma senhora encostada e uma claque do FCP perfilada para lhe apoiar no grito de guerra.

Ora aqui está mais uma bela prenda de Natal. Jamais, em tempo algum, um " portista" leu tantas palavras seguidas como neste Natal de 2006.


Bem hajam os novos escritores portugueses e bem hajam as políticas de mobilidade deste governo. Hoje uma prostituta, amanhã amante de um dirigente de futebol e mais tarde, quem sabe, uma escritora de um best-seller (uma besta-seller, tal como a profissão pede).

cavungi disse...

Amigo Zex,
Sempre preocupado com os ordenados dos outros.or acaso quer contribuir com algum?

cavungi disse...

Amigos,
Vou sair de mansinho.Bom fim de semana.
Força Pacheco, Força Sougou!

VermelhoNunca disse...

Jorge Jesus, contundente para com os simuladores encarnados:
"«Não jogamos com tretas nem com manhas, mas sim dentro da legitimidade das leis. Os nossos atletas não são mentirosos no jogo, por isso espero que amanhã seja um excelente jogo, com ‘fair play’ de verdade, sem tentativas de enganar o árbitro», disse o técnico dos «azuis» do Restelo, salientando que acredita no sucesso da sua equipa, caso actue da forma como tem feito nos últimos encontros."

Jorge Mínimo disse...

Caro VermelhoSempre:
Soltei belas casquinadas com o seu comentário. Sem dúvida um dos seus momentos mais altos neste blog.