domingo, novembro 04, 2007

Análise ao Paços-Benfica

Estádio da Mata Real, em Paços de Ferreira

Árbitro: Bruno Paixão (Setúbal)
Paços de Ferreira:

Paços de Ferreira: Peçanha; Mangualde (Ferreira, 65m), Tiago Valente, Rovérsio e Chico Silva; Dedé, Pedrinha e Filipe Anunciação (Wesley, 88m); Ricardinho, Renato Queirós (Furtado, 73m) e Cristiano

Suplentes não utilizados: Coelho, Kiko, Fernando Pilar e Edson Di

Benfica: Quim; Luís Filipe, Luisão, Katsouranis e Léo; Maxi Pereira (Nuno Gomes, 59m) e Bynia; Nuno Assis (Di María, 72m), Rui Costa e Rodriguez; Cardozo (Freddy Adu, 83m), Bynia (84m)

Suplentes não utilizados: Butt, Zoro, Edcarlos e Bergessio

Ao intervalo: 1-1

Disciplina: Cartão amarelo para Renato Queirós (27m), Rovérsio (31m), Luisão (31m), Maxi Pereira (33m), Filipe Anunciação (81m), Nuno Gomes (81m), Dedé (82m), Rovérsio (91m). Cartão vermelho para Rovérsio (91m)

Marcadores: 0-1, Rodriguez (21m); 1-1, Tiago Valente (29m); 1-2, Katsouranis (86m)

Resultado final: 1-2.



Sem deslumbrar, com alguma felicidade, evidenciando algumas lacunas individuais e mesmo colectivas, o Benfica, ainda assim, conseguiu cumprir em Paços de Ferreira os desideratos com que abordou a partida - averbar 3 pontos e reduzir distâncias para o Porto.
Com 3 vitórias consecutivas na Liga BWin, todas, curiosamente, por 2-1, o Benfica logrou uma dinâmica que lhe permitiu vencer graças essencialmente a uma atitude guerreira e ambiciosa de uma equipa que não baixa os braços e que dá tudo quanto tem.
Antes quebrar que torcer, poderia ser a máxima desta equipa do Benfica.
Mais uma vitória obtida nos minutos finais do encontro.
Como disse Miguel Sousa Tavares no seu artigo da última 3ª feira: "(...)Camacho não se pode queixar da sorte que tem tido e que falhou a Fernando Santos, mas tanta repetição também não pode ser atribuída só à sorte(...).
Camacho estruturou uma equipa de combate, apostando na experiência para garantir consistência.
Assim, Luís Filipe surgiu como lateral direito, ao passo que Assis apareceu no apoio directo a Cardozo, em detrimento de EdCarlos e Di Maria (Katsouranis alinhou a central, Rui Costa como médio de transição e Pereira como ala direito).
O Paços apresentou-se em 4x3x3 e apostou nas rápidas penetrações de Cristiano e Renato Queirós.
Com um tridente na intermediária mais combativo do que construtivo, apertando nas marcações a Rui Costa, Assis e Binya, o Paços cedo logrou condicionar o processo ofensivo benfiquista.
Não obstante, nos primeiros 25 minutos de jogo, o Benfica conheceu ascendente na partida.
Não tanto fruto das acções centrais de Rui Costa ou Assis, mas sim a partir das investidas laterais de Cristian Rodriguez.
Perante a pressão pacense e a incapacidade de Rui Costa e Assis se libertarem do espartilho táctico montado por José Mota, o Benfica usou e abusou do jogo directo a partir do meio-campo, desprezando a exploração das alas.
Sempre que flanqueou o seu momento atacante, mormente quando o fez pela esquerda por intermédio de Cristian Rodriguez, o Benfica acercou-se com perigo da baliza de Peçanha.
Com a partida muito embrulhada como consequência do jogo de pares que o Paços procurava promover, só aos 20 minutos surgiu a primeira verdadeira ocasião de golo.
Contra-ataque conduzido por Assis da esquerda para o meio, que ao entrar na área serviu Léo para um remate que proporcionou uma boa intervenção a Peçanha.
Era um sinal do que se seguiria, apenas um minuto depois.
Livre indirecto apontado por Rui Costa para a área, na qual apareceu Cristian Rodriguez a elevar-se mais alto e a cabecear com êxito para o fundo das redes pacenses.
Em vantagem, admitia-se que o Benfica acentuasse o seu domínio no encontro.
Mas, não!
Inexplicavelmente, o Benfica permitiu que o Paços arrebitasse.
Enquanto igualou o Paços em empenho e concentração, o Benfica superiorizou-se.
Quando se aburguesou, sofreu a bom sofrer.
O crescimento do Paços desaguou no tento do empate, decorridos que estavam 29 minutos.
Canto executado à maneira curta, Cristiano passa com uma facilidade assombrosa por Nuno Assis (displicência indigna de um profissional) e assiste para Tiago Valente que, solto na área, não conheceu dificuldades em desfeitear Quim.
Até ao intervalo, realce para um lance de Nuno Assis, que poderia ter recolocado o Benfica em vantagem, mas o qual não foi mais do que um oásis no deserto de ideias que por essa altura era o futebol dos encarnados.
No dealbar da segunda parte, manteve-se a tendência.
Um Paços mais atrevido e mais esclarecido, menos temeroso e mais confiante, perante um Benfica desmazelado e pouco agressivo.
Deste modo, não estranhou que o Paços conhecesse predomínio na partida.
Império este que não encontrava correspondência na criação de oportunidades de golo, mas que, ainda assim, permitia aos pacenses manter o Benfica em sobressalto e a bola longe da sua área.
O amorfismo e a letargia dos jogadores do Benfica "obrigaram" Camacho a mexer e a fazer entrar primeiro Nuno Gomes e depois Di Maria para os lugares de Pereira e Assis, respectivamente.
E estas alterações revolveram a atitude da equipa, que como que regressou ao início da partida.
O jogo mostrava-nos agora um Benfica mais interventivo e que, paulatinamente, ía resgatando o controlo dos acontecimentos.
Aos 82 minutos, Camacho lançou a sua última opção, retirando Cardozo e fazendo entrar Adu.
Curiosamente ou talvez não, seria sem o paraguaio em campo que o Benfica chegaria aos 3 pontos.
Novamente de bola parada e novamente com Cristian Rodriguez a desempenhar papel assaz relavante.
Rui Costa apontou um livre descaído sobre a esquerda, Cristian Rodriguez cabeceou, Peçanha defendeu para a frente e Katsouranis não perdoou, fazendo o segundo golo do Benfica.
Pensava-se que o Paços já não seria capaz de reagir, mas fazendo das fraquezas forças, os pacenses, por Furtado, na sequência de um canto, ainda atiraram uma bola à trave da baliza de Quim.
Triunfo sofrido do Benfica num jogo em que o empate se ajustava melhor à produção de ambos os conjuntos.


No que concerne aos jogos de Porto e Sporting, como dos mesmos apenas vi resumos, abstenho-me de os comentar

35 comentários:

VermelhoNunca disse...

Pensei que fosse apanágio do administrador fazer referências à arbitragem, quando esta tivesse influência directa no resultado.
Não o faz neste caso! Vergonha? Vergonha de referir que conquistaram uma vitória injusta, com mais um erro grosseiro de um incompetente?
Escondem as tropelias na direcção do clube e da SAD, com resultados falseados.

cavungi disse...

Amigo Nunca,
Desta vez tenho que concordar contigo!
O 2º golo do SLB nasce duma falat inexistente.Como tantas outras que são ou nãi são marcadas.
A vitória tambem não foi justa.
Aliás esta foi uma pessima altura para recuperar pontos ao FCP.
Faltam 3 ou 4 jogos para o SLB-FCP e agora vai começar a pessão nos jornais.
Eu já ví este filme.Acaba mal para o SLB.
Começa o entusiasmo, a loucura e depois na hora H, falham.Perdemos e em vez de ficarmos a 2 ou 3 pts ficamos a 11 ou 12 pts e é a depressão geral.
Mais valia termos empatado, para não haver ilusões.
Porque de facto o SLB joga mal.Muito mal.
Há vontade mas não há talento e como o futebol é uma arte não pode ser jogado de "pontapé prá frente".
No sbado ví o Arsenal-Man United, o Sevilha-Real Madrid, a 1ª parte do Wigan-Chelsea e a 2ª parte do Blackburn-Liverpool.
Comparar estes jogos com Paços-SLB, é como comparar a feira de Borba com as bordas do cú.

cavungi disse...

Amigo Nunca,
Não ví o FCP-Belem nem a o SCP-Naval porque não vejo telelixo.
Só vi os resumos e á parte um golaço de Liedson (mais 1) e o golo irregular do FCP (Mais 1)nada de novo se passou.
Pessimos jogos, maus arbitros, maus jogadores, muita fruta e pouco mais.

cavungi disse...

"No Benfica acabaram os infiltrados e os espiões".
Não há quem lhe dê um tiro?!

Antes morto que vermelho disse...

não vi nenhum dos jogos. mas o que mais ouvi falar no fds foi da merda dos árbitros, ou, porque não marcaram foras de jogo ou, porque marcaram faltas inexistentes, como se isso não acontecesse, o fcp perdia com o belém e a lampionagem empatava com o paços... enfim merda para os pasquins (e não só) andarem a vomitar durante 5 dias.

Chamo a atenção para as capas, "super sorridentes" dos pasquins no sábado, com o empate do fcp e o grande destaque para a forma como o fcp marcou o golo. A Bola (sempre este escarro) ainda arranja "espaço" para colocar notícias sobre o dumbo-orelhudo e a lampionagem: agora parece que aqueles anormais querem a demissão do tal tinoco, ontem um herói hoje um vilão (se bem que este pedido foi realizado pelo "inclinado", bêbado?).

agora só falta a lampionagem pedir a demissão, do marreta encarregue da construção do estádio, mas esse sim, há uma razão válida: os pombos borram-se no estádio, como se não houvesse amanhã.

Força Celtic!

JC disse...

Amigo Vermelho:
Uma imprecisão no teu texto:

"Aos 82 minutos, Camacho lançou a sua última opção, retirando Adu e fazendo entrar Cardozo"

Foi ao contrário, como, aliás, resulta do quadro da constituição das equipas.
Mero lapso de escrita teu.

No mais, salientar que o Benfica, mais uma vez, resolveu a partida nos últimos cinco minutos, o que penso ter acontecido pela 6ª vez consecutiva.
Isto revela, para além de sorte, mais alguma coisa, como diz MST.
Revela "ganas".
Curioso é que o ano passado, quando o SCP venceu uma série de jogos com golos marcados nos primeiros minutos, o MST defendesse que era apenas sorte, esquecendo-se de salientar que tanta repetição revelava, também no caso do SCP, mais alguma coisa para além da mera sorte.

VermelhoNunca disse...

Pode ser , amigo JC, que o MST quisesse dizer que o Benfica ganha nos últimos minutos, não apenas pelo querer de alguns dos seus jogadores, mas também pelo querer de alguns incompetentes que transportam na boca um apito, ao invés de outra coisa.

JC disse...

Amigo Nunca:
Não li o texto do MST, pelo que não conheço o contexto da sua afirmação.
Apenas li a transcrição que o Amigo Vemelho aqui fez dela, parecendo-me que o MST alude à capacidade de luta dos jogadores do Benfica.

Noutro registo, gostava de salientar mais uma trapalhada grosseira da arbitragem no SCP-Naval.
Elmano Santos, aos 36 minutos, decidiu marcar um livre fora da área, quando a indicação do árbitro assistente apontava para grande penalidade favorável à equipa leonina.
Curioso que este árbitro, no Académica-FCP, foi protagonista de um lance exactamente ao contrário deste, ou seja, por indicação do seu fiscal de linha, assinalou um penaltie que inicialmente não ia marcar.
Agora, decidiu desautorizar o seu fiscal de linha.
A questão não está em saber se era penaltie ou não, mas sim nesta dualidade na aplicação das leis do jogo e neste critério diverso dos árbitros, que quando apitam os jogos do SCP parece que se regem por regras diferentes.

VermelhoNunca disse...

Amigo JC, pior que isso foi o comentário do animal da Sporttv, que referiu o lance como jogo perigoso, que inclusivé podia ser imputado a Liedson. Ora, como o amigo viu, Liedson é mais rápido, ganha posição e o adversário dá-lhe um pontapé no peito. Em tudo idêntico a um lance do gorila Beto, num Benfica/Sporting, que resultou em penalidade.
Mas o cretino da Sporttv insiste que nunca seria penalti, porque não passou de jogo perigoso.
Como vê amigo Vermelho, dois detentores de GameBox- eu e o meu filho, não fomos ao estádio, o que sucede com muitos detentores de lugar de época.

JC disse...

Amigo Nunca:
Por acaso, não vi o lance.
Eu tal como o AMB não sou assinante da SPORT TV.
Apenas li no Maisfutebol um comentário do Paulo Bento a essa decisão do árbitro.
E o que está verdadeiramente em causa e provoca azia não é se foi ou não penaltie.
É que quando arbitram jogos de outros clubes, este e outros árbitros marcam penalties por indicação do fiscal de linha.
Conta o SCP, não o fazem, desautorizando sistematicamente o árbitro assistente.
Por isso, e como pedia o Paulo Bento, mais vale que não nomeiem fiscais de linha para os jogos do SCP.

JC disse...

Amigo Nunca:
O que vi foi grande parte do jogo Paços-SLB, onde tive oportunidade de assistir à magnífica exibição do membros de ferro e à excelente forma em que se encontra o Rei da Gasosa, que chuta para o lado que está virado com o pé que tiver mais à mão.
Curioso também o esquema táctico do Benfica de Camacho, de onze à molhada, com pontapé para a frente e fé em Deus.

O SCP havia jogado pessimamente contra o Nacional mas este melhor Benfica dos últimos 10 anos conseguiu no Sábado jogar ainda pior do que o SCP havia feito.

vermelho disse...

amigo nunca:
posso discutir se o lance que precede o golo do Benfica é falta, mas dizer que se trata de um erro grosseiro parece-me manifestamente despropositado.
Trata-se de um lance que permite múltiplas interpretações, que vão desde a falta, pois que Roversio não procura jogar a bola, mantendo-se imóvel e impedindo a progressão de Léo, até à simulação de Léo.
O lance não é de fácil juízo e como tal nunca passível de ser considerado como um erro grosseiro!
Quanto à influência directa da arbitragem no resultado, vindo de quem desprezou a relevância da falta não assinalada sobre um jogador do Guimarães no jogo contra o Sporting, não se percebe.
A ter existido erro, foi-o relativamente a um livre lateral igual a tantos outros assinalados durante o jogo.
Caso não tivesse dado golo, ninguém hoje falaria do lance.
Aliás, por ocasião do tal Sporting-Guimarães, disseste que o árbitro não assinalou uma falta como tantas outras a meio-campo e invocaste o mesmo tipo de raciocínio.
Para mim, o lance do Sporting-Guimarães alcançou relevância na medida em que a falta não assinalada colocou o jogador do Sporting em posição privilegiada para fazer golo, o que manifestamente não aconteceu no lance do Léo.

Quanto às Game Box, lá voltamos à conversa do ano passado em que dois indivíduos são representativos de um universo de mais de 10 mil!
Que há quem seja titular de Game Box e não vá ao estádio, disso não tenho dúvidas.
Agora a medida dessa ausência por referência aos números que aqui trouxeste a semana passada é que coloco muitas reticências.
Cerca de 15 mil ausentes a fazer fé nos números a que aludiste!

VermelhoNunca disse...

Vou adiantar-lhe um outro pormenor amigo Vermelho: todos os meus amigos possuidores de GameBox não estiveram presentes no jogo de ontem. Como vê o universo dos ausentes rápidamente é aumentado.
Quanto ao lance da Mata Real: apenas o referi, porque o amigo aquando do lance do Guimarães o colocou como erro determinanta para a vitória do SPorting. Ontem não fez o mesmo. Mas compreendo-o, afinal o seu clube anda tão mal, que referir esse lance seria cruel demais.
Eu sei que não existiu falta, ou melhor existiu falta de Leo. mas também entendo que o árbitro tenha ido na cantiga do bandido.
Como diz Ferrari Tinoco de Cavungi, é um lance como tantos outros. Assim como o do SPorting/GUimarães.

VermelhoNunca disse...

"Para mim, o lance do Sporting-Guimarães alcançou relevância na medida em que a falta não assinalada colocou o jogador do Sporting em posição privilegiada para fazer golo, o que manifestamente não aconteceu no lance do Léo."

Estas são as suas palavras, amigo Vermelho. Recorda-se do lance do Guimarães. Falta a meio-campo. Dizer que colocou o jogador do Sporting em posição privilegiada de fazer o golo, é , no mínimo, excessivo. Direi que é uma visão avermelhada do lance.

JC disse...

Caros Amigos:
Lá estamos nós a discutir as arbitragens em vez de discutir as jogadas e os golos da jornada futebolística.
Estamos, assim, a esquecer de destacar o espectacular golo de Liedson, num momento de futebol raro nos nossos estádios.
Assim se mantenha o Levezinho inspirado para o jogo de 4ª feira com a Roma.

Zex disse...

O golo do FCPorto é irregular, há fora de jogo evidente, disso não há dúvida - houve erro grosseiro.
O lance que origina o segundo golo dos lampiões é inexistente, eventualmente há falta de Leo - houve erro grosseiro.
O quarto golo do Sporting é marcado em posição irregular - não houve erro grosseiro e não teve influência no vencedor do jogo. Quem teve foi essa besta que dá pelo nome de Taborda, que esteve muito mal, e Liedson, que fez uma grande exibição.

Arbitragens péssimas, uma vez mais. Erros frequentes e diversificados. Porto e Benfica beneficiados.
Vi o jogo do FCPorto por inteiro e partes substanciais dos outros jogos.
O Porto jogou muito mal. Lamentável exibição do Anão Cabeludo, de Cech, de Postiga, etc. Outros todos maus. Só Lisandro esteve decente. Óptima actuação do Belenenses. Resultado justíssimo. A jogar assim não ganham ao Marselha.

O Benfica joga muito, muito mal. Tinoco Cavungi está certo. Muita vontade, mas muita muita falta de qualidade. Só Rui Costa, assassino Ranis e Rodriguez dão alguns toques (poucos). O resto é de uma pobreza extrema. O futebol praticado ainda é pior que no tempo do Trap...
Volta Imbecil, estás perdoado !

Quanto ao Sporting, fez uma exibição fraca, mas mereceu ganhar. Contou com uma péssima actuação de Taborda, com um velho golfinho a fingir que jogava, sem andamento, e com um Liedson em grande que tudo disfarça. Nota para mais um penalty falhado pelo Anão Cabeçudo. É já um hábito !
Quanto ao comentário do sr. administrador sobre a falta do (não sobre) o Leo, uma só palavra: lamentável !

Antes morto que vermelho disse...

jean claude: congratulo-me com o facto de constactar que o cabeça-bicuda, ainda não perdeu o ceptro de "rei da gasosa", mas "eles" e o dunga não vêm isso, acham que o marreta sabe jogar á bola... um idiota que além da gasosa, só sabe agarrar os adversários, principalmente dentro da área.
exacto jean claude, lá estamos nós a falar dos "bois negros" em vez de falar das jogadas, dos jogadores, etc, até poderíamos falar das balizas, mas de "bois negros" é que não!

cavungi disse...

Amigo Zex,
No tempo de Trapatoni ainda se jogava futebol.
Penso até que a equipa do Imbecil jogava melhor que esta.
Esta esquipa do Sr Camacho tem muita vontade.Só isso.
Quem construiu ou destruiu este plantel foi LFV.
O melhor dos ultimos 10 anos, dizia ele.
Que anormal!
Que cabotino!
A qualidade (?) do jogo apresentado por este SLB é confrangedora!
Eu diria mais é o pior SLB dos ultimos 10 anos!!!!
Não há quem lhe dê um tiro?!

cavungi disse...

Macaco: Hoje é um bom dia para comprares o Jornal.
Compra o Jogo que tem o Levezinho Liedson na 1ª página, para poderes fazeres as tuas já celebres pinturas rupestres.

cavungi disse...

Afinal o Judeu Grant não é tão mau como, o chauvinista jornalismo português, em geral, e desportivo em particular o queriam fazer parecer.
Nos 3 ultimos jogos o Chelsea jogou bem melhor que no tempo mais recente do Zé Mourinho.

VermelhoNunca disse...

Amigo Tinoco de Cavungi, você gostaria de poder contar com Liedson na sua equipa, estou em crer.
Não fiz referência ao jogo do FCPorto, uma vez que não o vi. Embora me tenha chegado aos ouvidos que o lance do golo portista é irregular. Hoje à noite espero poder ver as imagens.
Quanto ao 4º golo do Sporting, que irregularidade refere Zex? O golo é de Gladstone, estaria deslocado?

cavungi disse...

Amigo Nunca
V.exa é uma especie de Cavaco Silva deste espaço.
No Fds passado não leu, não viu, não soube dos desacatos no Aeroporto depois do jogo Lagarto na Chuopana.
Agora chegou-lhe aos ouvidos que o golo do FCP é irregular.Chegou-lhe aos ouvidos?
Quanto a Liedson,não tenha a menor dúvida de que gostava e muito de ter no SLB.
Ou então na equipa do Hospital da Cruz Vermelha...

JC disse...

Amigo Never Red:
Creio que foi levantada por alguns a hipótese de Gladstone estar fora de jogo no último golo do SCP.
Não vi o lance com atenção mas já li, penso que no JN, que é essa a impressão inicial que resulta do lance mas que depois se confirmou não existir qualquer fora de jogo do brasileiro.

Entretanto, consegui ler a crónica do MST da semana passada e a ideia dele é mesmo que o facto de o Benfica marcar nos últimos minutos não é só sorte, é também mérito do Benfica e algum demérito dos adversários.
Ou seja, no caso do SCP, que marcava nos minutos iniciais era só sorte, mas no caso do Benfica não! É mérito!
Vamos ver se quando o Benfica jogar contra o FCP, se marcar aos Dragões nos últimos minutos, o MST continuará a afirmar o mérito do Benfica ou se, então, passará a dizer que se trata apenas de sorte.

VermelhoNunca disse...

AMigo Tinoco de Cavungi. Cada vez vejo menos jogos na televisão. Refiro-me a jogos portugueses. Jornais desportivos, mesmo após jogo do Sporting, não compro. Só os leio, quando , no local onde almoço, estão disponíveis.
Ouvi dizer da irregularidade do golo do FCPorto, pois estava no Algarve e os funcionários do hotel transmitiram-me essa informação. O jogo do Paços de Ferreira vi, pois coincidiu estar num local onde transmitiam o desafio. Agora, pode crer, que não mexo uma palha para ver jogos do seu clube, e muito menos do FCPorto. Quando os vejo emito opinião, ao contrário de alguns condóminos que lançam postas de pescada , e se calhar nem têm televisão em casa.

Zex disse...

Pedra Alegre, no quarto golo do Sporting, está em fora de jogo !
Não ouvi qualquer referência a essa irregularidade na comunicação social.
Mas, repito, não é lance importante e não tem qualquer influência no desfecho do jogo !
Esta referência faço-a porque me fez lembrar o último jogo da temporada passada, no Dragão em que um condómino fez alusão a um fora de jogo, que existiu, no quarto golo do FCPorto...

VermelhoNunca disse...

Vou confirmar esse lance condómino Zex. Verifico que tem a certeza do que diz.

JC disse...

"Zex disse...
Curiosa análise do jogo do Porto.
Curiosa a omissão de qualquer palavra sobre o trabalho de Larápio, de que tanto se falou nos posts deste blog. É que marcador do golo do Aves, o tal Moreira, está em clara posição de fora de jogo.
Mas, nem uma palavra!"


Caro Zex:
O condómino que a época passada trouxe à baila o lance do 4º golo do FCP sobre o Aves no último jogo do campenonato obtido em fora de jogo foi o caro amigo!

JC disse...

Por isso, caro Zex, fale à vontade no golo do Gladstone, obtido ou não em fora de jogo, mas não justifique essa referência com alegadas alusões de condóminos ao último golo obtido pelo FCP a época passada, em fora-de-jogo.

Zex disse...

Sr. JC,
Parece-me que V. Exa. se encontra baralhada. Os seus óculos verdes deveme estar imundos.
A citação que me atribui refere-se ao golo do Aves contra o Porto, marcado pelo jogador Moreira.
A indirecta que lancei no meu comentário referia-se ao quarto golo do FCPorto apontado por Lisandro Lopez nesse jogo, que foi, de facto, obtido em fora de jogo, e que o condómino Nunca aqui deu nota.
Então, como agora frisei, disse que não era importante porque era o quarto golo num resultado de 4-1.
Só por essa razão relembrei o episódio.
V. Exa não percebeu e inventou a despropósito !

JC disse...

Baralhei-me mesmo, Cara Excelência ZEX.
Sua Excelência referia-se ao quarto golo do FCP e eu colei um comentário de Sua Excelência ao golo do Aves.
Lapso meu, pelo qual me penitencio.

pachulico disse...

Comentário ao FCP-Belenenses:

ponto 1º - erro grave do árbitro assistente ao considerar legal a jogada do golo do FCP. Das duas uma: ou incompetentemente considerou atraso do R. Amorim ou deliberadamente deixou passar uma posição irregular do postiga (mais uma!) de 3 ou 4 metros. Fosse qual fosse o disparate é claramente razão para uns meses de jarra! Só um acrescento: na 2ª parte houve um fora-de-jogo assinalado ao Lisandro (jogada em que a bola entra na baliza do Belém) em que este estava em linha com o último defesa (a imprensa de Lisboa esqueceu-se de referir!!!)
Ponto 2º - Boa exibição do Belenenses, equipa coesa, bem posicionada, tacticamente muito disciplinada e sem pôr o autocarro à frente da sua baliza. Possuidora de bons jogadores: 2 bons avançados, possantes, com técnica de recepção e passe, boa capacidade de drible em progressão (especialmente o Weldon)...faltou ver como se portam em termos de eficácia de finalização (jogaram um pouco longe da baliza do FCP).
Ponto 3º - FCP com exibição cinzenta, claramente deficitária de Bosingwa, actualmente um dos melhores laterais direitos do mundo e claramente o desequilibrador por excelência deste Porto: grande velocidade nas transições (especialmente a ofensiva), excelente capacidade técnica, com boa drible em velocidade, pecando contudo, por vezes, na decisão dos lances, com cruzamentos mal medidos ou remates desconexos...mas como cria tanto jogo ofensivo estes erros diluem-se nas jogadas bem conseguídas e frequentemente culminadas com golos!
Ponto 4º - Houve, apesar de tudo, 2 portos: um com Lucho e outro sem Lucho. Não sendo, o argentino, um jogador muito rápido, é ele claramente que acelera o jogo do Porto, especialmente na ausência do Bosingwa. Recepções de um toque, com passe tenso e preciso ao imediato tornam o FCP muito rápido na passagem da defesa para o ataque , e esta é claramente uma virtude no jogo do Lucho. Sempre bem posicionado, quando recebe a bola já sabe como e para onde a deve dirigir, não inventando dribles mirabolantes nem trivelas mágicas. Ora após a sua saída o FCP perdeu claramente a sua objectividade ofensiva, não só pela ausência do Comandante mas também pela presença do duende Lima, sempre demasiado avançado e com uma natural tendência de pôr os cornos no chão e driblar (quase sempre mal)tudo o que lhe apareceu à frente...uma desgraça.
Ponto 5º - Por onde anda o Quaresma do ano passado? Não se pode criticar por falta de vontade (até exagera) mas a verdade é que, desde a renovação milionária, a inspiração desapareceu, não conseguindo actualmente fazer a diferença. Está a precisar de passar algum tempo no banco...

JorgeMínimo disse...

Caro Zex:
Não é que o assunto seja relevante, mas o golo do Gladstone não é fora-de-jogo. Tem um defesa e o guarda-redes mais perto da linha de fundo, logo não é "off-side".

Zex disse...

Penitências aceites, Sr. JC.
É que estava a retirar impacto à provocação que lançava...
Tinha que o corrigir !

Antes morto que vermelho disse...

jean claude: o MST tem razão é mérito do benfica e culpa dos adversários pensarem que o jogo acaba antes do apito do "boi negro". lembra-se do carlos manuel do benfica? esse marreta, estava sempre a incitar os colegas, faltassem 89 minutos ou 2.

caxungo: eu acho o liedson um óptimo jogador, e nesse sentido não realizo as minhas "experiências castanhas". agora com o cabeça-bicuda, sim, esse marreta é o "modelo" ideal para esses "ensaios". já agora alerto para uma capa que saiu hoje com a cara do macho, e acho que o nunca tem razão é o maior cara de cú que anda em terras portuguesas... mas caxungo, estou certo que amanhã poderei regressar aos meus ensaios, porque as capas dos pasquins vão ser, de certeza com lampiões (só não farei "ensaios" se for o rui c. com o resto é certo).

paxu: quaresma acerta 1 em 43 bolas que tenta, e a marca foi atingida com o braga. o belém não jogou bem o fcp é que jogou mal (para variar).

Antes morto que vermelho disse...

mais um palerma a cair: "«Entendi que não devia prejudicar o clube» (Paulo Duarte)", já só falta o anormal do "faca de dois legumes"...