domingo, novembro 18, 2007

Análise ao Portugal-Arménia

QUALIFICAÇÃO PARA O EURO'2008

GRUPO A

PORTUGAL-ARMÉNIA
Estádio Magalhães Pessoa, em Leiria
Hora: 21 horas
Árbitro: Mike Riley (Inglaterra)

PORTUGAL
Ricardo; Bosingwa, Fernando Meira, Bruno Alves e Caneira; Miguel Veloso e Maniche; Ronaldo, Simão e Quaresma; Hugo Almeida.

Suplentes: Quim, Jorge Ribeiro, Pepe, Manuel Fernandes, Nuno Gomes, Nani e Makukula.

Treinador: Luiz Felipe Scolari

ARMÉNIA
Berezovksi; Hovsepian, Arzumanyan, Tadevosyan e Dokhoyan; Khachatryan, Voskanyan, Karamyan e Arakelyan; Pachajyan e Melkonyan.

Suplentes: Kasparov, Mkhitaryan, Ghazaryan, Mkrtchyan, Aleksanyan, Manuchanyan e Vahagn Minasyan.

Treinador: Vardan Minasyan




Salvou-se a vitória!
Portugal exibiu-se de forma sofrível, mas alcançou uma vitória, que lhe permite encarar a partida com a Finlândia podendo especular com o empate.
Lastimável a atacar e desconcentrada a defender, a selecção nacional deu de si uma imagem muito, mas mesmo muito pálida.
Sem ponta de sentido colectivo, o processo ofensivo português viveu em exclusivo das individualidades.
Como inspiração houve pouca, Portugal arrastou-se em inócuas e estéreis iniciativas atacantes.
Aliás, seriam mesmo os menos fantasistas a entregarem a chave da vitória aos companheiros.
Aos 42 minutos, Bosingwa ganhou o corredor direito e tirou finalmente um bom cruzamento para Hugo Almeida cabecear cruzado para o poste contrário.
A objectividade tinha-se superiorizado às movimentações irregulares de Ronaldo, Simão e Quaresma, que andaram 45 minutos desencontrados com o posicionamento de Hugo Almeida e com a sua natural apetência para finalizar.
Longe de ter feito muito para o conseguir, Portugal pôde sair para o intervalo a vencer.
Os arménios, sempre descomplexados e arrojados, conseguiram alguns períodos de superioridade e viram mesmo o árbitro da partida negar-lhes um penalty evidente por falta de Ricardo.
Logrando quase sempre agregar vantagem no sector intermediário, pois que o triângulo formado por Simão, Maniche e Veloso esteve longe de segurar o meio-campo, os arménios discutiram de modo absolutamente surpreendente a partida, controlando os desordenados movimentos atacantes lusos e assumindo um atrevimento ofensivo que a permissividade portuguesa nunca cerceou devidamente.
Estimulados pelo equilíbrio que conseguiram emprestar ao encontro, os arménios entusiasmaram-se ao ponto de ensaiarem rápidas transições ofensivas com unidades a preencherem todos os corredores.
Esperava que na segunda parte Portugal subisse a qualidade do seu jogo, mas tal não veio a suceder.
É certo que a entrada de Manuel Fernandes para o lugar de Quaresma restabeleceu o equilíbrio da equipa e os arménios cessaram de causar problemas no ataque, mas ofensivamente os pecados da primeira metade permaneceram intocados.
A escassa inspiração manteve-se, o que redundou numa segunda parte ainda mais miserável.
Frente à Finlândia, Portugal precisa de melhorar muito. Ou arrisca-se a não ir ao Europeu. Por este jogo não o merece certamente.

35 comentários:

VermelhoNunca disse...

Vi mal o jogo, mas do pouco que constate, tenho a mesma opinião que o nosso administrador. Melhor o resultado que a exibição. Venha a Finlândia, selecção que também teve grandes dificuldades em vencer o seu último jogo, em casa, garantindo a vitória num lance muito polémico.
Ressalvo ainda o facto da Rússia ter perdido em Israel, o que abriu novamente as portas do Europeu à Inglaterra, que estavam praticamente fechadas na semana passada.

Zex disse...

Não vi o jogo, uma vez que me encontrava a festejar o aniversário de um condómino.
Pelo que ouvi, penso que as opiniões do blogger e de Nunca correspondem à verdade.
Existiu um penalty claro de Labreca sobre um atacante arménio. Isso já vi e pareceu-me claro.

Quanto aos acontecimentos das passadas quinta e sexta feira, estava impedido de opinar porque não estive na central de camionagem, estando em numa formação de reboques.
Apenas uma nota.
Bynia foi muito bem castigado.
A conclusão de caxunga e blogger de que tal se deveu à cor da pele e falta de fama foi muito triste...

cavungi disse...

Amigo Condómino,
Antes de mais muitos parabens!
Só ví a 2ª parte e estou de acordo contigo e com o sr Administrador:
Salvou-se o resultado!
Lembro apenas que a ultima vez que recebemos a Finlandia levámos 4!
Espero que não se repita...

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Pelos vistos, terás comemorado mais um aniversário.
Os meus parabéns!
Qua contes muitos e bons!

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, confirmo que festejei mais um aniversário. Vou dar-lhe uma dica sobre a matéria: fiz anos no dia de aniversário deste espaço, 12 de Novembro.
Abraço

JC disse...

Parabéns ao condómino aniversariante.

Jogo muito fraco da nossa selecção, com um futebol desgarrado e sem colectivo. Por vezes, nestas ocasiões, salvam-se as jogadas individuais, mas desta vez nem isso.
Sem querer desculpar o pobre futebol exibido, destaco, contudo, que os onze jogadores que entraram em campo em Leiria jogaram todos juntos primeira vez.
De facto, como já ouvi alguém dizer, da primeira equipa de Scolari poucos jogadores restam, tendo saído elementos fundamentais como Figo, Rui Costa, Pauleta, Nuno Valente e Costinha.
Para além disso, é inúmero o rol de lesionados dos ditos "titulares", desde Ricardo Carvalho a Deco, passando por Jorge Andrade e Miguel.
São muitos os jogadores novos na equipa, novos tanto em idade como ao serviço da selecção titular.
Bosingwa, Bruno Alves, Miguel Veloso, Quaresma, Hugo Almeida e Makukula fazem parte de uma nova fornada que nem sequer esteve no último Mundial.
E, na minha opinião, faltam essencialmente jogadores de meio campo e um verdadeiro patrão da equipa, tarefa que vinha sendo desempenhada por Figo.
Não foi por acaso que Scolari repescou Maniche.
Veloso será, creio, dono da posição de trinco mas falta-lhe experiência e entrosamento.
E quem substituirá eficazmente Deco, em caso de lesão ?
Poucas alternativas existem, parece-me, neste sector da equipa, claramente o mais carente de jogadores.
Tiago e Petit poderão voltar à equipa, mas nenhum deles tem convencido ao serviço da selecção.

O problema é que já vai faltando tempo para construir uma equipa mecanizada até ao início do Campeonato da Europa, tarefa essa que vem sendo dificultada pelas sucessivas lesões de jogadores chave, como Ricardo Carvalho e Deco.

Agora importa é garantir o apuramento no jogo com a Finlândia, questão que já poderia há muito ter sido resolvida, não fora os empates com a Polónia e com a Sérvia em casa.

vermelho disse...

Amigo JC:

Quem é que não fez a transição inter-geracional ou renovação a seu tempo?

Quem é que sistematicamente apostou nos mesmos, desprezando qualquer consideração pelo momento de forma ou pela necessidade de preparar o futuro?

Quem é que para "defender os mininos" e "criar uma família" renegou até inexistirem alternativas os talentos emergentes do futebol nacional?

cavungi disse...

Vermelho:
Scolari!!!
Agora aguentem-se!

VermelhoNunca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
JC disse...

Amigo Vermelho:
A questão não está apenas na introdução de novos jogadores na equipa, que tem vindo a ser feita aos poucos desde o último Mundial.
Bosingwa e Bruno Alves já há um bom par de jogos que têm jogado a titulares; Quaresma já é convocado praticamente desde o início desta campanha e Miguel Veloso dificilmente poderia ter entrado na equipa principal mais cedo. Makukula, por outro lado, andava esquecido e só agora deu nas vistas, ao serviço do Marítimo.
O problema é que, por lesão, têm constantemente falhado os jogos jogadores importantes, como Ricardo Carvalho, Jorge Andrade, Miguel, Deco e mesmo Simão o que tem prejudicado a criação de mecanismos e o estruturar de uma nova equipa.
Não acho que os jogadores novos tenham tardiamente chegado à Selecção e desta nova fornada talvez apenas Quaresma pudesse ter
sido integrado mais cedo no grupo.

VermelhoNunca disse...

Aí estão eles à solta, os Anti-Scolari, comandados pelo amigo Tinoco, desejando que no Dragão apareça uma Finlândia demolidora, para depois poderem disparar em todos os sentidos. Assim não sucederá. estou em crer amigo Tinoco, e mais uma vez terá de gramar com o Scolari numa fase final.

JC disse...

Esqueci-me de Nani, cuja integração gradual na equipa também já vem de há algum tempo (creio que desde o final da época passda, isto é, Maio/Junho de 2007)e que também me parece que dificilmente poderia ter sido chamado ao onze nacional antes disso.

vermelho disse...

Amigo JC:
Makukula é o caso que melhor ilustra o que é Scolari e as interrogações que coloquei.
Sabes quem convocou Makukula?
Lazaroni!
Certo dia, em conversa com Scolari, Lazaroni disse-lhe que tinha de ir observar a sua equipa, pois que aí havia bons jogadores.
Scolari logo lhe respondeu que não, uma vez que no Marítimo só havia brasileiros.
Foi aí que Lazaroni teve de dar a conhecer a Scolari o seu plantel, nomeadamente Makukula.
Esta conversa ocorreu dias antes dos confrontos com Azerbeijão e Cazaquistão.
Makukula foi convocado apenas e tão só com base nas indicações que dele deu o seu treinador, pese embora fosse na ocasião o melhor marcador da Liga Bwin!

vermelho disse...

Amigo JC:
Qual integração?
Uma convocatória esporádica, seguida de meses de ausência ou de exílio nos sub-21?
Scolari só chamou outros jogadores, quando os seus ou morreram futebolísticamente ou se encontravam lesionados!
Apenas perante a ausência de alternativas e sem tempo de maturação e integração.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, com o seu comentário concluimos que ninguém da estrutura da FPF sabia que no Marítimo havia um português, de nome Makukula. Nem Scolari nem mais ninguém do corpo técnico da Federação sabia. Você acredita mesmo nisso?

JC disse...

Amigo Vermelho:
Não é só porque Makukula em meia dúzia de jogos marcou 4 ou 5 golos no Marítimo que deveria ter sido logo chamado a correr à selecção.
Por essa ordem de ideias - e já vi que é esse o teu entendimento - sempre que um jogador, episodicamente, aparecesse em boa forma devia logo ir à selecção, e sempre que um jogador da selecção perdesse momentaneamente a forma no seu clube saia imediatamente da selecção.
Isto resultava em claro prejuízo da unidade que Scolari - e bem - pretendeu e conseguiu criar, tranformando a selecção nacional numa verdadeira equipa.
Más formas resolvem-se dentro dos 25/30 jogadores que Scolari elegeu como tendo condições para integrar o seu grupo de trabalho.
Até porque um abaixamento de forma de determinado jogador no seu clube não significa que o jogador não renda na selecção sendo a inversa também verdadeira.
E são muitos os exemplos disso na era Scolari.
Veja-se os casos do Ricardo Labreca, do Hélder Postiga, do Maniche, por exemplo.

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Quem contou a história foi o Lazaroni numa conferência de imprensa!

vermelho disse...

Amigo JC:

"Não é só porque Makukula em meia dúzia de jogos marcou 4 ou 5 golos no Marítimo que deveria ter sido logo chamado a correr à selecção."

Lastimo profundamente que aquilo que escrevi tenha merecido de ti este comentário, o qual não versa sobre a temática que abordo no meu comentário.

Eu não falei sequer na forma como Scolari vê a selecção neste comentário.

É claramente abusivo dizer que "Por essa ordem de ideias - e já vi que é esse o teu entendimento - sempre que um jogador, episodicamente, aparecesse em boa forma devia logo ir à selecção, e sempre que um jogador da selecção perdesse momentaneamente a forma no seu clube saia imediatamente da selecção."

Onde é que eu no meu comentário sobre o Makukula falo sobre isto?
Alguma vez me viste escrever ou defender o que dizes que eu disse?

vermelho disse...

Amigo JC:
Podes não querer abordar determinados assuntos, tais como aquele que aqui trouxe relacionado com o Makukula, mas não precisavas de deturpar aquilo que escrevi.
Em nenhum dos meus comentários refiro aquilo que dizes que digo!

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, acredito que tenha sido Lazaroni, como disse o amigo. Daí até ninguém da estrutura federativa não saber que Makukula jogava no Marítimo...acho estranho mesmo. Será que Scolari tem culpa das lesões de Carvalho, Deco, Jorge Andrade e por aí adiante? Terá culpa da péssima exibição protagonizada pela generalidade dos jogadores no sábado? Para mim é claro que não tem. O grupo, sem 2 ou 3 elementos, desiquilibra-se, como é o caso da falta de Carvalho e de alguém que faça de Deco, marcando o ritmo de jogo. Do pouco que presenciei com mais atenção, deu-me ideia que Simão, Ronaldo, Quaresma( este melhor que os outros) fizeram uma exibição ridicula. O amigo refere que a entrada de Manuel Fernandes equilibrou a equipa. Na minha opinião Fernandes fez tudo mal, não acertou um passe, entrou desconcentrado... Mas a culpa é de Scolari, claro está.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Peço desculpa se te incomodei com o meu comentário, que, como sabes, não era minha intenção, minimamente, fazê-lo.

Quando à convocação de jogadores em forma para a Selecção, tenho o convencimento de teres já manifestado esse entendimento aqui por outras ocasiões, e de certo modo o confirmas com um outro comentário teu de hoje, que não o do Makukula:

"Quem é que sistematicamente apostou nos mesmos, desprezando qualquer consideração pelo momento de forma ou pela necessidade de preparar o futuro?"

É um entendimento perfeitamente legítimo, que me pareceu correcto durante muitos anos - sempre critiquei, noutros tempos, a chamada de jogadores à selecção apenas pelo nome, mesmo estando em baixa de forma - mas que Scolari não perfila e com o qual acabei por concordar, tendo em conta a ideia que ele tem de Selecção e os resultados que acho que tem obtido.

Ao dizeres no teu comentário sobre o Makukula:

"Makukula foi convocado apenas e tão só com base nas indicações que dele deu o seu treinador, pese embora fosse na ocasião o melhor marcador da Liga Bwin!"

pensei estares a fazer referência ao facto de Scolari não convocar os jogadores mais em forma, e não à questão de o Scolari mal conhecer os jogadores que jogam em Portugal, porque não faz "os trabalhos de casa" e só ter tido conehcimento do Makukula pela informação prestada pelo Lazaroni.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Não deturpei o que escreveste, muito menos conscientemente!Interpretei foi mal o que escreveste.

Como já disse, tenho a ideia que tens defendido a convocação, para a selecção, de jogadores que se vêm revelando em boa forma, em, detrimento daqueles que estão manifestamente em baixo de forma.
E eu tenho vindo a concordar com o Scolari em escolher um núcleo de jogadores e, a médio prazo, só convocar esse núcleo independentemente da forma dos jogadores.

O teu comentário sobre o Makukula pareceu-me inserido nessa linha de se convocar ou não os jogadores mais em forma, mesmo que não façam parte do núcelo de selecção e foi essa linha que eu pretendi "contestar".

vermelho disse...

Amigo Nunca:
Scolari não tem culpa de nada!
A Scolari apenas devem ser reconhecidos méritos!
Quando a selecção ganha, a ele se deve!
Quando a selecção perde, deve-se aos jogadores!

"O grupo, sem 2 ou 3 elementos, desequilibra-se, como é o caso da falta de Carvalho e de alguém que faça de Deco, marcando o ritmo de jogo."

Por que razão sem Deco, Moutinho vai para os sub-21?
Por que razão sem Deco, Tiago não é convocado?

Como pode um grupo que tem como alternativas a Andrade e Carvalho, Bruno Alves, Meira, Manuel da Costa, Pepe e mesmo Caneira oscilar?
Por uma única razão:
Por falta de oportunidades na selecção.
São jogadores titulares dos seus clubes, os quais disputam as principais provas europeias, por que razão há-de haver oscilações?

vermelho disse...

Amigo JC:
Uma coisa é falar no momento de forma, outra bem distinta é dizer "Não é só porque Makukula em meia dúzia de jogos marcou 4 ou 5 golos no Marítimo que deveria ter sido logo chamado a correr à selecção."
Eu, alguma vez, disse que um jogador davia ir à selecção porque "episodicamente, aparecesse em boa forma devia logo ir à selecção"
Atentar ao momento de forma não é algo de episódico, mas sim enquadrado em observações sucessivas que legitimam uma convocatória.
Como sabes a Itália é campeã do Mundo.
A Itália nunca repetiu um onze na fase de qualificação do Euro-2008.
E porquê?
por que se olhou ao momento de forma.
Um jogador como Pepe, que não joga há mais de 2 meses, deve ser convocado?

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, palavras suas:
"Como pode um grupo que tem como alternativas a Andrade e Carvalho, Bruno Alves, Meira, Manuel da Costa, Pepe e mesmo Caneira oscilar?
Por uma única razão:
Por falta de oportunidades na selecção"
Falta de oportunidades na selecção, diz o amigo. Refere-se a quem? A Meira? A Caneira? A ALves? Acho que está confundido, pois estes elementos são ultimamente convocados e jogam amiúdes vezes.

VermelhoNunca disse...

Fala o amigo Vermelho em Tiago. Diz que Pepe não joga há 2 meses e não entende a sua convocação, mas sugere a convocação de Tiago! Há quanto tempo Tiago não joga na Juventus?

VermelhoNunca disse...

Atenção, com a troca de opinião que estou a ter consigo, amigo Vermelho, não quero dizer que concordo com todas as opções de Scolari. No entanto acho que o amigo está a disparar em todas as direcções, nem sempre com o discernimento conveniente, na minha opinião, claro está.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Penso que João Moutinho não foi convocado por Scolari porque terá entendido, com Rui Calçador, que a sua presença nos sub-21 era importante para estes, privados que estavam também de Veloso e de Manuel Fernandes, e dada a importância do jogo com a Inglaterra.
É apenas a leitura que faço.

antes morto que vermelho disse...

vi o jogo e veio no seguimento dos demais, muito fraquinho, até adormeci na parte final. exibições lamentáveis de simulão (como é possível falhar aquele golo??) e de manélélé. penalty evidente cometido por pelo labreca-vozinhas.

desta vez estou com o caxungo, venha a Finlândia e ganhe o jogo, só fico com pena pelo cristiano (que é o melhor do mundo, mas que sábado não jogou a ponta de um corno). e assim o mito socolari é desmistificado!! esse treinador "trabalhador" que nem sai de casa para ver jogos, prefere, á semelhança do zex, o sofá!

destaque para (finalmente) a entrevista ao talhante que afirma que não é um animal!! lindo!!! é só um predador que vai á carne!

a má noticia é para a lesão de hugo a. que pode ser substituído por nulo gomes!

antes morto que vermelho disse...

caxungo, outro que tem o discurso racista e não se aprecebe!! as suas alarvidades de 6º feira assim o provam!! ele que vá fazer festinhas no talhante!!

VermelhoNunca disse...

Palavras do assassino:
"Alguém do clube, nomeadamente José António Camacho, pediu-lhe para ter uma maior moderação na disputa dos lances?
Vocês sabem que venho de um futebol diferente. Há um processo de adaptação a uma forma de jogar diferente da que eu estava habituado. Hoje, mesmo por parte do treinador, há a preocupação em fazer com que altere o meu estilo de jogo para me adaptar melhor às necessidades da equipa. O futebol que jogava em África era muito mais agressivo, de muito maior luta, e isso leva o seu tempo a mudar. "
Vem de um futebol diferente??? Será futebol americano, o que quer referir o assassino?

VermelhoNunca disse...

Pelos visto eu não sou o único a chamar-lhe assassino:
"É óbvio que não matei ninguém e chegou-se ao ponto de me chamarem assassino. Estou aqui para jogar à bola e não quero que me transformem num animal. Sou um jogador de futebol"
Não matou ninguém, mas andou lá perto.

VermelhoNunca disse...

Alguém disse aqui no blog, que Binya tinha pedido desculpas ao adversário a quem tentou desfazer um membro inferior. Pelo vistos quem disse isto inventou:
"Directamente, não. Mas, sei que a Direcção pediu desculpas pelo sucedido. Não tive oportunidade de falar com o jogador, mas se tivesse tido falaria sem qualquer problema"

JC disse...

Ficamos a saber que, no futebol jogado em África, é legítimo entrar à canela do adversário - ou, pelo menos, não é suceptível de exapulsão.
Não sei então o que é que será considerado falta para expulsão no futebol africano. Talvez agressão a murro. E mesmo essa não sei...

VermelhoNunca disse...

Amigo JC, tenho ideia que um dos problemas do africano em causa, está relacionado com a música que se ouve nas palestras do SLPombal. Xutos e Pontapés, no tema Circo de Feras, fazem parte da introdução de Camacho antes de qualquer partida. Assim sendo...toca a distribuir pau, a torto e a direito.