quarta-feira, dezembro 12, 2007

Análise ao Sporting-Dínamo de Kiev

Estádio José Alvalade, em Lisboa

Árbitro: Stuart Dougal (Escócia)

SPORTING – Rui Patrício, Polga, Tonel, Abel, Ronny (Miguel Veloso, 60 m), Adrien Silva, Farnerud (Vukcevic, 67 m), Izmailov, João Moutinho, Purovic (Luiz Pães, 85 m) e Liedson.

DÍNAMO KIEV – Lutsenko, Gavrancic, Dopilka, Nesmachniy, Markovic, Ghioane, Gusev, Ninkovic, Rebrov (Belkevich, 80 m), Shatskikh e Bangoura (Artem, 56 m).

Ao intervalo: 1-0

Golos: 1-0, Polga (34 m); 2-0, João Moutinho (66 m); 3-0, Liedson (88 m).

Resultado final: 3-0




O Sporting despediu-se da presente edição da Liga dos Campeões com nova vitória sobre o Dínamo Kiev (3-0).
Um triunfo, ainda assim, algo amargo face à lesão de Liedson.
Numa partida em que pouco ou nada estava em jogo, Paulo Bento regressou à lógica da rotatividade, quiçá apelando à motivação-extra de alguns dos jogadores menos utilizados - Adrien Silva e Farnerud foram titulares em detrimento de Miguel Veloso e Romagnoli.
Do seu tão amado losango é que Bento não abdicou.
Diante de um Dínamo desmotivado e que renunciou voluntariamente à utilização do seu quinteto de brasileiros, o Sporting assumiu o domínio e controlo da partida desde o apito inicial do árbitro.
Não obstante, escassa revelou-se a produção atacante leonina, que raramente se acercou com real perigo da baliza de Lutsenko.
Purovic e Abel terão sido aqueles que mais perto estiveram do golo, mas seria de um lance aparentemente inócuo que aquele acabaria por surgir.
Nesmachniy, inexplicavelmente, atropelou Liedson dentro da grande área e Stuart Douglas apontou para a marca de grande penalidade.
Polga, que tinha falhado frente ao Leiria, desta vez não desperdiçou e alcançou o seu segundo golo ao serviço do Sporting, repetindo o feito de Kiev.
Em vantagem, o Sporting reforçou a sua confiança e a sua auto-estima, acentuando a sua soberania sobre a partida.
Até ao intervalo, o jogo fortaleceu a tendência de império leonino, diante de um Dínamo que não conseguiu sequer esboçar uma reacção.
No dealbar da segunda parte, um esquiço de empertigamento ucraniano e os alicerces da tranquilidade leonina abalaram, demonstrando que o estado de espírito da equipa não é o melhor.
O Sporting tremeu e Gusev podia ter restabelecido a igualdade num remate que foi ao encontro do poste e das costas de Rui Patrício e que, por muito pouco, não passou a linha de golo.
Vendo a equipa a resvalar para preocupantes níveis de ansiedade e de insegurança, Paulo Bento lançou Miguel Veloso para a esquerda em substituição de Ronny.
E foi o quanto baste para cercear o assomar ucraniano e recuperar as rédeas do encontro.
Sem surpresa, aos 67 minutos, Izmailov cruzou atrasado da esquerda para a entrada de João Moutinho que rematou cruzado para o segundo golo.
Pouco depois, Vukcevic entrou para o lugar do inexistente Farnerud e o Sporting não mais largou o comando do jogo.
Purovic quase fez o terceiro, a cruzamento de Miguel Veloso, mas seria Liedson, lançado por Vukcevic, a fechar a contagem.
Todavia, o brasileiro lesionar-se-ia neste lance, o que acabaria por ensombrar uma vitória expressiva e inequívoca do Sporting.

23 comentários:

JorgeMínimo disse...

Aparentemente a lesão do Liedson não será muito grave.

Antes morto que vermelho disse...

não vi a lagartada e mão posso comentar, se bem que kaguei neles.
aguardo por um benfica-sporting para a taça uefa.

xungo: táss bem posso trabalhar contigo a compilar, não a "com pilas"... combinamos para a semana?

vermelho disse...

Amigos:
Há voluntários para a Tribuna do Bitaite?
abraço.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Farei bitaite, apesar de outras vezes ter dado má sorte ao SCP.
Até ao final do dia enviar-te-ei o artigo para o teu e'mail.

JC disse...

Quanto ao jogo do SCP, não o vi- não tenho Sport TV- apenas tendo ouvido os comentários do Luis Sobral na RTP.
Parece que João Moutinho, a jogar no vértice mais adiantado do losango (lugar onde mais rende), realizou uma boa partida.
Regozijo com a titularidade de mais um junior, Adrien Silva, que parece também ter efectuado um bom jogo.
Parece que aos poucos o Paulo Bento vai conseguindo por ordem na casa.

vermelho disse...

amigo JC:
Obrigado.

cavungi disse...

O melhor que se viu no SCP-Kiev foi o João outinho a oferecer a sua camisola á Juve Leo e esta a devolvê-la.
Devia cheirar muito mal.

cavungi disse...

Macaco:Se o Deus desportivo quiser levarás com o Arsenal.
Tenho fé.

VermelhoNunca disse...

AMigo Tinoco, aceitou o retpo do Macaco? Você, o verdadeiro elefante do blog, é a pessoa indicada para tal tarefa.

Antes morto que vermelho disse...

xungo: comékeé? compilamos? não "com pila amos"!

Antes morto que vermelho disse...

xungo: o arsenal, até os comemos ao pequeno almoço!!!!
e vocês calharam com quem?

Antes morto que vermelho disse...

nunca: elefante tinoco não responde...

JC disse...

Amigo Vermelho:
Vejo que conseguiste esticar a minha fotografia.
Contudo, ainda há condóminos que precisam de ser também esticados.
E represtinaste o Salvatrucha de pêra, que fica, indubitavelmente, com melhor ar!

PS: já mandei o Bitaite para o e'mail do blogue.

vermelho disse...

Amigo JC:
Assim me enviem as fotografias e todos serão "esticados".
Também partilho da tua opinião relativamente ao Salva ou grande guru Citius.
Confirmo recepção do bitaite.

Jimmy Glorioso disse...

O Sporting é efectivamente um clube diferente onde se passa as situações mais inusitadas.
Pelos vistos a Juventude Leonina não aceitou a camisola do Capitão Anão devido a uma hipotética entrevista que este concedeu onde dizia que festejou efusivamente a goleada imposta pelo Benfica ao Sporting em 94 por 6-3 (um dos piores dias da vida de um lagarto), tinha o rapaz sete anitos.
Devo dizer que o anãozito subiu um pouco mais na minha consideração.

VermelhoNunca disse...

Condómino Jime, acha que foi esse o motivo?

LEÃO DA ESTRELA disse...

Os números não deixam dúvidas: um ano depois, o Sporting, embora não cumprindo o objectivo traçado, melhorou o seu desempenho nas provas europeias, desde logo ao ter garantido a passagem à Taça UEFA, que é uma espécie de prémio de consolação para aquelas equipas que não conseguem apurar-se para a segunda fase da Liga dos Campeões. É certo que a melhoria leonina foi feita à custa da pior equipa na prova, o Dínamo de Kiev (a única equipa que não pontuou), a quem ganhou seis pontos e a quem marcou cinco golos. Mas o que fica para a história é que o Sporting foi o melhor dos terceiros classificados, obtendo os mesmos sete pontos de Marselha, Glasgow Rangers, PSV, Rosenborg e Benfica, mas sendo a única equipa com vantagem dos golos marcados sobre os golos sofridos (9-8). Relativamente a 2006-2007, o Sporting conquistou mais uma vitória, marcou mais cinco golos, sofreu mais dois e amealhou mais dois pontos.

vermelho disse...

Leão da Estrela:
Não o conhecendo e não sendo adepto do seu clube, devo dizer-lhe que sou um leitor assíduo do seu blog.
Aprecio particularmente o sentido crítico, mas de crítica construtiva, que empresta às suas reflexões sobre o Sporting.
Enquanto uns persistem nos ensaios sobre a cegueira, outros, como você, preferem desconstruir as mistificações do presente para edificar um futuro melhor.
Como benfiquista, espero e desejo que os primeiros se multipliquem e que assim se perpetue o actual estado de coisas.
abraço.

vermelho disse...

p.s. gostaria que nos continuasse a visitar com regularidade.

Jimmy Glorioso disse...

Condómino Nunca, não tenho como confirmar a veracidade da notícia.
Li-a num comentário no site maisfutebol.

JC disse...

Caro leão da Estrela:
Estive a visitar o seu blogue, entusiasmado pelos comentários positivos aqui deixados pelo Snr. Administrador deste espaço, e acheio-o extremamente interessante.
Parabéns a continue a aparecer por aqui, onde escrevem, como deve ter reparado, alguns sportinguistas de coração (de entre os quais destaco o Grande VermelhoNunca!)

VermelhoNunca disse...

Agradeço a referência que me fez, amigo JC. Estou de acordo, que contributos de verdadeiros Leões, são sempre bem-vindos.
Viva o Sporting Clube de Portugal.

cavungi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.