domingo, setembro 30, 2007

Análise à 6ª Jornada

BWin Liga, 6.ª jornada

BENFICA-SPORTING
Estádio da Luz, em Lisboa
Hora: 19:15
Árbitro: Pedro Henriques (Lisboa)

BENFICA – Quim; Nélson, Luisão, EdCarlos e Léo; Katsouranis e Rui Costa (Nuno Assis, 88 m); Maxi Pereira, Di Maria (Adu, 82 m) e Cristian Rodriguez; Nuno Gomes (Cardozo, 76m).

SPORTING – Stojkovic; Abel, Tonel, Polga e Ronny; Miguel Veloso; João Moutinho, Romagnoli e Vukcevic (Farnerud, 68 m); Djaló (Celsinho, 83 m)e Liedson.

Ao intervalo: 0-0

Acção disciplinar: Cartão amarelo a Luisão, Abel, Cristian.

Fim da partida: 0-0



E ao centésimo derby, o grande vencedor foi… o Porto.
Pautado por períodos de domínio repartido, o nulo não serviu os interesses de qualquer uma das equipas, mas acaba por ser o desfecho mais adequado a uma partida que navegou algumas vezes entre a emoção e o bocejo.
Camacho apostou no esquema e no onze de Milão, ao passo que Paulo Bento se manteve fiel ao losango.
Camacho havia aludido ao jogo de Milão como aquele em que o Benfica havia criado mais ocasiões de golo e, como tal, não surpreendeu que a ele tivesse retornado.
Estruturou a equipa num 4x2x3x1 e ganhou ascendente territorial na partida.
Desde logo, porque o duplo-pivot, Katsouranis-Pereira, se revelou sempre superior a Moutinho, Vukcevic e Romagnoli, o que permitiu ao Benfica obter superioridade na zona mais vital do terreno – o meio-campo.
Depois, porque Rui Costa “obrigou” Miguel Veloso a jogar muito junto dos centrais, o que retirou profundidade às suas acções.
Por fim, porque Paulo Bento insiste em privilegiar a contenção e as transições rápidas como matriz estratégica essencial, o que possibilitou ao Benfica concentrar a iniciativa de jogo.
O primeiro quarto de hora acabou por ser o melhor período do jogo.
Logo no primeiro minuto, Di Maria combinou com Rui Costa e este viu o seu remate travado in extremis por um providencial carrinho de Abel.
Um escasso minuto volvido e o Sporting respondeu - Romagnoli surgiu solto na direita e libertou Miguel Veloso, cujo remate forte foi defendido com dificuldade por Quim.
Ressaltavam à evidência as mais-valias de que cada uma das equipas: por parte do Benfica, a articulação entre Rui Costa e Di Maria; do lado do Sporting, a fluidez ofensiva do flanco direito leonino, com Moutinho, Abel, Yannick Djaló e até Romagnoli a combinarem entre si e a causarem problemas a Léo.
Dois excelentes lances de futebol, que deram o mote para uns 15 minutos iniciais frenéticos.
Um imenso mar de promessas, que adensavam a expectativa, mas que, na sua esmagadora maioria, ficaram sem cumprimento.
A qualidade do futebol era alta, com Rui Costa no centro das movimentações encarnadas e com Djaló na génese da generalidade das ameaças leoninas.
Nos restantes 30 minutos, não obstante o predomínio territorial do Benfica, que lhe proporcionava mais iniciativas ofensivas, o equilíbrio imperou.
O Benfica porfiava, mas a sólida organização defensiva do Sporting impossibilitava penetrações na grande área.
Com o passar dos minutos e com o acréscimo de agressividade que Miguel Veloso impôs nas suas acções, Rui Costa foi perdendo protagonismo e o futebol do Benfica fluidez e clareza de ideias.
O Sporting empenhava-se em emprestar rapidez às suas transições ofensivas, mas a compostura e o equilíbrio do meio-campo benfiquista obstava à concretização das suas intenções.
Assim, não estranhou que a partida caísse num impasse táctico.
Para a segunda metade, esperava-se um maior atrevimento de ambos os treinadores, mas tal não veio a suceder!
Não obstante, o descanso pareceu ter renovado a atitude dos jogadores e quase que se viveu uma sensação de déjà vue.
À semelhança do que acontecera na primeira metade, a partida dealbou polvilhada de futebol de qualidade.
Tal como nos primeiros 45 minutos, a pressão do Benfica voltou a criar dificuldades ao meio campo leonino e um remate de Maxi Pereira, um pouco ao lado, anunciou a melhor oportunidade de golo em todo o encontro.
Aos 56 minutos, Nuno Gomes desperdiçou de forma ignóbil um portentoso remate de Rui Costa que Stojkovic defendeu para a frente.
Num jogo talhado para ser decidido nos pormenores, o erro de Nuno Gomes revelou-se decisivo no epílogo da partida.
Com Rui Costa a viver um segundo fôlego criativo e a assumir a condução do momento ofensivo, o Benfica vencia a batalha do meio-campo e rompia com o equilíbrio até então reinante.
Todavia, seria sol de pouca dura.
Por esta altura, impunha-se que Camacho arriscasse no fortalecimento do poder ofensivo do Benfica, promovendo a entrada de Cardozo para o lado de Nuno Gomes de forma a que o Benfica traduzisse na área o seu ascendente.
Não o fez e, assim, a sageza táctica de Bento fez regressar o equilíbrio.
Lendo muito bem as circunstâncias do jogo, Bento fez entrar Farnerud para o lugar de Vukcevic e a igualdade de forças voltou a ditar leis.
Até final, apenas um remate de Romagnoli trouxe emoção ao jogo, mas Quim, a dois tempos, resolveu.
Penso que esperam que me pronuncie sobre os lances polémicos do jogo.
Pois bem, fá-lo-ei em seguida.
Penso ter existido grande penalidade num lance entre Rodriguez e Ronny aos 10 minutos da primeira parte.
Rodriguez entra na área, Ronny sai-lhe ao caminho e coloca-lhe a perna à frente, derrubando-o.
No lance entre Katsouranis e Romagnoli, entendo não haver razão para penalty.
Katsouranis antecipa-se a Romagnoli e quem promove o contacto é o argentino.
De igual forma, penso não ter existido grande penalidade na alegada mão de Katsouranis.
Desde logo, porque inexiste uma única imagem que demonstre que o grego jogou a bola com a mão!
Depois, porque Katsouranis tem o braço esquerdo completamente colado ao corpo e a ter havido contacto com a bola, este não aconteceu por acção do grego (bola na mão).
Por fim, o lance que envolveu Adu e Moutinho.
Tão evidente que foi o derrube de Moutinho a Adu, que se torna inexplicável como um árbitro a escassos metros do lance não o assinala.


Estádio do Dragão, no Porto

Árbitro: Artur Soares Dias (AF Porto)

FC PORTO – Helton; Bosingwa, Stepanov, Bruno Alves e Cech; Lucho Gonzalez (Bolatti, 78 m), Paulo Assunção e Raul Meireles (Adriano, 78 m); Tarik Sektioui (Leandro Lima, 46 m), Lisandro Lopez e Ricardo Quaresma.

BOAVISTA – Carlos; Rissutt, Ricardo Silva, Marcelão e Moisés; Fleurival, Diakité e Jorge Ribeiro; Zé Kalanga (Bangoura, 52 m), Edgar e Mateus (Laiomel, 70 m).

Ao intervalo: 1-0

Golos: Lisandro Lopez (14 e 74 m).

Resultado final: 2-0

Cartão amarelo a Zé Kalanga, Rissutt, Lisandro Lopez e Diakité



Eficácia - uma vez mais, foi esta a síntese de um jogo do Porto.
Eficácia que rimou, também uma vez mais, com Lisandro Lopez.
Exibição q.b. para vencer.

31 comentários:

JorgeMínimo disse...

Caro Sr. Administrador:
Perante o que se tem passado ultimamente no nosso futebol e principalmente pela sua análise ridícula ao jogo, vou abandonar por uns tempos este espaço.
Abraços, Jorge Mínimo.

JC disse...

Não tendo visto o jogo por motivos pessoais, mas apenas o resumo dos lances mais relevantes, limitar-me-ei a dizer apenas o seguinte:
Objectivamente, o empate de um candidato ao título no terreno de um adversário é um bom resultado.
No entanto, não fiquei nada satisfeito com o empate do SCP na Luz pois era um jogo que podia e devia ter ganho.
Quanto aos lances polémicos, parece-me flagrante o penaltie sobre o Romangoli, que é atingido pelo Katsouranis de lado, provocando-lhe a queda em plena grande área.
Quanto ao lance entre Moutinho e Adu, tenho uma leitura diversa do Snr. Administrador: parece-me que Adu é que provoca o contacto e, a haver falta, creio que a mesma ocorre sobre a linha da grande área e não é, portanto, penaltie.
Não vi o lance do Ronny que o Snr. Administrador refere.
Quanto à bola no braço do Katsouranis, independentemente de se considerar penaltie ou não (e até admito que nãos eja, como diz o Snr. Administrador), o que é de criticar - e exasperou os sportinguistas - é o comportamento do árbitro, por contraponto com situação idêntica no jogo Estrela da Amadora-Benfica.
Para o SCP, a leis da arbitragem e o comportamento dos árbitros são sempre diferentes e é isso que não é admissível.

Por fim, um apelo ao condómino Mínimo:
Reconsidere a sua posição.
Como um dos históricos deste espaço, ouvir aqui a sua voz é imprescindível!
Perante a forma como o SCP tem vindo a ser tratado pela comissão de arbtiragem, com Vitor Pereira à cabeça, todas as vozes sportinguistas são importantes, por isso não se cale!

Antes morto que vermelho disse...

"análise" ao jogo completamente descabida e sem sentido. aliás há um sentido e este é o fanatismo completamente descontrolado do bermelho. Incrível!!
A lagartagem foi roubada, mais uma vez, nas palavras do zé do boné "foi um roubo de catedral".

Não farei o que o minímo vai fazer (é necessário ficar alguém para desencapuçar as atoardas que o bermelho arrota), mas estou solidário com ele.

Em relação ao jogo destaco pela positiva o rommagnoli (convenceu-me finalmente), e o polga (não manda charutos á toa como o tonel ou o cabeça bicuda), sabe o que anda a fazer. da lampionagem gostei do rodriguez e, por muito que me custe, um bocadinho do nelson.
Pela negativa, desde já o pedro r. deixa dar cacetada, e é uma espécie de madail da arbitragem, apita politicamente correctamente além de roubar a lagartagem. destaco também o nulo (igual a si mesmo, como é possível falhar aquele golo?), o cabeça-bicula, só arreia e manda charutos á toa, na lagartagem o tal de yanick que empata todo o que lhe chega.

Quanto ao FCP, uma vez mais Q.B. para as equipas portuguesas.

Volta minímo estás perdoado! os teus desenterros também são, aqui necessários...

GDNNDNL disse...

Excelente análise à partida.
A forma como relata e avalia o desempenho das duas equipas parece-me acertado.
Fique com um abraço.

GDNNDNL disse...

Sr. JC:
Uma questão: se não viu o jogo, como pode afirmar que o Sporting podia e devia tê-lo ganho?
Avalia jogos com base em resumos?

Antes morto que vermelho disse...

gdnndnl, outro demente!

VermelhoNunca disse...

No sábado li as declarações de Camacho, em que ele refere que , após ter visto as imagens televisivas do jogo do Estrela da Amadora contra o Benfica, fica com dúvidas se o jogador do Estrela não cortou mesmo a bola com a mão, dando origem ao penaltie mais escandaloso dos últimos anos.
Nesse jogo da Amadora o 4º árbitro era o senhor militar, o tal que não viu nada na Luz, mas resolveu desautorizar o seu auxiliar.
Na minha perspectiva, não está em causa se é mão do grego. Está em causa é a atitude do militar, que nada vendo, inventa uma bola ao solo. Porque se tivesse visto o lance, pura e simplesmete não tinha interrompido o jogo.
Quanto ao lance do grego sobre Romagnoli, apenas o nosso administrador vê Gato Tsouranis a antecipar-se ao argentino. Antecipa-se mas não toca na bola! Antecipa-se mas não ganha posição vantajosa!
Quanto ao resultado, acho-o justo, num jogo agradável de seguir, com bons períodos de futebol .
Última chamada de atenção, em especial para o Macaco: a selecção de rubgy nacional, homenageada no intervalo do jogo da LUz, tem apenas um jogador que é adepto do Benfica. Mais uma razão para eu ainda os apreciar mais.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: mas o dumbo-orelhudo conseguiu convencer os "nossos" lobos a serem "mostrados" na luz, alguns com cachecois lampiões, ao seu lado.
O treinador dos "nossos" lobos é lampião? é que o dumbo e ele andaram lá aos abracinhos...

nunca: o assassino ranis tem carta branca para fazer o que bem entender neste campeonato, desde partir pernas até cometer penaltys que não são assinalados.
Não esqueça nunca que o mili o ano passado não assinalou um penalty escandaloso contra a lagartagem, quando do jogo com o fcp nas antas... e depois ainda dizem que o mili é um bom árbitro, dasssssssss!

Grande Pipi R.!!

VermelhoNunca disse...

Não Macaco, a selecção tem um único jogador adepto do Benfica. O treinador Tomás Morais, inclusivé é colaborador na Sad do Sporting.
Você viu um jogador da selecção com uma camisola do Benfica,nada mais que isso. Os cachecóis, ou eram da selecção ou do SPorting.
Não fiz referência ao jogo do FCPorto, uma vez que mal vi o jogo.

GDNNDNL disse...

Demente é o caríssimo que não consegue articular uma única ideia, nem construir uma frase com pés e cabeça.

Antes morto que vermelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antes morto que vermelho disse...

gdnndnl um intlectualoide! com pés/patas, mas sem cabeça! deve ser lampião!

GDNNDNL disse...

Sr. AMV, as iniciais do meu nome dizem tudo sobre o meu clube...

Antes morto que vermelho disse...

Eminência gdnndnl: queira fazer o obséquio de traduzir essas mesmas iniciais...

GDNNDNL disse...

AMV, decifre...

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Pessimo derbí.Pessima arbitragem.
Um penalti sobre romagnoli na 1ª parte a ser covertido daria outro rumo ao jogo.Penalti nos ultimos segundo sobre Freddy, sem coragem para ser marcado.
O lance com Katsouranis é hilariante.Se interrompe tem duvidas.Se é mão ou não é outra história.A mim não me parece mão.Mas se interrompeu o jogo devia ter marcado a falta.
Falta de audácia e camacho ao jogar ´so com o Nulo, que pela miléssima vez falhou um golo feito.Um nabo.
Resultado justo!
E ao contrário do que diz o anormal do Vieira o atraso pontual não é recuperrável.Os oito pontos não são culpa dos arbitros...

cavungi disse...

Caro Minimo,
É pena que queira descarregar a sua
frustação neste blogue.Se de cada vez que o SCP não ganhar v.exa amua, então vai ficar muito tempo ausente.
Não parta.Fique.
Eu gosto das suas baboseiras.

cavungi disse...

Caro Minimo,
Se v.exa não volta serei obrigado a iniciar uma petição na net sob o tema:"Volat Minimo que nos fazes rir"

JC disse...

Amigo Cavungi:
Basicamente, estamos f***dos.
O FCP arrancou imparavelmente em direcção ao título.
A nós resta-nos lutar pelo prémio de consolação.
Cada vez mais faz sentido a expressão "Campeonato da 2ª Circular".
Salva-se o SCP por não ter gasto 12 milhões de euros em dois jogadores que só servem para aquecer o banco (Cardozo e Bergessio).
No mais, estão bem um para o outro.

VermelhoNunca disse...

AMigo Cavungi, completamente de acordo consigo.

VermelhoNunca disse...

Amigo JC, na minha opinião só temos um resultado anormal que é o empate em casa com o Setúbal. Fomos ao Dragão perder e àq Luz empatar. Não me parecem resultados anormais. A distância que levamos do Porto é um pouco falseada pelo calendário cumprido.
Quanto ao Benfica, penso que está bem pior que nós.

JC disse...

Amigo Nunca:
Mas também não são grandes resultados.
Um empate no Dragão e uma vitória sobre o Setúbal eram resultados que me deixariam mais satisfeito.
Ou, então, uma viória ontem e uma vitória sobre o Setúbal.

Antes morto que vermelho disse...

nunca:"...só temos um resultado anormal que é o empate em casa com o Setúbal. Fomos ao Dragão perder e àq Luz empatar. Não me parecem resultados anormais..." palavras de Paulo Bento no final do jogo, pelágio!

Sobre Rugby, nunca: o que lhe parece aquele jogador da frança o sebastiene chabal? aquele que no parque dos principes partiu a boca a um neo-zelandês?

VermelhoNunca disse...

De acordo, amigo JC. No entanto, mau mesmo, foi o resultado contra o Setúbal. Os outros poderão ser considerados resultados normais, pois são sempre jogos de tripla.
Não estou preocupado com a distância para o FCPorto, neste momento.
Amigo CAvungi, e as declarações de Camacho relativamente ao jogo da Amadora? Viu na TV e tem dúvidas se não seria mesmo penaltie.

Antes morto que vermelho disse...

cavu: o que o dumbo-orelhudo diz´, são mandamentos e vocês os, como acólitos que são só têm que assinar por baixo! Portanto a semelhança do que cabeça-bicuda, anda aí a arrotar, "o benfica incomoda". Apoie o Dumbo, sem reservas!

VermelhoNunca disse...

Macaco, não sei se Paulo Bento disse isso, no entanto é a minha opinião, que pelos vistos coincide com a de Paulo Bento.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: chabal, fez, aquilo que foi considerado a placagem do século!

VermelhoNunca disse...

Macaco, não sei de que lance se trata, quando fala do rugby.

VermelhoNunca disse...

Mas vou informar-me relativamente a esse jovem francês.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: vá ao youtube e coloque o nome sebastiene chabal.

pachulico disse...

Mais uma vez, e de acordo com o exposto aquando do grandioso torneio do guadiana, o sr Major mostrou a sua qualidade, que roça a nulidade. No entanto continua a ser uma eminência parda na arbitragem, acima de toda e qualquer suspeita. Fica a consolação que os erros grosseiros foram repartidos...