segunda-feira, setembro 24, 2007

Livro de Reclamações

Quatro jogos de suspensão para Scolari ou a perturbante candura dos tecnocratas tacticistas da UEFA.

Uma punição exemplar!
Exemplar, porque exemplo do modus operandi da máxima instância europeia em termos de futebol, sempre extremamente cuidadosa com as implicações das suas decisões.
Observou e respeitou de forma rigorosa os interesses do futebol português e a relevante posição que actualmente Gilberto Madaíl ocupa na oligarquia do futebol europeu.
Favor com favor se paga e se Madaíl desempenhou um destacado papel na eleição de Platini,não podia este deixar de lhe retribuir semelhante gratidão, fazendo lobby no sentido da pena relevar a dosimetria "correcta".
Um castigo mais dilatado assumir-se-ia como uma questão de difícil resolução ou não afectasse a participação no Europeu.
Seria árduo Madaíl não tomar decisões!
Homem de consensos podres e de silêncios comprometidos, Madaíl ficaria numa posição delicada e de penosa gestão.
O amigo Platini poupou-o a semelhante engulho.

Uma sanção vergonhosa!
Vergonhosa, porque não reflecte, minimamente, a gravidade do ílicito perpetrado, nem conduz à reafirmação contrafáctica do valor e da validade dos princípios éticos violados por Scolari.
E que se prepara para assumir contornos ainda mais indecorosos.
A jurisprudência Uefeira é pródiga em exemplos de clemência e indulgência e não me espantaria que o recurso apresentado por Scolari conhecesse provimento, permitindo-lhe marcar presença no banco no jogo decisivo com a Finlândia.

A hecatombe europeia ou a crónica de um desastre anunciado.

As sete equipas portuguesas conquistaram apenas um ponto em 21 possíveis na primeira jornada das competições europeias.
Surpreendente?
Não, longe disso, apenas previsível.
Os três grandes defrontavam outros ainda maiores.
Perderam dois e empatou um.
Saldo ainda assim com laivos de sucesso minguado imprevisto, pese embora o empate obtido o haja sido na condição de visitado e perante um adversário reduzido a dez unidades.
Na Taça UEFA, só o noviço Paços debutava em Portugal e mesmo assim longe do seu habitat natural.
Belenenses e Leiria deslocavam-se à Alemanha e apenas o Braga enfrentava adversário de menor calibre.
As perspectivas mais optimistas podiam conceber o amealhar de uma vitória e de um empate.
Todavia, o balanço final quedou-se distante, bem distante mesmo - Quatro derrotas!
Péssimo!
Seis derrotas em sete jogos, mesmo ponderadas todas as circunstâncias, não pode deixar de importar um significado concreto e definido - a posição que Portugal ocupa no ranking da UEFA não encontra correspondência na profundidade qualitativa da nossa Liga.
Uma constatação ressalta à evidência - apenas os grandes, que oferecem resistência aos melhores, embora com reduzida taxa de sucesso, apresentam um nível competitivo com padrões europeus.
Aliás, verdade seja dita, que, com excepção do Braga, somente os clubes grandes contribuíram para o acumular de pontos que guindou Portugal ao 6º lugar no Ranking da UEFA.
Por outro lado, a fragilidade patenteada pelos "não grandes" nas competições europeias permite retirar uma outra conclusão, qual seja a de que os insucessos que os grandes, algumas vezes, registam frente a equipas de menor valia nas competições internas devem ser encarados como a excepção que confirma a regra e não como demonstração de um acréscrimo da competitividade.
Loas várias se teceram ao número recorde de equipas apuradas para as competições europeias, mas as dramáticas consequências futuras de tão imprevisto evento serão devastadoras para o futebol português.
Esta época, a conquista de um mísero ponto fez Portugal cair para a nona posição do Ranking, agora com uma distância razoável para Rússia e Holanda.
Na temporada 2009/2010, caso se mantenha o actual estado de coisas, a participação portuguesa nas competições europeias pode resumir-se a uma equipa directamente na fase de grupos na Liga dos Campeões e outra na pré-eliminatória, mais duas na Taça UEFA, uma das quais na segunda eliminatória.
Aliás, afigura-se muito complicado reverter o quadro vigente, pois que os pontos conseguidos pelas equipas de um país (2 por vitória, 1 por empate, metade destes valores nas pré-eliminatórias), são divididos pelo total de equipas desse país que participam nas competições europeias do ano em causa.
Isto é, os pontos obtidos serão, este ano, divididos por 7 e dos 7 participantes portugueses o mais provável é a eliminação, já na 1ª eliminatória, de 3...
A ver vamos, mas lá que o cenário é sombrio disso não restam dúvidas.

24 comentários:

Antes morto que vermelho disse...

o paços vai descer e o leiria também, o belém vai andar a lutar para não descer e o braga vai ter chicotada em breve e nenhuma vai além desta primeira eliminiatória. este é o panorama que se desenha para as miseráveis equipas que este ano participaram na taça uefa.
na minha opinião só os 3 grandes deveriam participar nas taças europeias, pois são os únicos capazes de conquistar alguns pontitos. sabemos de antemão que o fcp sempre faz uns 7 ou 8 pontitos, a lagartada e a lampionagem com 1 ou 2 pontitos podemos contar, agora com o resto...

VermelhoNunca disse...

Acho exagerado esse seu vaticinio Macaco.
A questão europeia é de facto pertinente. O futebol português não tem estrutura para ter tantas equipas nas provas europeias. Para o ano "perdemos" os pontos do FCPorto campeão europeu, depois os pontos do Sporting finalista da Taça Uefa,e o descalabro será enorme. Entre o Braga na fase de grupos da Uefa, e os 3 da Champions que pontuem bem, passando mesmo à fase seguinte, talvez dê para amenizar a questão.

Antes morto que vermelho disse...

nunca: a ver vamos, mas estou muito pessimista.

e os "nossos" lobos ontem? ouvi na antena 3, o zé nunes a dizer que foi muito bom e não concordo, ou seja, já "voltámos" a dizer que a derrota é boa. a participação pode ter sido boa (só boa, não muito boa), ganhou-se visibilidade, experiência e assim talvez venham ainda mais patrocinios), mas perder não é bom, a participação foi normal para as expectativas que se criaram. Se bem que houve objectivos por cumprir, nomeadamente, o score contra a n. zelandia e a vitória perante a roménia (e não me venham cá com a tanga da preparação fisica, isso é para leitores de A Bola).

VermelhoNunca disse...

Não vi o jogo de rugby ontem, por questões de trabalho. Tenho ideia que alguém do blog visionou o jogo. Aguardemos pela comentário desse condómino.

cavungi disse...

Concordo com Macaco:
Só os três grandes "deviam" participar nas T.Uefa.
Quanto mais equipas temos menos pontos fazemos, obviamente.
Talvez o Braga consiga anular a desvantagem devido ao golo fora, mas quando uma equipa está aflita para ultrapassar o poderoso Hamarby, está tudo dito.
Leiria, Paços e Belenenses vão voltar a perder os jogos.E saiem pela porta pequena.O futebol português no global só tem qualidade na cabeça de alguns iluminados da comunicação social.
Quanto aos meus primos, visionei a partida e relatei as suas incidências minuto a minuto a outro condómino que NUNCA deixou de acreditar na vitória sobre a Roménia.E esteve quase a acontecer.Bem mereciam os betinnhos.Ontem sim, portaram-se muito bem.Mas perderam.É o fado Português....

Antes morto que vermelho disse...

mas "O futebol português no global só tem qualidade na cabeça de alguns iluminados da comunicação social"? se estes arrotos são produzidos pelos vossos pasquins, pelos vossos jornalistas o que se há-de fazer? Dar lugar a jornalistas sérios? que não estão a soldo do benfica? neste momento não estou a ver ninguém capaz de se distanciar da sua camisola benfiquista.

cavungi disse...

Macaco: Então e o Porco-Lagarto do Rui Santos?

VermelhoNunca disse...

Amigo Vungi, agradeço o seu post relativo ao rugby. Tive pena, mas não pude mesmo acompanhar, a não ser através do amigo. Embora depois tenha "assitido" online, a todas as incidências do jogo, minuto a minuto, no sitio oficial da competição.

cavungi disse...

Amigo Nunca, Foi pena a derrota tangencial.
Tanto pelo prestigio como pelos euros!

Antes morto que vermelho disse...

vungi: seja o r santos, seja o manha, seja o cornado, seja o sousa martins, seja o cabeçudo da sic, seja o paulo escarro ou até o fdp do cartaxana, pertencem todos á mesma teia, e protegem-se todos uns aos outros porque precisam todos uns dos outros.
esse rui santos é daqueles em que o grau de anormalidade e de anti-portismo, deixou de ser possível ser medido, já pertence aos grupo dos "cavalos".

Antes morto que vermelho disse...

cavu: a vitoria, no rugby, valia quanto?

JC disse...

AMB:
É caso para dizer: volta, Gabriel Alves, que está perdoado.
Para já não falar do comentador que o País inteiro consagrou, o saudoso Alves dos Santos.

cavungi disse...

Macaco:E os anormais do estúdio do Norte?Com o seu portismo ferrenho?
Ser Jornalista já é mau.Ser Jornalista desportivo ainda é pior!
Deus me livre de algum cair em desgraça junto da comunicação social!

Antes morto que vermelho disse...

há comentadores no norte bons, o rui moreira é exemplo disso. o bernardino barros, em termos de rádio não é mau.

lá no norte há um brasileiro com lacinho (todo aviadado), que até convida o tibi (sim o velho gr do fcp), para ir ao programa dele comentar cenas... o tibi a comentar???!!! é a mesma coisa que colocar o vitor manuel, ou o joão alves a comentar um jogo, uma miséria franciscana... ou até a mesma coisa que pedir ao david "lixo" luís para não dar cacetada... utópico!

cavungi disse...

São quase todos muito maus.
Na premier league na Sportv tens o Pedro Ribeiro que até tem piada.

Antes morto que vermelho disse...

jc: mais conhecido pelo alves dos cantos, esse deus do comentário ibérico. grande lagarto.

mas havia um que era o máximo, era usual vê-lo a falar quando o domingo desportivo dava ao domingo á noite na rtp-1, era no tempo em que a seguir ao domingo desportivo dava uma série chamada "soap". esse marreta tinha por hábito comentar as modalidades sem interesse (e algumas das ditas amadoras), tipo vela, hipismo, ciclismo, etc. e era conhecido pelo "voz-sensual", penso até que foi o primeiro a dizer: "... e para o vencedor há sempre a satisfação de chegar em 1º lugar"!... Profundissimo!

Antes morto que vermelho disse...

dassssss! esse pedro ribeiro além de lampião é vaidoso e tem a mania que tem piada. e, acima de tudo, uma vez a entrevistar o josé cid chamou-lhe mestre (de quê?), dassss! é a mesma coisa que se dizer que o cabeça-bicuda vai para a juventus, uma asneira!!

cavungi disse...

Macaco:
Tambem és do tempo do Girabola?Com Ribeiro Cristóvão?

cavungi disse...

Dava antes do Dallas!

Antes morto que vermelho disse...

cavu: sou do tempo do alves dos santos, do rui tovar, do rodrigo g c. a comentar bola, do saudoso manuel fernandes e do nuno braz (que estava sempre nos famosos estudios do norte).
também sou do tempo do caga (Club de Amigos do Gabriel Alves)

cavungi disse...

Não esquecer o Manuel dos Caracois (manuel da costa), que na final do México-86 disse:O estádio está cheio como um ovo.Estão 85.000 presentes telespectadores.

cavungi disse...

Não esquecer o Manuel dos Caracois (manuel da costa), que na final do México-86 disse:O estádio está cheio como um ovo.Estão 85.000 presentes telespectadores.

JorgeMínimo disse...

Caro Primata:
Não esquecer o Bessa Tavares, que tive a oportunidade de rever no buffet do Sporting-Man Utd.
Em relação ao Nuno Brás, nunca me esquecerei uma peça que ele fez em Guimarães, que começava desta maneira:

"Jogou-se hoje à sombra tutelar do vetusto castelo..."

Sem dúvida uma das melhores frases que eu ouvi num comentário de futebol!!

VermelhoNunca disse...

Recordam-se de Mário Zambujal, esse poeta da bola?