sábado, fevereiro 21, 2009

Sporting-Benfica 3-2

Constituição das Equipas e Avaliação Quantitativa do Desempenho

LIGA SAGRES - 19.ª JORNADA

Estádio José Alvalade, em Lisboa
Hora: 20:00
Árbitro: Olegário Benquerença (Leiria), auxiliado por Bertino Miranda e José Cardinal

SPORTING - Tiago (3); Pedro Silva (2), Carriço (3), Polga (2) e Grimi (3); Izmailov (3), Rochemback (2), Moutinho (3) e Vukcevic (3); Postiga (-) e Liedson (5).

Treinador: Paulo Bento.

Suplentes: Ricardo Batista; Tonel (-), Caneira, Pereirinha (4), Romagnoli, Derlei (4) e Yannick.

BENFICA - Moreira (3); Maxi Pereira (3), Luisão (3), Sidnei (2) e David Luiz (0); Ruben Amorim (2), Katsouranis (1), Yebda (2) e Reyes (2); Aimar (2) e Suazo (1).

Treinador: Quique Flores.

Suplentes: Quim; Miguel Vítor, Binya, Carlos Martins, Di María (2), Nuno Gomes (-) e Cardozo (4).

Sistemas Tácticos

Sporting



Benfica


Modelos de Jogo

Sporting

Expectativa; Bloco médio/baixo; Transições Rápidas

Benfica

Expectativa; Bloco médio/baixo; Transições Rápidas

Principais Incidências da Partida (fonte: www.record.pt)

9' - Aimar cai na área sportinguista em lance com Grimi, mas o árbitro nada assinala.

10' - Liedson cria o pânico na defesa benfiquista, lançando depois Vukcevic na esquerda, com Luisão a interceptar o cruzamento do montenegrino.

11' - GOLO DO SPORTING, por LIEDSON
Pontapé de canto cobrado por Vukcevic na esquerda, com a bola a sobrar para Liedson na direita da área. O brasileiro remata depois de trivela, colocando a bola no ângulo superior direito da baliza de Moreira. Um golaço...

25' - Yebda atira ao poste esquerdo da baliza de Tiago na sequência de um livre apontado por Reyes no flanco esquerdo.

31' - Yebda não consegue chegar à bola e desviá-la para a baliza, na sequência de um passe de Reyes.

36' - Grande penalidade para o Benfica. POLGA vê o CARTÃO AMARELO, por derrubar Suazo na área leonina.

37' - GOLO DO BENFICA, por REYES
O espanhol dispara de pé esquerdo para o meio da baliza, mas Tiago já se havia atirado para o lado esquerdo.

41' - Os jogadores leoninos reclamam a existência de uma grande penalidade num lance em que Maxi Pereira joga a bola com o braço após remate de Izmailov. O árbitro manda seguir o jogo.

43' - Excelente passe de Reyes a lançar Suazo, mas Polga consegue o corte no momento certo.

47' - GOLO DO SPORTING, por DERLEI
O avançado brasileiro recebe a bola na área, finta David Luiz e dispara de forma indefensável para o fundo das redes defendidas por Moreira.

55' - Grande oportunidade para o Sporting aumentar a vantagem, mas Yebda, primeiro, intercepta um disparo de Derlei, e depois é Liedson que vê Sidnei evitar o golo sobre a linha.

59' - Vukcevic surge em boa posição e dispara em jeito, com o pé esquerdo. A bola sai muito perto do poste direito da baliza de Moreira.

64' - Mais um lance de perigo na área, com Pedro Silva a cruzar e Derlei a atirar ao lado do poste direito, após um primeiro toque de Moutinho.

73' - Reyes lança Di María na direita, com o argentino a tentar depois servir o compatriota Aimar mas Tiago a resolver.

76' - Pereirinha coloca a bola na trave da baliza de Moreira, na conclusão de um lance iniciado no jovem leão, que 'furou' pela direita, possibilitando um primeiro remate a Derlei, que é interceptado. Na insistência, Pereirinha atira à trave, depois de a bola desviar num adversário.

82' - GOLO DO SPORTING, por LIEDSON
Excelente jogada de Pereirinha pela direita, a livrar-se de David Luiz e a cruzar com conta, peso e medida para um não menos notável cabeceamento de Liedson.

88' - Reyes tenta o lance individual, acabando por rematar forte mas ao lado do poste direito da baliza de Tiago.

90' - GOLO DO BENFICA, por CARDOZO
Cruzamento de Maxi Pereira da direita e Cardozo sobe mais alto que os centrais, cabeceando para o fundo da baliza.

Destaques

Melhores em Campo

Benfica

Cardozo - Em 25 minutos, demonstrou que merece ser titular!
Apontou um excelente golo e revelou-se muito mais disponível que o abúlico Suazo.

Sporting

Liedson - Decisivo!
Entrega, raça, querer e 2 golos notáveis.

Piores em Campo

Benfica

David Luiz - Acumulou um rol praticamente infindável de más decisões e equívocos, os maiores dos quais nos três golos leoninos.
Em noite negra, foi o principal Pai da derrota!

Sidnei - Lapsus calami no segundo golo leonino ensombrou um desempenho quase sempre intranquilo.

Katsouranis - Dele disse Quique que passava por dificuldades físicas.
Hoje, foi bem evidente.
Com o passar dos minutos, perdeu capacidade de ocupação dos espaços, clarividência,discernimento e acumulou perdas na transição ofensiva.

Sporting

Polga - Falhou clamorosamente ao deixar-se antecipar por Suazo e ao cometer grande penalidade sobre o hondurenho.

Rochemback - O distribuidor oficial de fruta da equipa leonina.
Usou e abusou do jogo violento.
Só a complacência de Benquerença o poupou à merecida expulsão.

Arbitragem

Errou ao não assinalar penalty por falta de Rochemback sobre Aimar, aos 9 minutios, e por não ter punido com idêntica severidade uma "mão" de Maxi Pereira no interior da área benfiquista.
Disciplinarmente, confesso que não alcancei o seu critério.
Para além do mais, perdoou expulsões a Rochemback e Derlei.

Comentário

Erros Infantis e Falta de Atitude

O Sporting venceu o Benfica por 3-2, igualando-o no segundo lugar com 37 pontos. E com justiça, diga-se!
Quem acumula um considerável número de erros primários apenas merece perder!
Quem não evidencia espírito de conquista apenas merece perder!
Quem "não joga" como o Benfica o fez na generalidade da segunda metade apenas merece perder!
Reza o miticismo dos derbys, que triunfa quem parece partir em desvantagem.
Hoje, a tradição ainda foi o que era.
O Benfica apresentou-se em Alvalade com 3 pontos de vantagem, o que lhe deveria ter permitido especular emocionalmente com a partida e estruturar-se da forma que lhe é mais confortável.
Bloco médio/baixo, médios centrais próximos do sector defensivo, encurtando o espaço, expectativa e exploração do erro adversário através de transições ofensivas rápidas procurando a profundidade de Suazo.
Sucede que, apenas dos 15 aos 36 minutos da primeira parte, o Benfica cumpriu este plano de jogo!
Uma segunda parte paupérrima hipotecou quaisquer pretensões de êxito e conduziu a equipa para uma derrota inexorável.
O encontro dealbou repartido, excessivamente suado e pouco inspirado.
Aos 10 minutos, David Luiz decidiu "inventar" e num lance que devia ter resolvido com um singelo atraso para Moreira, concedeu canto.
Canto cobrado, bola rechaçada e Liedson a rematar, desfeiteando inapelavelmente Moreira.
Em desvantagem, o Benfica não abanou e respondeu de pronto.
Uma bola no poste, uma oportunidade perdida e um penalty conjugaram-se para a obtenção do equitativo empate.
A paridade permaneceu intocada até ao intervalo.
A exemplo do que aconteceu o ano passado no desafio para a Taça de Portugal, o Benfica desapareceu do jogo na segunda parte.
Letárgico e contemplativo, ofereceu ao Sporting as condições necessárias para arquitectar um triunfo imaculado.
Logo aos 47 minutos, Polga "bombeou" uma bola para a entrada da área, Sidnei falhou o tempo de salto, David Luiz teve mais uma intervenção desastrada e Derlei aproveitou para reconduzir os leões à superioridade no marcador.
Os minutos que se seguiram ao golo permitiram perceber que a reacção encarnada não se assemelharia à da primeira metade e que muito dificilmente a derrota seria evitada.
Estranhamente apáticos e indolentes, os jogadores do Benfica nem uma arremedo de resistência esboçaram.
Reyes, Aimar e Suazo primavam pela ausência, Ruben Amorim aparecia a espaços, muito a espaços, Katsouranis denotava exaustão física e Yebda psicológica, excessivamente marcado pelo amarelo que na aurora do jogo lhe havia sido exibido.
Sem músculo, sem discernimento, sem atitude e sem clarividência, o Benfica naufragava.
Sem capacidade de articular movimentos ofensivos, com sucessivas perdas de bola na primeira fase da transição, e sem organização defensiva, o Benfica limitava-se a assistir às investidas leoninas.
Incursões estas com clara tendência para o corredor esquerdo encarnado, onde o desastrado David Luiz e o desinspirado Reyes abriam uma verdadeira via verde.
Sempre que procurava assumir a iniciativa, o Benfica colocava demasiados elementos à frente da linha da bola, sendo que ao reunir um apreciável número de perdas de bola nos passes de primeira estação, tornava a equipa demasiado exposta aos contra-ataques adversários.
Com a defesa demasiado receosa para subir a linha e com os médios centrais incapazes de encurtar espaços, as situações de inferioridade numérica em contra-pé no último terço sucediam-se.
Deste modo, foi sem surpresa que a disponibilidade de Moutinho e Pereirinha, a par da mobilidade de Derlei e do instinto goleador de Liedson, ampliaram a vantagem leonina para uns cómodos 3-1.
Cardozo ainda reduziu a desvantagem, mas o fado do encontro há muito que estava escrito.

8 comentários:

LionHeart disse...

Análise lúcida e imparcial do nosso administrador, de resto na linha à qual já nos habituou.
Se Rochemback é o distribuidor oficial da fruta, que dizer do cabeça ovóide do Luisão, que além de lesionar o Postiga ainda corre o Liedson à chapada? Deve ser no mínimo importador, armazenista, distribuidor a retalho e por aí adiante...

JorgeMínimo disse...

Caro Lion Heart:

Como não podia dizer mais nada, o nosso estimado Sr. Administrador destila veneno para os jogadores que sempre o irritaram. Em relação ao Luisão, resta-me dizer que vai levar um belo sumaríssimo pelas várias agressões a jogadores do Sporting.

VermelhoNunca disse...

Em fim de semana carnavalesco, nada melhor que ler o artigo do administrador, coroado como o Rei do Carnaval. Como não tem o senhor Antero, o Coentrão e mais não sei quem, vem disparar sobre Rochemback, e sobre critérios disciplinares do senhor Olegário. Não tem mesmo vergonha na cara. Perdoou expulsões a Roca e Derlei, refere ele. Mas do lado do Curralense, nada. Todos são uns santos.
O seu clube saiu da Alvalade varrido e só não goleado, por desacerto na concretização dos jogadores do Sporting.
A equipa do seu clube não passa de um conjunto de caceteiros, que passam a vida a atirar-se para o chão, em busca do pouco que se fazer com sucesso, que é concretizar lances de bola parada. Pontapé para a frente, fé nas Honduras, ou simulações constantes do Cigano e do anão argentino.
Leia hoje 24 horas e procure um anúncio de emprego:
Não és Português, tens mais de 1.90, gostas de dar porrada, aparece junto às torres do Colombo, podemos ter emprego para ti.
Curiosamente o senhor Costa, desta vez não esteve no relvado nem nos túneis de acesso.
Por fim, uma palavra para Yebda, que disse recentemente, que não perderiam mais nenhum jogo até final da época. Embrulhe e vá buscar.

LionHeart disse...

E mais uma vez, Paulo Bento mantém em campo um jogador que passou totalmente ao lado do jogo, que não teve intervenção nenhuma, não fez praticamente nada, em resumo, deixando o Sporting a jogar com 10 durante 90 minutos.

O que é que Tiago fez?

VermelhoNunca disse...

Amugo Heart, dizer ainda que na ficha técnica que o administrador apresentou, retirada do Record, há um clamoroso erro, uma vez que o Benfica actuou com 2 guarda-redes, a dupla M&M, mais concretamente Moreira e Maxi.

pachulico disse...

Se fosse um jogador do FCP a fazer o que o Maxi fez ou se fosse o B. Alves a fazer o que luisão fez...já estou a imaginar as manchetes!

JC disse...

Excelente vitória do SCP sobre o Benfica, em jogo a que não tive o privilégio de assistir.
Golos de notável execução técnica, com uma jogada de antologia de Pereirinha na origem do 3º golo do SCP.
Falha clamorosa de Olegário Benquerença ao não assinalar penaltie no corte com o braço de MAxi Pereira.
Quanto ao pretenso penaltie de Roca sobre Aimar, vendo e revendo a jogada não vislumbro motivo para se ter marcado penaltie.
Há uma disputa da posição, Aimar encosta-se a Roca, forçando a queda, e quando Roca se desembaraça dele, sem qualquer falta visivel, Aimar fica sem apoio e caiu.
O futebol é um jogo de contactos, de forma que o mero contacto entre Roca e Aimar não foi o suficiente para que se pudesse ter marcado falta.

Curiosa esta campanha que começou a seguir ao jogo para levar Liedson à selecção, promovida pelo jornal A Bola.
Não percebo o "timing" desta campanha, mas estranho falar-se tanto do assunto após a derrota do Benfica em Alvalade.

Excelente vitória também da Académica sobre o Marítimo, a que tive o privilégio de assistir ao vivo.
Após uma primeira parte mal jogada, a Académica em cima do intervalo conseguiu fazer o 2-1 na sequência de um canto, numa fase do jogo em que o Marítimo até estava a jogar melhor.
Este golo serviu de tónico para a Briosa, que entrou transfigurada no 2º tempo, fazendo uma das melhores exibições que ali vi fazer este ano.
Corolário desse bom período da Académica, surgiu já na parte final um golo de excelente execução técnica de Licá, uma jovem promessa dos estudantes.
Antes disso, porém, Saleiro - agora a jogar em Coimbra - desperdiçou um golo de baliza aberta.
Não gostei de Saleiro.
Jogador pesado, lento e complicativo.
Bem melhor do que ele é Éder, que Domingos teima em não lançar como titular na equipa.
Entrou a 15 minutos do final do jogo, para substituir, exactamente, Saleiro, e foi dele a jogada que antecedeu o 3º golo da Briosa.
Destaco no Marítimo o melhor jogador do torneio do Dubai, que de carrapito, passou o tempo todo a mandar-se para o chão.

Mestrecavungi disse...

Caguei na vitória (justa) dos lagartos.
Que se atirem todos dum prédio a arder é o meu desejo