segunda-feira, fevereiro 16, 2009

Vedetas&Marretas

Vedetas

Clube


Leixões pela vitória em Braga

Jogador

Nené pelo bis frente ao V. Guimarães, que lhe permitiu confirmar a liderança isolado da lista dos melhores marcadores da Liga Sagres

Treinador
José Mota pela vitória em Braga ancorada numa irrepreensível estratégia táctica

Árbitro

Rui Costa pelo seu desempenho no V.Setúbal-Académica

Modalidades de Alta Competição

Sporting pela conquista do Campeonato Nacional de Clubes em Pista Coberta, em masculinos e femininos

Emigrante
Mourinho pelo triunfo no derby milanês, que lhe permitiu agregar uma vantagem de 9 pontos sobre a Juventus e 11 sobre o Milan

Marretas

Clube

Sporting de Braga pela derrota caseira frente ao Leixões

Jogador

Cássio pelo frango com que presenteou o Benfica na derrota pacense na Luz por 3-2

Treinador

Jorge Jesus pela derrota caseira frente ao Leixões e por ter sido tacticamente suplantado por José Mota

Árbitro

Elmano Santos pelo seu paupérrimo desempenho no Porto-Rio Ave

Modalidades de Alta Competição

Porto pela derrota frente ao Noia em jogo a contar para a Liga dos Campeões de Hóquei em Patins

Emigrante

Maniche pelo seu desempenho no Atlético Madrid-Getafe, mormente por ter esbanjado uma flagrante oportunidade de golo

10 comentários:

VermelhoNunca disse...

Destacar que o Sporting nos masculinos ganhou pela 14ª vez consecutiva em femininos pela 15ª vez consecutiva. Coisa pouca.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Razões de ordem pessoal impediram-me ontem de aqui comentar.
Resolvidos esses "problemas", estou de regressso.

Concordo, no essencial, com os escolhidos para Vedetas e Marretas de hoje.
Talvez incluisse também nas vedetas Hélder Postiga, pois a sua entrada na equipa do SCP foi determinante na reviravolta operada no marcador.

Quanto ao desempenho do árbitro do jogo FCP-Rio Ave, não li nem vi nada sobre o assunto, pelo que desconheço o que se passou, nomeadamente se beneficiou ou prejudicou o Porto.

Apenas pude ver ontem parte do Dia Seguinte, onde assisti a uma intervenção extraordinária de Guilherme Aguiar.
Dizia esse senhor que o fiscal de linha tinha estado mal ao assinalar um fora de jogo a um jogador do FCP - penso que o Farias - porque, PESE EMBORA O JOGADOR ESTIVESSE DE FACTO EM FORA DE JOGO, não o devia ter marcado, porque não o podia ter visto!
O extraordinário neste comentário é que o Farias estava mesmo fora de jogo o que facilmente se constatava porque estava em cima da linha de área e o último defesa do Rio Ave encontrava-se cerca de 0,5 metros antes dessa linha.
Ou seja, o fiscal de linha até tinha essa referência para ter analisado bem - como fez - o lance.
Não obstante, e perante a estranha concordância dos demais comentadores, Guilherme Aguiar entendia que o fiscal de linha tinha estado mal nessa decisão!

Mestrecavungi disse...

Elmano levou o FCP á vitória!

JC disse...

Em que termos, Amigo Cavungi?
Não vi o jogo nem li anda sobre o assunto, sendo que não me apetece ir ler os camafeus do Tribunal do Jogo...

Vermelho disse...

Amigo JC:
Espero que esteja tudo resolvido e a teu contento.
Aquele abraço.

Vermelho disse...

Amigo JC:
Postiga foi, de facto, uma possibilidade equacionada, como o foram Di Maria e Farías.
No entanto, prevaleceu a regularidade de Nenê e a menor dimensão da equipa que representa, o que exponencia o seu desempenho.
Aquele abraço.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Tudo resolvido a contento.
Muito doloroso, mas "contento".

Esta jornada foi, de facto, fértil em jogadores que se destacaram e Di Maria foi um deles. O seu golo foi soberbo.

Aceito perfeitamente o critério escolhido.
Néné do pouco que tenho visto parece-me um avançado de grande qualidade.
Conta já com vários golos de excelente execução técnica a demonstrarem na minha opinião que tem capacidade para jogar num clube grande.
Não me importava de o ver no SCP.

Vermelho disse...

Amigo JC:
Ainda bem!
Quanto ao Nenê, dizer que ainda não formulei uma opinião definitiva quanto à sua capacidade para jogar num grande.
Da excelente equipa nacionalista, o jogador que mais me entusiasma é Ruben Micael, principal candidato a revelação maior da Liga Sagres.

p.s. com o passe fixado em 3 milhões, o eventual interesse de um dos grandes em Nenê esfria um bocadinho.

JorgeMínimo disse...

Caro JC:

Escusas de pensar em qualquer jogador do Nacional, porque o nosso clube está de relações cortadas com este clube.
Mas, também te digo se fôr o Nenê que eu vi falhar dois golos incriveis no Estádio da Luz, se calhar é melhor ficar lá no meio do nevoeiro.

JC disse...

Caro Mínimo:
Pois, as más relações com o Nacional são um obstáculo a eventuais negócio entre o SCP e os insulares.
Quanto às qualidades do jogador, só o futuro as confirmará.

Entretanto, foi publicada esta notícia pelo Público on line, sobre o desempenho do Pedro Proença no recente FCP-SLB:

"O árbitro Pedro Proença foi avaliado com a nota 2,4 no FC Porto-Benfica devido a não ter assinalado penálti no lance em que Lucho González foi tocado por Reyes, o que segundo o relatório do observador lhe custou um ponto.

"Não assinalou grande penalidade contra a equipa B [Benfica], por falta do seu jogador nº 6 [Reyes], que, dentro da sua área de grande penalidade, rasteirou o adversário nº 8 [Lucho González]...", lê-se no relatório do observador José Gonçalves, a que a Agência Lusa teve acesso. Mais à frente o observador justifica a má nota ao árbitro Pedro Proença: "Caso não tivesse a falha mencionada em 2 a) a nota final seria 3,4".

Um fora-de-jogo não assinalado a Lisandro López e um cartão amarelo poupado a Sidnei foram os outros erros apontados pelo observador a Pedro Proença. Curiosamente, o polémico penálti que permitiu a Lucho igualar o marcador não é sancionado no relatório do observador, que dá o "benefício da dúvida" ao árbitro.

"Aos 25 minutos do 2º tempo, marcou grande penalidade contra a equipa B [Benfica], por suposta falta do jogador nº 26 [Yebda] (...) Do local onde nos encontramos e uma vez o lance ter ocorrido no vértice mais distante da grande área, não nos foi possível vislumbrar com clareza o desenlace da jogada: se a queda é provocada por algum contacto dos pés ao nível do terreno ou em virtude do defensor ter colocado o braço à frente do tronco do adversário, impedindo/perturbando a sua progressão. Porque o árbitro se encontrava bem colocado e perto, cerca de 3/4 metros, e foi peremptório a assinalar a grande penalidade, aliado ao facto de não terem existido protestos de jogadores da equipa penalizada, que aceitaram pacificamente a decisão, com excepção do faltoso, único a esboçar contrariedade, damos-lhe o benefício da dúvida".

Nesta temporada, cheia de casos de arbitragem, a avaliação de Pedro Proença está longe de ser a pior. Elmano Santos foi avaliado com 2,1 no Belenenses-Benfica, enquanto Pedro Henriques (Benfica-Nacional), Paulo Baptista (Benfica-Braga) e Paulo Costa (Braga-FC Porto) tiveram 2,3."