quarta-feira, outubro 03, 2007

Análise ao Benfica-Shaktar

Estádio do Sport Lisboa e Benfica, em Lisboa

Árbitro: Wolfgang Stark (Alemanha)

BENFICA – Quim; Nélson (Nuno Gomes, 44 m), Luisão, Edcarlos e Léo; Maxi Pereira e Katsouranis; Di Maria (Binya, 60 m), Rui Costa e Cristian Rodriguez; Cardozo.

Suplentes não utilizados: Butt, Luís Filipe, Zoro, Nuno Assis, Adu.

SHAKTHAR DONETSK – Pyatov; Srna, Chygrynskiy, Kuscher e Rat; Ilsinho (Duljaj, 79 m), Lewandowski (Hubschman, 85 m), Jadson (Castillo, 76 m) e Fernandinho; Lucarelli e Brandão.

Suplentes não utilizados: Shust, Yezerskvi, Vukic e Gladkiy.

Disciplina: cartão amarelo para Katsouranis (56 m), Cardozo (68 m), Rodriguez (77 m), Srna (77 m), Fernandinho (81 m) e Castillo (82 m).

Marcador: 0-1 por Jadson (42 m)



O Benfica perdeu, hoje, por 0-1 frente ao Shaktar e hipotecou de forma quase irreversível as suas hipóteses de apuramento para os oitavos de final.
Mais do que jogar mal ou bem, o Benfica não jogou como equipa.
Com os sectores muito longe uns dos outros, o Benfica nunca constituiu uma equipa na verdadeira acepção da palavra.
Nunca existiu um bloco compacto e coeso e quando assim é tudo se torna mais difícil, especialmente as transições.
E foi, precisamente, nas transições que o Benfica falhou.
Defensivamente, na cobertura dos laterais após a perda da bola e na ausência de agressividade na zona central.
Di Maria e Rodriguez nunca deram a adequada cobertura a Nelson e Léo e o Shaktar criou sucessivas situações de 2 para 1.
Aliás, a principal fonte de perigo dos ucranianos assentou nas penetrações verticais dos seus laterais em conjugação com os movimentos basculantes dos seus médios interiores, potenciando situações de superioridade numérica pelos flancos.
Por outro lado, Katsouranis e Pereira nunca emprestaram a necessária agressividade ao processo defensivo.
Muito posicionais, pareceram sempre dois gémeos siameses muito macios.
Ofensivamente, faltou quem conduzisse o processo ofensivo e fizesse a equipa estender-se até à área contrária em movimentos de ruptura.
Rui Costa não apareceu no jogo e a equipa ressentiu-se.
Sem organização e sem um plano atacante suficientemente bem urdido, as investidas ofensivas do Benfica careciam de sentido colectivo.
Apenas em iniciativas individuais, o Benfica logrou criar perigo para a baliza ucraniana.
E, diga-se, que não foram tão poucas quanto isso as oportunidades de golo criadas pelo Benfica.
Todavia, como nasceram de lances de inspiração individual, as mais das vezes, inexistiu o necessário apoio colectivo que permitisse a finalização com êxito.
O Benfica entrou mal no jogo, nervoso, inseguro e mesmo temeroso.
Paradoxalmente, dispôs de uma excelente chance de golo logo no primeiro minuto de jogo, num remate de Rodriguez.
O Benfica demonstrou sempre um grande medo de perder e quando tal sucede está inserido o código postal da derrota.
O Shaktar soube ler as coordenadas da partida e desde cedo assumiu o seu controlo.
O Benfica dominava territorialmente, mas o Shaktar, beneficiando de uma superior organização colectiva, subjugava-o.
Com constantes trocas posicionais a meio-campo, o carrossel ucraniano desposicionava e malbaratava a defesa e o meio-campo encarnados.
A preponderância do Shaktar não conhecia reflexos na geração de ocasiões de golo, mas o certo é que reprimia as intenções atacantes do Benfica.
Apenas há meia hora de jogo, o Benfica conseguiu libertar-se das grilhetas tácticas ucranianas e dos seus fantasmas.
Aí, inverteu as premissas do encontro e começou a acercar-se com perigo da baliza ucraniana.
Cardozo, por duas vezes, Katsouranis e Di Maria, num remate ao poste, podiam e deviam ter conferido vantagem ao Benfica.
Contudo, como quem não marca sofre, os ucranianos, numa transição ofensiva falhada pelo Benfica, obtiveram o golo.
Katsouranis entregou mal a bola a Nelson e o Shaktar, num contra-ataque rapidíssimo protagonizado por Fernandinho, que endossou a bola a Jadson, fez o 0-1.
Estávamos em cima do intervalo e não podia haver pior momento para sofrer um golo.
Se o Benfica já vivia assolado por uma tremenda ansiedade, tudo se agravou.
Ainda assim, já no período de compensação, Katsouranis podia ter restabelecido a igualdade, mas o seu remate saiu ao lado do poste direito da baliza ucraniana.
Entretanto, Camacho havia substituído Nelson, lesionado, por Nuno Gomes, se bem que estruturalmente o 4x2x3x1 tenha permanecido inalterado (Pereira recuou para lateral, Rui Costa ocupou a sua posição ao lado de Katsouranis e Nuno Gomes a de Rui Costa).
Na segunda parte, esperava-se uma reacção do Benfica e os primeiros minutos confirmaram-na.
O Benfica entrava a mandar no jogo e a remeter o Shaktar ao seu último reduto.
Di Maria e Luisão podiam ter materializado o ascendente encarnado, mas Camacho encarregar-se-ia de “matar” a “remontada” benfiquista.
Aos 61 minutos, Binya rendeu Di Maria e o Benfica regressou à penumbra da primeira meia-hora.
Numa equipa que vivia ou sobrevivia ofensivamente à custa de lances de cariz individual, retirar um criativo, que se havia assumido como um dos principais pólos de criação de perigo, foi um hara-kiri.
Binya até realizou uma exibição bem agradável e a sua entrada até ajudou a equipa a equilibrar-se, mas a saída do argentino amputou-a, para além do mais, de profundidade pela ala direita.
Camacho conseguiu destruir o momento ofensivo encarnado pelo lado direito.
Apenas no último quarto de hora, o Benfica se conseguiu recompor e voltar à discussão do jogo.
Mais com o coração do que com a cabeça e fruto da transfiguração de Pereira.
Se este encontro teve algo de positivo para o Benfica, foi a descoberta do verdadeiro lugar de Pereira – lateral direito.
Fisicamente poderoso, suficientemente ágil técnica e tacticamente, o uruguaio assumiu todo o corredor e logrou compensar a ausência de Di Maria.
Foi de um cruzamento seu que surgiu a melhor ocasião de golo de bola corrida que o Benfica beneficiou na 2ª metade (aos 81 minutos, Katsouranis cabeceou ligeiramente ao lado após centro de Pereira).
Até final, o Benfica foi empurrando o Shaktar para a sua área, mas sem resultados práticos.
Com maior ou menor dificuldade, com maior ou menor recurso ao anti-jogo, os ucranianos foram mantendo as suas redes invioladas.
Ainda assim, no tempo de compensação, o Benfica dispôs de 3 boas ocasiões de golo, a mais flagrante das quais quando Pyatov falhou a intercepção de um lançamento lateral de Binya e Edcarlos cabeceou frouxo permitindo o corte sobre a linha de golo.
Faltou neste como noutros momentos aquela pontinha de sorte, que tudo muda.
Com este resultado, muito dificilmente o Benfica conseguirá sequer o apuramento para a Taça UEFA.
Contudo, não há que atirar a toalha ao chão, mas antes porfiar no sentido de melhorar e de conseguir inverter este ciclo de inêxitos.
Uma equipa que individualmente consegue criar as oportunidades que o Benfica hoje logrou, só tem tendência para melhorar.
Assim a soma das individualidades se agregue num bloco unitário.

42 comentários:

VermelhoNunca disse...

Noite feliz, após um bom resultado do Benfica. Pena só terem levado uma batata, mas é melhor que nada.
Como diz o inteligente Camacho, só falta marcarem golos, como se alguma vez estivessem a jogar alguma coisa.
Parabéns ao Rui Costa, pelo discernimento das suas declarações:
"
ASF
«O resultado é muito mau para a classificação. Dois jogos, zero pontos, por isso, e à semelhança do que acontece campeonato, vamos ter de correr atrás do prejuízo, acreditando até ao fim. Mas o Shakthar foi superior e ganhou bem», disse o camisola 10 dos encarnados, visivelmente abatido pela série pouco positiva da equipa."

Antes morto que vermelho disse...

antes de tudo uma nota ás alarvidades que foram ontem arrotadas sobre o que MST escreve na bola ás 3 feiras:
MST escreve na bola como adepto do FCP, conforme acordado previamente com o director desse pasquim.
ao contrário de alguns "jornalistas" que escrevem nesse pasquim como comentadores "isentos" e nas primeiras 5 palavras revelam logo as suas preferências/tendências clubisticas.

antes de se afirmar alguma coisa, convém saber-se o que se arrota!!

Antes morto que vermelho disse...

Quanto ao jogo lampião estou com o nunca: noite feliz no curral!
"ouro sobre azul", era a derrota com o celtic, ao que se seguiria a depressão total e certamente ao afastamento do macho.

quanto ao fcp, vitória difícil contra una marretas. o golo do fcp é consequência de um passe não totalmente conseguido do lucho e de um remate não totalmente conseguido do quaresma. mas o que interessa são os 3 pontos.

Antes morto que vermelho disse...

uma nota final: o dumbo-orelhudo anda muito caladinho?!! pudera! além do futesal, o que poderá ele vomitar?

VermelhoNunca disse...

Macaco, MST escreve como adepto do FCP. Correcto, eu não disse o contrário. Recebe por isso?

JC disse...

Não vi o jogo do Benfica, mas segundo resulta deste artigo do Snr. Administrador, o Benfica criou doze oportunidades de golo.
Camacho terá, pois, alguma razão quando diz que só falta marcarem golos.

VermelhoNunca disse...

AMigo JC, doze ou mesmo 20 oportunidades de golo. Aliás recorda-se do conceito de oportunidade de golo para o nosso administrador.

vermelho disse...

Amigo JC:

3' - Rodríguez chuta forte de longe com muita força e efeito, de pé esquerdo, mas Pyatov desvia a custo para canto, junto ao poste.

20' - Cardozo chuta de imediato de pé esquerdo a passe rápido de Rodríguez para defesa de Pyetov.

28' - Di María remata cruzado à trave na área após boa jogada colectiva!

29' - Agora é Katsouranis que, isolado por Rodríguez na direita, atira à malha lateral do primeiro com o guarda-redes batido!

34' - Nélson assiste da direita Cardozo na área mas o paraguaio, com marcação apertada, só consegue cabecear por cima e ao lado

45'+2' - Novo remate da direita de Katsouranis, passando pouco ao lado do segundo poste.

55' - Luisão cabeceia ao lado após um canto.

73' - Centro de Rodríguez para a cabeça de Cardozo que atira para as mãos de Pyatov.

81' - Katsouranis cabeceia pouco ao lado após centro de Pereira, que combinou com Nuno Gomes.

90'+ 2' - Nuno Gomes remata para as mãos de Pyatov.

90'+1' - Rodríguez cabeceia por cima da barra.

90' - Pyatov falha uma intercepção e Edcarlos quase marca... mas a bola é salva em cima da linha!

VermelhoNunca disse...

"90'+ 2' - Nuno Gomes remata para as mãos de Pyatov.

90'+1' - Rodríguez cabeceia por cima da barra."

Só para exemplificar, mas isto significa alguma oportunidade de golo? Remata à figura-não se sabe se de fora da área, se da linha final; cabeceia por cima da barra...enfim.
Cada jogo, segundo esta perspectiva, terá para cima de 20 oportunidades de golo.

JC disse...

Exactamente, amigo Vermelho.
Foi o que eu disse.
Doze oportunidades de golo que o Benfica criou.
Não duvidei do teu artigo.
Apenas quis criticar as declarações do Camacho, que acha que o problema do Benfica está na falta de concretização.
"A bola não entra", diz ele.
De facto, o Benfica cria oportunidades de golo, mas como tu começas por dizer e bem, se a equipa não actua unida, não existe o "necessário apoio colectivo que permita a finalização com êxito".

Esse é que é o problema do Benfica. Tem bons jogadores mas não tem equipa.
Cria oportunidades mas fruto de lances individuais.
Falta a coesão para que haja aproveitamento.
O problema não é a bola que não entra, como diz Camacho.
É a necessidade de se transformar um conjunto de bons jogadores num conjunto eficaz.
"Assim a soma das individualidades se agregue num bloco unitário.", como bem terminas o teu artigo.
E a quem cabe esse papel?
Ao treinador.
A Camacho.
Que não está, assim, a cumprir o seu papel e que me parece não estar a ver o problema do Benfica.

VermelhoNunca disse...

De acordo consigo , amigo JC. O Benfica é uma manta de retalhos, um conjunto de jogadores que não formam uma equipa.
Gostei também de ver o estádio cheio, a abarrotar de público, como é tradicional no curral.

vermelho disse...

amigo nunca:
para quem viu o jogo, significa.
a descrição do Record é pobre, mas isso não é culpa minha!

amigo JC:
Camacho conhece o problema, mas não o pode assumir publicamente, pois que a culpa da sua não resolução é, também, sua.
Após um mês de permanência no Benfica, exige-se outro rendimento colectivo e se tal não sucede há que assacar responsabilidades a Camacho.
Camacho ainda não se decidiu por um sistema táctico, tem oscilado em demasia entre o 4x2x3x1 e o 4x4x2, não permitindo à equipa adquirir as necessárias rotinas.
Camacho ainda procura conhecer a fundo as características dos seus jogadores.
O plantel não foi por si construído.
Mas, ao contrário de Santos, Camacho tem ideias e a firmeza suficiente para as implantar.
Camacho espera por uma vitória que tranquilize os jogadores e lhe permita criar a base de uma futura consistência colectiva.
Por melhor que seja o trabalho, apenas as vitórias permitem a sua consolidação.
Num cenário de vitória, os problemas tendem a diluir-se.
Num cenário de derrota, os problemas tendem a agravar-se.
Num cenário de vitória, há confiança.
Num cenário de derrota, há insegurança.
Num cenário de vitória, tudo o que de bom pode suceder, acontece.
Num cenário de derrota, tudo o que de mau pode acontecer, sucede.

JC disse...

A culpa maior não é, contudo, de Camacho.
Chegou ao Benfica com o comboio em andamento e pegou numa equipa cheia de jogadores novos.
Mas que tarda a apresentar um conjunto coeso, lá isso tarda.
E que faz umas substituições de eficácia duvidosa, também me parece verdade.
Estou a lembrar-me da troca de Rui Costa por Nuno Assis na partida com o SCP aos 89 minutos cujo alcance não percebi e a de ontem
de Di Maria por um jogador que ainda não percebi bem quem é, que parece o antigo Beto.

vermelho disse...

amigo JC:
comparar o Binya com o Beto é o mesmo que confundir a estrada da beira com a beira da estrada.

p.s. como amanhã é feriado, não haverá actualização do blog.
Tenho vindo a amadurecer uma ideia para preencher as sextas-feiras e que se baseia numa rubrica do Trio d´Ataque.
Ás sextas, os condóminos seriam chamados a indicar o onze da sua equipa para o próximo confronto do seu clube de afeição, explicitando as razões da escolha.
Gostaria de saber a vossa opinião.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Excelente ideia.
Concordo plenamente com ela e poderás contar com a minha colaboração.

A primeira vez que vi esse tal de Binya (não é Gilles?) em campo, julguei tratar-se do Beto, pela cor negra da pele e pela cor oxigenada do cabelo.
Só por isso é que o comparo ao Beto.
Nem sei qual a posição dele, mas presumo ser trinco.
O que me levanta a seguinte questão: não deveria ser ele o substituto natural de Petit?

Antes morto que vermelho disse...

nunca: certamente receberá. quem é que trabalha de borla?

nunca: basta uma qualquer aproximação á área dos adversários que se transforma logo numa oportunidade. O benfica certamente que ganhará o campeonato das oportunidades... perdidas.

jc: será que o macho já é besta?

Antes morto que vermelho disse...

bermelho: pode contar com a minha participação, se não houver nenhum impedimento, no "Trio d'Assalto".

vermelho disse...

Amigo JC e AMV:
obrigado e sendo assim irei implementar a ideia na próxima semana.

vermelho disse...

Tal como já havia previsto a UEFA reduziu o castigo a Scolari, permitindo-lhe marcar presença no decisivo jogo com a Finlândia.
Haja decoro!
"Uma sanção vergonhosa!
Vergonhosa, porque não reflecte, minimamente, a gravidade do ílicito perpetrado, nem conduz à reafirmação contrafáctica do valor e da validade dos princípios éticos violados por Scolari.
E que se prepara para assumir contornos ainda mais indecorosos.
A jurisprudência Uefeira é pródiga em exemplos de clemência e indulgência e não me espantaria que o recurso apresentado por Scolari conhecesse provimento, permitindo-lhe marcar presença no banco no jogo decisivo com a Finlândia."

JC disse...

Scolari vê a sua pena reduzida para 3 jogos de suspensão.
E esta, hein?

Caro AMB:
Macho ainda não é besta, mas se não ganhar este fim-de-semana em Leiria alguém vai ter de pagar a factura.

Antes morto que vermelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Antes morto que vermelho disse...

UEFA = MISÉRIA!
SOCOLARI = IDIOTA!
MADAIL = LESMA-RANHOSA!

coitadinho do jogador ZEQUINHA, se recorresse só apanharia 2 jogos, só que para isso precisava, a lesma-ranhosa, de ir a genebra baixar as calças a alguém...

VermelhoNunca disse...

Tou no Trio de Ataque. Presente amigo Vermelho.

cavungi disse...

Meus amigos,
Encontro-me um bocadito "em baixo", para conseguir falar do jogo de ontem e do panorama do SLB em geral...
Foi mau.Muito mau.
Sem metodo, sem chama, sem alma, sem nada.

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
estou no Trio de ataque!

JC disse...

Caro Cavungo:
Depois da baixa do Mínimo, que entrou de nojo há uns dias, só nos faltava agora que o caro amigo também enlutasse.
Ânimo!
Agora que correram com o Imbecil e que contam com o treinador por que sempre ansiaram, e tendo um plantel que qualquer treinador do Mundo invejaria, há que dar tempo ao tempo para os resultados aparecerem!
O Imbecil que disse que se Simão saisse ia ser um pesadelo já aí não mora!

cavungi disse...

Amigo Jus,
Eu não queria que santos tivesse sido contratado.Logo, quando o despediram fiquei satisfeito.
Quanto ao Sr. Camacho, embora goste dele como tecnico, penso que não se deve repetir experiencias, salvo raras excepções.Podiamos repetir o Mourinho p.e.
Se alguem pagar a factura desta época, será ele e não o verdadeiro culpado desta situação que já dura algum tempo.
Luis Filipe Vieira.
Como sócios e simpatizantes todos os benfiquistas devem agradecer-lhe ter trado o SLB da lama onde o mestre Vale o colocou.
mas LFV já provou que é muito bom financeiramente, mas a nivel desportivo é uma nodoa.Um incompetente.
Não sabe nada de nada de futebol.Ao contrário de PC que sabe quase tudo.Penso até que o Girafa sabe mais que ele.
Mas um dia pagará.LFV depois deste flop do Camacho, não terá muitas alternativas para sacudir a água do capote como ele tão bem faz.
Nas urnas não lhe perdoaremos!
Pondero até a hipotese de ir pela 1ª vez votar numas eleições do SLB.
Forca Vieira!

cavungi disse...

Amigo Jus,
Comparar-me com "Yellow-Minimo" é o mesmo que confundir a estrada da beira com a beira da estrada.
Eu estou aborrecidito, mas estou cá.Minimo fugiu!Não dá a cara.Pisgou-se.
Será doravante conhecido como "Chicken Minimo".Ou "Yellow Minimo".Que vai dar no mesmo.

vermelho disse...

amigo nunca e cavungi:
obrigado.
aquele abraço.

amigo cavungi:
se não te importas, corriges o teu comentário relativo à liga dos astros que está uma grande confusão.

p.s. obrigações profissionais impedem-me de continuar hoje no vosso convívio.
assim, bem-hajam e bom fim de semana alargado.

p.s.2. amigo JC, Domingo lá estaremos, mas preciso que me faças um favor.
como sabes, o Benfica joga imediatamente antes do Porto e como quero ver o jogo, pedia-te que marcasses dois lugares junto a ti, para mim e jimmy, que mal acabe a partida do Benfica (que visionarei no Dolce) iremos ao teu encontro.
ok?

p.s.3. hoje ao final da noite, conto publicar a classificação do memorial zandinga.

VermelhoNunca disse...

Pondera ir votar...mas você não é sócio há meia dúzia de dias, amigo Cavu?

JC disse...

Cavungi, amigo,
Os condóminos estão contigo!
Força Cavungi!

Antes morto que vermelho disse...

nunca: kalivushick é sócio há 38 anos, mas pagante apenas há 5 dias. e como ele há aos montes, se não onde andariam os "6 milhões"?
kaluvishick é outro dos que "empranha pelas orelhas" e julga que a situação financeira dos lampiões está "controlada"...

Antes morto que vermelho disse...

não podia deixar de "pastar" este vómito da lesma-ranhosa:
"Gilberto Madail aceita a decisão da UEFA de atenuar o castigo inicialmente aplicado a Luiz Felipe Scolari, considerando que o organismo reconheceu «que a suspensão por quatro jogos era desproporcionada»."
porque é que esta besta não se candidata á presidência da lampionagem?

cavungi disse...

Macaco: A situação financeira do SLB é mazinha, eu sei.
Mas está melhor do que no tempo do Mestre Vale.

cavungi disse...

Amigo Nunca,
Sou sócio desde 1984 com uma interrupção de 1992 a 2001.

Antes morto que vermelho disse...

kavulckshych: mazinha!!!
mestre vale tinha um método de gestão único: quando chegavam as facturas para pagar ele, por e simplesmente, dizia para não se pagar e quem fala de facturas fala também em empréstimos bancários, letras, etc.
mas vocês aprovavam sempre as contas por unanimidade em assembleia geral!

cavungi disse...

Macaco:Por unanimidade e Aclamação!

Antes morto que vermelho disse...

mas foi durante o reinado de vale que a velha luz voltou a encher, foi nesse tempo que havia a "festa do benfica", com os xiringuitos de coiratos, bifanas etc e foi nesse tempo que antonio manuel ribeiro e fafá "melões" de belém cantavam alegremente o "sou benfica" e "vermelhão", respectivamente, como hinos do benfica.
foi igualmente nesse tempo que os reformados ingleses apareciam "como moscas a merda" para jogar no clube da luz, lembro-me do velho thomas, scott minto, razor ruddock, entre outros.
foi também o tempo onde o jameson era consumido como água pelos profissionais da luz.

VermelhoNunca disse...

Amigo Cavu, questionei-o porque outro dia anunciou no blog que era sócio do Benfica de pleno direito, o que me levou a supor que era recente essa sua doença.

cavungi disse...

Amigo Nunca,
Passei a pagar as quotas por T.B.

cavungi disse...

Macaco: Não esquecer o Tiranosauro Dean Saunders com arribou na Luz com 147 anos e 205 dias de idade!

cavungi disse...

Macaco: O Porto jogou ontem?
É que não vejo nenhuma referencia a esse joguito em lado nenhum....