quarta-feira, janeiro 11, 2006

Depois admiram-se

O Metro de Lisboa, presidido por Mineiro Aires, atribuiu uma obra sem concurso público a uma empresa, a Ferconsult, que por sua vez subcontratou uma sociedade da qual foi sócio, tendo cedido a sua quota em 2000, ou seja, dois anos antes de assumir a presidência da empresa pública.

2 comentários:

carlos disse...

Já nos vamos habituando a este tipo de notícias, que, infelizmente, já não têm o devido eco na comunicação social (Lembram-se dos tempos aureos do independente de Paulo Portas?)
A propósito, contaram-me hoje uma história destas, dos corredores obscuros da política, que é a seguinte:
Pouco tempo antes das útlimas eleições legislativas que deram a maioria absoluta ao PS, o Sócrates e o Pina Moura tiveram uma reunião com o Presidente da Iberdrol numa grande propriedade que este possui em Espanha, onde passaram alguns dias. Quem me contou sabia do que estava a falar, pois que é familiar do administrador dessa propriedade, que é um português.
Agora somem dois mais dois e já perceberão como é que foi cozinhada a entrada da Iberdrol para os órgãos sociais da EDP...
Que só abortou, ao que parece, por interferências da Presidência da República, não obstante os desmentidos oficiais de Belém...

vermelho disse...

Depois admiram-se