terça-feira, julho 03, 2007

Artigo de Opinião de Miguel Sousa Tavares

Até agora, o Benfica gastou três vezes mais do que os seus rivais nas compras de Verão: 12,6 milhões de euros, contra 3,5 do FC Porto e 3,2 do Sporting. Mas as contas ainda não estão fechadas: Soares Franco já anunciou que vem mais um ponta-de-lança para os leões e Pinto da Costa disse que o plantel do FC Porto não está fechado.
De qualquer forma, e se Cardozo provar valer os mais de 9 milhões nele investidos, fica a sensação de que o Benfica, por uma vez, poderá ter saído, teoricamente pelo menos, vencedor deste campeonato particular do defeso.

No que respeita ao FC Porto, o que mais me interessa, há boas e más notícias.
Boa notícia é, desde logo, a contenção nos gastos, absolutamente essencial para quem apresentou 30 milhões de euros de prejuízo nas contas de 2005/06 e seguia pelo mesmo caminho na gestão corrente (a venda de Anderson permitirá disfarçar em muito o défice de exploração).
Boa notícia é também a venda de Ricardo Costa ao Wolfsburgo por 4 milhões, melhor só mesmo a venda de Ricardo Rocha, do Benfica, ao Tottenham.

Mas a venda de Anderson tão cedo foi, como já aqui o expliquei, um péssimo negócio. Os 4 milhões recebidos pela cedência definitiva de Hugo Almeida ao Werder Bremen também são um fraco negócio para quem não dispõe de um ponta-de-lança que faça a diferença.
Ao todo, o FC Porto facturou até agora 38 milhões em vendas e gastou 3,5 em compras —não está mal como negócio mas seguramente que a equipa ficou incomparavelmente mais fraca depois de perder Anderson.
Má notícia é também a continuada tendência portista para comprar em quantidade: embora gastando três vezes menos que o Benfica, o FC Porto já vai em oito jogadores novos, quase todos desconhecidos e alguns, como é costume, para posições que já se encontram saturadas. O caso mais evidente é o lateral-esquerdo Lino, que vem para um lugar onde já existem quatro clientes mais, fora os que estão emprestados.

Mas há uma boa novidade, que é o facto de, pela primeira vez desde há muito tempo, haver dois jogadores novos que vêm por um ano à experiência, contrariando a política suicida habitual de contratar todos em definitivo e com contratos de quatro ou cinco anos.
A principal razão do défice da SAD advém desta política de novo-rico deslumbrado, que tem como consequência a imensa folha de pagamentos mantida para pagar ordenados a jogadores emprestados a outros clubes.
Alguém se lembra que o FC Porto paga ordenados a jogadores como Areias, Pittbull, Leandro do Bonfim, Léo Lima, Bruno, Maciel, etc., etc.?

Outra das causas dos prejuízos de gestão crónicos são os ordenados elevadíssimos que se pagam lá pelo Dragão.
Temos agora um bom exemplo, com o interesse reiteradamente noticiado do FC Porto no médio Bolatti, um desconhecido jogador de uma obscura equipa argentina, em processo de falência judicial. O jogador é disputado pelo Corunha e pelo FC Porto: o Deportivo, que pertence a um campeonato rico, oferece 35 mil euros mensais de ordenado; o FC Porto, segundo a imprensa local, oferece mais do dobro: 83 mil. E isto, para um lugar de trinco, onde já estão o Paulo Assunção, o João Paulo e uma das contratações novas, Luís Aguiar!

Ao mesmo tempo que já vai em oito novas contratações, mais dois juniores promovidos, o FC Porto prepara-se para deitar fora, emprestados, jogadores como Alan, Vieirinha (tão mal aproveitado!), Diogo Valente (para que foram comprá-lo?), Ivanildo e o guarda-redes Bruno Vale, infinitamente melhor do que Nuno Espírito Santo, agora recomprado. E a fazer fé no que consta nos mentideros, Jesualdo também estará a fim de prescindir de Ibson e Bruno Morais. Todos jogadores de indiscutível valor e margem de progressão longe de estar esgotada e bem aproveitada. Para quê ficar com a despesa deles, sem a respectiva contrapartida, e ir buscar outros, de valor absolutamente desconhecido, para os substituir? Jesualdo tem o direito de não gostar de jogadores como Vieirinha, Bruno Morais ou Ibson.
Mas, num clube que tem excesso de jogadores e excesso de prejuízos, não compreendo que o presidente não se vire para o treinador e lhe diga: «Não gosta? Paciência. São estes que temos. E até que terminem os seus contratos, é com estes que vai ter de contar.»
Depois de anos e anos em roda livre de contratações, à SAD do FC Porto deveria aplicar-se o mesmo princípio que à Função Pública: por cada um que entrar há dois que têm de sair da folha de pagamentos.

Acresce que, como já foi notado, parece estar-se a assistir a uma opção pela razia de extremos: Ivanildo, Alan, Vieirinha. Resta Ricardo Quaresma… e se restar. Não é preciso ser bruxo para perceber que a Direcção está mortinha por vender Quaresma — de outro modo, aliás, o Atlético Madrid não continuaria a alimentar esperanças, muito bem documentadas na imprensa espanhola.
Se isto tem fundamentos sérios, como parece, julgo que a SAD estará apenas à espera de que esteja vendido um número razoável de lugares de época no estádio para anunciar que, além de Anderson, também se foi Quaresma.

A hipótese da venda de Quaresma é simplesmente devastadora — quer desportivamente (vale metade das assistências para golo em toda a época), quer financeiramente, uma vez que seguramente não seria vendido pelos mesmos 30 milhões de Anderson, e ele vale-os bem.
Pior ainda é que, se bem conheço a maneira de funcionar de Pinto da Costa nestas situações, a venda de Quaresma seria compensada por uma qualquer asneira, caríssima —tipo Miccoli —, destinada a acalmar as hostes.
Espero bem que esteja enganado e que logo à noite já haja um comunicado da SAD a anunciar que não, nunca, jamais, foi equacionado vender o Quaresma e especialmente ao preço de saldo oferecido pelo Atlético Madrid.

Francamente, não consigo entender como é que o Benfica consente em vestir os equipamentos alternativos que a Adidas lhe propõe a cada ano que passa. É difícil escolher pior e mais horrível.
Foi, primeiro, aquele preto, misturado com o encarnado, numa combinação cromática verdadeiramente impossível.
Depois, veio aquela cor de minhoca desenterrada, extensível aos fatos de treino, e que foi, talvez, o equipamento mais feio que alguma vez vi numa equipa de futebol. E agora vem aquele cor-de-rosa, com o preto a reincidir, que, enfim… como hei-de dizer? Olhem, é aquilo que vocês estão a pensar! Estas coisas têm (pelo menos, para mim) mais importância do que se julga. Por exemplo, só há dias e pela mão dos Rolling Stones, tive ocasião de conhecer por dentro o Alvalade XXI — que, por fora, já achava a coisa mais feia feita em Lisboa, nos últimos 30 anos.
Pois, meu Deus, por dentro aquilo é absolutamente indescritível! Não apenas é horrendo, deprimente, como também tem um ar sujo, prematuramente degradado, parece um palácio de congressos africano construído por chineses. Coitados dos sportinguistas, tão chiques e com um estádio daqueles! Que inveja, que depressão devem sentir quando vão ao Dragão!

15 comentários:

Lion Heart disse...

Para quem não saiba, MST fez 53 anos. Em nome, quiçá, duma meninice perdida, ou pior, já a entrar pelos senis caminhos da segunda meninice, armou-se em roqueiro e veio a Alvalade festejar os aninhos e ver os Stones. Depois, algo lhe caiu (ou bateu) mal e vomitou o que se sabe.
Já agora, como sportinguista (chique) não me deprimo no Dragão porque naturalmente evito certas pessoas e sítios.

holtreman disse...

De facto, o estádio não é dos que mais me agradam. Mesmo assim, consegue ser melhor, masi funcional e mais agradável do que o barracão de cimento em frente ao Colombo.
Mas o Dragão é incomparavelmente mais bonito e elegante.

VermelhoNunca disse...

Ar sujo em Alvalade. Concordo, após passagem de MST por lá.

Antes morto que vermelho disse...

excelente descrição do estádio lagartal!
Se por fora parace um quarto de banho, por dentro parece um daqueles subterraneos, tirado de um qualquer filme americano de terror, onde em cada buraco se pode adivinhar que, uma barata gigante vai atacar.

Zex disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zex disse...

Reflexão interessante sobre o FCPorto. Não há dúvidas que se trata de um grande cronista, mas nem sempre é rigoroso nos comentários.
Estúpida é a opinião de muitos, que dizem que não o lêem porque só diz bem do FCPorto.
Tenho sérias dúvidas de que haja outro cronista das outras cores que faça tantas cíticas ao seu clube como o MST. Aliás, há até quem diga que não o pode fazer porque está nos Estatutos...
Alguns comentários quanto ao que escreve:
- Não me parece que o Quaresma esteja a ser vendido a preço de saldo. Ontem falava-se que o FCP queria 25 milhões e o Atlético estava a oferecer só (!) 22 milhões de euros. Não me parece um valor de saldo;
- Quanto a Vieirinha, Bruno Vale e Bruno Morais, tenho muitas dúvidas quanto ao seu real valor. Não sei se será tanto como diz o MST. E, convém não olvidar que o último teve umas declarações inadmissíveis para um empregado da casa, que só podem conduzir à sua dispensa, sob pena de a autoridade acabar na Lama, tipo Peseiro/Rochemback.
- Quanto ao Estádio de Alvalade, não tenho dúvida de que por fora é muito, muito feio. Aquela combinação de azulejos é tétrica e, a não ser os grandes fanáticos do clube, é muito raro ouvir dizer bem daquela decoração. Por dentro, acho que não está nada mal.
Bem pior, principalmente for fora, é o inacabado Estádio da Luz, com a acessos por desbloquear, cheio de tapumes e com a fachada por pintar. Esse sim é um Estádio inacreditável !

VermelhoNunca disse...

"O Sporting, através do director geral de Comunicação, mostrou a sua indignação sobre a opinião emitida por Miguel Sousa Tavares, no artigo que foi publicado na terça-feira, no jornal A Bola.

Miguel Salema Garção referiu que "aquilo que Miguel Sousa Tavares escreveu hoje (terça-feira), no jornal A Bola, é uma ofensa e um insulto a toda a família sportinguista - sócios e adeptos - e também aos profissionais nacionais e internacionais, com reconhecido mérito, que desenharam e construíram o Estádio José Alvalade."

O director geral de Comunicação do Sporting realçou ainda que "independentemente dos gostos que cada um de nós possa ter, aquilo que Miguel Sousa Tavares escreveu não passa de uma arruaça. Miguel Sousa Tavares devia ter mais respeito por uma instituição com mais de 100 anos de história e deveria, inclusivamente, curvar-se perante um Estádio que apesar dos poucos anos de vida é um Estádio premiado com as cinco estrelas da UEFA, onde já se realizou uma final europeia, foi palco de um Campeonato da Europa e é considerado por todos, unanimemente, como um dos estádios mais bonitos, mais funcional, que mais condições reúne para a prática desportiva e dotado de valências que proporcionam a realização de eventos a que não só os sportinguistas têm acesso. O que seria se os sportinguistas dissessem o mesmo dos livros que escreve?"

VermelhoNunca disse...

Nos estatutos do Sporting está inserida a indicação de que não se deve dar troco a meninos que amuam. Como eu sou cumpridor...

Zex disse...

Esta lagartada tem a mania que não pode ser criticada !
O MST nada disse sobre as estrelas do campo, ou sobre se o mesmo tinha ou não recebido uma final europeia. Ele apenas se refere à ausência de beleza e à sujidade.
Claro, a lagartada que, diga-se, também não gosta do estádio, desvia a conversa e insurge-se !
Ridículo, uma vez mais !
Estão a adoptar a estratégia do Vieira: querem fazer as pessoas de papalvos !

Antes morto que vermelho disse...

Miguel Salema Garção é outro tolo, gravita no futebol português.
Onde é que tem cabimento a afirmação: "mostrou a sua indignação sobre a opinião emitida por Miguel Sousa Tavares"???!! Esse tolo tem que saber que num artigo de opinião, as pessoas são livres de emitir a sua opinião, e que não se devem de reger pelas "orientações" clubisticas que o meio de comunicação "ordena".
Parece-me que como estamos na "silly season", e não há nada de interesse para publicar, a lagartagem queira publicidade (e aqui entenda-se a referência ao nome negativamente ou positivamente) de borla, custe o que custar. Nem que para isso um pseudo-director, ter que vir arrotar/vomitar, tolisses para os meios... tipo, Dumbo-Orelhudo!

Antes morto que vermelho disse...

A lagartada no seu melhor: a queixarem-se. E na arte da "queixa", eles são campeões.

Antes morto que vermelho disse...

... enfim, temos uma imprensa desportiva e uns "directores" desportivos que valem o que valem.
De acordo com o zex, para "papalvos"

cavungi disse...

Das apreciação ao Estádio de Alvalade XXI, feita pelo grande MST destaco esta:"...parece um palácio de congressos africano construído por chineses."
No entanto discordo de MST.
O estádio é incomensuravelmente mais feio por fora do que por dentro.
Por dentro é só horrivel.
Mas são gostos.E como estamos num País livre cada um pode ter a sua opinião.
Ridiculo é a SAD lagarta responder a um colunista.

cavungi disse...

Noutro ambito há a destacar a mudança de patrocinador do SCP.
Os gelados OLÀ passam a ser os patrocinadores oficiais da equipa de futebol sénior.
As duas bandeiras do merchandising vão ser os dois novos pontas de lança do clube, o Perna-de-Pau (Derlei)e o Super-Maxi (Maximiano Lopez).

VermelhoNunca disse...

Não era assim tão caro, para um clube como o Benfica. Mas o italiano chamou palermas aos lampiões e rumou a Palermo.
"Miccoli deixou a Juventus e comprometeu-se com o Palermo
O Benfica terá, definitivamente, de procurar substituto para o italiano Miccoli, que acaba de transferir-se para o Palermo, da primeira divisão italiana, com o qual assinou contrato válido para os próximos três anos. O italiano, que actuou durante duas épocas no Benfica, tendo marcado alguns golos decisivos, estava contratualmente ligado à Juventus, que o cedeu aos encarnados a título de empréstimo. Agora, Miccoli, 28 anos, deixou de pertencer aos quadros da formação de Turim, que vendeu o passe ao Palermo por 4,5 milhões de euros. Assim, acaba a “novela” Miccoli e os responsáveis benfiquistas têm de ir às compras, para corresponderem às expectativas do técnico Fernando Santos que, como ontem disse, precisa de mais um atacante para, naturalmente, fazer dupla com o Paraguaio Cardozo. Recorde-se que Miccoli era um dos jogadores mais queridos dos adeptos encarnados, apreço que tomou vulto quando, no termo do campeonato, afirmou que em Portugal só jogaria no Benfica."