quarta-feira, julho 18, 2007

Há Jogadores de Qualidade em Portugal?

Já aqui aflorei este tema - O massivo recurso ao mercado internacional por parte dos três grandes.
Ao observar as movimentações de mercado dos três grandes, vale a pena questionar a política desportiva subjacente à escolha dos reforços.
Que critérios são definidos em matéria de contratações? Afinal, onde páram os portugueses? Vejamos caso a caso, começando pelo actual campeão nacional.

FC Porto

Mariano Gonzalez (Argentina)
Mario Bollati (Argentina)
Luís Aguiar (Uruguai)
Kazmierczack (Polónia)
Leandro Lima (Brasil)
Edgar (Brasil)
Fernando (Brasil)
Lino (Brasil)
Nuno (Portugal)




Nuno Espírito Santo, vindo do Desp. Aves, é a excepção à regra para os lados do dragão. A nota dominante vai para o mercado sul-americano.
Do plantel às ordens de Jesualdo Ferreira, constam quinze jogadores oriundos de países como o Brasil (8), Argentina (4), Uruguai (2) e Colômbia (1).
O número de jogadores portugueses não chega para formar um onze titular, mas dava para participar numa Copa América de clubes.

Sporting CP

Milan Purovic (Montenegro)
Simon Vukcevic (Montenegro)
Stojkovic (Sérvia)
Marat Izmailov (Rússia)
Gladstone (Brasil)
Derlei (Brasil)
João Gonçalves (Portugal - promoção)
Adrien Silva (Portugal - promoção)
Paulo Renato (Portugal - promoção)



A par da tradicional aposta na formação, a novidade surge da Europa de Leste, numa clara tentativa de conciliar a relação qualidade-preço.
No balanço entre saídas e entradas, constata-se um acréscimo sensível do número de jogadores estrangeiros no plantel.

SL Benfica

Hans-Jorg Butt (Alemanha)
Sretenovic (Sérvia)
Marco Zoro (Costa do Marfim)
Oscar Cardozo (Paraguai)
Gonzalo Bergessio (Argentina)
Yu Dabao (China)
Fábio Coentrão (Portugal)
Manuel Fernandes (Portugal - regresso)
Romeu Ribeiro(Portugal - promoção)



Uma verdadeira Torre de Babel - são dez as nacionalidades presentes no plantel.
A aposta no mercado interno dá pelo nome de Fábio Coentrão, à qual se juntam o regresso de Manuel Fernandes e a promoção de Romeu Ribeiro como contratações de jogadores de nacionalidade portuguesa.

Uma só conclusão a extrair:
O mercado interno foi praticamente ignorado e os reforços Made in Portugal contam-se pelos dedos das mãos.

Assim, os plantéis dos principais clubes portugueses só a muito custo apresentam uma maioria de jogadores portugueses: FC Porto (35,7%), Sporting CP (50%) e SL Benfica (52,2%).
Este cenário importa a criação de riscos acrescidos, dos quais destaco:
1. provável dificuldade de adaptação a uma realidade futebolística distinta;
2. possível dificuldade de ligação à massa associativa e identificação com a imagem do clube;
3. potencial dificuldade na criação de um espírito de grupo.

13 comentários:

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, na parte que diz respeito ao Sporting, quantos estrangeiros sairam do plantel? Porque o amigo refere isto: constata-se um acréscimo sensível do número de jogadores estrangeiros no plantel."
O que significa sensível, neste caso?

vermelho disse...

amigo nunca:
sensível em termos absolutos e relativos.
absoluto, porque saíram 3 estrangeiros - Tello, Bueno e Alecsandro - e entraram 6.
relativo, porque saíram 7 portugueses - Ricardo, Caneira, Custódio, Carlos Martins, João Alves, Miguel Garcia, Nani - e apenas entraram 3, o que faz crescer a percentagem de jogadores estrangeiros no plantel.

JC disse...

Caros Amigos:
Não sei qual o estatuto actual de Yannick Puppo (brasileiro) e de André Marques (português) no plantel do SCP, nomeadamente se também integrarão ou não a equipa principal e se, por isso, também deverão ser contabilizados ou não como reforços.

VermelhoNunca disse...

Politicas de circunstância. Este ano foi o mercado de leste. Pelo que vi ontem, o russo e o guarda-redes demonstraram qualidade. Assim como o jovem português nascido em França, Adrien Silva. Se não ficar este ano no plantel-ainda é júnior, seguramente que em breve assumirá papel de destaque na equipa ( possível venda de Miguel Veloso está colmatada).

JC disse...

Parece confirmar-se o pior cenário.
José Coveiro, além de, provavelmente, não sair dos quadros técnicos da FPF, devido à existência de uma cláusula de rescisão pouco habitual neste tipo de contratos, poderá ser promovido a adjunto de Scolari!

Depois de ter enterrado os sub-20 e os sub-21, prepara-se agora para enterrar a selecção principal?
Será ele o sucessor de Scolari na selecção?
Estou muito apreensivo.

"A existência de uma cláusula de rescisão e o apoio de Scolari estão a "travar" a saída de José Couceiro do comando técnico das selecções de esperanças, disse hoje à Lusa uma fonte da Federação Portuguesa de Futebol.

A existência de uma cláusula de rescisão, "algo que não é habitual nos contratos da FPF", aliada ao apoio que Couceiro tem de Scolari, está, segundo a mesma fonte, a "dificultar a tomada de uma decisão".

De acordo com a edição de hoje do jornal "Record", José Couceiro poderá deixar o comando das selecções de esperanças, passando a trabalhar directamente com Scolari na equipa principal até final do contrato de ambos, em Julho de 2008."

JC disse...

É o que dá ter guarda-redes que marcam penalties.

http://www.youtube.com/watch?v=8u6uo0t7dd0

JorgeMínimo disse...

Caros Condóminos:
Ontem assistiu-se a um mau jogo de futebol, mesmo para princípio de época. É certo que faltavam os dois jogadores mais importantes do meio-campo leonino, mas isso não pode, nem deve servir de desculpa.
A equipa apresentou-se com níveis físicos muito baixos, pouco entrosamento, com erros imperdoáveis na defesa e um ataque sem criar, practicamente, nenhum perigo. De notar, que as melhores oportunidades do Sporting, seriam dois golos "à Manaca", um de Andresinho e outro do Geromel. O Vitória de Guimarães mostrou-se mais forte em todos os sectores e por isso foi um justo vencedor do troféu em jogo.
Mesmo assim, alguns jogadores deixaram boas indicações, casos de Izmailov, Liedson,Farnerud, Abel, Gladstone e Adrien Silva. Por outro lado, o desastrado Pereirinha (enquanto esteve a defesa direito), o inexistente Derlei (longe vão os tempos em que era o Ninja), Romagnoli, Ronny e Yannick Pupo estiveram muito mal. Em relação aos guarda-redes, Stojkovic e Tiago, não tiveram muito trabalho. O sérvio fez uma bela defesa, já no fim da 1ª parte, a remate de Alan. O Tiago não tendo tido grande trabalho no jogo, podia e devia ter feito mais nos penalties. É inconcebível que em 6 penalties, não tenha acertado uma única vez no lado, para onde ia a bola.

vermelho disse...

amigo mínimo:
ontem estive "impedido" numa jantarada, pelo que não vi o jogo do Sporting, nem o do Porto.

vermelho disse...

amigos:
Finalmente, vejo a direcção da Briosa tomar medidas de gestão acertadas.
Joeano será jogador da Briosa na próxima época por empréstimo do Beitar de Jerusálem.
Dário está em vias de lhe seguir as pisadas.
Uma frente de ataque composta por Joeano e Dário, dois símbolos do passado recente da Briosa, é algo que me enche de satisfação e de esperança numa época bem diferente da última.

JorgeMínimo disse...

Caro Vermelho:
Sem dúvida uma boa notícia para todos os academistas.

JC disse...

Caro Amigo Vermelho:
Venham o Joeano e o Dário, porque os actuais jogadores da Académica, particularmente na linha avançada, são uma desgraça.
Mas já li num blog - http://denunciaseopinioes.blogspot.com/ - que o Manuel Machado não quer o Dário na equipa.
Encontram-se também dois jogadores marfinenses à experiência na Briosa, com nome de professores advinhadores - Vouho, avançado, e Fonfona, médio - que parecem ser bons jogadores.
Mas se queres que te diga, o melhor reforço da equipa tinha sido arranjar outro treinador para esta época.
Com o Machado não vamos lá.

JC disse...

É este o post publicado no referido blog sobre a recusa do Machado à vinda do Dário:

""Dário foi hipótese...
No mercado à procura de avançados para o centro do ataque, os responsáveis academistas abordaram Manuel Machado sobre a possibilidade do moçambicano Dário regressar à Briosa. Disponível para integrar o novo plantel da Académica, Dário foi contudo descartado por Machado, que procura um ponta-de-lança com um diferente perfil. Para além da provável chegada de Joeano, talvez a solução para esta posição específica passe por Vouho, o costa-
-marfinense que se encontra à experiência e que tem convencido Manuel Machado."

vermelho disse...

amigo JC:
o Blog do Mário Castro é especialista em especulações.
Acredito na vinda do Dário, pois que reforçaria o capital de simpatia da Direcção, para além de ser um jogador a custo zero.
Aliás, as minhas fontes garantem-me que se trata de uma possibilidade bem real.