domingo, junho 03, 2007

Análise ao Bélgica/Portugal

Portugal venceu a Bélgica, em Bruxelas, por 1-2 num jogo em que a sua superioridade foi sempre por demais evidente.
Apenas o conservadorismo e o calculismo de Scolari entorpeceram, por breves instantes, o domínio luso.
A vencer por 0-1, Portugal recuou as suas linhas, apostou na gestão das incidências do encontro, desceu os seus níveis de agressividade, abdicou do domínio e do controlo da partida, preferindo a expectativa à iniciativa e permitiu que os belgas num assomo de determinação e vontade chegassem ao empate.
Sem surpresa e sem dificuldade, assim que se revelou necessário, Portugal retomou as rédeas da partida e alcançou uma vitória justa, que só peca por escassa.
Esta vitória, para além da demonstração inequívoca da capacidade de gerar talentos revelada pelo futebol português, possibilitou a manutenção do segundo lugar no grupo A e o terminus de um jejum de quase dois anos sem triunfar na condição de visitante.
Para esta partida com a Bélgica, Portugal apresentava-se muito desfalcado face às ausências por castigo e lesão de Cristiano Ronaldo, Simão, Nuno Gomes e Ricardo Carvalho.
Todavia, este jogo foi mais uma etapa numa história de permanente e sustentada regeneração da selecção nacional.
Em Bruxelas, o onze nacional percorreu três gerações de jogadores (de Ricardo e Petit a Nani e Quaresma, passando por Tiago e Postiga) denotando uma coerência assinalável.
Portugal encarou este jogo sob o ferrete da vitória, pois que a Polónia havia derrotado o Azerbeijão por 3-1 e a Sérvia havia tido igual desempenho frente à Finlândia, por 2-0.
Numa demonstração cristalina do seu conservadorismo, Scolari entregou a condição de titular ao proscrito (no seu clube) Postiga em detrimento de Hugo Almeida.
Ganhou a aposta, mas não fora o soberbo disparo do ponta de lança das Caxinas e um coro de críticas ter-se-ia por certo erguido.
A Bélgica contemplou no seu onze cinco alterações em relação à partida de Alvalade, uma delas estreia absoluta, o médio Vertonghen.
Pese embora as modificações operadas por Vandereycken, o certo é que esta Bélgica está a anos-luz daquela que nas décadas de 80 e 90 do século passado era uma das mais temíveis selecções do mundo.
O talento de Ceulemans ou Scifo não encontra correspondência no actual seleccionado belga.
Nas cercanias do intervalo, Portugal fez o seu primeiro golo, numa brilhante jogada individual de Nani.
No inicio da segunda parte aconteceu o tal período a que supra aludi e no qual Portugal permitiu que os belgas se assenhoreassem da partida e que, aos 55 minutos, Fellaini restabelecesse a igualdade.
Portugal havia entrado letárgico e expectante e o golo belga se outra consequência positiva não teve, pelo menos representou o despertar dos jogadores nacionais.
Portugal retomou o comando do encontro e os destinos da baliza belga.
Dois minutos depois do tento do empate, Tiago obrigou mais uma vez Stijnen a defesa de elevado grau de dificuldade.
Não marcou Tiago, mas Postiga fá-lo-ia pouco minutos volvidos, através de um poderoso remate de fora da área.
Em vantagem e com os belgas conscientes da superioridade lusa e, como tal, emocionalmente destroçados, Portugal não conheceu dificuldades de maior em gerir o resultado, que permaneceu inalterado até final.
Beneficiando de um calendário assaz favorável, Portugal tem as portas do apuramento escancaradas.

23 comentários:

vermelho disse...

amigos:
estou em condições de vos dar a conhecer o novo reforço da Briosa -Tem 22 anos, é austríaco e chama-se Markus Berger, internacional Sub-21. Defesa-central, actuava no SV Ried.
abraço.

p.s. quanto ao Joeano dizem-me as minhas fontes que o interesse leonino arrefeceu por conta do montante exigido pelo Beitar para a sua libertação.
abraço.

vermelho disse...

amigos:
em Itália noticia-se o interesse do Porto em Alexandre Pato:
"L’Inter cerca sempre De Rossi (pronta un’offerta record di una quarantina di milioni con qualche giocatore a conguaglio) e nei prossimi giorni manderà un emissario a Porto Alegre per cercare di strappare Pato alla concorrenza del Porto che vorrebbe investire parte dei soldi incassati per la cessione di Anderson al Manchester."
abraço.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Não conheço o jogador austríaco que vem para a Académica, mas, pelos menos, é um jogador novo, ao contrário do que tem sido hábito ultimamente na Briosa em contratar jogadores para além do prazo de validade.

Quanto ao jogo da selecção, acho que Portugal fez um bom jogo e conseguiu uma vitória muito importante perante um adversário difícil.
Destaque para o excelente golo do Postiga, um jogador que estava em baixo rendimento no FCP e que Scolari, mais uma vez, demonstrou saber aproveitar.
Outro treinador nem o teria convocado.

Última referência para as acções do Benfica, que baixaram já dos 3 euros, valendo agora 2,93 euros (mais 40 cêntimos que as do SCP).

vermelho disse...

amigo jc:
eu, também, não conheço, mas garantem-me que será jogador da Briosa na próxima época.
as referências são boas.
veremos.
quanto ao postiga, dizer que qualquer outro treinador não o teria convocado e bem!
scolari, mais uma vez, teve uma sorte do outro mundo!
devem ser convocados para a selecção os melhores jogadores no momento da elaboração da convocatória.
exige-se que sejam titulares nos seus clubes.
admito excepções decorrentes da juventude, de uma posição em que não existem alternativas ou de uma lesão recente.
postiga marcou, mas isso não invalida a natureza errónea do princípio que conduziu à sua chamada.
abraço.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Querela velha esta, sobre as competências do Scolari.
Este é um dos pormenores em que Scolari se tem distinguido dos outros treinadores: em lugar de ir convocando este ou aquele consoante venha realizando melhores ou piores jogos nos seus clubes, Scolari tem a sua própria equipa - a selecção - e é em função do que vêm demonstrando ao serviço da selecção que Scolari efectua as suas convocatórias.
Só raramente vai chamando jogadores novos à equipa de todos nós, e aí sim, pesa a época que fazem ao serviço dos seus clubes.
Mas são excepções muito limitadas, como se sabe, e exemplo disso é o caso Quaresma o ano passado e mesmo o caso Baía.

Não me parece assim fruto da sorte as boas exibições que depois esses jogadores rubricam. São antes resultado da confiança que o seleccionador nacional lhe transmite.
O excelente golo de Postiga é disso exemplo. Só um jogador motivado e confiante cosnegue arrancar um golo daqueles, depois de se ter andado a arrastar toda a segunda volta ao serviço do FCP.

VermelhoNunca disse...

Concordo com o amigo JC. Esta discussão em volta de Scolari já é antiga, mas o que é facto, é que as escolhas dele têm produzido efeito. Boa vitória, merecida.

vermelho disse...

amigos JC e nunca:
contra esta Bélgica arrisco dizer que mesmo a nossa selecção de Sub-21 venceria.
abraço.

JC disse...

Amigo Vermelho:
O pior é quando - como já aconteceu no passado - não conseguimos ganhar nem àquelas equipas a quem até a selecção de sub-21 ganharia!

vermelho disse...

amigo JC:
se o patamar de apreciação for a mediocridade, aquele que seja apenas péssimo sobressairá!
abraço.

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Embora não seja adepto da teimosia de scolari, a verdade é que o homem tem "mão".
Pela 1ª vez ganhámos na Bélgica.
Com oo sem uma boa selecção os Belgas levaram.É o que fica para a história.
Com Scolari deixámos de ter vitóias morais.Ganhamos mesmo.Apesar de Postiga.
A realidade é que não temos uma selecção de top mundial.
Provavelmente com a Itália, França, Alemanha, Argentina ou Brazil em jogos a "doer" levamos.
Estar no patamar em que estamos com Scolari é muito bom.Os clubes deixaram de mandar na selecção e já não há tantas vedetas com lugar cativo.
Este é o trabalho de Scolari que eu aprecio.
Faltam 2 jogos fundamentais com Polonia e Servia em Portugal, e as deslocações sempre penosos ao leste europeu para estarmos na Suiça em 2008.
Eu acredito!

VermelhoNunca disse...

Amigo Cavuvu, evoluiu na sua apreciação sobre Scolari. Acho que fez bem, pois Scolari tem sido peça fundamental na afirmação da nossa selecção. Quanto renderá o jogo de amanhã aos cofres da FPF? Isso conquista-se, e Scolari tem muito mérito.
Também acredito no apuramento, como sempre acreditei.

JC disse...

Amigo Cavungi:
Concordo inteiramente com o caro Amigo.
Com Scolari, a selecção deu um salto muito grande.
Bons jogadores já nós tínhamos desde há muito, principalmente depois da integração dos campeões de Riade e de Lisboa nos AA.
Faltava era disciplina e organização e acabar com o regabofe.
Isso conseguiu Scolari.
Não conseguimos ainda, porém, chegar ao nível dos melhores, isto é, de Itália, França, Alemanha, Argentina ou Brazil.
Mas ou muito me engano ou para lá caminhamos e pode ser mesmo que já no próximo Europeu a nossa selecção surja ao nível das melhores.

cavungi disse...

Amigo Jus,
Eu só espero que depois de Scolari não venha um Manuel José ou um José Couceiro para voltar tudo ao mesmo.
Grandes exibições e derrotas injustas!
Porque em 2010 teremos, ou poderemos ter, uma selecção fantástica.
Espero que seja com Scolari.
Forca Couceiro, Força Scolari!

JC disse...

Amigo Cavungi:
Todos menos o Couceiro.
Esse não, por favor.
Forca Couceiro!

JorgeMínimo disse...

Exibição agradável da nossa selecção e vitória justíssima. Sinal positivo para Postiga, Deco, Nani e Petit; sinal negativo para Quaresma, Meira, Jorge Andrade e Tiago. Não esquecer os 2 grandes golos da nossa selecção.

JC disse...

Caros condóminos e Snr. Administrador:
Parece-me que neste momento o ponto mais fraco da nossa selecção é a defesa.
Sem Ricardo Carvalho, a zona defensiva central perde eficácia.
Falta-nos um defesa esquerdo à altura.
Miguel, no lado direito, parece-me estar a entrar na curva descendente.
A esta fragilidade defensiva acresce um meio campo levezinho e sem grande capacidade de choque.
Tirando Petit - e mesmo este, apesar da sua agressividade, fisicamente não é muito forte - faltam médios mais fortes para tarefas defensivas.
Muiot forte ofensivamente, com um leque de soluções muito diversificada, a nossa selecção pdoerá vir a ter problemas em breve no capítulo defensivo.
Talvez a inclusão de Miguel Veloso no meio campo, a curto prazo, possa dar mais peso ao sector intermediário.

cavungi disse...

Amigo Jus,
À nossa selecção falta essencialmente um Matador.Como aliás se viu na Bélgica.
Se tivessemos um avançado tipo JP Papin seriamos muito mais fortes.
Assim como só temos Nuno Gomes, Pauletas, Almeidas ou Postigas precisamos de dez oportunidades para marcar 1 golo.
Liedson á selecção já.

cavungi disse...

O Benfica irá reforcar-se (?)apenas no mercado estrangeiro e só pontualmente em Portugal.
(Para já não falar do aproveitamento nulo na formação)
Estamos realmente num mau caminho.
Forac Veira, Forca Veiga!

VermelhoNunca disse...

Amigo Cavuvu, já se reforçaram em POrtugal, com o Luís Salsa.

JC disse...

Amigo Cavu:
Não sei o que entendem os dirigentes do Benfica por pontualmente.
No passado recente (este ano, ano passado e há dois anos), pontualmente significou comprar no mercado nacional Coentrão, Fonte, Marco Ferreira, Manduca, Beto, Paulo Jorge, Nuno Assis, Miguelito, Moretto, Marcel, Nelson e não me ocorre mais nenhum.
Se for esse o conceito de pontualmente, tem razões para estar preocupado.

cavungi disse...

Amigo Jus,
Não esquecer amoreirinha!

JC disse...

O Amoreirinha não vem das camadas jovens do Benfica?

Não sei é como se deve considerar o Rui Costa: contratação pontual no mercado nacional ou reforço do estrangeiro.

VermelhoNunca disse...

Cá está a questão que eu levantei hoje de manhã, a valorização da selecção, e muito graças a Scolari que é criticado por isto e por aquilo:
"Luiz Felipe Scolari disse esta tarde, em conferência de imprensa no Koweit, que «a Selecção de Portugal é hoje uma atracção mundial, daí receber convites para a equipa realizar jogos particulares e ganhar muito dinheiro».