quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Análise ao Benfica/Dínamo de Bucareste

O Benfica venceu o Dínamo de Bucareste pela margem mínima, com um golo marcado por Miccoli, mesmo em cima do apito final.
Um golo à Jordão no Euro-84 contra a França, com a bola a embater no solo e a sobrevoar o guarda-redes antes de se anichar nas redes.
Tal como na partida da época passada a contar para a Champions frente ao Lille, um golo de Miccoli resolveu uma partida em que o Benfica raramente conseguiu ligar o seu processo ofensivo.
Fernando Santos repetiu o onze que defrontou o Boavista, na Luz, mas ao contrário do verificado frente aos axadrezados a exibição do Benfica não se guindou a patamares de excelência, muito pelo contrário.
O Dínamo apresentou-se compacto, com duas fileiras de 4 elementos muito próximas entre si, cerceando espaços entre linhas.
Assim, o Benfica cuja matriz essencial do processo ofensivo passa, precisamente, pela exploração do jogo entre linhas por parte de Simão e dos seus médios de transição, Katsouranis e Karagounis, viu-se manietado.
Sem espaços e com um bloco demasiado baixo, que não lhe permitia recuperar a bola no meio terreno contrário, o Benfica sentiu imensas dificuldades para se acercar com perigo da área adversária.
Jogando de forma demasiado lenta e previsível, sem conseguir colocar a bola nas costas da defesa romena, o Benfica raramente criou ocasiões de golo.
Este foi um daqueles jogos que comprovam a teoria segundo a qual o mais importante num desafio de futebol não é a percentagem de posse de bola, mas sim a qualidade da posse de bola.
Posse de bola teve o Benfica, qualidade de posse de bola só muito a espaços.
Ter a bola é sempre preferível, pois que se está sempre mais perto de marcar e mais longe de sofrer golos, mas por si só não releva verdadeiramente para o curso do jogo.
Sem materialização, a posse de bola é ofensivamente inócua e esta noite foi, exactamente, isso que se verificou.
Recorrendo a um dito popular, poderia sintetizar dizendo “muita parra e pouca uva”.
Na 1ª parte, o Benfica apenas criou duas oportunidades de golo, ambas ingloriamente desperdiçadas por Nuno Gomes, a quem faltou “killer instinct”.
A defesa em linha e o meio campo robusto e compacto dos romenos chegavam e sobravam para anular as tímidas investidas do Benfica.
Os romenos conseguiram adormecer o Benfica e pautar o ritmo de jogo, nivelando-o por baixo, por forma a que o seu interregno competitivo não se notasse.
Com 0-0 no marcador e face à prestação menos conseguida da equipa, Fernando Santos fez entrar Miccoli no início da segunda parte e deixou no balneário Petit, que já tinha visto um cartão amarelo.
Katsouranis passou a jogar como médio mais recuado, enquanto que Simão assumiu as funções de 10 no vértice mais adiantado do losango, ao passo que Rui Costa recuou para a meia-esquerda, ao lado de Karagounis, assumindo-se ambos como médios de transição.
Não obstante estas alterações, foi o Dínamo que melhor iniciou a segunda parte.
Mais solta e atrevida, a equipa romena viveu o seu melhor período do jogo no dealbar da segunda metade.
Não que tenha criado jogadas ofensivas com perigo para a baliza de Quim, mas ainda assim permitiu-lhe respirar e ganhar fôlego para o resto da partida.
Aliás, a única vez em que Quim foi verdadeiramente chamado a intervir aconteceu não neste período, mas sim aos 75m quando respondeu com uma boa defesa a um remate cruzado de Niculescu.
O empate sem golos agradava aos romenos, que tudo faziam para o preservar.
A quietude da segunda parte, apenas foi quebrada ao minuto 69 quando, na conversão de um livre, Simão rematou à barra e na recarga Miccoli falhou, de forma incrível, a emenda bem próximo da linha de golo.
O fantasma do jogo com o Boavista pairou sobre a Luz.
Aos 74 minutos, Fernando Santos procedeu à segunda substituição, fazendo entrar Derlei para o lugar de Nuno Gomes.
No último quarto de hora, o Benfica subiu as suas linhas e acentuou a pressão sobre os romenos, que denotaram claras e evidentes dificuldades físicas.
A falta de pernas dos romenos aliada à pressão subida do Benfica empurrou o Dínamo para as imediações da sua grande área.
Defendendo muito atrás e sem capacidade para sair a jogar, os romenos viam-se cada vez mais confinados ao processo defensivo, fazendo adivinhar o golo encarnado.
Todavia, neste período, os jogadores do Benfica revelavam uma enorme ansiedade que adiava a obtenção do golo.
Os jogadores do Benfica mostravam-se incapazes de acertarem o último e decisivo passe.
Contudo, perto do final do jogo, Derlei, na grande área, cabeceou ao lado, como que a anunciar o golo que se seguiria.
Aos 89 minutos, Rui Costa construiu a jogada que deu origem ao golo.
Na esquerda, cruzou para Simão que rematou para defesa incompleta de Lobont, surgindo Miccoli, na recarga, a fazer o 1-0.
O tento de Miccoli garantiu uma dificílima, mas importante, vitória para o Benfica.
O principal objectivo mostrava-se alcançado - vencer sem sofrer golos.
Vitória justa da única equipa que a procurou.

59 comentários:

VermelhoNunca disse...

Sem querer ainda entrar em debate, venho apenas pronunciar-me sobre o aspecto referido pelo administrador: golo à Jordão???? É demais, como é possível esconder uma vergonhosa exibição do Benfica com uma frase deste calibre???
Depois refere que Nuno Goles/ Gomes,não teve killer instinct!! Mas há quantos meses ele não possui esse dom?

vermelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vermelho disse...

amigo nunca:
que o nuno gomes nunca possuiu killer instinct estamos de acordo.
neste jogo voltou a demonstrá-lo.
peço-te que leias a análise toda para não te precipitares nos comentários.
abraço.

JC disse...

Parabéns ao Snr. Administrador e aos demais condóminos benfiquistas pela vitória suada mas justa da sua equipa ante o Dinamo de Bucareste.

Sousa disse...

Tanta dor de corno e os lampiões só venceram por 1-0.
O que seria se tivessem sido mais?

vermelhosempre disse...

O benfica jogou mal e porcamente, a passo, sem vontade, sem atitude, sem garra.. parecia que estavam à espera que o resultado aparecesse normalmente. Uma vergonha.
Quim - Salvou o Benfica da derrota;
Nélson - Desgraça nos cruzamentos;
Luisão - Bem
Anderson - Mais ou menos Bem;
Leo - Menos mal;
Petit - Nem vê-lo;
Karagounis - Ai ai;
Katsouranis - Desconcentrado;
Rui Costa - De vez em quando;
Simão - Ia tentando;
Nulo Gomes - Só o Imbecil para justificar a sua presença em campo até tão tarde;
Miccoli - Marcou o golo;
Derlei - ele jogou??

Zex disse...

A comparação com o golo do Jordão é insultuosa !
A exibição foi muito má. Ganharam por acaso, com um golo no último minuto.
Inacreditável a substituição do Vitorino de Almeida, nos descontos para perder tempo. Típico de um treinador miserável, digno de treinar o Penafiel ! Vergonhoso !

dracula disse...

Olá Amigos,
Um amigo de um amigo falou-me muito bem de voçês, gente bem humorada.
Assim, cá estarei sempre que puder.
Cumprimentos
Drac.

Holtreman disse...

A comparação com o golo de Jordão é insólita.
A Taça Uefa actualmente é insignificante. Uma competição que tende a substituir a Intertoto. Sem qualquer mediatismo e qualidade, apenas neste país de 3ºMundo para fazer de um jogo destes um acontecimento nacional. É triste.
Mesmo no ano em que o Sporting foi finalista achei desproporcionada a relevância atribuída ao facto. Apenas justificada, em parte, pela final ter sido disputada em Alvalade.

Sempre,
Análise razoável. Surpreendente.

Conde,
Bem-Vindo.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, li com atenção a análise. Mas quem começa a análise com a comparação do golo do Gordito com o do grande Rui Jordão, o que espera dos comentários? O seu familar Sempre analisou,e bem, a exibição do Benfica!

JC disse...

Caro Sempre:
O seu último post revela uma considerável evolução da sua parte desde que começou a participar no blog.
Quem não se lembra dos dislates do velho Kubas e de outros disparates que o caro amigo aqui dizia?
Mostra-se agora, muito mais sereno, refinado e com superior capacidade de análise.
Não se deixa levar pelo seguidismo bacoco da generalidade dos lampiões.
Muito boa a sua intervenção.
Subiu muitos pontos na minha consideração - que já estava em alta, desde que me apercebi que sempre que não jogava no Santacruzense a sua equipa perdia.
Sempre com Força!

vermelho disse...

amigos:
não comparei o golo do Miccoli com o do Jordão!
devo ter-me expressado mal!
disse: "Um golo à Jordão no Euro-84 contra a França, com a bola a embater no solo e a sobrevoar o guarda-redes antes de se anichar nas redes.", ou seja, a chamada à colacção do golo do Jordão contra a França no euro-84 apenas respeita à trajectória seguida pela bola quando rematada pelo italiano.
não comparei estética, beleza ou execução, nem quis colocar no mesmo patamar um e outro golo.
o golo do jordão serviu apenas para ilustrar a forma como o golo foi obtido!
longe de mim, pensar que pudesse criar toda esta celeuma a utilização daquele golo como forma de ilustrar o obtido por Miccoli.
abraços.

vermelhosempre disse...

Exmo Sr JC. Os ares do blog realmente fazem-me bem e tenho aprendido muito, mas neste caso e depois das duas últimas exibições do benfica (paupérrimas)esta era a unica análise possível da minha parte.
Em relação ao Santacruzense, penso que este fim de semana volto à equipa

Sousa disse...

Ao contrário, daquilo que parece passar dos restantes comentários, penso que a crónica do menstruado é o relato fiel do jogo.
muito boa crónica, mesmo.
acentua as dificuldades sentidas pelos vermelhos e a inferior qualidade da sua exibição.
fala e explica futebol.
gostei.

Cuto disse...

Vi ontem o Benfica/Dinamo e,constatei que os dois grandes defeitos deste Benfica 2007 mais uma vez, num jogo importante vieram ao de cima. Assim, a falta de frescura fisica e principalmente a falta de capacidade mental ditaram um resultado que só foi merecido não pelo Dinamo mas sim pela incapacidade do Benfica.A jogar contra uma equipe que entrou em campo e, desde inicio,deu a bola ao Benfica nunca soubemos o que fazer.A crise do Nuno Gomes que na maior parte dos casos nunca soube o que fazer,se chutar se passar,acresce a enorme dificuldade do meio campo do Benfica quando se processam as transições em velocidade. Alturas houve em que quem chegava com a bola perto da grande area do Dinamo tinha um autentico deserto de camisolas encarnadas a acompanhar. Enfrentar uma equipe que unicamente se preocupou em ocupar espaços e não deixar jogar,obhrigava a uma grande disponibilidade fisica para,não só, fazer as transições rápidas mas,principalmente para chegar primeiro à bola e principalmente para que as segundas bolas perto da area do Dinamo fossem ganhas pelo Benfica.Nada disto aconteceu e, quanto a mim mais por falta de uma boa atitude competitiva e mental do que propriamente por uma incapacidade fisica. Esperemos que até Domingo, na Madeira, e depois em Bucareste Fernando Santos consiga mudar a atitude mental dos jogadores do Benfica.

VermelhoNunca disse...

Condómino Cuto, você espera isso. Talvez a maioria dos membros deste blog não tenha o mesmo desejo que o caro condómino.

JC disse...

Caro Cuto (mais tarde há-de explicar o seu nick):
Como condómino mais antigo deste blog, deixe-me endereçar-lhe as boas vindas.
Não sei se o problema do Benfica será uma questão de incapacidade fisica e/ou incapacidade mental.
Acho que mais facilmente lhe atribuiria como causa uma incapacidade geral.
Incapacidade do seu treinador, Incapacidade dos seus jogadores.
Tirando Simulão e Quim, e, a espaços, Katsouranis e Miccolli, os jogadores do Benfica apresentam mediana/baixa qualidade.
O seu treinador, por seu lado, tem mentalidade de treinador de equipa que luta para não descer de divisão.
Neste quadro, não se pode exigir muito à equipa.
Compreendo que deseje resultados positivos nos próximos embates que se avizinham.
Eu, como deve calcular, e na linha do que já disse o meu caríssimo amigo Vermelhonunca, espero e desejo o contrário, pelo menos no que respeita ao confronto com o Nacional.

Mas vá aparecendo sempre e dizendo de sua justiça.

VermelhoNunca disse...

Caro JC, o problema do Benfica reside também na incapacidade dos seus adeptos. Recentemente, Jorge Máximo, com um conjunto de jagunços, fez uma espera à porta da Sic, após uma emissão do Dia Seguinte, com o propósito de agredir Dias Ferreira. Quem saiu em socorro de Dias Ferreira foi Fernando Seara, evitando assim mais problemas. Esta postura é tipica dos dirigentes e presidente do Benfica, cujos sócios elegeram por mais de 90%.
A vergonha habitual!!!

vermelho disse...

amigo jc:
registo que os internacionais brasileiros, Luisão, Anderson e Léo, os internacionais portugueses, Petit, Rui Costa e Nuno Gomes, e o internacional grego, Karagounis, são jogadores de média/baixa qualidade!
isto só para falar dos casos mais relevantes.
abraço

vermelho disse...

amigo nunca:
essa notícia não foi revelada por ninguém, nem pelo próprio Dias Ferreira, mas o amigo lá deve ter as suas fontes de informação.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Pode ter a certeza que é a realidade. Aconteceu recentemente. E Dias Ferreira não falaria disso, até por receio, porque a jagunçada e o clima de terror que impera no seu clube, leva-o a temer algo mais grave.

VermelhoNunca disse...

E atenção, esta notícia foi revelada por um orgão de comunicação social, posso confirmar, pois eu próprio li a notícia.

JC disse...

Amigo Vermelho:
Para mim, jogadores de grande qualidade são os que referi, isto é, jogadores que poderiam ter lugar nas grandes equipas europeias.
De média qualidade tenho como termo de comparação o futebolista médio europeu, aquele que integra equipas habituadas a disputar competições europeias e cujas equipas lutam pelos lugares cimeitos dos seus campeonatos.
De baixa qualidade são aqueles que nem vocês, benfiquistas, gostam de ver no plantel.
Os que citou são alguns dos jogadores de média qualidade.
Os de baixa são o Marco Ferreira, o Beto, o Miguelito, o Paulo Jorge, o Manu.
Alguns jogadores do plantel até pdoem ter sido, em tempos, jogadores de grande/média qualidade mas actualmente pouco valem, pelo que produzem, e integro-os no clube da baixa qualidade.
Mantorras, por exemplo, e Nuno Gomes, pelo que tem vindo a (não)jogar, poderão estar nesse lote.
O SCP também os tem.

vermelho disse...

amigo nunca:
que órgão de comunicação social?
nunca vi o dias ferreira temer nada, nem ninguém, mas acredito no que me diz.

amigo jc:
pelo teu prisma, quem são os jogadores de porto e sporting de grande qualidade?
abraços.

Zex disse...

Sr. JC,
Enganou-se redondamente, desculpe !
Manu, o génio, segundo o Sr. Vermelho, é um super jogador. Melhor jogador do importante torneio do Dubai. Ala de grande velocidade. Enorme espaço entre os dentes da frente. Madeixas louras naturais.
Em suma, "um crack".
Como se pode considerar o mesmo de má qualidade ?
Deveu-se, seguramente, a um erro de teclado "á Cavunge"...

Zex disse...

Eu gosto mais é do tal Nelson !
O tal que é muito melhor que o Miguel !
O tal que fez com que o Benfica ganhasse muito com a troca !
O tal da pubalgia inventada !
O tal que muda de penteado todos os jogos !
O tal que o Inter e a Juventus seguiam !
O tal que já valia 20 milhões !
E, ainda por cima, é muitíssimo inteligente a jogar à bola. Nem marra nada no chão.
Tenham dó !
O Beto, ao pé deste senhor, é o Einstein ...

JC disse...

DO SCP:
Ricardo, João Moutinho, Liedson, Caneira, Polga.
Ainda não o são mas serão muito em breve: Nani, Miguel Veloso e Djaló.

Do FCP:
Helton, Pepe, Lucho, Quaresma, Lisandro, Anderson.
Abraço.

(O Abraço não é.)

Jorge Mínimo disse...

Pior que a exibição do do Benfica só mesmo a do árbitro. O Nuno Gomes está numa forma ridícula, o Rui Costa apesar da classe e de alguma vontade, acabou para o futebol. É confrangedor ver os grandes planos do maestro aquando da marcação de bolas paradas, o homem quase que desmaia, não consegue respirar. O Petit desapareceu dos jogos, o Katsouranis baixou muito rendimento e o Léo passa mais tempo a discutir do que a fazer algo de bom. No meio desta mediocridade salvam-se o Simão e o Quim.

JC disse...

Caro Mínimo:
Vejo que concorda comigo quanto aos jogadores de qualidade do Benfica: Quim e Simão.

Jorge Mínimo disse...

Caro JC:
Estamos plenamente de acordo. Só faço uma ressalva para o piccoli gordito, que não é mau jogador, só que está sempre lesionado.

JC disse...

Exactamente, Caro Mínimo.
Foi o que eu disse num comentário anterior:

"Tirando Simulão e Quim, e, a espaços, Katsouranis e Miccolli, os jogadores do Benfica apresentam mediana/baixa qualidade".

vermelho disse...

amigo jc:
não concordo.
em relação ao sporting e seguindo o teu critério incluíria apenas Moutinho na categoria de jogadores de grande qualidade.
em relação ao porto, excluíria Lisandro.
abraço.

JC disse...

Caro Vermelho:
Se pus Quim no Benfica como jogador de grande qualidade, deveria, obviamente, pôr o Ricardo no SCP.
Quanto ao Polga e ao Caneira, são, para mim, grandes jogadores, que entravam directamente como titulares na equipa do Benfica.
Não considerares o Liedson como jogador de grande qualidade só se percebe pelos golos que tem marcado ao Benfica.

Jorge Mínimo disse...

Caro JC:
Ainda é mais grave a não inclusão do Liedson, numa semana em que o Levezinho marcou um golo do outro mundo.

cavungi disse...

Amigo Vermelho,
Ontem passei pela 2ª circular pelas 21.00h.De um lado, em frente ao CC Colombo vi alegria, movimento, enfim vida.
Andei mais uns metros e em frente ao Hipodromo do Campo Grande vi um estádio ás escuras, sem cor, sem movimento, sem vida.
Primeiro pensei que o Alvalaxia tinha falido, depois pensei que tinha faltado a luz nos cinemas, até que percebi, que afinal,era só mais uma grande noite europeia á Sporting!
Sem jogo!!!!

cavungi disse...

Amigo Jus,
Nestas apreciações temos que deixar o coração de lado.
Se houvesse jogadores de grande qualidade no Sporting..... já lá não estavam.
Como ainda lá estão, não serão concerteza de grande qualidade.
Isto para mim parece-me óbvio.

vernáculo disse...

foooooooooooooooodaaaaaaaaaaaaaa-se.
Grande jogador é o próximo reforço do Benfica, o Zé Katanga, que entra e passadas duas corridas sai.
Fantástico.
Não sei porque é que o Fernando Santos não faz a mesma merda ao Rui Bosta.

Gostaria que o Vermelhuço pussesse aí aqueles antigos questionários com a seguinte pergunta:
CONCORDA COM A INTERRUPÇÃO VOLUNTÁRIA DO CONTRATO DO FERNANDO SANTOS APÓS 10 EXIBIÇÕES MEDÍOCRES EM ESTABELECIMENTOS DESPORTIVOS DEVIDAMENTE AUTORIZADOS COMO TAL?

vermelho disse...

amigo jc:
quantos golos marcou Liedson na Champions?
quantas faltas cometeu?
tenho dúvidas quanto à sua eficácia num contexto competitivo superior.
Ricardo e Quim, para mim, não são jogadores de grande qualidade, embora reconheça no Ricardo uma especial apetência para defender penaltys e no Quim regularidade.
A Ricardo falta regularidade e capacidade para jogar fora dos postes.
A Quim falta estatura.
Polga é um trinco, que um dia Scolari inventou como central, mas num sistema a 3.
Em super forma, como no início do campeonato, é um bom jogador, mas a quem faltam predicados para jogar num grande clube europeu.
Prefiro Luisão e Anderson.
Caneira falhou todas as apostas que fez em campeonatos competitivos e em equipas de topo -Inter e Valência.
A circunstância de ter sido emprestado por um longo período diz bem do falhanço que constituiu a sua estadia em Valência.
abraço.

cavungi disse...

Amigo Vernáculo,
VOTO SIM !

JC disse...

Caro Cavungio:
Essa animação a que te referias junto ao CC. Colombo não seria nenhuma festa respeitante ao dia dos namorados?
É que festa festa parece-me que só mesmo ao minuto 89, pois que antes disso não vi festa nenhuma nas bancadas.

vernáculo disse...

Está registo Cavu.

SIM - 1.
NÃO -0.

Veremos o desenrolar dos acontecimentos.

vermelho disse...

amigo cavungi:
eu também.
abraço.

amigo mínimo:
quantos jogadores razoáveis ou mesmo fracos já viste marcarem grandes golos?
muitos!
marcar golos em Portugal é uma coisa, nos principais campeonatos é outra bem diferente.
Lembras-te de Ian Rush?
Certamente, que todos o qualificaríamos como grande jogador, mas o certo é que quando saiu do contexto competitivo mais propício às suas características, nada fez.
Foi para a Juve e na época seguinte já tinha regressado a Liverpool.
Ele como outros!
Um grande jogador é aquele que se impõe nos grandes campeonatos e nas grandes competições!
Ao Liedson falta provar isso.
Ser capaz de revelar idêntica eficácia e valia num grande campeonato ou numa grande competição.
é evidente que é o melhor ponta de lança a actuar em Portugal, mas isso não faz dele um grande jogador na europa.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Chegou tarde, mas sempre disparatado. Cavungi de Vasconcelos. Também fez parte do grupo de jagunços que quis agredir Dias Ferreira à porta dos estúdios da Sic?

Jorge Mínimo disse...

Caro Vermelho:
Quantos golos marcou o Liedson na Taça Uefa, no ano em que o Sporting foi à final?

Holtreman disse...

vermelho said...

"Lembras-te de Ian Rush?
Certamente, que todos o qualificaríamos como grande jogador, mas o certo é que quando saiu do contexto competitivo mais propício às suas características, nada fez.
Foi para a Juve e na época seguinte já tinha regressado a Liverpool.
Ele como outros!
Um grande jogador é aquele que se impõe nos grandes campeonatos e nas grandes competições!"


Bom, perante isto, temos de concluir que Henry é medíocre.

Holtreman disse...

Suinão e Quaresma também são vulgares ( despachados do Barcelona).

Jorge Mínimo disse...

Caro Holtreman:
O Patrick Vieira é um barretão!

Jorge Mínimo disse...

Caro Holtreman:
...Mas quem compara uma recarga do Miccoli, com um centro fabuloso do Chalana, para um remate, com alguma sorte, que saíu perfeito do Jordão. Acho que está tudo dito!

cavungi disse...

Amigo Minimo,
Qual Rui Jordão?
O que foi campeão pelo Benfica?

Holtreman disse...

Não, não Mínimo, o rapaz não comparou os golos, "serviu apenas para ilustrar a forma como o golo foi obtido"...
Serviu para ilustrar, nunca comparar.
Por exemplo o golo do Liedson este ano no Bessa. Poderíamos dizer que foi um golo à Jardel, ou seja o jogador saltou e cabeceou a bola em direcção à baliza fazendo com que a trajectória ( da cabeça para a baliza) fosse em tudo idêntica à maioria dos golos do Jardel.

Está percebido Mínimo?

VermelhoNunca disse...

Rui Jordão, o que foi dispensado do Benfica, esse mesmo amigo Cavungi. Mas o amigo na altura andava de fraldas, ou nem isso? Manuel Fernandes, Jordão e Oliveira, recorda-se? Ou Manoel, Manuel Fernandes e Jordão...

Jorge Mínimo disse...

Caro Cavungi:
Sim, esse mesmo...e também foi campeão, ganhou a taça, a supertaça, a taça de honra, a bola de prata e ficou no 3º lugar do europeu quando estava no Sporting.

Jorge Mínimo disse...

Caro Vermelho Nunca:
Não esquecer o Keita.

vermelho disse...

amigo mínimo:
contra que equipas?
alguma do primeiro plano europeu?

amigo holtreman:
alguém falou no Henry?
alguém disse que rush era medíocre?
não, por isso abstenha-se de me atribuir frases que não escrevi.
sejamos sérios e intelectualmente honestos.
Henry esteve em Itália num contexto completamente diferente do de Rush.
Não há sequer comparação.
Vieira, igualmente.
quando chegou ao Milan era um jovem sem experiência.
Com Simão e Quaresma passou-se o mesmo.
O exemplo de Rush é perfeitamente distinto.
Estes e outros exemplos servem para ilustrar que jogadores há que apenas funcionam num determinado contexto competitivo.
Exemplos sul-amaricanos há às dezenas.
Para mim, estes jogadores não podem ser considerados grandes jogadores.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Este Cavungi só lança disparates, mas é compreensível, pois resistir a exibições como a de ontem não é para qualquer um. Depois diz que passou na Luz pelas 21h00. Porque não foi ao estádio? Estava frio? Ou havia negros a mais na redondeza? Ou será que estava alguém morto na casa de banho, como aconteceu há alguns anos atrás? Ou será que os bilhetes estavam esgotados? Ou será que é próprio do lampião arranjar desculpas para não ir, após maus resultados do Benfica?

Holtreman disse...

MAIS UM PROBLEMA CAPILAR NO CARTEL DE BENFICA.

São a VERGONHA do desporto português.


2007-02-15 | 17:05:55
Depois do futebol e do basquetebol

Doping chega ao râguebi do Benfica

O jogador de râguebi do Benfica Paulo Barata, antigo internacional sevens, acusou o mascarante sinasteride, substância confirmada com a contra-análise realizada a 30 de Janeiro, revelou esta quinta-feira à Agência Lusa o director do Laboratório de Análises e Dopagem.

Holtreman disse...

Mais um brilhante e honroso recorde para o Guiness??

Granda Benfas, pá!

O orgulho deste País!

Jorge Mínimo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jorge Mínimo disse...

Caro Holtreman:
É uma pouca vergonha! Mais um com medo de ficar careca. Façam um implante ou ponham um capachinho!
Aqui fica a descrição da notícia, segundo o "Record":

Paulo Barata, jogador de râguebi do Benfica e antigo internacional de "sevens", acusou o mascarante sinasteride na contra-análise realizada a 30 de Janeiro, revelou hoje o director do Laboratório de Análises e Dopagem, que já notificou a Federação Portuguesa de Râguebi e o clube da Luz.

De acordo com as explicações de Luís Horta, a análise ao jogador C'SAMENTE detectou o agente que pode mascarar a utilização de determinadas substâncias C'SAMENTE do grupo dos anabolisantes, naquele que é o primeiro caso de doping C'SAMENTE de 2007, uma vez que o jogador foi controlado C'SAMENTE a 7 de Janeiro, após a vitória dos encarnados frente C'SAMENTE ao Técnico (31-16), em jogo da 4.ª jornada do campeonato nacional C'SAMENTE de honra de râguebi.

O director do Laboratório de Análises e Dopagem referiu ainda que a substância C'SAMENTE em questão pode ser utilizada para casos de queda C'SAMENTE de cabelo - sendo o medicamento Propecia C'SAMENTE o mais utilizado em Portugal para este tipo de problema -, mas o atleta "não solicitou C'SAMENTE a autorização para o recurso à terapêutica" e mesmo que a tivesse feito não seria aceite, já que C'SAMENTE "nem em Portugal C'SAMENTE, nem a nível mundial C'SAMENTE(a substância) é autorizada".

Queda de cabelo como Tavares

Com este caso, eleva-se para dois o número de atletas do Benfica a acusarem a presença do mascarante sinasteride, depois da contra-análise ao capitão da equipa de basquetebol, António Tavares, ter confirmado a presença da mesma substância.

Recorde-se que a 8 de Janeiro, dia em que o caso de António Tavares foi conhecido, o Benfica defendeu o atleta, avançando que tinha sido o responsável clínico da equipa, a sancionar a utilização de um medicamento contra a queda do cabelo sem saber que o produto fora incluído na lista de substâncias proibidas, o culpado.