segunda-feira, março 20, 2006

Análise à Jornada

Tudo como dantes no topo da classificação, com os quatro primeiros a vencerem, com maior ou menor dificuldade, as suas partidas.
Em Vila do Conde, mais do mesmo.
Benfica dominou, por completo, o adversário, criou oportunidades de golo em barda e, desta vez, apenas por inépcia dos seus jogadores, sofreu a bom sofrer para atingir as redes de Mora.
O Benfica entrou bem no jogo e ao quarto de hora havia já criado, pelo menos, duas chances de golo.
O Rio Ave naquela que a par dos últimos dez minutos de jogo foi a sua melhor fase na partida, acercou-se com perigo da área de Moretto por duas vezes, ainda que não tenha obrigado o Keeper brasileiro a qualquer intervenção.
Passados que foram os minutos iniciais, o Benfica remeteu o Rio Ave ao seu meio reduto, exercendo forte pressão ofensiva, mas sem que o caudal do seu futebol haja desaguado na baliza de Mora.
Com o passar do tempo, a ansiedade que perpassava pelos jogadores do Benfica acentuou-se, toldado a eficácia finalizadora dos avançados encarnados.
Ao intervalo o nulo mantinha-se e como o Benfica não dava mostras de poder ultrapassar os pecadilhos na finalização que havia revelado e dado que iria actuar contra o vento na segunda parte, as perspectivas não eram nada animadoras.
O Benfica retornou dos balneários com a mesma atitude, mas também persistindo no desperdiçar das ocasiões criadas.
Neste particular, Simão excedeu-se, ao desperdiçar duas oportunidades nas quais o mais difícil era não visar com êxito a baliza de Mora.
O fado dos últimos jogos voltava a trinar nos Arcos.
Koeman mexeu na equipa, tirando as unidades em menor rendimento e fazendo entrar Karagounis e Robert.
O futebol do Benfica ganhou ainda mais critério com a chamada do grego.
O impasse na concretização mantinha-se, sem que se visse lura donde saísse coelho.
Eis senão quando, Moretto decide inventar e surge o grande caso do jogo.
Léo efectua corte defeituoso e Moretto, ainda que em perfeitas condições de chegar à bola, deixa-a passar, cedendo canto.
Do canto resultou a controvérsia.
Danielson toca ou não a bola para lá da linha?
Não sei dizer, embora fique com a sensação de que a bola foi pontapeada ainda dentro das quatro linhas.
Qualquer análise surge prejudicada pela colocação das câmaras de televisão, pois que em nehuma das imagens transmitidas se consegue ver a bola.
O corpo do jogador vilacondense encobre, por completo, a bola, assim, inviabilizando uma leitura mais correcta do lance.
Fica a dúvida, tal como restou num lance ocorrido naquele mesmo estádio no jogo contra o Porto, num cruzamento de Chidi que viria a dar golo.
Antes como agora, impossível se mostra afiançar, para lá de qualquer dúvida, ter a bola ultrapassado ou não a linha final.
Na sequência do lance, Robert falha de forma clamorosa a baliza de Mora, cabeceando por cima quando se encontrava livre de oposição.
Quando a esperança benfiquista já esmorecia, surgiu um "remake" de um filme muito visto na época passada.
Mantorras, entretanto entrado para o lugar de Manduca, nos descontos, fez o golo do contentamento encarnado.
Também aqui se reclama de uma ilegalidade, qual seja jogo perigoso de Mantorras.
Não me parece que assista razão aos vilacondenses.
Mantorras antecipa-se ao central do Rio Ave, sem que o tenha, por qualquer forma, impedido de jogar a bola.
Aliás, nenhum jogador reclamou da legalidade do golo.
Mantorras revelou-se, novamente, decisivo, sendo que os dois golos que apontou na presente edição da Liga significaram seis pontos (ainda que tenha de ser utilizado com a parcimónia que a sua condição física exige).
Referência final para Moretto que, embora não tenha realizado qualquer defesa, deu sempre sinal de insegurança quando chamado a intervir.
Os seus dois erros no lance da polémica impõe a titularidade de Quim ou Moreira.
No Dragão, exibição vistosa do Porto, numa vitória fácil e sem contestação.
Em vésperas de importante partida para a Taça, o Porto não se poupou.
Segurança defensiva, imaginação e criatividade a meio-campo e eficácia na concretização, foram os predicados patenteados pelos azuis e brancos.
Nunca houve qualquer dúvida quanto ao vencedor da partida, tamanha foi a superioridade portista.
Alicerçado em Lucho e Quaresma e a espaços em Anderson, o futebol portista foi um regalo para os olhos.
O Paços limitou-se a defender e mal, nunca se mostrando capaz de importunar, verdadeiramente, Baía.
Adriaanse parece ter vencido a "batalha do sistema".
Realce para a estreia a titular de Anderson no campeonato.
Apresentou pormenores que deixam antever um futuro risonho, assim Adriaanse o não "amarre" às laterais.
Anderson é, claramente, um jogador de miolo, um n.º 10, um jogador para actuar livre, deambulando entre linhas, perdendo o seu futebol fulgor quando obrigado a exibir-se nas alas.
Ainda mostra alguma verdura, necessário sendo que a sua adaptação ao ritmo europeu se consolide.
Assim o consiga, estaremos perante um jogador de eleição.
Em Leiria, o Sporting venceu, embora com felicidade.
Tal como havia previsto, tratou-se de um jogo muito disputado a meio-campo, com escassas ocasiões de perigo.
Na primeira parte, o Leiria entrou melhor na partida, impondo-se.
O Sporting limitou-se a gerir defensivamente.
O Leiria criou duas boas oportunidades, ao passo que o Sporting pouco se viu ofensivamente.
Aliás, o Sporting fez o seu primeiro e único remate à baliza de Costinha já no final dos primeiros quarenta e cinco minutos.
Nulo no marcador ao intervalo e nula produção futebolística leonina.
No dealbar da segunda metade, num lance de enorme felicidade, o Sporting chega ao golo.
Auto-golo de Costinha, após um cruzamento de Nani interceptado por Fábio Felício.
Não fôra o toque de Costinha e a bola não se encaminharia para as suas redes.
Daí até final, crónica de uma morte anunciada - como já escrevi, quando em vantagem no marcador, dificilmente o Sporting se deixa surpreender.
Alcançado que seja o golo, Paulo Bento, de imediato, recua as linhas e dá a inciativa de jogo ao adversário.
A partir do golo, o Leiria, obrigado que foi a assumir as despesas da partida, mostrou-se incapaz de se aproximar da área leonina, revelando-se pouco mais do que inofensivo.
O labor e a competência defensivas dos leões são de enaltecer. Mas, de igual forma, a sua fraca capacidade ofensiva.
Nesta partida, o Sporting fez dois remates com perigo à baliza de Costinha - um, na primeira parte, e outro, na segunda, ambos por intermédio de Carlos Martins.
Foi tudo quanto o Sporting foi capaz de produzir em termos ofensivos. E ambos os remates aconteceram à entrada da área leiriense.
Na única vez em todo o jogo que o Sporting penetrou, com perigo, na área leiriense, numa tentativa de cruzamento, obteve o golo.
Sorte no golo e contenção defensiva conjugaram-se para a oitava vitória consecutiva na Liga.
Nas restantes partidas, destaque para as vitórias de Belenenses, Naval e Estrela e para o empate forasteiro da Briosa em Guimarães.
A Briosa esteve em vantagem, mas um erro de Dani permitiu aos "espanhóis" chegarem ao golo.
Jogo equilibrado, em que a Académica acabou por ser feliz, pois que os vitorianos estiveram mais perto do segundo golo.
Empate importante, mantendo o Guimarães e a linha de água a 4 pontos, tanto mais que permite à Briosa ter vantagem no confronto directo em caso de igualdade pontual no final do campeonato.
Nota para a queda vertiginosa de Nacional e Setúbal.
Rui Alves, se tivesse capacidade para tal, deveria estar envergonhado e arrependido de ter comparado a agremiação a que preside com os leões de Alvalade.
Pela boca morre o peixe...

40 comentários:

PauloParaty disse...

Desculpem, ontem foi um dia mau! Hoje acordei com uma grande azia.

Zex disse...

Análise finalmente serena, embora temperada, como é natural, de algum lampionismo.
Quanto ao golo anulado ao Rio Ave, já se diz tudo. Dá ideia clara que a bola não ultrapassa a linha final, mas não se pode garantir com exactidão.
Quanto ao FCP, penso que jogou pouco, ao contrário do que diz o sr. porteiro. Simplesmente contou com uma oposição manifestamente fraca.
Quanto ao Sporte, continua a não entusiasmar, mas tem uma eficácia tremenda. A defesa é muito segura, o Ronaldinho Martins está em boa forma (está na fase dos cinco bons jogos da época), o João Moutinho também está bem. E Liedson é aquela melga que se sabe. Mais fracos são Sá Pinto, o sempre ausente, passa para o lado e para trás, Custódio e o barrete (1,7 milhões) Tello. Esta equipa em vantagem é impressionante. Não vacila, queima bem tempo e contra-ataca perigosamente. É uma equipa muito sólida, não exuberante, mas de uma eficácia incrível.
O FCP vai ter a vida muito difícil...

cavungi disse...

Do post, quase tudo dito.
O golo do Rio Ave parece-me mal anulado,mas é dificil termos a certeza.
O Porto revela grande consistencia e vai ser perder o 1º lugar.Espero até que vençam em Alvalade.
Quanto ao Reboque, joga mal mas vai ganhando.Joga feio, marca um golo e queima tempo.
Mas o que mais me alegrou este fim de semana foi o chumbo de Soares Franco.Ver 65% de lagartos muito aborrecidos foi bom.Claro que vai ser criada uma "vaga de fundo" e Filipe Soares Franco irá candidatar-se ás proximas eleições......

VermelhoNunca disse...

A minha análise à jornada:
Pontos a reter no jogo do benfica:
1- Enorme assistência ao jogo-4.000 espectadores;
2- Magistral exibição de Nuno Perde Golos( não pode ir à selecção, venha João Jardel Tomás );
3- Erros na arbitragem com influência no resultado (Golo do Rio Ave e falta do menino de Angola no golo do benfica );
Senhor Cavungi:
Fique a saber que 65% dos sócios do Sporting não votaram a favor da proposta de Soares Franco, convém falar do que sabe. Já agora, o senhor luxemburguês pronunciou-se sobre a arbitragem de ontem?

cavungi disse...

Sr Vermelhokalhasnikovnunca,
64,2% votaram a favor, calculo que o sr tambem.
E agora? Quando fecha o Alvaláxia(É pena porque os cinemas não são maus, já a comida...)

Jorge Mínimo disse...

Apesar de não ter visionado o jogo do Benfica ( optei por ver o Chelsea ), vi o resumo e parece-me que o Benfica mereceu ganhar. Contudo, acho que o árbitro teve influência directa no resultado, já que a bola dá a nítida sensação de não ter saído e o golo do Mantorras é marcado em jogo perigoso activo.
Em relação ao jogo do FC Porto, penso que ganhou bem, não atingindo brilhantismo, mas foi muito superior ao Paços de Ferreira.
O Sporting ganhou com justiça, num jogo em que mostrou mais uma vez o seu pragmatismo. Não é brilhante como no ano passado, mas defende os caminhos da sua baliza com muita confiança e contra-ataca com muita eficácia. Nota muito positiva para o João Moutinho que mais uma vez demonstrou toda a sua classe, mesmo massacrado pelos seus adversários.

Jorge Mínimo disse...

Caro Cavungi:
Naturalmente que os cinemas millenium do Alvaláxia não poderão ter a mandioca, tanto do seu agrado.

VermelhoNunca disse...

Reafirmo o que digo senhor Cavungi: fale do que sabe. Nem 64% nem 65 % dos sócios votaram a favor. Fale apenas do que sabe. Uma coisa é o resultado da eleição, que nada tem a ver com o número de sócios que votaram a favor. Número de votos a favor não significa número de sócios que votaram a favor.

cavungi disse...

Os numero (oficiais)da AG:
Numero de sócios que podiam votar na AG:44 184
Numero de sócios presentes na AG: 3 391
Votos a favor da alienação 12 998 (64.54%)
Votos contra a alienação 7 140 (35.46%)
556 Abstenções.
E agora o "Jornal do Sporting" sempre acaba?

cavungi disse...

Sr Minimo, penso que esquece A Recomendação do dia 10, quando parte para estes insultos de cariz puramente racista.É desnecessário.

VermelhoNunca disse...

Senhor Cavungi:
Sei que foram esses os números. Isso só demonstra que eu tenho razão. Dos sócios que estiveram na assembleia, o senhor não pode nunca dizer que houve 64% que votaram a favor de Soares Franco. Ou seja, o senhor não sabe a quantos sócios correspondem os 12.998 votos favoráveis à proposta. Eu também não sei atenção, mas não tiro as conclusões precipitadas que o senhor tira.
Mas entendo o seu estilo, como o seu clube roubou em Vila do Conde convém comentar outras situações, isso é normal.

vermelho disse...

Penso que o ponto mais relevante da assembleia de sexta-feira, chumbada que foi a alienação de património não desportivo, radica no número de sócios em condições de exercer o seu voto - 44 184, isto é, sócios com quotas em dia.
Parece-me, manifestamente, pouco para um clube como o Sporting.
Quando se discute a alienação de património não desportivo, por falta de receitas ordinárias bastantes para fazer face aos encargos, mormente bancários, constatar que uma das principais fontes de proventos se mostra tão debilitada deveria merecer análise.
Ainda sou do tempo em que os sportinguistas se vangloriavam de serem o 2º maior clube mundial em número de sócios, só suplantados, então, pelo Barça.

berbigão disse...

Excelente análise da jornada pelo senhor Vermelho, embora me pareça que viola uma das frases bíblicas mais conhecidas, e passo a citar:
"Felizes aqueles que ganham os seus jogos com golos marcados após os 90 minutos"
Assim, tendo o SCP marcado o seu golo muito antes do fim do jogo, quase no início da segunda parte, parece-me de mais elementar justiça bíblica referir que quem ganhou com felicidade foi o Benfica e não o Sporting.
O Sporting pode ter tido felicidade na obtenção do golo, mas a sua vitória nunca esteve em causa.
Já quanto ao Benfica, marcou quando já ninguém esperava, em lance que, se fosse ao contrário tinha sido anulado por jogo perigoso, e depois de ter sofrido pouco antes um golo que foi anulado pelo Paulo Paraty - que deve ter estado a jantar no Sapo.
Consta, aliás, que o Paulo Paraty ficou com tamanha azia a seguir ao jogo que esgotou o stock de Rennie nas farmácias de Vila do Conde.
Feliz, pois, o Benfica, pois dele é o reino das arbitragens.
Aliás, este jogo do Benfica foi fértil em sinais bíblicos.
Para além do já citado, tivémos a ressurreição do defunto Mantorras, cujo enterro já tinha sido encomendado em conferência de imprensa pelo Koeman há uns tempos atrás;
Tivemos a cura de um ceguinho – o árbitro não viu uma catrefada de faltas cometidas sobre os jogadores do Rio Ave nem viu que o golo de Mantorras foi marcado em falta, por jogo perigoso. Logo, só pode ser ceguinho. No entanto, viu a bola a sair de campo no lance que antecedeu o golo do Rio Ave, o que só se pode ficar a dever à sua cura milagrosa.
Foi, pois, uma boa jornada de envagelização aquela a que assistimos no passado fim-de-semana.
Amen.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho:
Sou obrigado a discordar de si. Esse número indica o número de sócios com quotas em dia em condições de votar, ou seja, sócios com mais de 18 anos.
Dou-lhe um exemplo: dois filhos meus, são sócios, pagam quotas e não podiam votar. Recordo-lhe que o número de sócios do Sporting abaixo dos 18 anos é elevado. Isso não invalida que no passado o Sporting tivesse muitos mais sócios, isso é evidente.

samsalameh disse...

Não se pode garantir com exactidão que a bola não chegou a sair!?
A bola, claramente, saiu do terreno de jogo!!!!
Querem fazer deste jogo o caso do ano depois dos roubos de igreja que o Benfica tem sofrido ao longo da época!? Impressionante!!
E já agora, para os senhores comentadores, aquele lance em que o Tonel atropela o avançado do Leiria na primeira parte, ninguém comenta!?
Gostei de saber que o Reboque tem menos de 45.000 pessoas como sócios...Nem enchem o penico que construíram!!!!
Alguém tem bilhetes para o Benfica-Barcelona?
Anti-tripeiro sempre!!!

Jorge Mínimo disse...

Caro Salame:
Para enchermos o nosso estádio precisamos da ajuda dos adeptos do seu clube. Daí termos guardado vários lugares para os cegos, como é do conhecimento geral.

cavungi disse...

Caro Vermelho!
Eu direi mesmo mais.
3391 sócios presentes numa AG com a importancia desta revela a grandeza do clube.

VermelhoNunca disse...

Senhor Salame:
Claro que a bola saiu, isso é uma realidade. Saiu do alcance do maior flop dos últimos anos que dá pelo nome de Moretto. Veja a reacção dos jogadores do benfica e verifica que todos eles protestam com o árbitro. Nuno Perde Golos deita as mãos à cabeça como que a dizer: "lá se vai o prémio por empatarmos contra o Rio Ave"; Luisão olha para o céu naquela reza muito tipica dos jogadores lampiões... . Portanto o que o senhor Salame diz é a pura das verdades. Haja paciência!!!

VermelhoNunca disse...

Quero dar os parabéns ao amigo Cavungi pelo brilhante resultado conseguido pelo voleibol do seu clube, e pelo regresso de Moreira às redes, no difícil jogo com o Louletano, onde conseguiram um empate a zero bolas, arrancado o ferros.
Ninguém pára o benfica

cavungi disse...

Sr Vermelhonunca.
Concordo consigo quanto ao flop.
Moreira volta estás perdoado.
Mas não será o maior flop dos ultimos anos.Esse dá pelo nome de Marcel.

Jorge Mínimo disse...

Caro Cavungi:
Está a esquecer-se do seu jogador da equipa B Paulo Almeida.

cavungi disse...

Eu não acompanho, nem gosto, das modalidades ditas amadoras.São simplesmente uma despesa para o clube e não acrescentam nada ao que realmente importa.
Se exeptarmos o Barcelona e o Real Madrid, quais são os clubes (Com Cartaz) da europa que tem modalidades (e que vençam) para além do futebol??
Por mim, as modalidades podem todas fechar no SL Benfica.Penso até que isso seria benéfico para o clube.
Já agora penso que seria um tema interessante para um post do sr Administrador.

VermelhoNunca disse...

Senbor Cavungi:
Realmente é um número pequeno, mas para a nossa proporção já são muitos. O mesmo não pode você dizer do seu clube, que vendeu o património não-desportivo, sem consentimento dos sócios, ou seja às escondidas. Sim, porque o benfica também tinha, repito, tinha, património não-desportivo.Sabe por acaso o que é feito dos terrenos que a CML vos deu junto à Praça Paiva Couceiro?
E, senhor Cavungi, não se melindre por uma boca ou outra de Jorge Mínimo, não fique ofendido, pois seguramente não é por você ser negro( será que é? ), que se deve sentir insultado, pois o vosso maior número de adeptos está em África( sem desprimor algum pelos africanos, insisto). É que cada vez que alguém lhe manda uma boca deste género você fica em pulgas, alegando a Recomendação. Ninguém aqui o quer ofender, nem a si, nem aos adeptos do benfica.

VermelhoNunca disse...

De acordo senhor Cavungi,seria um tema interessante para discutirmos, respeitando desde já a sua opinião.

Xhakespeare disse...

Há muito que por aqui passo
Para as vossas prosas ler
Hoje vejo com embaraço
Este constante maldizer

cavungi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
cavungi disse...

Sr Minimo,
Eu como a maioria dos Benfiquistas, não somos seguidistas como o são no seu clube.
Nós assumimos os nossos flops.Daí o nosso crescimento continuo,e continuado.
Assumo que Moreto tem sido muito irregular, e que Marcel nem na Equipe B tem lugar.
Fala de paulo Almeida?Pois bem, tem Razão é muito mau.
A diferença é que a nós Benfiquistas, não nos diminui a auto-critica, "coisa" extinta no seu clube, que só tem uma versão dos factos "A Versão Oficial". Há 3 meses atrás o Dr Dias da Cunha só dizia verdades ( O Sistema e o Polvo de 2 cabeças).Era um Ser Superior.Não um bimbo como os presidentes dos "outros" clubes.Descendente em linha directa do Viconde Delapeida.Hoje é insultado e apupado na Mini-Assembleia Geral.Hoje é o Dr Doido da Cunha.O seu clube parece um " Clube com paredes de vidro".
Flops? Quem os não tem?Os Senhores.Kmet?????

vermelho disse...

Caros amigos:
As vossas sugestões foram ouvidas.
Amanhã prometo colocar à discussão o tema ecletismo/modalidades amadoras.
Quanto ao tema formação, como se trata de uma semana fértil em emoções, prometo que, na próxima semana, postarei artigo.
Grato pelas vossas sugestões.
Abraço.

cicinho disse...

oi, caras, tudo jóia?
Tou vendo que tão botando defeito no meu compatriota Moretto.
Tá mau, tá o cara.
Tá difícil de encontrar a bola, né!
Mas a fé move montanhas e caras Moretto tem fé.
Força meu chapa.
Tou com ô cê.

Costa disse...

Pensei que ontem se assinalava o dia do Pai, mas enganei-me (também pensava que a Primaver só começava amanhã mas parece que é já hoje).
De facto, ontem registou-se o dia do PAIO, o regresso do Paio.
E como voltou o paio, já tudo funciona, novamente, já as arbitragens são aceitáveis, já os erros de arbitragens são tolerados, o próprio Koeman diz que o SLB volta a estar na corrida para o título, quando na semana anterior, com menos uma jornada decorrida dizia que já não tinham hipóeteses.
O que é isto?
é o Paio.
Aonde?
No sítio do costume, ou melhor no clube do costume.
Até o Blogger já aparece a fazer comentários aos comentários.
O blogger que não teve dúvidas em afirmar que no jogo da Taça o árbitro tinha que ter visto o Flávio Mãoreles, agora já admite que NUM CANTO, o árbitro não esteja em condições de ver se a bola saiu ou não.
Sinceramente.
E a regra que diz que em caso de DÚVIDA tem de se beneficiar a equipa que ataca?????
Porque razão esta semana não há sequer fotos do lance, como já houve no passado com o GOLO que o Ricardo defendeu, em muito, para trás da linha de golo ou do penalty, efectivamente, cometido sobre João Moutinho?
Sintomático e revelador.
Concordo com o blogger quando diz que os três grandes ganharam, mas também, à excepção do SCP todos tinham jogos acessíveis, daí que não se estranhe as vitórias do FCP e Braga.
Quanto à equipa dos quartos foi mais um triste serviço da TVI.
De facto, aquela estação televisiva anuncia o CIRCO DAS CELEBRIDADES para as 22.00 horas, e começa a transmiti-lo às 18.30 horas. Lamentável para quem aprecia o estilo.
Gostei muito da actuação do Entertainer Nuno Gomes. Fantástico, arrancou-me umas valentes gargalhadas.
Tem futuro.
Depois também acho piada a apelirarem o Simão Sabrosa de Rei das assistências.
Só se for das assistências em viagem, já que em 3 meses já teve três acidentes. é uma boa média.
Questão que se coloca também é porque hjoga o Mantorras de Luvas pretas.
Quer ser chamado de o luvas mais pretas? Não dá para perceber. Será que não sabe que tem as manápulas daquela cor?
Já agora também se falou pouco do lance do golo do Mantorras, precedido de duas faltas.
Enfim, mas como é o Mantorras deixa-se passar.

Brilhante este reforço do SLB, excelente contratação agora no mercado da Primavera.
Ontem, deu mais uma vez, para chegarmos à conclusão que o SLB não joga patavina~, e se o Rio Ave tem visto um seu jogador a ser expulso as coisas já mudavam de figura.

VermelhoNunca disse...

Sr. Cavungi, atenção à Recomendação...

Jorge Mínimo disse...

Caro Cavungi:
Eu não defendia o dr. Dias da Cunha. Confesso que em certa altura até tinha acessos de raiva, só de pensar nas idiotices que ele dizia. Concordo que o discurso repetitivo sobre o sistema era ridículo e conseguiu um divórcio contra-natura entre os adeptos de ambos os clubes, basta ver as declarações do nosso blogger Zex ou os artigos de opinião do Miguel Sousa Tavares. Tentar diminuir os feitos da grande equipa do FC Porto do Mourinho com a hipotética ajuda dos árbitros, foi um erro grave que o Sporting teve que pagar.

Sousa disse...

No Sporting e no Porto não há flop´s apenas contratações infelizes ou pouco conseguidas.
Jogadores que, por razões insondáveis, não tiveram o rendimento esperado.
Que dizer de Silva, Pinnigol,Édson, João Alves (meio milhão por 50% do passe), Wender,Tello e Deivid.
Só para falar dos mais recentes.
Para as bandas do Dragão, lembro-me de Luís "Fabuloso", Hugo Leal, Areias, Maciel, Fathi Sonkaia, Alan, Postiga, Sokota, Jorginho...
Todos têm e terão flop´s.
O meu Benfica é perito, confesso.
Mas, tem vindo a acertar mais, diga-se.
Ainda assim, Cristiano, Everson, Carlitos, Karadas, Paulo Almeida, Moretto, Marcel...
Barretes há muitos e para todos os gostos...

Sousa disse...

caro costa:
penso que está enganado.
Em caso de dúvida, o árbitro deve beneficiar quem defende.
Apenas no caso do fora de jogo esta regra sofre uma excepção e aí deverá beneficiar quem ataca.
Tal como o sr. Pontes, também o caro condómino está equivocado.
Assim, em ambos os lances, caso o árbitro tenha tido dúvidas, deveria valorá-la em favor do Benfica, equipa que se encontrava a defender.
Estranho que fale de paio (eu, pessoalmente, prefiro presunto aqui de Chaves), numa jornada em que o seu segundo clube obteve uma vitória com muito mijo ou paio se preferir.
Ganhar com um auto-golo que nasce de um cruzamento interceptado não será paio?

VermelhoNunca disse...

Amigo Lázaro:
Veio à baila o nome Moretto, porque tudo o que rodeou a contratação deste jovem roçou o ridiculo, com cenas de pancadaria no aeroporto, com o vosso presidente a ir ao Brasil tirar o Moretto da igreja onde se encontrava a rezar para que o churrasco que ia comer a seguir não lhe fizesse mal.
Todos os clubes cometem asneiras, isso é uma realidade, mas a polémica Moretto provoca que olhemos para esse jovem de modo mais critico.
Não se esqueça no seu clube de um tal de André Luís, belo defesa, alto e bem constituído, oriundo do Brasil claro...

Zex disse...

O Esclarecimento do Sr. Condómino Lázaro é verdadeiro e fundamental. Contrariamente ao que normalmente se afirma, na dúvida, o árbitro não deve beneficiar a equipa que ataca, mas sim a que defende. A única excepção é num caso de fora de jogo. De qualquer modo, atentem na sombra do jogador do Rio Ave que faz o centro. Está claramente dentro do campo.
Confesso que também pensava como o Condómino Costa, mas quando se discutiu o golo fantasma de Petit ao FCP, todas a pessoas não benfiquistas foram unânimes na citação da regra, com a consequente não validação do pseudo-golo.
Quanto às modalidades "ditas" amadoras, como dizia o saudoso Orlando Dias Agudo, concordo com o Sr. Cavungi, não quero saber delas, só servem para gastar o dinheiro dos clubes. O ecletismo é um conceito em desuso. Aliás, o FCP até tem muitas modalidades competitivas e, sinceramente, não sei onde vai buscar dinheiro para ter as equipas de hoquei, andebol, basquete e natação competitivas...

carlos disse...

Jornada sem sobressaltos, tendo os três grandes ganho os seus jogos com maior ou menor dificuldade.
O SCP fez mais uma exibição na linha do que nos tem vindo a habituar: Marca o seu golo e joga, depois, na defensiva - não à defesa - controlando o jogo e evitando situações de perigo junto da sua baliza.
O Benfica continua a produzir grande caudal de jogo ofensivo e a construir algumas oportunidades de golo mas revela grandes dificuldades na concretização - o que costuma ser sinónimo de intranquilidade na equipa ou falta de concentração dos seus jogadores.
E o FCP voltou a exibir futebol vistoso, como tem feito em outros jogos deste campeonato.
Tudo se encaminha, pois, para que o jogo SCP-FCP seja, de facto, o jogo do título.
A expectativa é grande, para saber se o sistema de jogo do FCP vai funcionar contra o SCP ou se vai suceder aos portistas o que se verificou no jogo com o Benfica, contra o SCP na primeira volta e nos jogos que realizou nas comeptições europeias.
Também quanto ao SCP, existe a curiosidade de saber até que ponto a sua boa organização defensiva e consistência de jogo aguentará o futebol de ataque do FCP.
No próximo jogo para a Taça de Portugal dissipar-se-ão, com certeza, estas dúvidas.

Zex disse...

Uma coisa é certa, o FCP de Jacobsen Adriansse falhou redondamente em momentos decisivos esta época: clássicos (todos), Artmedia (casa e fora), Inter (fora), Glasgow (casa e fora).
Por isso, não tenho qualquer esperança numa mudança radical deste estado de espírito quer na taça, quer no campeonato.
O treinador do Porto é mesmo muito mau ! É teimoso (tácticas), injusto (Meireles em Milão), burro, incompetente, queima jogadores (Bicho, Postiga e Baía), ignora referências (Baía e Bicho) e inventa tácticas (alternando durante o jogo entre o 3-3-4 e 4-4-3, sem qq critério).
O futuro não é,pois, risonho para o FCP !

carlos disse...

Deus o oiça, condómino Zex!
Mas não sei se o SCP do Paulo Donde vai aguentar muitos mais jogos naquele esquema do "agora marco e a seguir vamos todos defender".

MarioFeliciano disse...

Que Dizeis tu Zex?
Estais a ficar descrente.Acaso não lideramos a liga?
Não temos 9 pontos de avanço dos clubes de Lisboa?Não vamos á final da taça com o vitória?
E viste o Andersson?vai ser uma caso sério, o puto.