quarta-feira, novembro 29, 2006

Artigo de Opinião

Hoje seria o condómino Braguilha a postar o seu artigo de opinião.
Todavia, o condómino Braguilha fez-me chegar a informação de que só voltaria a postar quando o condómino Zex o fizesse.
Assim sendo, por forma a assegurar a habitual ronda de opiniões pelos 3 grandes, decidi publicar o artigo que Rui Moreira escreveu para o site "Sportugal".

"Depois da vitória em Moscovo, naquela que terá sido a mais perfeita das exibições da equipa azul e branca esta época, o FC Porto vai jogar uma partida decisiva com o Arsenal. Em que bastará não perder em casa para conseguir passar da fase dos grupos da Liga dos Campeões.
Em condições normais, essa a passagem aos oitavos-de-final valerá um encaixe líquido de pelo menos dois milhões de euros e, mesmo que venha a ser então eliminado, o FC Porto terá acesso a uma importante montra para os seus jogadores, numa altura em que parece iminente a venda de alguns deles.
Talvez tenha sido por isso que, logo a seguir à vitória em Moscovo, surgiu a estranha carta de Ricardo Quaresma, dando conta da sua vontade de permanecer no Dragão, numa altura em que se falava da sua venda eminente ao Atlético de Madrid e em que corria já o boato que Lucho seguiria o mesmo caminho, depois de o seu contrato ter sido melhorado e prolongado, sem que tivesse surgido qualquer desmentido da Adminstração da SAD.
O que me parece é que o FC Porto precisava de adiar as negociações com os “colchoneros” até ao dia seguinte do jogo com o Arsenal e, não pretendendo fechar a porta ao negócio nem “roer a corda” aos espanhóis, procurou apoio junto do jogador e do seu empresário. Só assim se compreende que a carta seja publicada no “site oficial” do clube.
Parece-me que a saída de Ricardo Quaresma em Janeiro será sempre prematura, qualquer que seja o desfecho do jogo com o Arsenal.
No plano interno, o FC Porto está longe de ter a época resolvida e não tem grandes alternativas para jogar nas alas.
Sem Anderson, e duvido que o “miúdo” regresse às lides esta época, a equipa fica mais dependente dos centros e remates de Quaresma.
Parece-me, por isso, que se deveria sempre aguentar a venda do magnífico jogador até à Primavera, deixando que Jesualdo Ferreira tenha uma palavra a dizer e possa definir as saídas em função, também, das novas contratações.
Helton, Pepe, Lucho e Quaresma são activos transaccionáveis e, se continuarem a jogar da mesma forma, também Lisandro e Postiga o serão até lá, principalmente se pudermos jogar nos grandes palcos europeus.
É verdade que as contas do clube estão complicadas, mas o FC Porto tem sempre feito os melhores negócios nessas circunstâncias, em que a dificuldade parece aguçar o engenho de Pinto da Costa. Veremos se desta vez, e depois da famigerada “carta”, se mantém essa tradição."

2 comentários:

cavungi disse...

Temos então esta situação.O Amigo Braguilha não voltará a escrever neste espaço, porque o caro Zex, pura e simplesmente não sabe escrever.Assim, como é que o rapaz poderia emitir um artigo de opinião ?A vida de camionista não é fácil.
É pena porque o Amigo Braguilha tinha uma escrita muito do meu agrado.Esperemos que reconsidere.

Jorge Mínimo disse...

Caro Braguilha:
Está armado em filho do Gazpacho y Migas? Quando é que vai começar a suster a respiração? Fica-lhe muito mal essa atitude de criança mimada.
Já é do conhecimento geral que tanto eu, como o condómino Zex não escrevemos artigos de opinião. Aliás, seria prejudicial para este excelente blog, que um taxista e um camionista fizessem posts de opinião. A nossa função (não menos importante) é comentar os ditos posts e julgo que temos sido bons nisso. Daí, achar completamente infantil essa sua atitude, até porque os seus posts tinham qualidade.
Abraços, Jorge Mínimo.