quarta-feira, outubro 18, 2006

Análise aos jogos da Champions de Benfica e Porto

Ontem, o Benfica hipotecou as suas hipóteses de apuramento para os oitavos de final da Champions.
Resultado desastroso em Glasgow.
Quatro factores concorreram para desfecho tão catastrófico:
Primeiro, a alteração do sistema táctico que Fernando Santos, inexplicavelmente, promoveu;
Segundo, a distância entre linhas na equipa encarnada, com os médios a actuarem muito junto dos centrais criando, assim, um fosso enorme entre a linha média e a linha avançada;
Terceiro, os distintos níveis de eficácia na concretização das oportunidades de golo criadas;
Quatro, manifesta falta de sorte em momentos cruciais do jogo.
Fernando Santos estruturou a sua equipa num 4x4x2 em losango.
Sempre que o fez, perdeu e, ontem, não foi excepção.
Afunilou o processo ofensivo e aniquilou Simão.
Houve mais Simão no último quarto de hora, quando este já alinhava na ala, do que no restante tempo de jogo.
Incompreensível opção, tanto mais que se sabe que Simão rende zero quando colocado no centro.
A equipa do Benfica nunca conseguiu alinhar de forma harmónica, sendo a distância entre linhas enorme e cerceadora da construção de transições ofensivas rápidas.
Petit e Katsouranis actuaram excessivamente perto dos centrais e, como tal, demasiado longe de Simão, Miccoli e Nuno Gomes.
Tal actuação inviabilizou a execução da pressão alta que se exigia.
O Benfica foi mais uma equipa de expectativa, de reacção do que de acção.
Entrou melhor o Celtic, que na primeira jogada da partida dispôs de boa oportunidade de golo, superiormente negada por Quim.
O domínio escocês manteve-se até aos 20 minutos, mas a partir daí o Benfica tomou conta da partida.
Esse foi, sem dúvida, o melhor período do Benfica no jogo.
Consistência defensiva, linhas mais juntas, posse e circulação da bola e desenho de algumas boas iniciativas ofensivas.
Numa delas, a melhor do Benfica em todo o jogo, Katsouranis desperdiçou, ingloriamente, com um cabeceamento por cima da barra.
Quando falava em sorte do jogo, referia-me precisamente a este momento.
Tivesse o Benfica marcado e a história seria, certamente, outra.
Ao intervalo, o empate ajustava-se, mas a perspectiva para a segunda parte não podia deixar de ser animadora face à produção do Benfica nos últimos 25 minutos da primeira parte.
Veio a segunda parte e com ela a débacle.
Começou bem o Benfica, com Simão a desperdiçar soberana oportunidade na execução de um livre à entrada da área escocesa.
Logo depois, o golo escocês.
Um golo às três tabelas, em que a infelicidade foi, mais uma vez, a nota dominante.
Nakamura falha o remate, mas executa brilhante assistência para golo...
A equipa até não reagiu mal, tanto mais que, escassos minutos volvidos, Nuno Assis num portentoso remate de fora da área enviou a bola à trave da baliza do Celtic. Foi o canto do cisne.
Quando falava em sorte do jogo, referia-me, também, a este momento.
A equipa sentiu demasiado a falta de fortuna.
A partir daqui, entrou em colapso competitivo.
A ânsia de recuperar da desvantagem, retirou qualquer pingo de discernimento aos jogadores encarnados.
A equipa tornou-se ansiosa e desorganizou-se.
Fernando Santos assistiu, impávido e sereno, ao desmoronar da equipa.
Mexeu tarde e sem efeitos práticos na manobra global da equipa.
Tirou Katsouranis e meteu Nélson como ala direito, numa susbtituição tão incompreensível quanto prejudicial.
Depois, tirou Nuno Gomes e meteu Kikin, numa troca directa, quando era óbvia a necessidade de alargar a frente de ataque, até para transmitir uma mensagem de confiança à equipa.
Na realidade, o Engenheiro voltou a falhar em toda a linha.
Fruto de tal desorganização, surgiu o segundo golo do Celtic.
Na sequência de um canto favorável ao Benfica, o Celtic, em contra-ataque, ampliou a vantagem.
Dizer que apenas Nuno Assis se encontrava em acção defensiva no momento do desenvolvimento do contra-ataque.
Quando assim é, não é de estranhar que golos possam acontecer.
Nesse instante, o jogo decidiu-se.
Embora ainda tenha criado duas boas ocasiões, num remate de Léo e numa incursão de Simão culminada com um remate torto de Miccoli, o certo é que a equipa não mais se ergueu.
O Celtic ainda lograria o terceiro golo, noutro lance em que a sorte bafejou, claramente, os escoceses, pois que o remate final embateu no solo, fazendo a bola descrever a única trajectória possível de redundar em golo.
Resultado manifestamente exagerado, numa noite infeliz.
Infelicidade para a qual contribuiu e muito a estratégia e a inacção de Fernando Santos.
Agora, há que lutar pela Uefa e pelo arrecadar da maior maquia possível.
No Dragão, o Porto venceu, com facilidade, o Hamburgo.
Como calculam, não vi o jogo, pois, ainda, não possuo o dom da ubiquidade.
Deste modo, apenas dizer que o Porto alcançou uma vitória, que lhe permite acalentar legítimas aspirações de apuramento.
Todavia, a vitória do CSKA sobre o Arsenal não se revelou nada favorável às pretensões portistas.
Hoje por hoje, desenha-se um cenário em tudo semelhante ao vivido pelo Benfica na época passada.
A partida final com o Arsenal, em casa, pode vir a revelar-se tão decisiva como o foi o jogo do Benfica frente ao Manchester.

27 comentários:

VermelhoNunca disse...

Não vi nenhum dos jogos. O FCPorto surpreendeu-me, pois ganhou folgadamente. O Benfica desiludiu-me, pois tinha perspectivado um resultado desfavorável de 3 a 1, e nem isso conseguiram fazer, meter um golito.

Zex disse...

Em suma, segundo o blogger, três factores contribuíram para a derrota do Bfica: falta de Sorte, infelicidade e Fernando Santos.
O celtic não teve mérito nenhum.
O resultado foi injusto.
Os jogadores do Bfica são todos muito bons. Só tiveram azar, ou foram mal posicionados.
Sim senhor !
O FCPorto, jogo que eu vi, jogou razoavelmente, mas o Hamburgo é fraco e comete erros infantis. Houve um penalty sobre o Quaresma, mau jogo, que foi evidente e não marcado. Houve um golo mal anulado ao Hamburgo, culpa de Helton, quando estava 1-0. O golo do Postiga é fora de jogo claro.
Mas a notícia mais importante do jogo, que agradará a lampião e lagarto, foi a lesão do Anderson, que estava a jogar muito bem. Se não jogar em Alvalade e no Dragão, nos próximos embates da Liga, será uma grande perda para o FCPorto.
Nota final para uma exibição agradável do tal Fucile, embora não tenha sido muito testado, claro.

cavungi disse...

Estes dois ultimos resultados, vão ser o espelho de toda a época.
Assim que se fizer um resultado aceitável,como em Leiria, logo virá o descalabro, como ontem em Galsgow.
Certo que houve, falta daquela pontinha de sorte(Nuno Assis ao poste), que é preciso em tudo na vida.Mas a sorte procura-se.E ontem apesar de ter dois avançados, começou a jogar claramente para o empate.Depois já foi tarde.
Derrota justa, sem garra, sem alegria e sem classe.
Isto não é o Benfica.
Já agora, alguem me sabe explicar porque jogámos com este horrivel equipamento ?

VermelhoNunca disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
VermelhoNunca disse...

"Houve um penalty sobre o Quaresma, mau jogo, que foi evidente e não marcado." Pode explicar-me o que quer dizer isto, condómino Zex Estrela?

vermelho disse...

amigo zex:
resumir a minha opinião da forma como o fazes só por desonestidade intelectual.
ou não leste ou não quiseste ler.
o que procurei foi explicitar as razões da derrota e essas, para mim, radicam nos 4 factores que enunciei.
não disse que os jogadores do Benfica são todos muito bons, nem o podia fazer, pois que assim não penso.
o mérito do Celtic foi aproveitar as oportunidades de que dispôs.
também, diga-se, não precisou de mais.
não realizou exibição por aí além.
teve a sorte do jogo e isso é muito importante.
o resultado é, obviamente, injusto, não na vitória do celtic, mas sim nos números.
o Celtic não jogou para ganhar por margem tão folgada.
por fim, quanto ao Anderson, para mim, foi uma má notícia a sua lesão.
gosto que os adversários do Benfica se apresentem na máxima força e que o Benfica os vença nessa condição.
abraço.

amigo cavungi:
não sei quais os critérios que presidem à escolha dos equipamentos.
quando era miúdo e o futebol não era a indústria que é hoje, uma equipa apenas apresentava o seu equipamento alternativo quando o adversário tinha as mesmas cores no equipamento.
agora, já não é assim.
os equipamentos alternativos são usados quando se quer.
todos os anos mudam em nome das receitas provenientes da venda de camisolas.
há, apenas, uma excepção - a minha Briosa cujos estatutos definem as cores do equipamento principal - preto - e do alternativo - branco.
nisso, pelo menos, conserva a sua singularidade.
o marketing dita leis.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, tem de consultar os estatutos do Sporting, pois não só a Briosa é excepção.

vermelho disse...

amigo vermelho nunca:
não pode ser verdade o que diz, a não ser que a paleta de cores permitida seja o arco-iris.
abraço.

VermelhoNunca disse...

É verdade sim, consulte os estatutos do Sporting. O seu clube joga de azul, o FCPorto joga de vermelho, o meu Sporting só pode utilizar o verde, o branco e o amarelo.

carlos disse...

Sobre os jogos do Benfica e do Porto, pouco há a dizer:
O Benfica confirmou o que tem sido esta época, com sucessivas derrotas quando tem de enfrentar adversários de qualidade média ou superior (SCP, Corunha, AEK, Boavista, Manchester e agora Celtic).

O FCP venceu um jogo em que o adversário não é muito forte, ainda por cima mais enfraquecido pela ausência de vários titulares.
Par além disso, o FCP beneficiou de uma árbitragem simpática, como o ZEX Ortográfico teve a honestidade de salientar no seu post.
De qualquer forma, foi justa a sua vitória, pois apresentou melhor futebol que o Hamburgo.

Estranho mesmo foi o equipamento alternativo usado pelo Benfica.
Além de feio - rídiculo, mesmo - não se justificava, pois que o seu equipamento principal não se confunde, obviamente, com o do Celtic.
Pelo contrário, o equipamento alternativo é que dava azo a confusões, pelo menos para quem assistia ao jogo pela televisão.

carlos disse...

Amigo VermelhoNunca:

"Houve um penalty sobre o Quaresma, mau jogo, que foi evidente e não marcado."

O Condómino Zex Ortográfico espalhou-se.
Deveria querer dizer:

"Houve um penalty sobre o Quaresma - mau jogo - que foi evidente e não marcado."

ou então:

"Houve um penalty sobre o Quaresma (mau jogo), que foi evidente e não marcado."

Desta feita andou mal.
Acontece aos melhores.

VermelhoNunca disse...

Bem sei amigo Carlos, mas também sabe que o Zex Estrela, de Edite, não pára de chatear quando alguém se engana ou erra.

Zex disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Zex disse...

Sim, senhor Ex-zelador.
Era mesmo isso que eu queria dizer. Afinal todos entenderam o sentido, mesmo os mais cépticos...
A pontuação utilizada foi errada, admito que foi mal escolhida.
Por V. Exa., possuidor de reflexão aturada, vale a pena ser corrigido, agora por outros...
De hoje em diante, quando tiver disponibilidade, estarei bastante atento, como não tenho estado, à muito deficiente escrita dos "defensores da fé e da verdade". Serei implacável !

Lateralmente, ex-Mestre Vunge, tenho uma sugestão para a casquinada da semana: "(...) o meu Sporting só pode utilizar o verde, o branco e o amarelo". Quanto ao respectivo autor, o tonto de sempre, já sabe.
Será que a atoarda se referia à camisola utilizada ? Deverá ser assim, uma vez que os calções costumam ser pretos. Mas o problema principal nem é esse. Respeita à utilização pelo Sporte, há cerca de seis, sete épocas, daquela camisola extremamente colorida, amarela fluorescente e azul muito escura que o Sporte utilizou no campeonato nacional. Aquela que, nos meandros do futebol, ficou conhecida como a "camisola dos homens do lixo". Uma brilhante antecipação dos coletes reflectores que, agora, pululam nos veículos automóveis. Recorda-se ex-Mestre ? Certamente que alguém se deve ter olvidado !
E já agora, ex-Mestre, e a propósito do embate de hoje, recorda-se daquele jogador de 22 anos, do Bayern de Munique, cujo primeiro nome é Bastian ? Não jogava este rapaz na selecção alemã do Mundial de 2006 ? No jogo da disputa do 3º e 4º lugares não marcou este rapaz uma "doppietta", como agora se diz em relação ao rato Miccoli ? Será que há algum jogador do Sporte que tenha alguma recordação avícula deste rapaz ?
Gostaria que, se assim lhe aprouver, abordasse estas questões.
Muito obrigado !

cavungi disse...

Bastian?Qual O Shweinsteiger?O que marcou dois golos ao Labreca?Melhor, ao qual Labeca deu de mão-beijada dois golos?Ou o co-autor de dios perus de labeca?

VermelhoNunca disse...

Condómino Estrela: ou você é burro ou quer passar por. Eu disse que vem nos estatutos do Sporting que este só pode equipar de verde, amrelo ou branco. Falar nos calções é descabido da sua parte, uma vez que, todos sabemos, são tradicionalmente pretos. Quanto á camisola que refere, em nada altera o que lhe disse. O equipamento em causa era verde, tipo homem do lixo, como referiu,e bem. O facto de ter azul, não altera em nada o que eu lhe disse, nem viola os estatutos do clube.
O clube regional a que você pertence, como adepto, joga de vermelho, e isso,eventualmente, aflige-o, mas é problema seu.
Fique bem.

VermelhoNunca disse...

Amigo Cavungi, deve estar com dificuldades em digerir as 3 batatas que levou ontem, numero aliás que o seu clube que equipa de azul, está a habituar-nos esta temporada. Junte-se ao rebanho e vá pastar, para afogar as mágoas.

VermelhoNunca disse...

Condómino Estrela, esteja atento aos meus erros, pois eles existem, alguns até propositados.

vermelhosempre disse...

Em relação ao jogo de ontem, só três palavras: MAU DE MAIS...

Zex disse...

Eu não quero saber se o meu clube joga de vermelho (é cor-de-laranja), preto, cor-de-rosa ou de verde ! Quero é que ganhe, mais nada !
Esse é, no entanto, o tipo de pormenor que tira o sono a outros que até consultam os estatutos dos clubes sobre o tema.
Quanto ao resto da resposta(s), nem vou dizer nada, tal a sua fraca qualidade e evidente contradição com comentários anteriores.

Holtreman disse...

Sr. Nunca, não sei porque perde tanto tempo com o seu amigo Bardex. Esse senhor aparece aqui hoje, todo activo, porque o seu FCP ganhou ontem ao penúltimo classificado do campeonato alemão. Hoje é capaz de vir para aqui com aqueles falsos patriotismos e dizer que até está pelo Sporting e tal...mas depois se as coisas acabam mesmo por correr bem, fica com uma cabeça....só visto. Devem ser resquícios do seu passado artístico.

Sousa disse...

caro never red, qual o artigo dos estatutos do sporteng que prevê semelhante coisa?
é que como diz o sr. zex o sporteng jogou com uma camisola "almeida" há uns anos que tinha azul.
saudações cordiais e de estima.

VermelhoNunca disse...

Amigo Lázaro, não sei a que clube se refere.

VermelhoNunca disse...

Amigo Lázaro,mas digo-lhe apenas o seguinte: o jornal Sporting está a publicar há várias semanas os estatutos actualizados do clube. Sou assinante do jornal. Posso garatir-lhe que o que eu disse faz parte dos estatutos. O facto de ter azul na camisola não invalida o que eu disse- para ser mais correcto, os equipamentos terão de ser predominantemente verdes, brancos ou amarelos. Ou seja, os equipamentos homens do lixo, como se refere o condómino Estrela, não eram azuis e verdes, mas sim verdes e azuis.
Um abraço.

VermelhoNunca disse...

E claro está que este tema não tem interesse nenhum, mas eu não queria o meu clube a equipar de vermelho ou azul, mas são manias minhas.

carlos disse...

Não sei porque se degladiam a discutir essa história da cor do equipamento das equipas, particularmente do SCP.
Estão a fugir do tema principal, que é a estrondosa derrota que o Benfica sofreu ontem às mãos do vulgar Celtic.
Num jogo que era fundamental, pelo menos, pontuar, o Benfica espalhou-se ao comprido.
Á euforia da vitória em Leiria, com a (disseram) melhor exibição da época e com parangonas do tipo "onde estava este Benfica?" e recepção em ombros do Imbecil na filial da Agência da CGD do Seixal, seguiu-se mais um jogo miserável do Benfica.
Sorte que recebem o lanterna vermelha no Domingo para voltarem às "grandes vitórias".
Agora estarem a discutir o equipamento do SCP... só se for para não se falar dessa (mais uma) humilhação do glorioso.
Força Benfica!

carlos disse...

É que depois, e para além do mais, arriscam-se a dizer coisas como
"os equipamentos homens do lixo, como se refere o condómino Estrela, não eram azuis e verdes, mas sim verdes e azuis.", o que surge como a frase séria candidata à casquinada da semana, perdoe-me o meu colega de clube e mais autorizado representante do mesmo, amigo Vermelhonunca.