quarta-feira, outubro 25, 2006

Artigo de Opinião do Condómino Fura-Redes

A última quinzena azul e branca ficou marcada, em termos desportivos, pelo AGUENTAR da primeira posição da Liga Bwin - graças a uma vitória caseira difícil perante o Marítimo e um empate encontrado perante o principal rival no triunfo de tal competição – e por uma vitória robusta perante o Hamburgo na Champions League que não permite sonhar, mas que pelo menos não tira o sono.
Todavia, o facto mais marcante desta quinzena prendeu-se com dois episódios que se fundem numa triste e inevitável constatação do iminente desaparecimento da mística do Futebol Clube do Porto.
É triste, mas é verdade.
No intervalo do jogo caseiro entre Futebol Clube do Porto e Marítimo, subitamente, e por razões que se ignoravam, desaparecia, no início da segunda parte José Boswingua (provavelmente incomodado por não terem elogiado o seu novo corte de cabelo).
Soube-se, mais tarde, que tal substituição (abençoada) se deveu a questões de natureza disciplinar, que tiveram, a dado momento, como mediador, Vítor Baía.
Na segunda feira imediata Jorge Costa, um dos últimos capitães da casa portista, comunicava o seu abandono da carreira de futebolista profissional.
Desfecho esperado por muitos e lamentado por outros.
No clássico de domingo passado, após a obtenção do golo do empate o gipsy boy corre em direcção a Vítor Baía, saudando-o efusivamente, manifestação que tem sido inúmeras vezes repetida nos últimos tempos (refiro-me à procura de Baía para a celebração de um momento vitorioso ou de felicidade).
O guardião português do Futebol Clube do Porto representa, assim, neste momento, a referência da equipa, a Baía de abrigo; o farol que guia os demais.
Todavia, essa Baía não está no rumo mais próximo dos 11 marinheiros que navegam no relvado em busca da vitór(ia) e que enfrentam os momentos delicados da faina sempre que surge este ou aquele tubarão ou um qualquer Adamastor vestido de preto.
À semelhança de Co Adriansse entendo que um guarda-redes não deve ser capitão da equipa, pois está, a maior parte das vezes, distante do local onde se justificará a sua actuação em termos de qualquer intervenção que se justifique junto do juiz da partida, porém ao ser deslocado de junto das redes da baliza da sua equipa para a capitania do banco de suplentes, Baía poderá ter uma maré de intervenção mais profunda.
Pelo menos é o que tem vindo à superfície.
E quando Baía secar e mudar de onda?
Não vejo, neste momento, um jogador que seja a imagem de marca do clube ou como se diz em Barcelona que sinta els collors.
Não há um produto da lota do Dragão.
Postiga? Não creio. Bem sei que Postiga beneficia do facto de ser oriundo das Caxinas, pelo que poderia ser a truta que se seguisse, mas face ao seu percurso recente, tendo constado, inclusive, das listas de dispensas, não me parece que tal suceda, sendo certo que se Postiga entrar em período de seca, poderá ser ancorado fora do porta-aviões azul e branco. E, caso continue a pescar na baliza contrária sempre poderá ser vendido, novamente, a uma qualquer equipa francesa, como sucedâneo de Pedro Pauleta.
Postiga tem, também, contra si o facto de ser um dos predilectos de Scolari, o que poderá não lhe simplificar a vida na marinha portista.
Em tempos vi como, natural, substituto de Jorge Costa, Ricardo Costa, pelo facto de ser um jovem com muitos anos de Futebol Clube do Porto, a quem augurava uma grande evolução e que, facilmente, conquistaria a posição de Ricardo Carvalho e, mais tarde, do “Bicho”.
Quase assim foi, mas Ricardo Costa esqueceu-se que tinha de evoluir, além de que se considerou insubstituível e já com tempo de casa suficiente para poder partir para outras rotas. Caso assim continue e João Paulo recupere rapidamente, assim será, todavia a viagem será mais pequena do que aquele imaginaria.
Além disso este jogador também pertence à fragata Scolari, daí que é natural que se afunde no próximo cruzeiro.
Actualmente el comandante é Lucho Gonzalez.
Embora admire este jogador (se bem que este ano navega tipo barco rabelo), o certo é que, não posso esquecer que, o mesmo chegou ao clube ano passado.
Dificilmente conhecerá toda a panóplia de palavrões que a malta sabe.
Além disso não tem o nosso sotaque.
Ora, aonde é que já se viu um capitão do FÊQUEPÊ sem sotaque?
Nunca.
Acresce que o Lucho é muito brando, pouco intimidador, pelo que a equipa está, de alguma forma, sem leme, restando apenas o histórico Baía.
Deste modo, a famosa mística que José Maria Pedroto soube criar a partir de 1976, e que Pinto da Costa, Comandante Chefe, continuou após a morte do Mestre em 1985, pode estar em risco de se perder.
Grande parte dos triunfos alcançados pelo Futebol Clube do Porto estavam intimamente ligados a essa mística por todos reconhecida, temida e invejada.
E essa mística foi transmitida, desenvolvida e praticada por jogadores como Jorge Costa que, actualmente, faria praticamente o que Bruno Alves consegue fazer, mas com subtileza.
Para o Bicho e para todos aqueles que defenderam e defendem, com brio e a maior dedicação, as cores do meu clube, os meus agradecimentos e o desejo de que, oxalá, apareçam outros que sejam, pelo menos, iguais nessa vontade e nesse querer.
Em relação a Jorge Costa, figura que neste momento me proponho destacar, digo Obrigado Sr. FC Porto, como lhe chamou Adriaanse, obrigado por tudo.
Por todos os roubos de bola, por todas as vezes que saltaste mais alto do que o adversário, por todas as vezes que te sacrificaste em prol do nosso emblema e por todos os golos que marcaste.
Quando faço um pequena análise a estes anos todos que já levo de acompanhar o meu clube, reparo que o “Bicho” esteve presente em quase todas as alegrias que fui orgulhosamente sentindo.
O grande capitão, tão amado por portistas e tão odiado pelos outros, é, juntamente com mais alguns, poucos é verdade, nomes do panorama nacional, um autêntico símbolo da mística do seu clube.
Contrariamente a outros, o nosso embaixador fez a sua carreira quase na totalidade a vestir as cores do seu/meu clube.
Isto é motivo de orgulho para qualquer adepto azul e branco.Duro, impulsivo, abnegado e autoritário quando necessário. Estas características tão particulares fizeram dele um dos melhores capitães da história do futebol nacional.
Dentro do balneário, segundo diz quem com ele teve o privilégio de treinar, foi sempre um líder disposto aos maiores sacrifícios e um homem invulgar na transposição da mística portista.Dentro de campo foi sempre um dos maiores símbolos do que um jogador pode ser – o jogador da entrega total.
Um autêntico armário para os adversários e um autentico dragão para os que sentem as suas cores no coração.
De facto, Jorge Costa não era um primor em termos técnicos, seria bastante duro a maior parte das vezes, colocando-se em situação difícil, bem como a própria equipa, mas fazia de tudo, até à exaustão, para defender as cores do seu clube. Até na forma como recuperou das diversas lesões que o apoquentaram foi merecedor da admiração da sua determinação.
E, sinceramente, um jogador com tal espírito merece mais a minha admiração do que um qualquer jogador de praia, malabarista e que muda de penteado semanalmente e que namore com uma VIP qualquer.
Infelizmente, Jorge Costa não acabou a carreira da forma a que tinha direito.
Depois das lesões, depois de Octávio (com o episódio da braçadeira que, confesso, tanto me custou ver e que censurei, pois tinha cabedal suficiente para aquecer o pêlo ao Palmelão) e depois de ter sido obrigado a jogar no Charlton regressou em beleza para ser um dos esteios do sucesso do FC Porto de Mourinho.
Este percurso obrigava à continuidade no plantel e à consequente festa de homenagem.
Assim não se quis, mas continua na nossa memória, daí este reconhecimento, do nosso nº2.
Se o Dragão aplaude o desavindo Jardel de pé, o Bicho merece ter o Dragão cheio a bater palmas de pé. Espero que esse dia chegue brevemente...
Obrigado, Sr. Bicho!!!

79 comentários:

vermelho disse...

Amigo Fura-Redes:
Sei bem do sacrifício pessoal que tiveste que fazer para redigir este artigo.
É mais uma prova de amizade que fica no baú das minhas inolvidáveis recordações.
Obrigado, Sr. Fura-Redes.
Quanto ao artigo, dizer-te que concordo, no essencial, com o seu teor.
Na verdade, vive o Porto um processo de descaracterização da sua essência mais profunda, pela ausência de referências capazes de transmitir aquilo que designas de mística.
Atrevo-me, mesmo, a comparar este ciclo da história do Porto a período similar por que passou o Benfica na década de 90.
Espero e desejo, como calculas, que as consequências sejam as mesmas.
Mais do que a qualidade futebolística dos seus jogadores e/ou treinadores, muitas das vitórias do Porto foram alicerçadas no espírito de grupo e na comunhão de um ideário.
Jogadores como Rodolfo, João Pinto, André, Jorge Costa ou Vítor Baía foram determinantes nessa tarefa.
O discurso que Pedroto idealizou e que Pinto da Costa cultivou não teria produzido os efeitos pretendidos caso aqueles e outros jogadores não tivessem feito parte dos quadros do clube.
Novos ventos sopram e veremos se o Porto terá capacidade para se adaptar a uma nova realidade.
abraço.

Jorge Mínimo disse...

Caro Fura Redes:
Muitos parabéns pelo excelente artigo de opinião. Não sou portista, mas considero que o estimado tem razão naquilo que diz. Uma última palavra para o Jorge Costa, não tendo sido um jogador que apreciasse muito, dou-lhe o devido valor na forma como sempre defendeu o balneário tripeiro.

Zex disse...

Uma vez mais, um grande artigo de um grande portista ! E, além disso, extremamente bem escrito !
Concordo, no essencial, com o seu conteúdo.
Já o mesmo não posso dizer do cometário bacoco do sr. administrador, quando pretende comparar o FCPorto de hoje, com o Bfica dos anos 90. Existe, desde logo, uma diferença essencial: o FCPorto continua a ganhar títulos, ao contrário do Bfica que até esteve sem ir à Europa.
Por isso, a comparação é totalmente infundada !

Jorge Mínimo disse...

Caro Zex:
Concordo consigo, foi bastante infeliz a comparação do nosso Administrador.

carlos disse...

Se o FCP está a atravessar um momento de falta de mística, de descaracterização, à imagem do que o Benfica passou nos anos 90 (e já não passa?), desejo sinceramente muitas crises iguais para o SCP.
Crises destas - em que ganha campeonato, Taça e Supertaça ( como ganhou o ano passado), em que continua a liderar o campeonato este ano, em que continua a ser a equipa portuguesa mais forte e principal candidata a ganhar de novo o campeonato (só não o ganhará eventualmente, por culpa do mau treinador que têm) - gostava eu de ter no SCP.

Mas percebo o que pretende dizer o Fura, principalmente quando me lembro do que eram as referências do SCP há uns anos atrás - Oceano, Beto - e da ausência de referências que teve durante muito tempo (só recentemente, com Paulo Bento e a actual Direcção, as voltou a ter).

No mais, excelente artigo, na linha do anterior, de uma qualidade tal que fazia com que este blog tivesse ganho, de caras, o recente concurso de melhor blog que decorreu na net, caso se tivesse a ele candidatado.

Valeu a pena teres estado acordado até à uma da manhã.

vermelho disse...

amigo zex:
convém que leias tudo o que escrevi...
quando comparo os períodos faça-o ao nível da descaracterização, ao nível da destruição da mística. Tão só. E neste ponto as semelhanças são mais do que muitas.
Veja-se, como exemplo, quem enverga a braçadeira de capitão do Porto nos dias de hoje e quem ostentou a braçadeira de capitão do Benfica nos anos 90 - jogadores estrangeiros e com poucos anos de casa.
Mas, se te reconforta pensares que os processos degenerativos não são semelhantes, tudo bem. Oxalá muitos outros pensem como tu, nada façam e tudo se precipitará inexoravelmente.
a ausência de vitórias ainda não se verificou, porque, ao contrário do Benfica nos anos 90, há estabilidade directiva.
Mas, o homem não é eterno...
abraço.

Zex disse...

Pelos vistos, não fui só eu a entender o que escreveu da forma que comentei, sr. Vermelho.
Os Srs. minúsculo malcriado e Ex-Zelador assim também o entenderam !
Eventualmente, sr. blogger, terá de aperfeiçoar a sua prosa de modo à mesma reflectir o que acontece e não que deseja que ocorra...

Jorge Mínimo disse...

Caro Zex:
Continua com as queixinhas? Veja lá se lhe tiro o chupa-chupa!

vermelho disse...

amigos:
permitam-me que lhes diga que valorizam a forma em favor do conteúdo.
Estes processos não acontecem de geração espontânea, nem os seus efeitos são imediatos.
Como a própria definição de processo assim o diz, trata-se de um caminho.
Caminho esse que a ser percorrido da forma como o tem vindo a ser, conduzirá às mesmas consequências que no Benfica.
Até ao momento, o percurso, na sua essência,tem sido decalcado.
Também o Benfica não perdeu os seus valores essenciais de um dia para o outro e não deixou de conquistar títulos da manhã para a tarde.
Tudo começou nos anos 80, na célebre assembleia geral que permitiu a contratação de estrangeiros (não que antes isso não acontecesse, mas o estatuto sócio-político das colónias não permitia tal designação).
Aí, abriu-se uma porta, que, mais tarde, serviu de alçapão para o estado de coisas actual.
O porto seguro que tem sido Pinto da Costa não perdurará para sempre e os erros ora cometidos terão reflexos futuros.
As vitórias têm "apagado" os erros cometidos, mas eles continuam lá e a produzir os seus efeitos
Mais ou menos imediatos, mais ou menos retardados, mas sempre presentes.
São essas mesmas vitórias que fazem com que se encare com naturalidade os deficit´s de gestão.
Certamente, que não ignoram as nefastas consequências que terão no futuro.
Do mesmo modo, a progressiva degradação do ideário de um clube pode não produzir efeitos no imediato, mas não deixará de se repercutir a médio/longo prazo.
Cá estaremos para ver.
abraço.

vermelho disse...

amigo zex:
por mim, tudo bem.
se queres pôr a cabeça na areia e ignorar os problemas, ainda melhor.
Que todos os sócios, adeptos e simpatizantes do teu clube o façam, como muitos do meu clube fizeram.
Veremos, no futuro, quem tem razão.
abraço.

carlos disse...

Amigo Vermelho:
Permita-me discordar de si, mas não creio que o FCP esteja a entrar no mesmo ciclo negativo que entrou o Benfica há uns anos atrás (não situava essa época no tempo em que as portas foram abertas aos estrangeiros mas no periodo pós-Erikson, com a machada final a ser dada pelo Artur Jorge).
A crise que o FCP estará a atravessar é semelhante à que se seguiu à conquista do penta (com o Engenheiro Imbecil como principal responsável), à saída do Jardel, aos tempos do Octávio Machado, Vitor Fernandez e José Couceiro.
São crises conjunturais e não estruturais.
Crise estrutural profunda passou o SCP até ao advento do José Roquete e passou o Benfica até à chegada do Orelhas (e não sei se não estará ainda em crise).
O FCP, no essencial, mantém a sua mística, faltando-lhe apenas, momentaneamente, quem, em campo, a encarne.
E o treinador de referência.
Pepe é, para mim, um dos jogadores que, a manter-se no clube por mais uns anos, poderá vir a assumir esse estatuto.
Lucho é também uma grande referência mas mais apagado.
Postiga, Ricardo Costa e Quaresma poderão assumir-se como "segundas linhas".
E a contratação de um treinador competente, de vincada personalidade, aceite por todos será determinante para o "cerrar das fileiras".

Importa, porém, (para o FCP, claro) que Pinto da Costa se mantenha em funções por mais alguns anos e que lhe suceda alguém com carisma e que reúna igualmente alargado consenso.

vermelho disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
vermelho disse...

amigo carlos:
veremos se a crise é conjuntural se estrutural.
o futuro o dirá.
quando digo que o ciclo negativo que o Benfica viveu se iniciou com a permissão da contratação de estrangeiros, é, precisamente, por entender que tudo decorre de um processo.
Essa permissão em si até terá sido inócua, mas constituiu, infelizmente, o ponto de partida de um processo de degradação.
A partir daí, as camadas jovens foram descuradas, a prospecção nacional abandonada, a prospecção internacional intensificada com recurso ao video e a empresários, os erros nas contratações sucederam-se, o clube transformou-se num entreposto comercial, os jogadores estrangeiros passaram a ser em maior número que os nacionais,os jogadores estrangeiros tiveram, inevitavelmente, de ser guindados à condição de capitães,os prejuízos avolumaram-se, os messias e os homens providenciais arribaram ao poder.
Nada acontece por acaso, mas fruto de sucessivas más decisões.
A falta de referências por que passa o Porto é, apenas, um parte do percurso ou se preferirem um reflexo do caminho trilhado e que terá consequências.
A ilusão das vitórias é perigosa...
abraço.

Zex disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Zex disse...

Este sr. vermelho é um especialista em criar crises artificiais no FCPorto. Há semanas, após as derrotas em Londres e Brago, logo descortinou uma crise. Agora, como viu que se tinha precipitado, inventa outra, a das referências.
É de um ridículo ...

vermelhosempre disse...

Condómino Fura-redes, o Bicho mereceu que lhe tivesses dedicado um artigo de opinião, não só pelo facto de ter representado os tripeiros como também pelo facto de ter desistido do futebol.
Obrigado Bicho.. por teres desistido, a decisão só peca por tardia, pois não deste hipótese de vermos mais cedo as estreias dos grandes centrais Bruno Alves e Ricardo Costa, centrais esses que quando jogam só nos dão alegrias ou tristezas (leia-se Ricardo Costa na selecção Nacional) ao contrário de ti.
Saudações.

VermelhoNunca disse...

Tive hoje a hipótese de receber informação detalhada relativa às contas do Benfica. Soube de situações curiosas. Por exemplo:
pág. 39, Ponto 32 - Responsabilidade da Empresa por Garantias Prestadas, 1º parágrafo:
A totalidade do passe do Simão e 50% do do Pedro Manuel (?) estão penhorados ao BES como garantia de um empréstimo celebrado para a aquisição dos mesmos direitos sobre Simão!

vermelho disse...

amigo nunca:
o termo está mal empregue.
os passes não estão penhorados, servem apenas como garantia.
aliás, essa é uma situação que se passa na generalidade dos clubes.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Guardarei mais informação para amanhã, uma vez que é dia dedicado ao Benfica. Poderão haver surpresas!

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho. O que eu escrevi vem num documento interno do clube, se está mal escrito a culpa não é minha.

vermelho disse...

amigo nunca:
a ser assim, está, igualmente, mal.
abraço.

VermelhoNunca disse...

São documentos anexos ao relatório e contas de Benfica, do ano passado.

VermelhoNunca disse...

Amanhã quem postará,amigo Vermelho?

vermelho disse...

amigo nunca:
o condómino Cavungi.
abraço

carlos disse...

Amigo vermelho nunca:
Já agora, qual o valor pelo qual está "penhorado" o passe do Simão?
Ou dito melhor, qual o valor do empréstimo que a "penhora" do passe do Simão visa garantir?

VermelhoNunca disse...

Então amanhã falarei mais sobre estes dados que possuo.

VermelhoNunca disse...

O empréstimo foi para aquisição do mesmo. Quanto a valores não tenho acesso a eles. Não entendendo nada do assunto, direi que o Benfica comprou o Simão, e para o fazer, cedeu os direitos desportivos dele e de metade do Pedro Mantorras ao BES.
Aliás, quero desde já dizer-vos que quase toda a banca tem negócios com o Benfica!

vermelho disse...

amigo nunca:
mais uma imprecisão tua.
o benfica não cedeu direitos nenhuns, apenas os deu como garantia de cumprimento.

amigo carlos:
quando o simão foi contratado logo se disse que havia sido contraído um empréstimo para financiar a operação.
dado que os valores que vieram a público se cifram na ordem dos 12 milhões de euros, presumo que o empréstimo seja nesse montante.
abraço.

vermelho disse...

amigo nunca:
o facto do benfica ter negócios com toda a banca só abona em seu favor.
abraço.

carlos disse...

Toda a banca tem negócios com o Benfica.
Típico, amigo Nunca, típico.
Não é só a banca.

Se bem me lembro, o Simão foi adquirido ao Barcelona por um valor próximo dos 3 milhões de contos.
O empréstimo deve ser, então, desse montante.
Engraçado isso de dar de garantia metade do preço do Mantorra.
Grande garantia.
Valor seguro.

carlos disse...

Amigo Vermelho:
Obrigado pela informação do valor exacto do negócio.
Quando postei o meu comentário ainda não tinha lido o seu.

vermelho disse...

amigo nunca:
quem vendeu e vende percentagens dos passes dos jogadores por antecipação são o sporting, o porto e o boavista.
aqui fica um excerto do relatório e contas do sporting:
"A Sporting,SAD negociou com o First Portuguese Football Players Fund (Fundo de Investimento) a partilha de receitas futuras relacionadas com parte dos direitos
desportivos de jogadores, que foram objecto de avaliação independente por um
comité de investimento desse Fundo. Decorrente de orientação da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários a Sociedade apenas tem reconhecido como mais valias a proporção da partilha de receitas futuras dos direitos desportivos detida pelo Fundo de Investimento."
abraço.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, usas e bem uma linguagem técnica. Nesse aspecto tens toda a razão, mas entendeste perfeitamente o que quis dizer.

vermelho disse...

amigo carlos:
Convém lembrar que a garantia foi dada aquando da celebração do empréstimo, ou seja, à data Mantorras ainda não tinha tido a lesão.
O engraçado é que se lança logo a suspeição da incompetência por via de um pseudo favorecimento.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Os valores nunca estão publicados, mas, como disse, é um anexo ao relatório e contas do Benfica.
"g) idem, idem, 2º parágrafo
Parte das receitas do acordo com a Olivedesportos estão hipotecadas ao BPN por um empréstimo concedido por este.

h) idem, idem, 3º parágrafo
Parte das receitas do acordo da SAD com a Adidas foram já cedidas ao BCP como garantia de um empréstimo"

VermelhoNunca disse...

Mais uma:
") idem. idem, 4º parágrafo
Todos os saldos a crédito da conta bancária da SAD e os créditos que esta tenha ou venha a ter sobre o clube SLB estão penhoradas ao sindicato bancário constituído para financiar o novo estádio."

carlos disse...

Conclusão:
Está tudo penhorado aos bancos.

vermelho disse...

amigo nunca:
o que referes são simples garantias de cumprimento, designadamente do project-finance abraço.

VermelhoNunca disse...

Calma Carlos, há mais, muito mais!
Outra parte do acordo com a Adidas
" idem, idem, 6º parágrafo
Parte das receitas do acordo do clube SLB e da SLB Comercial com a Adidas foram já cedidas ao Banco Bilbau Vizcaya como garantia de um empréstimo"

VermelhoNunca disse...

Claro Vermelho, são simples garantias...

vermelho disse...

amigo carlos:
sabes bem que não é verdade o que escreves.
abraço.

carlos disse...

Então expliquem-me como se eu fosse muito burro:
O tal passivo da SAD de cerca de 150 milhões de euros resulta desses empréstimos todos?

VermelhoNunca disse...

Simples garantias, mas estrnho nenhum jornalista questionar os dirigentes encarnados relativamente a questões importantes para o futuro do clube.
Fala-se do árbitro, do Micoli, por aí adiante, e tudo isto passa ao lado.

VermelhoNunca disse...

Carlos, mais uma:
") pág. 40, idem, 1º parágrafo
Parte das receitas do acordo com a Olivedesportos estão hipotecadas ao BES, BCP, BES Investimento e BCP Investimento por um empréstimo concedido por estes."

carlos disse...

Amigo Vermelho:
Pode crer que sei pouco do que estou a escrever.
Esta história das SAD's, dos Project Finances e das garantias bancárias é para mim chinês.

VermelhoNunca disse...

Esta também é boa:
"l) idem, idem, 5º parágrafo
Para garantia de um novo empréstimo do BES, BCP, BES Investimento e BCP Investimento foi feito uma segunda penhora sobre todos os saldos a crédito das contas bancárias da SAD, mais uma segunda penhora dos créditos provenientes da Olivedesportos, mais a penhora dos direitos desportivos e respectivos contratos de seguro desportivo de um conjunto de jogadores

vermelho disse...

amigo carlos:
não só, mas também.
já agora sabes qual é o montante do passivo do grupo sporting?
abraço.

VermelhoNunca disse...

365.00 milhões de Euros. Esse número foi publicado aquando das eleições do Sporting e quase caiu o Carmo e a Trindade. Mas no clube da Luz nada é preocupante.

vermelho disse...

amigos carlos e nunca:
para que conste, aqui fica uma notícia do Dn relativa ao passivo do sporting:
"Em 1992, o passivo do Sporting era de 10 milhões de contos. No presente, é de 80 milhões de contos [400 milhões de euros] na moeda antiga".
abraço.

VermelhoNunca disse...

Amigo Carlos, mais uma boa:
") idem, idem, 7º parágrafo
Para pagamento à Somague por dívidas directas pela construção do novo estádio a SAD cedeu os direitos de exploração audiovisual das épocas 2011/2012 e 2012/2013 e ainda a penhora dos direitos desportivos e respectivos contratos de seguro desportivo de um segundo conjunto de jogadores (

vermelho disse...

amigos Carlos e Nunca:
como se vê a diferença entre passivos ronda uma ordem de grandeza de mais de metade.
abraços.

VermelhoNunca disse...

Uma dac conclusões da empresa que certifioou as contas do Benfica do ano passado. A empresa era a KPMG.
"mais de metade do capital social está perdido";
- as demonstrações financeiras têm vindo a ser preparadas com base em critérios que podem não vir a ser fiáveis, não prevendo nenhuma alternativa caso não se venham a concretizar.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, eu ontem disse o número do passivo total do Benfica, não confundas a SAD com o conjunto das contas, atenção!

carlos disse...

Acho que não, amigo vermelho. Creio que o passivo dos dois clubes anda por valores idênticos, isto é, na casa dos 300 e tal milhões de euros (acho que não chega aos 400 milhões)
150 milhões de euros será o passivo da SAD do Benfica.

VermelhoNunca disse...

O passivo do grupo Benfica, no seu todo é de 315,579 milhões de Euros, e o amigo Vermelho apenas referiu o valor do passivo da SAD.

VermelhoNunca disse...

Este número que indiquei é o número oficial do Benfica! 315.579 Milhões de Euros.O ano passado era de 315.159 milhões de Euros.

carlos disse...

O do SCP é, portanto, superior, não é amigo Nunca?

carlos disse...

Á volta de 350 milhões?

petit disse...

F%$%$-xe xerá que nãome pagam exte mes.

vermelho disse...

amigos Carlos e Nunca:
têm razão.
o número total do passivo apurado do grupo Benfica é de 315 milhões, ainda assim um diferença significativa para o passivo leonino - 50 milhões de euros.
abraço.

petit disse...

F%$%$ da p$%$% do orelhas.

VermelhoNunca disse...

Claro que é amigo carlos. Eu isso nem discuto, pois sei o que o nosso clube deve. Agora, branquear os números do Benfica é que me confunde. Aliás a venda do nosso património tem como objectivo reduzir o nosso elevado passivo. E o Benfica, venderá o quê? Porque não tem imobiliário para o fazer, e se as épocas desportivas não correrem bem...

carlos disse...

Amigo Nunca:
Então que valor é este de 270 milhões de euros mencionado em artigo sobre a venda do património, que retirei do blog do SCP (http://scp-sporting-portugal.blogspot.com):

"Estas receitas ajudarão muito as finanças do clube, mas para dar continuidade a esta redução do passivo (que neste momento se situa à volta dos 270 milhões de euros), é necessário que a equipa se apure novamente para a Liga dos Campeões (e que vá o mais longe possível) e que a aposta na formação continue a ser efectuada"?

vermelho disse...

amigos Carlos e Nunca:
concretizando direi que o passivo bancário ronda os 116 milhões de Euros e o empréstimo obrigacionista 15 milhões.
o restante valor do passivo diz respeito a provisões, acréscimos e diferimentos.
O valor do passivo exigível rondará os 218 milhões.
abraço.

vermelho disse...

amigo carlos:
provavelmente, passivo exigível.
abraço.

Jorge Mínimo disse...

Não estou muito por dentro dessa temática, mas se estes números totais que são apresentados como passivo do SL Benfica no ano passado estão correctos, então dado que este ano a SAD aumentou o passivo, também o total do grupo Benfica terá que ser superior.

VermelhoNunca disse...

Também li isso amigo Vermelho, uma vez que tive de visitar , a contra-gosto, a vossa página.
Quanto a esse valor amigo Carlos, não sei dizer, pois o número que ouvi em assembleia geral do Sporting era de 365 milhões de euros.

VermelhoNunca disse...

E é superior amigo Mínimo, já coloquei esses valores.

VermelhoNunca disse...

Tem aqui amigo Mínimo:
Este número que indiquei é o número oficial do Benfica! 315.579 Milhões de Euros.O ano passado era de 315.159 milhões de Euros.

carlos disse...

Bem visto, condómino Mínimo.

vermelho disse...

amigo nunca:
o valor é esse que referes.
abraço.

carlos disse...

Nunca:
Sucede que o passivo da SAD aumentou 26%, para cerca de 151 milhões de euros (o que corrspodnerá a cerca de 30 milhões de euros, mais coisa menos coisa), segundo li na edição de ontem da Bola on line, e esse aumento do passivo total que refere não chega a 1 milhão de euros.

vermelho disse...

amigo carlos:
sucede que o valor do passivo do benfica clube desceu.
abraço.

vermelho disse...

amigos:
por falar em empréstimos bancários, devo dizer-vos que a dívida bancária do sporting ronda 277 milhões de euros.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Engenharias financeiras, que os outros clubes também fazem, permitem esta ilusão de números, que para perceber só está ao alcance de alguns( que não eu, atenção). Fazem-se transferências ficticias entre o clube e a SAD, e vice-versa.

VermelhoNunca disse...

Esse valor amigo Vermelho, responde à questão do carlos, anteriormente colocada, e que fala em cerca de 270 milhões de euros-na tal busca que fez a outro blog.

carlos disse...

Será então esse o valor que eu referia acima, cerca de 277 milhões de euros, referido no tal artigo sobre património constante do blog do SCP.

carlos disse...

Amigo Nunca:
Não se trata de "outro blog"
Parece-me ser um blog oficial do SCP.

VermelhoNunca disse...

Peço desculpa, condómino Fura, mas não comentei o seu artigo. Acho-o de elevada qualidade. Parabéns.