quarta-feira, outubro 04, 2006

O Novo Presidente da Liga

Estava a preparar a elaboração de um texto sobre o novo Presidente da Liga, quando me deparei com um escrito da autoria de David Borges, que se mostra coincidente com o meu pensar sobre o novel dirigente do organismo que tutela o futebol profissional.
Deste modo, com a devida vénia, passo a transcrever os segmentos do citado texto com os quais me identifico:

"(...) Teria, sem dúvida, aplaudido Hermínio Loureiro se ele se tivesse referido à vergonha das fugas de informação e a todas as outras vergonhas; a vergonha dos amiguismos, das cunhas e da falta de pudor que se revelam nos diálogos telefónicos interceptados pela investigação do processo e a vergonha das interferências na verdade desportiva das competições e no rigor das observações e classificações dos árbitros.
E se se tivesse ficado pela defesa do protagonismo dos jogadores e treinadores e ainda mais se tivesse acrescentado que dessa área do protagonismo se deveriam ausentar os dirigentes, fixando-se na sua área de intervenção, que é a boa gestão dos clubes e das outras entidades do futebol.
Hermínio Loureiro, em rigor, fez, afinal, o elogio dos que estão descredibilizados, não lembrando ao diabo a referência à ventoínha que espalha lama pelas pessoas, como não houvesse lama atirada à cara do futebol pelas tantas e tão bem identificadas as pessoas que protagonizaram os inesquecíveis diálogos captados pela investigação do Apito Dourado, reveladores de um alto sentido ético e de uma requintada educação e, ainda por cima, conseguiu realizar a quadradutura do círculo ao dizer que, no fim de contas, o protagonismo no futebol deve ser de todos, porque “o futebol é dos jogadores, dos treinadores, dos adeptos e dos dirigentes…”
O novo líder da Liga foi, é verdade, muito afirmativo, na multiplicação do “comigo aqui” e espero bem que “com ele ali” tudo venha a melhorar.
Mas acabou por ser pouco afirmativo na sua necessária descolagem do pantanoso chão em que se tem arrastado o jogo.
Mas como poderia (ou pode) ele descolar se estava (está e estará) sob o atento escrutínio das figuras (algumas presentes na sala de posse) que têm os seus nomes ligados à vergonha do Apito Dourado?
No fim de tudo, reconheço que eram muito elevadas as minhas expectativas.
E que Hermínio Loureiro não tem estatura para elas. Pode ser que cresça, mas não acredito. Os figurões do futebol português não deixarão que isso aconteça…"

8 comentários:

vermelhosempre disse...

Sabe o que lhe digo: SÃO TODOS UNS CHULOS FILHOS DA PUTA, desd
culpem-me a expressão.

cavungi disse...

Em menos de meio ano Herminio vai ser completamente aniquilado pelos "Senhores do Futebol".
Vão lhe dizer onde, quando, a quem e como devem ser feitas "as coisas".
Será provavelmente um dos mais asiduos clientes do novel Restaurante "O sapo".

carlos disse...

Eu não acho que o Hermínio Loureiro vá ser aniquilado pelos senhores do futebol.
Eu acho que o Hermínio Loureiro está já feito com os senhores do futebol ainda antes de tomar posse como Presidente da Liga.
Acho que foi escolhido como candidato pelos senhores do futebol.
Acho que recebeu apoio do Valentim Loureiro ou que foi mesmo um nome escolhido por ele.
Valentim tinha de deixar a Presidiência da Liga, até porque se não saísse a bem ia sair a mal.
Dos vários processos do apito dourado que correm contra ele, em alguns vai ser condenado. Tenho a certeza disso.
Precisava de sair da Presidência da Liga mas não queria perder influência no futebol.
Escolheu, pois, o nome do Hermínio Loureiro para o suceder.
Provas disso?
São tão evidentes que até passam despercebidas.

Prova 1: Valentim faz parte da equipa do Hermínio Loureiro, sendo Presidente da Mesa da Assembleia Geral.
Continua a poder exercer à vontade a sua esfera de influência.

Prova 2: O discurso de posse do Hermínio Loureiro.
Para além do que é referido no artigo do David Borges, há a salientar também o que disse sobre o Apito Dourado:
"Não vou temer as palavras. Vamos ao processo «Apito Dourado». Os factos nele contidos não dignificam em nada o futebol, estaremos todos de acordo, mas este processo é hoje uma
vergonha para a Justiça. Estou a medir bem as palavras que digo: o
processo «Apito Dourado» é uma vergonha para a Justiça."

Pensei que era uma vergonha para futebol.
Quem quiser ler o seu discurso completo, pode ir a www.4linhas.com

Prova 3: São ambos membros do PSD onde ocupam ou ocuparam cargos dirigentes, portanto velhos conhecidos.

Prova 4: O Hermínio é Loureiro, como o Major.

Dito isto, que mais é preciso para se ter a certeza de que tudo vai continuar na mesma?

vermelho disse...

amigo Carlos:
concordo com a tua leitura, mas então como explicas que o Sporting tenha embarcado nesta balsa?
abraço.

carlos disse...

Ao que sei, o SCP embarcou nesta valsa à condição, tendo dado um prazo ao Hermínio para ver como correm as coisas.

vermelho disse...

amigo carlos:
como pode tal ser se um elemento por si indicado faz parte da direcção da Liga?
abraço.

carlos disse...

Obviamente demitir-se-á, amigo Vermelho.

cavungi disse...

O representante do SC Portugal, demitir-se-á se os resultados em campo começarem a ser maus.caso contrário lá ficará, mais penalty, menos penalty.