terça-feira, outubro 24, 2006

Artigo de Opinião do Condómino Vermelho Nunca

O rebanho dos seis

No passado mês de Setembro, em aniversário de um amigo, reencontrei-me com vários colegas e amigos da Coimbra estudantil.
Gentes do Norte, essencialmente de Braga, do Centro e Sul do País.
Convívio agradável, a que se juntaram as respectivas famílias, mulheres e filhos.
A maioria da malta do Norte torce pelo Benfica, os do Centro e Sul dividem-se pelo Sporting e pelo Benfica. Adeptos do FCPorto também existem, mas em menor número.
Alguns dos meus amigos não conheciam ainda os meus 2 filhos e, em conversa de circunstância, movida pelos dois jogos que se disputavam nesse dia - Nacional/ Sporting e Boavista/ Benfica - questionaram-me acerca da preferência clubística deles. Ao responder que eram do Sporting, alguns acharam natural, uma vez que o pai também o é, outros acharam estranho, pois naturalmente teriam de ser do Benfica, porque é o maior clube, porque é o Glorioso, por isto ou por aquilo.
Aqui reside , na minha opinião, um problema próprio de muitos adeptos encarnados: acham que eles são o centro de tudo, que só se pode ser do Benfica, e que, quem não tem os filhos benfiquistas, fazendo jus ao ditado, não é bom chefe de família.
No final do século passado, uma direcção do Benfica presidida por Manuel Damásio Prieto, que tinha como relações públicas, Carlos Castro, o cronista social - sim esse mesmo que estão a pensar - teve uma ideia genial. Talvez inspirada na figura do seu antigo jogador Álvaro, chegaram a um número mítico-6.
Conta-se que Margarida , mulher do presidente, junto à capela que mandou construir, disse para o marido: Nel, 6, é esse o número que vais lançar para a opinião pública, 6 milhões de benfiquistas. E assim , desde então, passaram a existir 6 milhões de benfiquistas em Portugal. Vários estudos foram feitos, mas o mítico número manteve-se inalterável.
Num desses estudos, encomendado pelo Benfica, chegou-se à conclusão que são 4.751.320 em Portugal, mas o número 6 mantém-se.
O estudo aponta para 6 milhões de adeptos, em Angola e Moçambique, ganhando aí o rebanho encarnado forma de manada.
O cúmulo do número 6 criado por Manuel Damásio Prieto vai ao ponto deste se manter imune a qualquer alteração populacional, considerando que, por cada benfiquista que morre, outro benfiquista nasce.
Mais tarde, com a subida de Luís Filipe Vieira a presidente, acompanhado na hora da vitória por Cristina Caras Lindas, que tentou, sem êxito, seguir as pegadas de Carlos Castro, este mítico número foi levado, e bem, na minha opinião, ao extremo.
Luís Filipe potencializou o número 6, transformando a instituição, como ele gosta de chamar, numa verdadeira máquina de produzir “negócio”.
É minha convicção que o rebanho dos 6 vai perdurar por muitos e bons anos.
Em nota final, é desde já meu desejo, que no Dragão, os encarnados, tenham 6 lesionados, que aos 6 minutos levem o primeiro golo e que a 6 minutos do fim levem o 6º golo.

51 comentários:

Jorge Mínimo disse...

Resta dizer que ao contrário do 3 que é o número perfeito, o 666 é o número da besta.

vermelho disse...

amigo Vermelho nunca:
o assunto que trazes, hoje, à colação é uma matéria que pouco me diz.
Saber qual o número exacto de sócios, adeptos e simpatizantes que cada clube tem é, para mim, irrelevante.
Todos os números que foram lançados derivam de campanhas de marketing que visam, essencialmente, objectivos comerciais.
Sucessivos presidentes do Benfica em momentos de crise socorreram-se destes números como arma de arremesso, na tentativa de branquear erros de gestão.
Entristece-me, profundamente, que assim tenha sido.
Assim, pela importância que não têm e pelo aproveitamento político que dos mesmos foi feito, estes números nada me dizem.
abraço.

carlos disse...

Quando um sportinguista escreve no blog, nota-se de imediato outro brilho.
As crónicas até agora postadas pelos sportinguistas (e sem falsas modéstias) ofuscam as demais, tão gritante é a diferença de qualidade entre elas.
Escapam-se neste panorama os artigos publicados pelo Condómino Fura-Redes, portista por acidente, pois ele é, geneticamente, um sportinguista, e só o facto de ter nascido no Grande Porto o fez adepto do FCP.

Na realidade, o número 6 (6 milhões de adeptos) tem-se mantido inalterável desde a época do Manuel Damásio.
Diria mesmo mais, desde sempre.
Ao contrário, o passivo do Benfica tem vindo a aumentar constantemente.
Do ano passado para este ano, aumentou 20 %, chegando agora à bonita quantia de 155 milhões de euros!
Tudo conforme o que vem propalando a direcção benfiquista, de que recuperaram as finanças do clube e recuperaram o crédito do Benfica.
Forca Benfica!

VermelhoNunca disse...

Amigo Carlos, o passivo a que se refere diz apenas respeito à SAD do Benfica, é preciso ter isso em atenção.

carlos disse...

Obrigado pela informação.
Saberá então o meu caro amigo em quanto andará o passivo total do Benfica?

cavungi disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
cavungi disse...

Por cada Benfiquista que cair, outro se levantará."
Não sei se somos 6 milhões ou 6 mil.
Podiamos até ser só seis.
Seriamos e seremos sempre, os melhores.

Jorge Mínimo disse...

Caro Cavungi:
Fica-lhe mal utilizar essa expressão imortal de uma velha glória do Sporting.
Seria melhor utilizar essa frase que fez história, do Hélder: "Estávamos à beira do abismo e demos um passo em frente!".

vermelho disse...

amigo Carlos:
o problema do passivo é comum à generalidade dos clubes portugueses.
Certamente que não ignoram que a Sad do Sporting teve que proceder a um aumento de capital, pois corria o risco de dissolução por insuficiência dos capitais próprios em relação ao passivo acumulado.
Este exercício até foi dos melhores, uma vez que as contas, pela primeira vez, apresentam resultados operacionais positivos (cerca de 3,716 milhões de euros).
O principal problema é que a fatia maior do passivo dos principais clubes portugueses é bancário, o que torna os clubes refens das administrações dos bancos.
Alguém tem alguma dúvida que quem gere, de facto, os grandes clubes portugueses são os bancos!
Alguém tem alguma dúvida que foram os bancos que impuseram a Soares Franco a candidatura e que exigiram a recandidatura de Vieira!
Sucessivas gestões não foram capazes de travar os sucessivos deficit´s orçamentais.
A verificar-se esta progressão geométrica é a própria sobrevivência das Sad´s que está em causa.
Não se admirem se amanhã em nome da subsistência das Sad´s os fenómenos Abramovich´s comecem a acontecer em Portugal.
abraço.

vermelho disse...

amigo mínimo:
desocnhecia e admiro-me que considere António Oliveira uma velha glória do Sporting!
abraço.

Jorge Mínimo disse...

Que bom seria, o Abramovich e o Mourinho serem donos do Sporting.

Jorge Mínimo disse...

Caro Vermelho:
O António Oliveira foi campeão pelo Sporting em 1981/82. A nível particular, devo dizer que foi o jogador português que mais admirei.

Jorge Mínimo disse...

Em 2000, na entrega das faixas de campeão aos jogadores do Sporting foram convidados vários jogadores da equipa de 1982, sendo um deles António Oliveira.

vermelho disse...

amigo mínimo:
por mim, tudo bem.
conheço o percurso do Oliveira no Sporting.
só me admirei, atento o seu percurso profissional e a sua paixão clubística (sua do Oliveira, claro está).
abraço.

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, saberá por certo que o outro mano Oliveira, o Joaquim, é adepto do Sporting.

vermelhosempre disse...

Os Lagartos e os Tripeiros que fiquem mas é caladinhos.. pois nós é que somos os maiores.
SLB

Jorge Mínimo disse...

Caro Vermelho:
A seu tempo o Simão será considerado velha glória do seu Benfica, independentemente de ser Sportinguista. No Sporting não se tenta apagar a história como no CDS/PP.

VermelhoNunca disse...

Amigo Carlos, o passivo total do Benfica é de 315,579 milhões de euros, ou seja, qualquer coisa como 63 milhões de contos.
Abraço

Zex disse...

Mais uma pérola do Ventoinhas. em declarações a uma rádio diz que o FCPorto teve um resultado negativo de 300 milhões de euros ! Não 30 mas 300 !
Ele nem sabe o que isso significa, quanto mais acertar no valor. Disse apenas dez vezes mais !
Já agora, sr. Lhunca, o valor declarado à CMVM foi 30,1, não foi ?
E registo com agrado que poliu a sua escrita e subscrevo inteiramente o que "postou". Aliás o comentário de vermelho sempre é esclarecedor.
Sr. Mínimo,
Se o António Oliveira é uma velha glória do seu clube, o que é ele no FCPorto ? O "bi-bota" também é uma glória do seu clube ?

Jorge Mínimo disse...

Caro Zex:
Naturalmente que o António Oliveira também é uma velha glória do FCP.
Já o Fernando Gomes não-me parece que possa ser considerado glória do Sporting, porque esteve pouco tempo e não ganhou nada no clube.

vermelho disse...

amigo mínimo:
gostei dessa referência ao revisionismo histórico do PP.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Luís Ventoinha confundiu os valores do seu clube com o resultado anual da SAD portista.

Jorge Mínimo disse...

Caro Zex:
O António Oliveira e o Fernando Gomes foram dois grandes profissionais do Sporting, jogaram bem e nunca criaram problemas no clube. Já no seu clube nos tempos do saudoso dr. Américo de Sá, foram proscritos e tiveram que sair para exercerem a sua profissão, como bem se lembra.

vermelho disse...

amigo mínimo:
o gomes saiu com P.C., foi com ele que se incompatibilizou.
abraço.

Jorge Mínimo disse...

Caro Vermelho:
O bi-bota saíu 2 vezes: para o Sporting no tempo do Octávio, mas antes tinha saído para o Sporting...de Gijon nos tempos do saudoso dr. Américo de Sá.

vermelho disse...

amigo mínimo:
bem sei, mas quando foi para o outro sporting (em espanha, o Gijon é conhecido por sporting) não saiu incompatibilizado com o Américo de Sá.
uma ressalva, quando foi para o sporting o treinador era Marinho Peres.
abraço.

Jorge Mínimo disse...

Caro Vermelho:
O Fernando Gomes saíu do FC Porto para o Sporting do Marinho Peres incompatibilizado com o treinador adjunto Octávio. Antes tinha saído do FCP para o Sp. Gijon incompatibilizado com a direcção do dr. Américo de Sá, juntamente com o colega António Oliveira, o treinador Pedroto e o chefe do departamento de futebol Pinto da Costa.

vermelho disse...

amigo mínimo:
pensava que a saída do Gomes era anterior à tomada de assalto do poder por parte da tertúlia da confeitaria Petúlia.
abraço.

vermelhosempre disse...

Mas que conversinha que para aqui vai...
Vou-me já embora.. é que aqui não se aprende nada.. é que não se aprende mesmo nada.
Abraços

VermelhoNunca disse...

Diga-se , de passagem, amigo Vermelho, que é uma excelente confeitaria, que visito de cada vez que vou ao Porto, cidade por que nutro um especial carinho.

Zex disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Zex disse...

Sr Mínimo:
Qual a relevância do comportamento destes atletas no FCPorto para poderem ser consideradas velhas glórias do Sporte ?
Se houve uma zanga no FCPorto, são glórias no Sporte ?
É verdade que ambos saíram do FCPorto, incompatibilizados com os dirigentes, e então ?
Não percebo por que motivo colocou essa questão da dissidência em discussão...
Qualquer dia o Paulo Lêndeas Sousa é também uma glória do Sporte...
Penso que uma coisa nada tem a ver com a outra.
Estávamos a falar doutro assunto, penso eu...
Estará V. Exa. a adoptar os métodos do seu chefe Lhunca ?
Parece que sim !

VermelhoNunca disse...

Chefe Lhunca? Porque diz isso, condómino Zex? Eu , por acaso manifestei-me sobre o assunto?

VermelhoNunca disse...

Não sei mesmo a que métodos se refere...

Jorge Mínimo disse...

Caro Zex:
Já disse que não considero o Fernando Gomes velha glória do Sporting, tal como o Paulo Sousa. Não concordo consigo quando insinua que o António Oliveira não é velha glória leonina. Se é certo que jogou mais anos no FC Porto, em termos de títulos só tem mais um do que no Sporting. Título esse que foi conseguido, em grande parte, pelas brilhantes exibições do António Oliveira, que o meu amigo se deve lembrar muito bem.

VermelhoNunca disse...

Será que o condómino Zex estava entre nós à época?

vermelho disse...

amigo vermelho nunca:
desconhecia, mas é com profundo agrado que constato que estudaste na minha terra natal.
abraço.

Zex disse...

Sr. Lhunca:
É verdade que não se pronunciou sobre este assunto ! Justiça lhe seja feita !
De qualquer modo, apenas mencionei uma semelhança de métodos de discussão de temas !
Por outro lado, denominei V. Exa. de "chefe", porque penso não oferecer dúvida, relativamente às intervenções daquele condómino neste blog, a relação de vassalagem que este último lhe presta. É um verdadeiro acólito ou servo, se preferir, de V. Exa.
Repito, que não me referia ao conteúdo das declarações de V. Exa. sobre o tema, até porque as mesmas não existiram.

VermelhoNunca disse...

Não estudei no Porto, vivi no Porto. Toda a minha família é de lá.

Zex disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Zex disse...

Sr. Mínimo:
Como dizia a mãe do saudoso Diácono Remédios, Rute Remédios, "as opiniões são como as vaginas, quem as quiser dar, dá".
Eu não expressei a minha opinião sobre o assunto. Coloquei algumas questões, V. Exa. entendeu responder. Achei as respostas curiosas.
Nada mais!
As extrapolações que efectua, posteriormnte, são da sua exclusiva lavra !

vermelho disse...

amigo vermelho nunca:
no Porto, não em Coimbra.
Dizes no texto que estudaste em Coimbra e eu sou natural de Coimbra.
abraço.

Jorge Mínimo disse...

Caro Zex:
Servo...acólito!? Vá-se satisfazer com um pé de laranja lima no fim das costas!

VermelhoNunca disse...

Não digo bem isso, amigo Vermelho. Fiz foi grandes amizades com pessoal estudantil de Coimbra, em virtude de um amigo meu de Lisboa se ter formado lá. Desde então, e já lá vão 14 ou 15 anos, vou com regularidade a Coimbra, normalmente pela Queima, e convivo várias vezes com toda a malta que vivia na residência académica com o meu amigo.

vermelho disse...

amigo vermelho nunca:
esclarecido.
quando cá vieres diz.
abraço.

carlos disse...

Boas tardes.
Gostei da referência do Zex à Rute Rémédios, nessa sua feliz comparação da vagina com a opinião.
Há as boas e as más.
Dá-as quem quer.
Quanto às velhas glórias, não vejo o alarido que se fez à volta do Oliveira.
Porque não há-de ser considerado velha glória do SCP?
Não ganhou títulos pelo clube?
Não foi um jogador marcante?
Não chegou a ser, inclusivamente, treinador da equipa?
Que importa que tenha vindo de outro clube?
O Simão não veio do SCP e do Barcelona e não há-de um dia ser considerado velha glória do Benfica?
O Jordão também veio de outros clubes e é velha glória do SCP.
Por isso me parece pueril a discussão travada.

carlos disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
carlos disse...

Não vejo as razões do alarido que se fez à volta do Oliveira.

Perdão.
Assim é que é.

Quanto ao Benfica, acho piada ao facto de o LFV constantemente propagandear a saúde financeira do seu clube, que o clube estava de rastos quando lá chegou e que tem vindo a contribuir para a sua credibilização.

E que vemos?
O passivo da SAD a aumentar 26% num só ano, para 151 milhões de euros;
O total do passivo em mais de 300 milhões de euros.

Amigo Vermelho:
Acha mesmo que foi imposição dos bancos (presumo que a Caixa) a recanditatura do LFV?

vermelho disse...

amigo carlos:
acho não, tenho a certeza.
os bancos quando negociaram os financiamentos aos clubes exigiram determinadas contrapartidas, uma delas precisamente a estabilidade dos órgãos de direcção.
Vieira tem boa imagem junto da banca.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Estou de acordo com o adminstrador. Luís Ventoinha tem boa imagem na banca, pois na sua actividade principal, tem relações privilegiadas com a mesma.

cavungi disse...

Amigo Nunca.
48 Zau!
1991-Uma queima diabólica.
Saudações