quarta-feira, outubro 11, 2006

E o Milagre Aconteceu

Pois é, quando poucos acreditavam, o milagre aconteceu.
Fruto do imenso talento dos nossos jogadores, mas também e muito graças à postura dos russos.
Os russos foram vítimas da sua própria estratégia.
Excessiva contenção, preocupando-se, única e exclusivamente, em defender, sem qualquer perspectiva ofensiva.
O processo ofensivo russo, pura e simplesmente, não existiu.
Remeteram-se à sua grande-área, alicerçando o seu modelo de jogo em duas linhas defensivas.
5 jogadores no limite da sua grande-área e 5 numa linha intermediária, mas que nunca se estendeu para além do grande círculo do seu meio campo defensivo.
Quando assim é, quando se entra em campo com o intuito exclusivo de não perder, normalmente as derrotas acontecem e foi, precisamente, isso que ontem aconteceu.
Portugal nem necessitou de realizar exibição de monta. Bastou aproveitar os erros que a voracidade defensiva russa naturalmente criou.
Couceiro havia dito que poderia perder o jogo, tal o volume ofensivo que pretendia impôr na partida.
Todavia, tal perspectiva esteve sempre arredada do jogo, tal a inoperância ofensiva russa.
Assim, Portugal pode concentrar os seus esforços no desenvolvimento do processo ofensivo, cativando um número elevado de unidades, o que empurrou, ainda mais, os russos para o seu extremo reduto.
Contudo, na primeira parte, o domínio português pouco mais foi do que estéril.
Carradas de iniciativas atacantes, mas poucas oportunidades criadas.
Quando a partida parecia caminhar para um beco sem saída, eis senão quando uma infantilidade de um jogador russo, certamente toldado pela ânsia de defender as suas redes, permitiu o surgimento do 1º golo português.
Penalty tão evidente quanto desnecessário, que aportou aos jovens lusos um "upgrade" de confiança na concretização do sonho da presença na fase final do Euro/2007.
Minutos volvidos, outra infantilidade russa, potenciada por um árbitro caseirinho, colocou Portugal em vantagem numérica.
Mais um factor de motivação acrescida, muito embora, face à estratégia russa, a expulsão não representasse mais valia de relevo.
Os russos abdicaram do seu elemento mais avançado e recompuseram a estrutura defensiva.
Como já não atacavam, a diferença pouco ou nada se notou. Apenas importou o efeito psicológico decorrente do alcançar de mais uma vantagem no jogo.
Ao intervalo, o jogo estava no ponto perspectivado por Couceiro.
Mais um acréscimo no capital de confiança.
No dealbar da segunda parte, Portugal dispôs de excelente oportunidade, ingloriamente desperdiçada por Vaz Tê.
Pensei que o sonho havia morrido nesse instante.
Puro engano.
Escassos minutos volvidos e Djálo, na sequência de um soberbo trabalho de João Moreira na direita, fez o 2-0.
Agora sim, as portas da glória escancaravam-se.
Foi o mais belo momento de futebol de toda a partida.
Desde a excelência do drible, passando pela perfeição do cruzamento e terminando na plasticidade do cabeceamento.
A torrente ofensiva lusa intensificava-se como nunca e os russos remetiam-se, ainda mais, ao seu "casulo" defensivo.
Os russos postavam-se quase no interior da pequena área, tal era o volume ofensivo luso.
Sem surpresa, num lance de pura infelicidade russa, Portugal fez o 3-0.
A postura excessivamente defensiva dos russos provocava, de novo, o erro.
Daí até final, Portugal limitou-se a gerir a partida, sem passar por grandes sobressaltos, excepção feita a uma incursão pela direita de um jogador russo que terminou num cabeceamento defeituoso no interior da área portuguesa.
Qualificados que estamos, espero e desejo que se prepare a fase final com o profissionalismo e o rigor que faltaram no último Europeu.
As nossas chances de vitória são elevadas, até porque na fase final podemos contar com dois reforços importantíssimos, Nani e Cristiano Ronaldo, tão só os dois talentos mais emergentes do futebol português e quiçá mundial.

13 comentários:

vermelhosempre disse...

Ah pois é.. Os russos ainda devem estar a pensar no que é que lhes aconteceu...
Ainda bem que assim foi, e para mim não foi surpresa, pois como escrevi ontem no meu comment acreditava plenamente que era possível virar o resultado, pois os Russos apenas tem dois ou três jogadores de qualidade o que comparando com a qualidade dos nossos "portuguinhas" ficam a anos luz.
Grande reviravolta, grande resultado, grande vitória e grande apuramento.
Os meus parabéns PORTUGAL

Zex disse...

Tinha muitas reservas quanto ao resultado, até porque o treinador é aquilo a que se chama um "born loser". De qualquer modo, entendo que foi merecido. E não me perece justo retirar todo o mérito aos jogadores e treinador com o demérito dos russos. Mas são opiniões...
Tenho muitas dúvidas que o mago Ronaldo e o super-peneiras Nani aceitem jogar essa competição do próximo ano !

carlos disse...

Grande vitória dos nossos jogadores!
Grande demonstração de classe dos miúdos, com particular destaque para Moutinho (enorme exibição) e Djaló.
Neste jogo, beneficiámos de tudo o que de bom pode suceder num jogo de futebol.
Golo ainda na primeira parte fruto de penaltie;
Expulsão de jogaodr russo´`a beira do intervalo;
um auto-golo;
retraimento dos jogadores adversários;
arbitragem caseira;
ausência desse impostor do futebol que se dá pelo nome de João Pereira.
Mas foi merecido, depois da roubalheira e da infelicidade de que fomos alvo na Rússia.

vermelho disse...

amigo zex:
não retirei mérito a ninguém.
agora não posso deixar de analisar a partida e constatar que a postura russa muito contribuiu para o êxito alcançado.
não entro em patriotismos bacocos, exaltando cegamente a nossa exibição.
repara na forma como os golos foram obtidos - com excepção do golo do Djálo, os restantes resultaram de erros infantis, muito determinados, no meu ponto de vista, pela obsessão defensiva russa.
penso que fizemos uma boa exibição, nunca uma super exibição.

amigo carlos:
tal como tu, ontem também ouvi os comentadores do Trio d´Ataque a exaltarem a exibição de Moutinho.
sinceramente, penso precisamente o contrário.
ontem, não estivemos na presença do moutinho habitual, tendo, no meu ponto de vista, se exibido uns bons furos abaixo do que lhe é próprio.
a exibição na Rússia essa sim foi soberba, ontem não achei.
falhou passes curtos, não esticou o jogo, através de passes longos, não coordenou o jogo com a sagacidade que lhe é comum, não fez os apoios laterais com a habitual velocidade, apenas surgiu por uma vez na área em movimento vertical ao contrário do que é usual, enfim, não foi o Moutinho a que estou acostumado.
abraço.

Holtreman disse...

Nunca pensei que qualquer equipa treinada (?) por José Coveiro conseguisse algo tão positivo. No entanto, esta equipa russa é de 4ª categoria. Com boa orientação tinham sido 2 vitórias e não existiam estas euforias.

Moutinho não esteve no seu melhor. Mesmo assim, foi de longe, o melhor em campo.

cavungi disse...

José Couceiro, treinador-perdedor na linha do Imbecil,Jesualdo e afins, conseguiu aquilo que eu julgava impossivel:A qualificação para o Holanda-2006.Concordo com o Prof. Zex quanto ás ausencias de Ronaldo e do Ultra-Peneirento Nani.
Mas veremos.

VermelhoNunca disse...

Engula amigo Cavungi. Você e muitos mais andam loucos para que mais alguém perca, que não o seu clube, para poderem extravasar a vossa raiva. Ainda não foi desta, para tristeza sua!

carlos disse...

Amigo Vermelho:
Só para informar que não vi ontem o trio de ataque.
Aliás, nem vi o jogo todo.
Do que fui vendo, vi um Moutinho sempre a comandar o jogo.
Pareceu-me uma boa exibição.
Mas como não vi o jogo todo, aceito perfeitamente a correcção que agora o caro amigo me fez.

VermelhoNunca disse...

Amigo carlos, depende da opinião de cada um. Na minha, acho que Moutinho fez um grande jogo.

cavungi disse...

Amigo Nunca,
O facto de não considerar José Couceiro um treinador capaz, não quer dizer que quero que a selecção perca.Aliás fiquei bastante satisfeito com a vitória e o apuramento.
Sei que como a maioria dos sportinguistas o senhor é um seguidista.Eu como estou habituado ao pluralismo, gosto de pensar pela minha cabeça.

VermelhoNunca disse...

Eu não me pronuncio sobre Peyroteo Couceiro. Nunco o fiz. Se ser seguidista é não criticar antecipadamente , por tudo e por nada, a selecção, então sou seguidista, com todo o prazer.

Holtreman disse...

É verdade Cavungi. O Sr.Nunca é seguidista e adepto da teoria de que NUNCA se deve criticar o clube nem os seus elementos (jogadores, treinadores,etc..). Por exemplo, esse Sr. era indefectível apoiante do Sr.Santos, que agora também apelida de O Imbecil.

A questão é que agora, as suas opiniões ficam aqui documentadas por escrito, o que, garantidamente, nos dará oportunidade de o confrontar com as suas intermináveis incoerências. Basta esperar por modificações nos clubes (treinadores, jogadores, postura dos dirigentes, etc...) para logo desmacararmos este Senhor.

VermelhoNunca disse...

Caro Holtreman: procure algum post meu em que chame Imbecil ao Fernando Santos, faça isso. Desafio-o a fazer isso, e depois terá de se retratar da blasfémia que está a lançar.