terça-feira, outubro 17, 2006

Antevisão dos jogos de Benfica e Porto na Champions

Jogos decisivos para Benfica e Porto.
Quer águias, quer dragões necessitam de vencer para acalentarem esperanças de apuramento.
Uma derrota significará o fim das aspirações de ambos os emblemas, pese embora a margem de manobra do Benfica seja maior.
Um empate pode chegar para o Benfica manter em lume brando as suas chances de apuramento, mas para o Porto equivalerá a uma derrota.
O Benfica dispõe, ainda, de dois jogos em casa, sendo um deles frente ao adversário directo na luta pelo apuramento, ao passo que o Porto apenas terá mais um jogo em casa e frente ao Arsenal.
Por aqui se vê da premência da vitória portista.
Em Glasgow, o Benfica irá defrontar um adversário tributário da velha escola do futebol inglês – Kick anda rush é a matriz essencial do futebol doCeltic.
Futebol directo, lançamentos longos, cruzamentos e mais cruzamentos, luta,muita luta, suor, muito suor, fora, muita força, serão, certamente, os predicados que os escoceses apresentarão.
E não esquecer o apoio de um público fanático.
Nakamura e Hesselink são as principais figuras individuais de uma equipa que faz da consistência do seu colectivo a sua força maior.
“Alma até Almeida” assim se pode definir a equipa escocesa.
Doses maciças de circulação e posse de bola, velocidade nas transições,pressão alta, dinâmica, mobilidade e concentração, muita concentração são as chaves do êxito encarnado.
Fernando Santos apenas deverá introduzir uma alteração na equipa que derrotou o Leiria, qual seja a chamada à titularidade de Alcides em detrimento de Nelson, por forma a resguardar-se do futebol aéreo escocês.
No mais, espera-se que a dinâmica e a mobilidade evidenciadas em Leiria sejam para manter.
Assim aconteça e a tarefa do Benfica emergirá muito facilitada.
No Dragão, o Porto enfrentará um Hamburgo em crise.
Longe vão os tempos de Keegan e das conquistas na Taça dos Campeões Europeus.
Hoje por hoje, o clube alemão vive um dos piores períodos da sua história desportiva.
Arredado das vitórias internas há bastante tempo e a vegetar nos últimoslugares da Bundesliga, o Hamburgo vê na Champions a sua hipótese de reabilitação.
Desfalcado da sua estrela maior, Rafael Van der Vaart, será o colectivo a ditar leis.
A vitória sobre o Marítimo não constituiu tónico suficiente para afastar,definitivamente, a desconfiança dos adeptos em relação a JesualdoFerreira.
Até porque o primeiro caso de indisciplina aconteceu.
A circunstância da lotação do Dragão não se achar esgotada diz bem da relação pouco afectuosa dos adeptos para com Jesualdo e de algum descrédito entre os apaniguados azuis e brancos.
Um resultado que não a vitória poderá abrir uma ferida incurável na relaçãotreinador/adeptos (recorde-se a significativa degradação da relação deAdriaanse com os adeptos portistas após a eliminação prematura na edição da época passada da Champions).
Jesualdo Ferreira, também, deverá introduzir, apenas, uma alteração no onze a apresentar, a saber a saída de Bosingwa para a entrada de Ricardo Costa.
Estranha-se, contudo, a não chamada à titularidade de Fucile.
Lateral direito de raiz foi contratado para ser a sombra de Bosingwa, mas até à data nem sequer um minuto jogou.
Estará a concluir o seu processo de adaptação ao futebol europeu ou outras razões desconhecidas determinam o ostracismo a que tem sido votado.
Se se exibir num patamar mediano, assente numa boa consistência defensiva e no imenso talento de Anderson, o Porto, por certo, vencerá.
Se se deixar surpreender pelo contra-ataque germânico e cair na teia do jogo físico, então as dificuldades serão maiores.
O sucesso, apenas, depende daquilo que o Porto for capaz de apresentar esta noite no Dragão.

4 comentários:

VermelhoNunca disse...

Amigo Vermelho, verifico algum tipo de elogio ao Celtic...talvez perspectivando algo negativo. Nakamura? Quem é Nakamura?

vermelho disse...

amigo vermelho nunca:
de maneira alguma.
apenas me limitei a referir os pontos fortes do Celtic.
aliás, não encaro como bom outro resultado que não a vitória, sendo certo que, dada a inconstância exibicional do Benfica, nunca se sabe o que poderá acontecer.
a minha perspectiva é a que resulta do texto.
nunca procurei antecipar desaires enfatizando virtudes inexistentes nos opositores do Benfica.
Nakamura é a principal figura do Celtic.
Nada mais disse sobre a sua valia, pese embora me pareça um bom jogador.
abraço.

VermelhoNunca disse...

Eu conheço Nakamura, pois já vi vários jogos do Celtic. Está em alta pois marcou 3 golos no último jogo, mas é apenas um jogador regular, nada mais que isso.

vermelhosempre disse...

O Benfica tem que ganhar.
Os tripeiros e lagartos que se enterrem.
Abraço