quarta-feira, outubro 25, 2006

Breve resenha da actualidade desportiva

Lucílio Baptista foi, uma vez mais, o árbitro escolhido para dirigir o FCPorto/SLBenfica.
Trata-se do árbitro português em actividade com mais internacionalizações.
Usa e abusa dos cartões para controlar os impetos dos jogadores e nada contribui para a fluidez do jogo ao sancionar todo e qualquer contacto entre jogadores.
Esta temporada, Lucílio dirigiu cinco partidas, tendo encontrado em duas delas os clubes que sábado se defrontam no Estádio do Dragão.
Na quarta jornada dirigiu o Paços de Ferreira-Benfica, partida que terminou empatada nos golos (1-1) e nas expulsões (Léo e Luiz Carlos), enquanto na ronda seguinte arbitrou o Braga-FC Porto (2-1).
A nomeação para este clássico repete a da temporada passada, quando os benfiquistas triunfaram por 2-0 num jogo marcado pelas expulsões de Léo e de Bruno Alves.
Bertino Miranda e Venâncio Tomé, os assistentes que o acompanharão no clássico, já trabalharam esta época com ele por duas e três ocasiões, respectivamente.
Jaime Pacheco assumiu, ontem, pela terceira vez, o comando técnico do Boavista.
A "Torre de Babel" que, hoje por hoje, é o plantel boavisteiro não augura tarefa fácil para um treinador que se expressa com dificuldade em português, quanto mais em qualquer outra língua.
Anderson mostra-se apto a defrontar o SLBenfica, ao invés de Karagounis, Rui Costa e Paulo Jorge que se acham, irremediavelmente, afastados do clássico de Sábado.
A probabilidade de Karyaka vir a ser o substituto de Miccoli emerge, assim, cada vez mais forte.
O regime fiscal e de segurança social dos jogadores profissionais de futebol irá ser alterado, no sentido da sua equiparação ao regime geral.
Não me parece medida descabida, sendo, no entanto, necessário erigir tectos contributivos, pois que nem todos os jogadores auferem fortunas, bem como se mostra imprescindível construir formas de calculo das suas pensões de forma diferenciada, dado que, caso contrário, serão imensamente prejudicados, em vista da desconsideração dos seus melhores anos salariais.
Assim vai o mundo desportivo.

4 comentários:

Zex disse...

O FCPorto não ganha jogos com o Lucílio Baptista a apitar !
Como diriam outros, felizes coincidências !

vermelho disse...

amigo zex:
porventura, falas do Porto-Benfica da época passada?
é que nesse jogo o Porto perdeu, mas não me parece que o árbitro tenha tido influência no resultado.
abraço.

PauloParaty disse...

Eu é que devia ser o árbitro, os lampiões levavam poucas.

vermelhosempre disse...

O problema é que este Lucílio é meio desiquilibrado mentalmente, o que para os jogadores não é nada fácil, pois nunca se sabe para que lua é que está virado.