quinta-feira, setembro 28, 2006

O empate...

...é um resultado, dadas as circunstâncias, positivo. O Sporting entrou no jogo a perder. Um golo sofrido no inicio do jogo, alterou totalmente a estratégia que Paulo Bento teria montada para o jogo. Na 1ª parte as dificuldades foram enormes: inadaptação ao relvado, evidente, pressão russa, dificuldade em segurar a bola, em fazer as transições defesa / ataque. Foi um período difícil. Os russos demonstraram rapidez nos lances, embora tecnicamente sejam limitados. Ao intervalo Paulo Bento mexeu na equipa. A entrada de Alecsandro, que se exibiu, na minha opinião, muito bem, e posteriormente a entrada de Carlos Paredes, foram determinantes para um segundo tempo de rendimento superior. O Sporting passou a ter mais controle de jogo, a conseguir estancar as investidas do adversário, e culminaram num golo, num grande golo. A jogada começa no meio campo defensivo, com Paredes a cortar uma bola, e o desenvolvimento do lance é soberbo. O Spartak vacilou, e penso mesmo que o Sporting podia ter ido mais longe. Na parte final da partida uma natural reacção dos russos, fez com que o Sporting acabasse o jogo como o começou.
Destaco um jogador no Sporting: Ricardo, fez uma grande defesa, quando a equipa perdia por uma bola, determinante para o resultado final. Referência também para Paulo Bento, leu bem o jogo, nunca se intimidou, e saiu premiado. O Sporting possui hoje jogadores polivalentes que facilitam o trabalho do treinador, casos de Miguel Veloso e Moutinho, por exemplo.
Quando os alemães e italianos forem a Moscovo, veremos se o empate do Sporting foi determinante na classificação final do grupo.
A derrota do Inter em casa, foi o resultado que eu desejava, pois os italianos ficam em dificuldades, sendo determinantes os jogos com os russos, quer em Milão, quer em Moscovo.

9 comentários:

vermelho disse...

amigo nunca:
penso que a derrota do Inter no Giuseppe Meazza fez com que o empate leonino não tenha sido mau resultado.
Com 4 pontos de vantagem em relação ao Inter, o jogo em Itália assumirá foros de transcendente importância para o Sporting, podendo a sua qualificação para a próxima fase ser aí decidida.
Tal como havia dito ontem, o primeiro quarto de hora de cada uma das metades do jogo seria decisivo.
E assim foi.
No primeiro quarto de hora da primeira parte, o Sporting não conseguiu controlar a pressão russa e sofreu um golo.
No primeiro quarto de hora do segundo tempo, o Sporting assumiu o domínio da partida, estancando as iniciativas russas, e conseguiu um golo.
Não foi uma grande exibição do Sporting, talvez a mais fraca da época.
Apresentou ligeiras melhorias na segunda parte, mas ainda assim apenas até ao golo de Nani.
Aliás, pareceu-me que a equipa pecou por falta de ambição, ao abdicar de intensificar o ritmo de jogo em busca do 2º golo.
A obtenção dos 3 pontos em disputa teria garantido ao Sporting praticamente o apuramento, dado o resultado alcançado pelo Inter.
O meio-campo leonino sofreu com a envergadura física dos russos e nunca se mostrou capaz de realizar as transições ofensivas rápidas que tanto caracterizam esta equipa.
A defesa vacilou perante a velocidade dos alas russos, as penetrações de Titov e o poderio físico do ponta de lança russo, valendo Ricardo para evitar males maiores.
Extraordinária a defesa no início da segunda-parte a evitar o 2-0.
No cômputo geral, salvou-se o resultado, que não sendo óptimo ainda assim não compromete as aspirações de apuramento.
Com 12 pontos em disputa, uma vantagem de 6 sobre o Inter constituiria uma almofada suficientemente confortável para passar aos oitavos de final.
abraço.

cavungi disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
cavungi disse...

Amigo Nunca.
Aquando do sorteio perspectivei que o SC Portugal faria na melhor das hipoteses 2 pontos.Um em cada jogo com o Spartak.O jogo com o Inter foi anormal, assim, penso que ontem ao somar o 4º ponto, o SC Portugal excedeu, no dobro as minhas expectativas.Seguem-se Três derrotas consecutivas com o Bayern (2) e em Milão.O Ultimo jogo com o Spartak será para decidir quem vai á Uefa.Por isto tudo, penso que o empate, de justiça mais que duvidosa, foi um mau resultado, e a satisfação reinante nas hostes leoninas só denota a ambição habitual do espirito portuga de encarar as competições europeias.paulo Labião esteve como Jesualdo e o Imbecil. De diferente só teve foi a sorte de não ter perdido o jogo.

VermelhoNunca disse...

Amigo Cavungi, veremos se os seus prognósticos saem certos. Não confunda é prognósticos com desejo, pois esse já nós conhecemos. Não me viu a festejar nada, acho é que devido às circunstâncias, o resultado é bom. E repito, vamos ver o que Bayern e Inter fazem na Rússia.

carlos disse...

Péssimo jogo do SCP.
Ao ouvir as declarações do Ricardo que antecederam o jogo - falando no relvado como handicap justificativo de um eventual mau resultado - fiquei com a sensação que o SCP não estava com suficiente confiança na abordagem ao jogo.
E isso confirmou-se ontem.
Os jogadores do SCP, pareceu-me, temeram o Spartak.
Encontro algumas justificações para isso:
As equipas russas sempre foram madrastas para o SCP, nunca tendo, ao que sei, o SCP conseguido outro resultado na Rússia que não fosse a derrota;
Depois, está ainda bem fresca na memória dos jogadores a final da Taça UEFA perdida para o CSKA há duas épocas;
Finalmente, a responsabilidade de ganhar o jogo que recaía sobre os jogadores depois de terem vencido o "papão" Inter de Milão.

Com este quadro mental, e após terem sofrido um golo logo aos 4 minutos, imagino a tremideira que deve ter invadido os "putos"!

Mas, ainda assim, conseguiram com alguma sorte aguentar o primeiro tempo sem sofrerem mais nenhum golo.
Ao intervalo, Paulo Bento deve ter incutido alguma confiança aos jogadores, exemplificada com a entrada do Alecsandro, por troca directa com um defesa - ainda que, na prática, tenha sido troca de médio por avançado, pois Tello recuou para defesa.
Ainda assim, uma substituição ousada - o Imbecil teria substituido o Nani pelo João Alves ou, quando muito, o Djalló pelo Alecsandro.
Só que, perante todo aquele quadro e as dificuldades enfrentadas na 1ª parte, houve o convencimento de que se conseguissem chegar ao empate já não seria mau.
Dessa forma, alcançado o golo do empate, numa fase em que o SCP até começava a jogar bem, viram-se os jogadores do SCP - e até o treinador - conformados com o resultado.
Não forçaram para ganhar.

Penso que talvez tenham feito bem.
A equipa russa é, de facto, perigosa e num contra-ataque rápido aniquilavam o SCP.
Um ponto fora não deixa de ser um resultado positivo, para quem já tem 3 pontos no bornel.

E, desta forma, com a derrota surpreendente do Inter, o SCP surge muito bem posicionado para passar à fase seguinte.
Penso que mais uma vitória e um empate poderão ser suficientes para passar à fase seguinte.

vermelho disse...

amigo Carlos:
8 pontos não devem chegar, a não ser que a vitória a que te referes aconteça em Milão.
abraço.

cavungi disse...

Amigo Nunca, Quando falei em satisfação das hostes leoninas, não me referia a si, mas aos jogadores e a paulo Labião.
Como disse o amigo Carlos entraram a medo.
Deve-se dizer em abono da verdade que contra equipes Russas o SC Portugal somou ontem o seu primeiro ponto em mais de 40 anos de competições europeias.
Até obtem contavam por derrotas os jogos disputados.
Dizem até que na Russia o SC Portugal é considerado a Pêra Doce dos sorteios da Uefa.O SC Portugal está para os Russos como o Omonia Nicósia está para as equipes Portuguesas.

carlos disse...

Amigo Vermelho:
Talvez cheguem mesmo que o SCP empate no Inter.
A menos que o Inter ganhe os três jogos que lhe faltam - Bayern fora e Spartak fora e em casa - o que não é muito provável.
Basta o Inter empatar um destes três jogos e empatar também com o SCP em casa para fazer apenas 8 pontos, ficando em igualdade pontual com o SCP, com vantagem da equipa leonina, creio.

Holtreman disse...

Estranho a ausência de Dmitri Zex. Talvez devido a azia provocada pelo "borscht" que comeu ontem à tarde. Eu bem vi a expressão de agonia no seu rosto, na altura do golo de Nani.