sábado, julho 03, 2010

A Belenização do Sporting - Luís Avelãs

Por causa do Mundial, o regresso ao trabalho das equipas portuguesas – assim como as mais recentes movimentações de mercado – tem passado relativamente despercebido. Pessoalmente também não tenho olhado muito para isso. Mas, ao ter conhecimento da quase concluída transferência de João Moutinho para o FC Porto... é obrigatório dizer alguma coisa.

Não é novidade para ninguém que o médio deseja, há muito, sair do clube verde e branco. Desconheço se é por questões financeiras, se pretende um emblema com maiores probabilidades de conquistar títulos, se tem algum problema sério com alguém da estrutura, se considera necessitar de um novo desafio para dar um segundo fôlego à carreira ou se, pura e simplesmente, está cansado do Sporting. Por isto ou por aquilo, mudar de ares é imperativo para o jogador.

Contudo, percebendo que a vontade do futebolista é importante e que o clube não tem muito a ganhar se fizer questão em manter nas suas fileiras alguém com a cabeça noutras paragens, não consigo entender que o Sporting aceite negociar um dos seus activos mais importantes para um rival, para um emblema que, daqui a uns dias, irá ser um dos mais sérios concorrentes à grande meta do clube de Alvalade: conquistar o título nacional.

Se Moutinho tivesse terminado a sua ligação ao Sporting, o clube nada poderia fazer para inviabilizar a mudança para o Dragão. Se o FC Porto batesse o valor da cláusula de rescisão (22.5 milhões de euros) e o jogador concordasse com a mudança, aos dirigentes leoninos só restava aceitar a situação. Mas, como se sabe, nada disto se passa. O jogador quer sair, o clube nortenho quer comprar e o Sporting aceita vender. Parece linear, mas não é. Os responsáveis leoninos não podem (ou não deviam) contribuir para o fortalecimento dos adversários directos, mas é precisamente isso que estão em vias de fazer.

Mas, se prescindir de um valor tão regular começa por ser uma opção absurda do ponto de vista desportivo, económica e socialmente não consigo imaginar como é que José Eduardo Bettencourt irá explicar isto aos sócios e adeptos leoninos. E depois de o ver, na televisão, a fugir ao tema, com um sorriso nos lábios (se fosse mentira, acredito que aproveitaria a oportunidade para desmentir o negócio), fico com a ideia que em Alvalade anda alguém a brincar. Sim, a brincar, porque uma situação assim, com estes contornos, só pode ser brincadeira...

PS – Tendo em conta os inúmeros elogios que Bettencourt tem feito ao FC Porto ao longo dos tempos, só faltava começar a “trabalhar” para ajudar os seus homólogos portistas a reforçar o respectivo plantel. Um destes dias ainda é candidato a um qualquer “dragão de ouro”.

2 comentários:

VeRMeLHoVZKy disse...

Este texto falha num ponto... o Zebordeng não é adversário directo do FCP.

É adversário do Marítimo, do Guimarães, etc... mas não do Porto ou BEnfica.

Jimmy Jump disse...

Concordo e acrescento:
Este Zbording é uma anedota!!
Voltaram a baixar as calcinhas aos amiguinhos do norte.