terça-feira, abril 04, 2006

Artigo de Opinião

Aqui fica um outro artigo de opinião de Luís Sobral pelas exactas mesmas razões anteriormente expostas.
É uma forma de começar a lançar o Clássico do fim de semana próximo.
"Se o Sporting impressiona pela afinação de uma equipa e pela exploração, até ao limite, dos recursos existentes, no F.C. Porto o que se nota é a (aparentemente) inesgotável riqueza do plantel.
Adriaanse definiu um sistema, é verdade, e nos últimos oito jogos só sofreu um golo (Robert, na Luz) e ganhou sete vezes. Não é um registo ao nível do Sporting, mas não anda muito longe.
Mais do que o sistema, é de salientar a forma como alguns jogadores saltam de uma posição para outra, aparentemente sem dificuldade. E, também, a notável prestação dos que ultimamente foram chamados: Alan, Jorginho, Cech, Ibson e obviamente Helton (aqui discordo da referência a Alan, pois não lhe reconheço capacidade para jogar no Porto).
Se é verdade que Adriaanse ainda não ganhou um clássico (a Taça foi decidida nas grandes penalidades), também é um facto que desta vez chegará a Alvalade com o conforto de nem sequer precisar de vencer. E com a certeza de que terá muitos jogadores na melhor forma da temporada."

1 comentário:

carlos disse...

Caro Snr. Administrador:
Não concordo, na íntegra, com o presente artigo do Luis Sobral.
É certo que o FCP tem vindo a revelar melhor mecanização do sistema de jogo do seu treinador e que dispõe, inegavelmente, de melhores valores individuais, em termos de qualidade e de quantidade, que os seus dois rivais.
Já disse em comentário ontem postado que acho que o FCP vem exibindo um futebol mais consistente.
No entanto, creio que do trajecto que o FCP tem feito após o jogo com o Benfica não se poderão retirar as ilacções que o autor do artigo pretende inferir, isto é, que tem um registo aproximado ao dos Leões.
Em termos de campeonato, o FCP ganhou cinco jogos seguidos: ao Nacional, Paços e Gil Vicente em casa (todos por 3-0) e ao Setúbal e Académica fora (0-2 e 0-1, respectivamente).
Adversários mais que acessíveis, para se poder retirar alguma conclusão dos respectivos resultados.
No meio desses jogos para o campeonato, o FCP enfrentou o Marítimo (nos Barreiros) e o SCP (no Dragão).
Ambos os jogos, de coeficiente de dificuldade bem mais difícil, terminaram empatados no final do tempo regulamentar, vindo o FCP a ganhar no prolongamento no 1º caso e nos penalties no 2º.
Não creio, assim, que destes resultados se possa tirar a ilacção de que o registo é aproximado ao do SCP.
O SCP conta com dez vitórias seguidas para o campeonato, e apenas dois golos sofridos, ambos de penaltie.
Isto é, tem o dobro do registo do FCP.
E nesses dez jogos, contam-se as vitórias fora contra o Benfica e Guimarães, e a vitória em casa contra o Boavista, jogos de coeficiente de dificuldade bem mais elevado do que qualquer um dos jogos que o FCP fez.
Portanto, e se quisermos olhar apenas aos resultados, como está a fazer o Luis Sobral neste artigo, o SCP tem, pelo menos, o dobro da performance do FCP.
Com base apenas nos resultados é, no mínimo, desonesto dizer-se o que diz o Luis Sobral, que o registo do FCP se aproxima do do SCP.
É claro que também acho que o FCP tem tido um bom desempenho, e que
está, neste momento, uma equipa bem mais competitiva e afinada do que até há uns tempos atrás, e que tem um manancial de jogadores de grande qualidade.
Mas não creio que, pelos resultados, se possa concluir que o FCP está próximo do SCP.
Até pode estar à sua frente em termos de consistência e qualidade de jogo e de futebol exibido, mas não é dos resultados que tal conclusão se poderá extrair.