quinta-feira, abril 27, 2006

Eleições no Sporting II

"Acusar sem provar é ignóbil e difamação"
"Chegámos ao fim da minha paciência" - foi assim que o ainda presidente iniciou, durante o jantar de apoio ontem realizado na antiga FIL, uma resposta violenta aos ataques proferidos pelo seu adversário Sérgio Abrantes Mendes. Estes são, no seu entender, fruto do "desespero de quem vai perder uma eleição"
A campanha de Filipe Soares Franco conheceu ontem um ponto alto, com a realização de um jantar de apoio no Centro de Congressos de Lisboa (antiga FIL), que contou com a presença de cerca de 300 pessoas, entre as quais diversas figuras públicas, ligadas a diversos sectores da sociedade civil.
O momento mais esperado foi a intervenção do candidato, que, desta feita, resolveu reagir de forma dura às recentes declarações de Sérgio Abrantes Mendes, seu adversário nesta corrida eleitoral.
"Quando há adversários, numa campanha como esta, fazem-se acusações, críticas e insinuações, pensando que não falamos nelas.
Sérgio Abrantes Mendes fez uma declaração, acusando-me de ser funcionário do BES, falando de ligações perigosas entre aquele grupo, o Sporting e a empresa a que presido, a OPCA. Disse que sabia coisas que levantavam suspeitas. Para ele, que diz querer as coisas claras, só há uma resposta possível: desafio-o a provar o que diz. Nenhum sportinguista faz acusações sem provar. Não consigo responder, por educação, por formação e pelos valores que me orientam", comentou, antes de visar directamente às dúvidas levantadas sobre a relação entre as suas empresas, o Grupo Espírito Santo e o clube. "Não tenho nada para esclarecer. O universo das empresas que dirijo é conhecido, os parceiros que tenho são conhecidos, a parceria que o Sporting tem com dois bancos é completamente transparente." O ainda presidente só encontra uma explicação para este tipo de ataques: "É o desespero de quem vai perder uma eleição."
O tom das suas palavras permaneceu e agravou-se quando relacionado com aquilo que considera ser um acto de difamação para com a própria organização. "Mais grave do que os ataques à minha pessoa são aqueles que atingem o Sporting e vários sportinguistas. Disse que as contas da SAD não eram claras, que não correspondiam à realidade, quando o Sporting encetou, há dez anos, um percurso inquestionável sob o ponto de vista da transparência. Não sou eu, que estou nesta posição há pouco tempo, mas os muitos que serviram o Sporting com um esforço extraordinário. Disse que havia ordenados milionários, quando temos um património que vale mais de 300 milhões de euros, um volume de negócios superior a 50 milhões de euros e triplicámos as receitas. Não é possível sem profissionais competentes. É ignóbil fazer afirmações destas sem provar. Disse que Carlos Freitas recebia comissões nas transferências de jogadores. Chegámos ao limite da minha paciência. Um candidato, que é juiz, fazer acusações e não provar o que diz é difamação. Isso não admito", assegurou, recusando adiantar, para já, se pretende recorrer aos tribunais: "Só tomarei qualquer atitude depois de ser presidente do Sporting. Atacou também empresas e instituições e isso, como sportinguista, magoou-me."

2 comentários:

cavungi disse...

"Tenho um Compromisso de Palavra" com Paulo Bento e Carlos Freitas para a sua continuidade."
Filipe Soares Franco in "A Bola" 26/04/06.
Coitados vão acabar despedidos, porque já todos sabemos o que significa a palavra "Palavra" para o Filipe...

Vicente Lemos disse...

O Filipe é um homem de duas palavras !