terça-feira, junho 20, 2006

Chilavert denuncia alegadas pressões de Scolari

O ex-guarda-redes José Luis Chilavert denunciou hoje alegadas pressões do antigo seleccionador do Brasil, Luiz Felipe Scolari, agora responsável pela Selecção Nacional, para que dois futebolistas paraguaios não alinhassem num jogo de qualificação para o Mundial de 2002. Chilavert refere-se às ausências do defesa Carlos Gamarra e do médio Júlio César Enciso no jogo que o Paraguai perdeu (0-2) com o Brasil, em Porto Alegre, e que os brasileiros necessitavam de ganhar para se qualificarem para o Mundial disputado na Coreia do Sul e no Japão, onde acabaram por conquistar o seu quinto título.
O ex-internacional paraguaio disse à rádio católica Caritas, para a qual comenta os jogos do Mundial Alemanha'2006, que Scolari havia exercido pressão através de um intermediário, o empresário brasileiro Gilmar Veloz, que representava Enciso quando este militava no Internacional de Porto Alegre. "Os adeptos têm de saber perfeitamente que, se o Paraguai empatava, o Brasil ficava fora do Mundial. Então, Felipe Scolari comunicou com ele (Gilmar Veloz) e pediu que nem Gamarra nem Enciso jogassem", afirmou Chilavert.
A Federação Paraguaia de Futebol anunciou nesse dia que Gamarra, então ao serviço dos gregos do AEK de Atenas, foi excluído da equipa devido a pubalgia, enquanto Enciso teria alegadamente sido obrigado a faltar ao jogo devido a um problema judicial no Brasil.
Rumores que circularam na altura deram conta da existência de divergências entre Enciso e Chilavert. "Enciso alegou no jogo com o Brasil que não poderia viajar para território brasileiro porque tinha um inconveniente com a justiça brasileira, e Gilmar Veloz era muito amigo de Felipe Scolari", alegou o ex-capitão do Paraguai nos Mundiais França'98 e Coreia do Sul/Japão'2002.
O Paraguai, que ganhara ao Brasil por 1-0 no primeiro jogo entre as duas selecções, estava então praticamente qualificado, enquanto Scolari vivia uma das piores crises futebolísticas da selecção brasileira. "Gamarra e Enciso deram o benefício aos brasileiros em relação aos paraguaios, contra isso luto. Lutei sempre, fui o mau da fita", acrescentou Chilavert.
Até ao momento, Scolari ainda não se pronunciou sobre estas declarações do ex-internacional paraguaio.

6 comentários:

carlos disse...

De muito mau gosto a publicação desta notícia nesta ocasião, em pleno Mundial, referente a um episódio que teve (ou não) lugar há mais de 4 anos.
Sem qualquer rigor jornalistíco, dá-se voz a um qualquer guarda-redes na reforma, que diz o que lhe apetece, após ter estado calado tantos anos, sem que se mostre sequer que se tentou primeiro confirmar a veracidade da notícia.
Quem a publica - e não me refiro, como é óbvio, à sua divulgação neste blog mas ao meio de comunicação social que o fez - não deixa certamente de estar a fazer um frete aos detratores do Scolari, que, porque desejam tanto mal ao seleccionador nacional, não se importam de assim poderem perturbar a própria selecção.

Ronaldinho disse...

Como se o Scolari se importasse muito com isso e como se ele não pudesse fazer isso.
Sinceramente Sr. Ex-zelador.

Sr. Vermelho, por acaso viu ontem na sic notícias a reportagem sobre o Portugal-Irão?
Aquele beltrano que lá apareceu com um galo de Barcelos na mão, com um avental a dizer "Quem vai a Idanha, apanha"; com peúgas pelo joelho amarelas, e com óculos à Armando Gama, era o Samsalsicha?

vermelho disse...

amigo Ronaldinho:
se não era, podia ser.
Abraço.

carlos disse...

Condómino Ronaldinho: Por acaso não assistiu ao jogo na companhia do condómnio Costa, não?
É que ambos se entretiveram a vislumbrar o condómino Samsalsicha por entre a multidão de Tugas que por ali pululavam, ora com o garrafão na mão ora com o Galo de Barcelos.
Sendo de referir que ambos estiveram atentos ao pormenor dos óculos à John Lenon ou à Armando Gama que - presumo - dão por assente fazer parte da imagem de marca do amigo Salsicha.
Por acaso - mas por mero acaso, mesmo - eu próprio visionei um Tuga embrulhado na bandeira portuguesa, com uma daquelas perucas tricolores, tipo crista de galo, com um cartaz a dizer: "em Penamacor, entra sem dor", e com óculos à Paulo Pedroso, que também me pareceu o amigo Salame.

carlos disse...

Amigo Vermelho:
Saberá o meu caro amigo informar-me onde jogou a última época esse brilhante futebolista que responde pelo nome de Chano? Tem a ver com aquela questão antiga que o meu amigo bem sabe. Da FPF, informaram-me que o útlimo registo de que dispõem se refere à época de 2004/2005, onde esteve inscrito pelo Alverca

vermelho disse...

amigo Carlos:
ao que sei, abandonou o futebol.
Leva uma vida desgraçada, mas procurarei saber onde vive junto do seu ex-treinador José Viterbo ou dos seus ex-empresários Nuno Rolo e Patrão.
Em breve, dou-te mais notícias.