segunda-feira, maio 15, 2006

Uma atitude reveladora do carácter ou da ausência dele

Como postei na quinta-feira, Sá Pinto decidiu prolongar por mais uma época a sua carreira de futebolista.
Tudo certo até aqui.
Um direito legítimo que lhe assistia, não fôra a circunstância de antes da tomada de decisão ter auscultado a opinião de Paulo Bento e da Administração da SAD leonina e estes, unânimemente, se terem oposto a tal desiderato.
Paulo Bento, quando confrontado com a intenção de Sá Pinto, frontalmente, informou-o que não contava com os seus préstimos.
Soares Franco, na esteira da posição assumida pelo técnico, manifestou-lhe idêntico propósito.
Não obstante, Sá Pinto revelou publicamente a sua decisão de prosseguir a carreira.
Uma forma de pressão intolerável, uma demonstração de falta de carácter aviltante.
Esperava Sá Pinto que Paulo Bento e a Administração recuassem nos seus propósitos, perante uma possível reacção adversa da massa associativa leonina?
Se esperava, enganou-se!
Mais uma vez, Paulo Bento deu de si uma imagem de firmeza e de coerência.
Mais uma vez, Sá Pinto deu de si uma imagem de falta de lealdade e de carácter.

6 comentários:

VermelhoNunca disse...

Paulo Bento e Soares Franco tiveram uma atitude coerente e corajosa. Gostava de saber o que diz o adepto do clube de bairro e todos aqueles que vinham com a "vaga de fundo". Pela boca morre o peixe; os senhores estão mal habituados nos vossos clubes e querem transportar isso para o Sporting.

Zex disse...

Atitude de Sá Pinto só tem uma qualificação: RIDÍCULA !

VermelhoNunca disse...

Como ridículos são os comentários de alguns senhores que aqui passam, fazendo crer que o Sporting é a República das Bananas.
Além de que Sá Pinto traíu a confiança de Paulo Bento e Soares Franco,pois tinha sido avisado cara a cara que não contavam com ele.

Zex disse...

O Soares Franco foi, num passado recente, "um homem de duas palavras". Isso é um facto, parece-me. E a primeira "vaga de fundo" foi genialmente prevista por um colaborador deste blog.
De qualquer modo, é pena que o condómino cavungi se tenha retirado prematuramente deste espaço, uma vez que ele sim, era o verdadeiro profeta das "vagas de fundo", sempre com a propriedade que o distinguia.
Fará aqui muita falta, para combater o "status quo" lagarto que aqui se instalou !
Ainda assim, parece-me que ninguém tratou o Sporte como República das Bananas, mas sim o futebol português em geral. De qualquer forma, tratava-se de uma previsão que não era assim tão despicienda, como se veio a constatar. E, como previsão que era, arrisca-se a falhar. E falhou !
Agora é muito mais fácil falar !
Cumprimentos,

vermelho disse...

amigos:
uma palavra para o condómino Cavungi, cuja presença neste espaço muito o enobreceu.
Obrigado e espero que, embora os comentários diurnos tenham terminado por imposição patronal, os nocturnos comecem agora a fazer escola.
Abraço.

samsalameh disse...

Olé Sá Pinto, olé!!!
Mais uma tentativa de limpeza de balneário no SCP: primeiro Rui Jorge e Pedro Barbosa, agora Beto (já há alguns meses!) e Sá Pinto.
O Sporting conseguiu, em duas épocas, que não houvesse duas receitas extraordinárias: dois jogos com as despedidas do Rei (que nunca o foi! Já aqui disse por diversas ocasiões que jogadores como o Sá Pinto não fazem falta ao futebol português) e do Pedro Barbosa.
No entanto, penso que a atitude, quer do Presidente, quer do Paulo Labião de Risco ao Meio, foi a melhor de todas.

Quero também aqui expressar a pena que tenho eu não poder ler, pelo menos, durante o dia, os diálogos tão bem elaborados pelo Sr. Cavungi entre Paulo Pente e Soares Franco.
Aqui fica um abraço!