sexta-feira, julho 14, 2006

O fim de um sonho, mas afirmação como Chefe de Fila

Uma "maratona" de 206,5 quilómetros entre Tarbes e Valle de Arán, em Espanha, com cinco contagens de montanha – uma de categoria especial (Tourmalet) e outras quatro de primeira categoria – foi a prova de fogo que serviu, disputadas 11 etapas no Tour, para testar as pernas dos favoritos no primeiro embate em alta montanha que, de resto, confirmou o estatuto de favorito do norte-americano Floyd Landis (Phonak), novo camisola amarela.
O triunfo na etapa pertenceu ao russo Denis Menchov (Rabobank) que cumpriu a distância em 6h06m25s (à media de 33, 811 km/h) batendo ao sprint os norte-americanos Levi Leipheimer (Gerolsteiner) e Landis, o trio de luxo que mais se destacou no final, na subida a Pla-de-Beret.
Na mesma ascensão, a respiração compassada e o à-vontade que José Azevedo havia demonstrado nas subidas anteriores deu lugar à quebra, atrasando-se perante as primeiras dificuldades de Pla Béret.
Ainda assim se pode considerar uma jornada positiva para o corredor vila-condense que terminou em 15.º, subindo ao 18.º posto da geral.
Quando ainda restam os Alpes e a terrível terceira semana o posicionamento de Azevedo é ideal para um novo ataque aos “dez” primeiros, o objectivo definido pelo próprio na véspera de arranque do Tour.
Por sua vez, Azevedo confirmou-se definitivamente como o melhor trepador da Discovery Channel – George Hincapie (40.º) ou Yaroslav Popovych (23.º) não estão ao mesmo nível de “Ace” nas montanhas.
A grande jornada pirenaica teve no espanhol David la Fuente (Saunier Duval) um dos seus maiores protagonistas, resistente de uma fuga inicial que o consagrou como novo líder da montanha no Portillon, penúltima subida do dia.
Depois, em Pla-de-Beret, foi o “tandem” Rasmussen-Boogerd, da Rabobank, a seccionar os favoritos lançando Menchov, Landis e Leipheimer (agora 13.º) na discussão da tirada.
Landis, 31 anos, o novo camisola amarela do Tour – anterior “aguadeiro”de Lance Armstrong – detêm agora oito segundos sobre o anterior líder, o francês Cyril Dessel (Ag2R) e 1m01s sobre o russo Menchov.
A Volta a França regressa hoje a terreno menos inclinado, com a despedida dos Pirenéus numa jornada de 211 quilómetros entre Luchon e Carcassone no 14 de Julho Francês que não contará, entre outros, com Iban Mayo (Euskaltel) que já na véspera havia concluído a etapa em dificuldades.

Geral individual

1 Floyd Landis (Eua/Phonak) 49h18m07s
2 Cyril Dessel (Fra/AG2R) a 8s
3 Denis Menchov (Rus/Rabobank) a 1m01s
4 Cadel Evans (Aus/Davitamon-Lotto) a 1m17s
5 Carlos Sastre (Esp/CSC) a 1m52s
6 Andreas Klöden (Ale/T-Mobile) a 2m29s
7 Michael Rogers (Aus/T-Mobile) a3m22s
8 Juan Miguel Mercado (Esp/Agritubel) a 3m33s
9 Christophe Moreau (Fra/AG2R) a 3m44s
10 Marcus Fothen (Ale/Gerolsteiner) a 4m17s
(…)
18º José Azevedo (Por/Discovery Channel) a 7m27s

4 comentários:

carlos disse...

Como já aqui opinou o condómino Vermelhonunca, creio que Floyd Landis é o favorito à vitória final no Tour.
Ás suas inegáveis capacidades como trepador, acresce ser um dos melhores contra-relogistas da actualidade.
Ontem, sem forçar, rolou montanha acima como se de um passeio se tratasse.
Azevedo fraquejou na última escalada, depois de ter acompanhado de perto os favoritos durante todas as anteriores subidas.
Sem ninguém da equipa que o apoiasse, seguiu sózinho durante dezenas de quilómetros, no seu estilo sereno inconfundível, mostrando estar em boa forma para atacar as restantes etapas de montanha.
Creio que agora as posições relativas dos corredores da Discovery se mostram já bem definidas, surgindo o Azevedo como o mais bem preparado da equipa americana.
A partir de hoje, iremos assistir, provavelmente, a um "reunir de tropas" por parte da Discovery, com os restantes corredores a apoiarem o Azevedo.
Veremos se os colegas do Azevedo estarão em condições para o apoiarem como sempre fizeram relativamente ao Lance Amstrong.

VermelhoNunca disse...

Amigo Carlos: A Discovery é uma das melhores equipas do pelotão, e tem ainda a responsabilidade de ser a ex-equipa de Lance Armstrong. Neste momento está em 10º lugar na classificação por equipas, a 27 minutos da liderança( T- Mobile). Ou seja, a estratégia da Discovery tem mesmo de mudar. Terão de atacar, mas farão isso nos Alpes, a partir da próxima 3ª feira ( serão 3 dias de alta montanha, seguidos).

VermelhoNunca disse...

Amigo Carlos, mais uma má notícia para Azevedo:
"Companheiro do português José Azevedo na Discovery Channel, o italiano Paolo Savoldelli decidiu, esta manhã, abandonar a Volta à França, na sequência do acidente que protagonizou já no final da etapa de ontem.



ASF
O italiano, considerado um dos melhores trepadores do pelotão internacional, dadas as duas vitórias no Giro (2002 e 2005), chocou ontem contra um espectador no caminho para o hotel, sendo suturado com 13 pontos."

VermelhoNunca disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.