terça-feira, julho 18, 2006

Triste muito triste ou a história de um homem completamente destroçado

O episódio bíblico do “filho pródigo” ilustra, na perfeição, o regresso de Mário Jardel ao futebol português, agora para representar o Beira-Mar.
Em Aveiro, Jardel começou ontem a sentir que tem uma família disposta ao acolhimento de um filho pródigo cheio de talento.
Foi rodeado de aparato, com uma mobilização inédita dos meios de comunicação e muito interesse de dirigentes e adeptos, acreditando na recuperação do goleador que marcou o final dos anos 90 e os primeiros de 2000 no campeonato português, que Jardel se apresentou.
Todas as atenções lhe foram dirigidas, a sua companheira Tatiana também as despertou, e o búlgaro Todor Angelov, novo guarda-redes dos aveirenses, ficou praticamente relegado para segundo plano.
Ontem o dia era de Jardel.
As saudades dos filhos que vivem em Portugal tiveram peso decisivo no regresso ao país onde conseguiu exibir os dotes de goleador, em duas eras, ao serviço de FC Porto e Sporting, totalizando 183 golos em 174 jogos de campeonato.
O trajecto nos últimos três anos foi em quebra, com mais de um clube por época - o último foi o brasileiro Goiás -, mas agora a sua vontade é assentar e voltar às luzes da ribalta.
Ontem, depois da apresentação, Jardel teve o primeiro contacto com os colegas, foi autorizado a descansar e hoje inicia o estágio.

5 comentários:

Kubas&SLB4Ever disse...

Gordo como o Jardel está as unicas luzes que ele vai conseguir ver são as do Casino de Espinho e da Figueira...

Jorge Mínimo disse...

Na conferência de imprensa o Jardel parecia que estava à beira de arrotar.

vermelho disse...

amigo mínimo:
diria mesmo de vomitar.
Abraço.

carlos disse...

Parecia que estava com uma grande bebedeira.

Kubas&SLB4Ever disse...

Amigo Carlos eu diria que ele estava com a MOCA... viram aqueles olhos e aquela soneira. Uiii